Se você quer saber a melhor opção entre amortizar no prazo, na parcela ou investir seu dinheiro, descubra a melhor opção no nosso Relatório de Amortização

Veloe e Taggy: descubra se vale a pena contratar um pedágio expresso

Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Apple Podcasts
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Spotify
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Google Podcasts
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Castbox

Quem costuma viajar de carro certamente já passou por rodovias que possuem praças de pedágio. E, com tantos pedágios espalhados por aí, quem gosta de pegar estrada já deve ter notado que existem cancelas que permitem que alguns carros paguem a tarifa sem precisar parar: as chamadas tags de pedágio expresso. Atualmente algumas empresas, como o banco C6 – através de parceria com a Taggy – e a Veloe, estão oferecendo o serviço de forma gratuita para seus clientes. 

Esse assunto de pedágio expresso já foi tratado aqui no nosso blog (quando falamos sobre outras opções, como SemParar e ConectCar). Agora, traremos as novidades do mercado, e , além disso, vamos te mostrar como as empresas que já ofereciam esse serviço estão se adaptando ao novo modelo de negócio. 

O que é pedágio expresso?

Pedágio expresso é o nome do serviço que permite aos motoristas passarem pelas cancelas de pedágio sem parar para pagar. O funcionamento desse serviço é bastante simples. O usuário contrata uma empresa e recebe um dispositivo – chamado tag. Ela geralmente chega pelo correio, mas pode também ser retirado em postos de combustível credenciados.

veloe é uma boa opção de tag em pedágio expresso A tag deve ser colada no para-brisa do carro, na parte interna, próxima do espelho retrovisor. Os modelos mais antigos são umas caixinhas de plástico, mas, com as novas tecnologias, têm se tornado cada vez menores. As mais modernas são adesivos da espessura de um cartão de crédito.

Mas as tags não funcionam apenas em praças de pedágio. Elas servem também para pagar estacionamentos, abastecimento em postos de combustíveis e serviços diversos no sistema drive thru. E as funcionalidades não devem parar por aí, podemos esperar cada vez mais novidades nesse mercado.

As tags não isentam o usuário do pagamento do pedágio, apenas facilitam o processo. O cliente vai pagar pela tarifa todas as vezes em que passar pela cancela.

Até recentemente, os planos de pedágio expresso, em sua maioria, funcionavam por meio de recarga. O cliente carrega um determinado valor em uma conta e depois os valores das tarifas são descontados dessa conta. Os planos são, basicamente, de dois tipos. Ou o cliente paga mensalidade e não paga taxas nas recargas, ou não paga mensalidade e paga taxas nas recargas.

Mas tudo isso está mudando, e já vamos ver como.

Vantagens

As vantagens de se ter uma tag de pedágio expresso são várias. A primeira, mais evidente, é não perder tempo enfrentando filas nas praças de pedágio. Mas há outras. Ao não parar em filas, o motorista também poupa combustível. Além disso, não precisa ter sempre dinheiro vivo consigo e evita o trabalho de manusear moedas.

Para as empresas concessionárias de estradas as vantagens também são evidentes. Quanto menos dinheiro vivo mantiver em seus postos, menor é o risco e o prejuízo com assaltos. Além disso, quanto menos carros pararem nas praças, menor é a poluição a que funcionários e motoristas estarão expostos.

Esses, aliás, são motivos suficientes para que as concessionárias estimulem o uso de tags por motoristas. Nas novas concessões feitas no estado de São Paulo, está previsto desconto nas tarifas para quem usa os dispositivos. E não será de se espantar se concessionárias passarem a subsidiar a instalação das tags nos automóveis.

Vamos conhecer então as empresas que disputam hoje o mercado de pedágio expresso.

C6 Taggy

A Taggy é a principal novidade no mercado. É uma marca da startup Greenpass. É a primeira tag comercializada pelo modelo de negócios conhecido como white label. Em rápidas palavras, é uma marca pronta para firmar parcerias com outras. No caso da Taggy, isso significa que ela deverá ser comercializada por diferentes empresas.

c6 taggy é uma empresa de tag de pedágio expresso

A primeira empresa a lançar a Taggy é o recém-criado banco digital C6. E chegou fazendo barulho. Ele oferece a tag gratuitamente, sem cobrar mensalidade nem taxas de recarga. Interessante é que o banco C6 paga à Greenpass pelas tags vendidas, mas não repassa esse custo ao cliente. O cliente só paga pela tarifa do pedágio que é debitada diretamente em sua conta corrente.

A C6 Taggy não cobra taxa de adesão e nem frete para envio do produto. Caso precise substituir a tag – em caso de troca do carro ou quebra do para-brisa – é cobrada uma taxa de R$ 10,00.

Se a família tem mais de um carro, cada tag precisa estar vinculada a uma conta. Não existe compartilhamento de tags na mesma conta.

Veloe

Outra empresa recém-chegada ao mercado é a Veloe. Ela faz parte do grupo Alelo – o mesmo dos cartões Elo, das maquininhas Cielo e do programa de pontos Livelo.

A Veloe chegou ao mercado oferecendo planos no modelo de mensalidade – portanto, sem taxas extras de recarga. Porém, recentemente, passou a oferecer 12 meses de gratuidade em seus planos. A Veloe chegou a oferecer gratuidade de 18 meses. Mas a promoção acabou, e a empresa passou a oferecer apenas 12 meses.

Planos Veloe

Os dois principais planos da Veloe são o Total Recargaveloe tag pedágio expresso 12 meses de gratuidade Automática e o Total Pós.

O primeiro é um plano pré-pago. A pessoa define um saldo mínimo, cadastra um cartão de crédito e faz uma primeira recarga – o valor mínimo é R$ 50,00. Sempre que o saldo da conta ficar abaixo do valor mínimo estabelecido, é feita nova recarga. A mensalidade do plano custa R$ 18,90 – mas, como dissemos, os 12 primeiros meses são gratuitos.

O plano Veloe Total Pós é, como o nome indica, pós pago. A pessoa utiliza os serviços e depois recebe uma fatura. O valor da mensalidade é R$ 20,90, mas também existe gratuidade nos 12 primeiros meses.

Além desses dois planos, há também o Veloe Estrada. Ele funciona por recarga automática e serve apenas para pedágios. Custa R$ 14,90 mensais e também oferece 12 meses grátis, mas cada utilização em estacionamento custa R$ 1,90 adicionais. Em minha opinião, como há gratuidade de 12 meses, não faz muito sentido contratar esse plano. O melhor é pegar logo o plano Total.

Na Veloe não existe taxa de adesão e não é cobrado frete para envio da tag. Caso o cliente precise substituir o dispositivo, é cobrada taxa de R$ 34,90. Outra facilidade interessante da Veloe é a possibilidade de cadastrar até 10 veículos na mesma conta. Cada um recebe sua tag, mas o saldo e as recargas podem ser compartilhados entre todos eles. Fica mais fácil gerenciar o consumo da família.

Caso o cliente resolva cancelar o plano, é cobrada uma tarifa de R$ 7,50 para a devolução do dinheiro.

Sem Parar

A Sem Parar é a empresa líder no segmento de pedágios expressos no Brasil. Ela também oferece apenas planos com mensalidade, sem taxa extra pela utilização do serviço

Os planos podem ser pré-pagos – com criação de uma conta na própria Sem Parar em nome do usuário – ou pós-pagos. No caso dos planos pós-pagos, o cliente precisa depositar uma caução, como garantia em caso de inadimplência.

Os planos pré-pagos podem ser com recarga automática ou manual. A recarga automática é semelhante aos planos da Veloe: a recarga é feita automaticamente quando o saldo atinge um valor mínimo. A recarga manual precisa ser comandada pelo usuário.

Caso o cliente queira cancelar o plano, não é cobrada taxa, e o saldo é devolvido em até 15 dias. Ao contrário da Veloe, a Sem Parar não oferece a possibilidade de cadastrar mais de um veículo na mesma conta.

Planos

O plano Nacional custa R$ 24,90 por mês e vale para todos os serviços – pedágios, estacionamentos etc.

Além disso, a empresa oferece planos regionais. Na verdade, são planos estaduais, oferecidos para 9 estados, mais o Distrito Federal, custando R$ 14,90 por mês.

Nos casos de Rio de Janeiro, Paraná e São Paulo, o plano dá direito a uso apenas em estacionamentos. Caso o cliente use em pedágios, pagará um adicional de R$ 12,90 nos meses em que usar.

Para os estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Bahia, o plano dá direito a uso dos pedágios dentro dos estados. Caso use em estacionamentos ou em pedágios de outros estados, pagará um adicional de R$ 9,90 nos meses em que usar.

E para o Distrito Federal e os estados de Goiás e Mato Grosso do Sul, o plano dá direito a uso nos pedágios dessas três unidades da federação. Caso o cliente use pedágios fora delas, ou estacionamentos em qualquer lugar, pagará mais R$ 9,90 a cada mês em que usar.

Há ainda outro plano, que não estava no site da Sem Parar quando pesquisei, mas que a atendente me explicou por telefone. É o plano Econômico. Ele custa R$ 9,90 por mês e dá direito a uso em estacionamentos. O cliente tem direito a usar pedágios em 3 dias no mês. Além disso, se usar mais que isso, pagará R$ 17,80 em cada mês que usar.

Promoções

Quando redigi este post, a Sem Parar oferecia algumas promoções e atrativos a mais.

  • Novos clientes têm 3 meses de mensalidades grátis no plano Nacional e 2 meses nos planos regionais. Segundo o próprio site da empresa: “a gratuidade começa a contar do dia da compra até o último dia do mês. Por exemplo, se comprar dia 22/05, ela contará como 1 mensalidade no dia 30/05”.
  • Clientes do Banco Original têm 12 meses de mensalidades grátis. Basta cadastrar a fatura do Sem Parar em débito automático em sua conta no Original.
  • Para novos clientes, desconto de R$ 0,10 por litro de combustível nos postos Shell credenciados.
  • Clientes que indicam novos clientes ganham R$25 de desconto na fatura, para cada indicação concretizada.

ConectCar

A empresa de pedágios expressos da Rede Ipiranga oferece planos com ou sem mensalidade. Todos eles são pré-pagos, por meio de recargas via cartão de crédito. As recargas podem ser automáticas ou manuais.

Ao contrário do que ocorre nos planos da Veloe, nos da ConectCar cada tag paga uma mensalidade separada. Mas os clientes podem compartilhar os saldos e recargas entre si. Em caso de cancelamento do plano, a ConectCar não cobra taxas extras. O prazo de devolução não é explicitado no site, e nem mesmo por telefone souberam me informar.

As taxas de adesão e de substituição da tag custam R$ 40 – a não ser no plano Completo, como você verá a seguir. Clientes ConectCar têm direito a até 5% de desconto no combustível nos postos Ipiranga credenciados, usando o aplicativo Abastece Aí.

Planos

  • Completo – Uso em pedágios e estacionamentos. Mensalidade de R$ 15,90 por mês. Novos clientes têm 3 meses grátis. A adesão é gratuita. Além disso, o cliente pode fazer 3 substituições da tag gratuitamente. A partir disso, a taxa é de R$ 40.
  • Urbano – Uso apenas em estacionamentos. A mensalidade é R$ 9,50. Mas, caso use em pedágios mais de 2 vezes em um mês, pagará R$ 16,50 a mais.
  • Básico – Sem mensalidade. Recargas manuais. Há taxa de inatividade de R$ 2 por mês quando o cliente fica mais de 4 meses sem fazer recarga. As taxas por recarga variam de acordo com o valor:

Veloe

Move Mais

A Move Mais é a única que oferece apenas planos sem mensalidade e com taxa de recarga. Os planos são pré-pagos e se diferenciam apenas pela forma de recarga – manual ou automática. No caso da automática, o cliente define um valor de recarga, entre 10 opções disponíveis. Sempre que o saldo atingir 40% do valor, é feita nova recarga. O saldo e as recargas podem ser compartilhados entre diferentes tags.

Em caso de cancelamento não é cobrada taxa, mas o saldo demora até 65 dias para ser devolvido. A taxa de recarga é cobrada de forma ligeiramente diferente do ConectCar. Na Move Mais, é debitado um valor extra na recarga, enquanto no ConectCar ele é deduzido do valor pago. Veja a tabela:

Taggy

Pedágio expresso para motocicletas?

Nenhuma das empresas oferece planos para motocicletas. O motivo é simples. Não existe um local em que as tags possam ser coladas sem o risco de serem roubadas ou danificadas.

Dado o dinamismo do mercado, não duvido que em breve alguma empresa ofereça alguma tecnologia adequada a esse público. Afinal, o número de motocicletas só cresce, e é um público que presa muito a agilidade no dia a dia.

Qual empresa é a mais barata?

Para chegar a uma definição de qual empresa é mais barata devemos levar alguns pontos em consideração. A C6 Taggy chegou oferecendo o serviço gratuitamente. A Veloe oferece gratuidade por 12 meses, o que, em um mercado tão dinâmico, é muito tempo. Portando, a C6 Taggy e Veloe seriam as mais baratas. Além disso, o banco Original também oferece 12 meses de gratuidade a clientes Sem Parar.

E podemos esperar para breve novos parceiros para a Taggy, talvez oferecendo ainda mais vantagens, além da gratuidade do C6. Certamente os elementos levados em consideração na disputa de preços entre as empresas se tornarão mais amplos: descontos na própria tarifa do pedágio, por exemplo, e não apenas nos serviços de tag.

Ou seja: hoje em dia, os mais baratos são os que oferecem gratuidade. E, em breve, possivelmente serão aqueles que, além da gratuidade, ainda oferecerão algo mais.

A tabela a seguir apresenta, de forma resumida, as principais características do planos de cada empresa:

Pedágio expresso

Quais tags são mais aceitas?

De modo geral, todas as empresas afirmam que suas tags são aceitas em todas as concessionárias federais. À medida em que novas concessões são realizadas, essa corrida pode variar um pouco. Algumas empresas chegam na frente das outras. Mas a tendência é que, em pouco tempo, todas as praças aceitem todas as tags.

A C6 Taggy por enquanto não é aceita nos estacionamentos. Portanto, a única empresa que oferece tag gratuita – por 12 meses – com acesso a pedágios e estacionamentos é a Veloe.

Estacionamento rotativo digital

Outro assunto parecido com o das tags é o estacionamento rotativo,  ou mais especificamente, os aplicativos de estacionamento rotativo digital nas cidades médias e grandes.

Por volta da década de 1980 muitas cidades começaram a cobrar para carros estacionarem nas ruas de suas regiões centrais. A cobrança era feita por meio do preenchimento manual de talões. Mas, com o avanço da tecnologia nos tempos atuais, muitas cidades já usam aplicativos de celular para realizar esse serviço. O motorista baixa o aplicativo, cadastra um cartão de crédito, compra talões digitais e os ativa quando vai estacionar.

Minha experiência

Belo Horizonte, onde moro, é uma das cidades que adotaram esse sistema de rotativo digital. Como uso muito vagas de rotativo, logo escolhi um dos vários aplicativos, baixei e passei a usar.

Tudo ia bem quando, certo dia, o aplicativo se recusou a funcionar. Tentei uma, duas, três vezes, e nada. Foi quando me lembrei de que alguém havia comentado que o Banco Inter passou a oferecer esse serviço. Acessei minha conta no Inter, vi a opção “Estacionamento Digital”, entrei, comprei uma unidade e ativei. Funcionou perfeitamente.

Mas minha maior surpresa foi, ao acessar o extrato da minha conta, ver que havia um crédito nela. Recebi de volta o equivalente a 10% do rotativo que havia comprado, na forma de cashback.

Mercado fervendo

Por que contei essa história do rotativo? Porque tem tudo a ver com o que está acontecendo com o mercado das tags.

Quem chegou ao mercado oferecendo gratuidade nos serviços? O banco digital C6. Quem oferece gratuidade de 12 meses aos clientes Sem Parar? O banco digital Original. Quem oferece cashback no estacionamento rotativo de Belo Horizonte? O banco digital Inter.

Inclusive, se você está pensando em abrir uma conta digital confira nosso simulador de contas digitais e veja quais são as melhores opções para você.

Não se trata aqui de fazer propaganda de um ou outro banco. Nem mesmo de elogiar apenas bancos digitais. Afinal, quem também está oferecendo 12 meses de gratuidade em suas tags? A Veloe, empresa de um grupo que tem bandeira de cartão, credenciadora e programa de pontos.

E quem não está se mexendo muito nesse mercado? As empresas tradicionais. No máximo dão um ou outro desconto, por tempo curto. Ou pior, às vezes extinguem planos que atendiam bem aos seus clientes – basta ler os comentários dos nossos posts anteriores.

O ponto é: o mercado está fervendo. Se você quer contratar uma tag, saiba que há muita novidade chegando e por chegar. E se você já tem uma tag, é hora de avaliar se ela está te atendendo bem.

O que descobri testando

Eu mesmo sou cliente ConectCar há muitos anos. Meu plano é antigo, por isso pago só R$ 5,39 por mês – um terço do valor de um plano novo. Mas agora há opções gratuitas disponíveis. A C6 Taggy ainda não me atende bem, porque gosto de usar a tag em estacionamentos. Mas a Veloe pode me atender. Os 12 meses de gratuidade já me economizarão quase R$65. Será que depois disso a Veloe vai manter a gratuidade? Será que até lá a C6 já atenderá estacionamentos? Será que a ConectCar vai me oferecer gratuidade para me manter como cliente? Estou avaliando. Se for melhor para mim, vou mudar de empresa.

Esteja sempre atento

Cuide você também do seu dinheiro, dos serviços que já contratou e dos que ainda vai contratar. Veja o que seu banco te oferece, além dos serviços financeiros. Não só os digitais, que são especialistas em inovação. Mas até os tradicionais, pois alguns deles estão se mexendo para não perderem espaço.

Se quer saber mais sobre bancos digitais, veja o que já escrevemos sobre eles. Além disso, nosso Simulador de Contas Digitais pode te ajudar a encontrar a conta que melhor vai te atender.

Deixe aqui nos comentários qualquer dúvida a respeito das empresas e dos serviços oferecidos. E se já tiver usado algum desses,  não deixe de contar suas experiências pra gente!

24 comentários

  • Muito boa a matéria. Fiquei com uma dúvida. Caso assine com duas empresas, como por exemplo c6 taggy e veloe. Como funcionaria as cobrança em caso de pedágios que aceitam as duas plataformas?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Felipe, obrigado pela sua mensagem!

      Opa, respondi a essa mesma pergunta no post sobre ConectCar, Sem Parar e Veloe. Boa oportunidade de responder aqui também.

      Quando fiz minha primeira pesquisa, as empresas disseram que se você passasse com duas tags, ambas seriam debitadas. Agora a fala deles é outra: apenas uma delas será debitada (não sendo possível dizer qual).

      Abraço!

      Responder
  • Instalei a Taggy da C6: funciona perfeitamente. Por enquanto, é bastante restrita área de atuação, mas creio que irá aumentar à medida que as pessoas conhecerem melhor o serviço e a fintech seja mais bem consolidada no mercado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Marcelo, obrigado pela sua mensagem!

      Legal, mais uma opinião de usuário sobre uma das empresas.

      Em breve traremos novidades em nossos posts sobre o tema. Abç!

      Responder
  • Matéria muito boa. Acabei optando pela Taggy do C6 pois passo em pedágios somente algumas vezes ao ano. E achei prático o método de pagamento.
    Chegou ontem a tag mas minha dúvida é se não vou ter problema colando no meu parabrisa que é filmado por G50. Alguém tem relatos sobre isso? Pois falaram que se colar e tirar, estraga a tag e possivelmente a película do para-brisa.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Alex, obrigado pela sua mensagem!

      Eu ainda não havia pesquisado sobre essa questão. Fiz isso agora.

      O mais indicado é colar a tag na área pontilhada existente no para-brisa de muitos carros, mesmo para quem não tem filme. Nesta área há menos proteção contra raios solares do que no restante do para-brisa. Então, para quem tem filme, essa área é a que tem menor risco de não funcionar.

      Pelos relatos que li, concluí que muitas pessoas usam a tag com filme, sem problemas. Vi um ou outro relato de problemas.

      Mas sugiro que entre em contato com o fornecedor da tag e peça orientações. Afinal, as tags podem ter tecnologias diferentes, é bom saber o que seu fornecedor tem a dizer.

      Abraço!

      Responder
  • Caro Ewerton, parabéns pela matéria!
    Uso muito rodovias federais com pedágios, entretanto, não sou cliente de nenhuma empresa de cobrança automática. Soube recentemente do Taggy da C6 Bank, meu irmão obteve. Ele está usando a um mês e até o momento não ocorreram problemas. Fiquei tentado a adquirir o Taggy, porém, fiquei sabendo que o Banco Inter, em breve, também terá seu Taggy nos mesmos moldes do C6 Bank. Sendo assim, como sou cliente do Banco Inter, resolvi esperar para obter está comodidade.
    Agradeço pelas informações, forte abraço.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Paulo, obrigado pela sua mensagem!

      Que bom que gostou da matéria. E que bom que está ligado no que está disponível, e no que ainda deverá estar (como a Taggy do Inter). Também vamos procurar ficar ligados e atualizar sempre as novidades por aqui.

      Abraço!

      Responder
  • Qual o funcionamento quando se tem duas tags no mesmo carro com empresas diferentes?
    Ao passar pelo pedágio por exemplo, lugar comum aceito por todas as empresas, a cobrança é única e aleatória?
    Ou a cobrança é dupla?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Gregori.

      A cobrança ainda é dupla. As empresas até alegam estarem estudando uma forma de desativar temporariamente a tag, mas ainda não informaram nada de concreto nesse sentido. Abç!

      Responder
  • Parabéns pela matéria. também aproveito para complementar que a Veloe também está dando 24 meses de gratuidade na mensalidade para clientes do Banco do Brasil com Ouro Card.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Grande Marco, obrigado pela mensagem!

      Pois é, parece que o Next também está oferecendo coisa parecida. Em breve eu vou alterar o post, para acompanhar essas novidades. Abraço!

      Responder
  • Tinha o conectCar desde o lançamento que só havia pre pago, mas cancelei e arrisquei usar o C6 Taggy. Fiz uma viagem e deu tudo certo. Em vários pedágios ele abria a cancela com sinal verde mas apitava como se houvesse algo errado. Em outra rodovia em algumas praças abria a cancela mas escrevia “Cod invalido”. Passei por mais de 20 pedágios e todos foram cobrados corretamente e não chegou nenhuma multa até agora. Acredito que o sistema da Taggy talvez não esteja tão redondo quanto os concorrentes mais antigos, mas no meu caso deu tudo certo. Logo quando adquiri o conectar o comportamento era o mesmo nos pedágios, e parei várias vezes porque sempre apitava na praça de pedágio. Espero que logo tenhamos mais opções de graça para os antigos se mexerem para não ficar para trás. Quanto mais concorrência, quem ganha somos nós.
    Ótima matéria

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Ronaldo, obrigado pela sua mensagem!

      Que comentário bacana! Obrigado por trazer um relato detalhado sobre um produto relativamente novo no mercado. Melhora MUITO a qualidade da nossa seção de comentários.

      É isso aí, também espero que cheguem novos produtos gratuitos, ou, pelo menos, novas parcerias com gratuidade. Aliás, o post já está ficando desatualizado, pois já estão acontecendo essas parcerias. Vou atualizar em breve.

      Abraço!

      Responder
  • Grato pela matéria!
    A propósito, no caso da Veloe, haverá cobrança de 1 mensalidade, após 12 meses, por veículo cadastrado; ou seja: 10 veículos = 10 × R$ 18,90 = R$ 189,00.
    Pela matéria, dá-se a entender que seria 1 mensalidade de R$ 18,90 (fixo) com possibilidade de registro de até 10 veículos.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Yang, obrigado pela sua mensagem!

      Você tem razão. Já corrigi o post. Eu de fato me enganei na hora de redigir, ou então entendi errado a explicação que me deram (chega a ser ingenuidade minha, rs). De toda forma, retirei a parte incorreta. Obrigado! Abraço.

      Responder
  • Prezado Ewerton,

    Gostaria de agradecer pela matéria tão detalhada e abrangente e pelo serviço que você presta.

    Muito bom poder contar com uma visão clara do que acontece nesse mundo disruptivo que vivemos.

    Gratíssimo,
    JP

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *