Se você quer saber a melhor opção entre amortizar no prazo, na parcela ou investir seu dinheiro, descubra a melhor opção no nosso Relatório de Amortização

Entenda quais são os erros mais comuns na hora de fazer um empréstimo

Pegar um empréstimo pode ser muito útil, seja para se organizar financeiramente ou até para fazer uma compra. Entretanto, requer cuidado. Muita gente solicita um empréstimo com o intuito de se reestruturar financeiramente, mas acaba se afundando ainda mais em dívidas. Portanto, antes de fazer um empréstimo você precisa se informar de todas as maneiras possíveis. Evitando assim, o risco de ter o empréstimo negado na primeira tentativa e a possibilidade de cair em ciladas. Afinal, informação nunca é demais.  É por isso que neste post reunimos alguns dos erros mais comuns que as pessoas cometem na hora de pedir um empréstimo. Com isso, você poderá se prevenir e fazer seu empréstimo com o máximo de segurança possível.

Comparar a taxa de juros, e não o CET

Provavelmente a maioria das pessoas olhará a taxa de juros na hora de adquirir um empréstimo. Entretanto, nem sempre taxas de juros menores significam custo menor. Outros custos estão envolvidos em um empréstimo, como impostos, seguros e taxas de cadastro. Muitos não sabem, mas esses custos normalmente são repassados ao cliente.

Para facilitar a comparação entre empréstimos e ver qual é o mais barato, existe uma taxa que engloba todos esses encargos, o CET (Custo Efetivo Total). Todas as instituições financeiras são obrigadas a divulgarem o CET da transação, devido a uma resolução do Banco Central.

Portanto, na hora de escolher entre mais de um empréstimo, não escolha aquele que tem a menor taxa de juros, mas sim o que tem o menor CET!

Não comparar instituições diferentes antes de fazer um empréstimo

O instinto primário da maioria das pessoas ao procurar um empréstimo é ir no banco no qual é correntista. Entretanto, vários bancos oferecem empréstimos para não-correntistas, e alguns podem ter propostas mais interessantes que o seu próprio banco. Se para você a melhor proposta significa proposta mais barata, novamente caímos no CET: procure o menor CET!

Por isso é importante buscar mais de uma opção antes de escolher seu credor. Entretanto, isso não significa ligar de empresa em empresa analisando todas. Pensando em facilitar esse processo, nós do Educando seu Bolso temos um simulador de empréstimo , que analisa suas demandas e compara diferentes empresas para te ajudar.

Crédito Pessoal
PosiçãoInstituiçãoModalidadeCET(ao Mês)Interessado?
1
GERU
Crédito Pessoal4.20%
2
Ibi Digital
Crédito Pessoal5.99%
3
Credisfera
Crédito Pessoal6.15%
4
Just.
Crédito Pessoal6.35%
5
Rebel
Crédito Pessoal6.65%
Consignado
PosiçãoInstituiçãoModalidadeCET(ao Mês)Interessado?
1
GERU
Consignado - INSS1.80%
2
GERU
Consignado - Público1.80%
3
Agibank
Consignado - INSS2.03%
4
Agibank
Consignado - Privado2.42%
5
Creditoo
Consignado - Privado4.89%
Negativados
PosiçãoInstituiçãoModalidadeCET(ao Mês)Interessado?
1
Livre.digital
Crédito Pessoal3.47%
2
Ferratum
Crédito Pessoal13.10%
3
Agibank
Crédito Pessoal17.91%
4
Crefisa
Crédito Pessoal21.77%
5
Unobank
Crédito Pessoal22.45%
6
Simplic
Crédito Pessoal22.45%
7
Moneyman
Crédito Pessoal28.44%
Empréstimo
PosiçãoInstituiçãoModalidadeCET(ao Mês)Interessado?
1
Bcredi
Empréstimo com Imóvel em garantia1.82%
2
Creditas
Empréstimo com Imóvel em garantia2.67%
3
Tutu Digital
Peer-To-Peer PJ2.80%
4
Nexoos
Peer-To-Peer PJ3.54%
5
Kavod Landing
Peer-To-Peer PJ4.40%

Não escolher a modalidade ideal

Existem muitas modalidades de empréstimos, e cada uma costuma ter uma faixa de valores perto da qual seus juros variam. Pode ser que você escolha um tipo de empréstimo sem saber que pode se encaixar em outro, tendo assim prejuízos. Separamos alguns exemplos para que você possa entender melhor o que isso significa.

Letícia precisa pagar uma dívida e não possui dinheiro o suficiente para isso em sua conta. Entretanto, mesmo assim escolhe pagar o boleto e ficar no cheque especial. Os juros do cheque especial são bem maiores que os de alguns outros tipos de crédito. Ela escolheu o cheque especial quando na verdade seria melhor solicitar por crédito pessoal, que tem juros mais baixos.

Maju já sabe que o crédito pessoal tem juros mais baixos que o cheque especial, portanto o prefere. Entretanto, não sabe que seu carro pode a ajudar a ter juros ainda mais baixos. Ela pode solicitar um empréstimo com garantia e alienar seu veículo nesse processo, para que assim o banco ou financeira possa ter mais confiança nela.

No caso de Fernanda, que é servidora pública, o tipo de empréstimo mais barato é o consignado. Isso ocorre pois as parcelas do crédito são debitadas diretamente de seu salário na hora do pagamento, o que diminui o risco de inadimplência que é o motivo pelo qual os juros são cobrados.

Existem várias modalidades de empréstimo, e se você quer conhecer mais cada uma delas e suas vantagens, é só dar uma olhada no nosso Guia Definitivo do Empréstimo.

Pagar taxas adiantadas

Na hora de contratar um empréstimo, muitos lugares fraudulentos solicitam o pagamento de algum tipo de taxa adiantada. Isso ocorre principalmente no meio dos empréstimos online, onde a empresa é capaz de solicitar um depósito de adiantamento e depois desaparecer com seu dinheiro, justamente pelo fato de não terem agência física. Isso, porém, não quer dizer que esse tipo de empréstimo seja perigoso! Nosso post sobre empréstimo online pode te ajudar a entender (e confiar) mais eles.

Esses pedidos de depósitos adiantados podem aparecer de maneiras diferentes, alguns exemplos são “taxa de liberação” ou “taxa de cadastro”. Em alguns casos, quando o contratante percebe que o dinheiro solicitado não caiu na conta e pede cancelamento do empréstimo, a “financeira” ainda pede mais depósitos para quebra de contrato. Essas taxas, porém, não existem (não em instituições sérias)! Portanto, lembre-se: nenhuma instituição financeira vai te solicitar um depósito adiantado para te conceder um empréstimo. Caso solicitem, procure outro lugar, pois tem algo errado.

Para não correr esse risco, confira se o banco ou financeira com a qual você deseja se relacionar está na lista do site do Banco Central de instituições autorizadas a conceder empréstimos, procurando pelo nome ou CNPJ. Você pode desconfiar também de pequenos detalhes do site da instituição, como se existem erros de português, se o site não parece seguro ou se não fornece dados da empresa em questão. Esses podem ser indícios de que a empresa não é confiável!

Não ler o contrato na hora de fazer um empréstimo

Descubra quais são os erros mais comuns na hora de fazer um empréstimo

Já é tão comum selecionar a caixinha do “li e concordo com os termos de uso” sem ter realmente lido, que ler contratos está, na maioria das vezes, fora da nossa realidade. Entretanto, principalmente nesse caso, é super importante ler o contrato sim.

A partir do momento em que assina o contrato, você se compromete a cumprir o que consta nele. É bom conferir o número de parcelas que você deverá pagar, o valor de cada parcela, a taxa de juros que atuará sobre elas, as multas e tudo mais que pode te pegar desprevenido. Isso garante que as condições acordadas no início do processo foram efetuadas por fim.

Essa conferência é importante não só por possíveis erros da instituição, mas por erros que nós mesmos cometemos às vezes, como não prestar tanta atenção no que foi acordado, confundir valores ou até mesmo achar que aquilo que vimos na hora de simular o empréstimo é exatamente o que será cobrado na operação de fato. Nem sempre! Muitos sites e plataformas fazem simulações de empréstimos, mas isso não garante total precisão, são apenas estimativas, valores aproximados. Pode ser que, na hora da contratação de fato, o pagamento do seu crédito não funcione exatamente como o da simulação, e isso não é um problema: o intuito dela é apenas simular mesmo!

 

Não conferir se conseguirá pagar as parcelas

Os bancos e financeiras fazem uma análise do cliente antes de conceder o empréstimo, e muita gente pensa que o fato de ele ter sido liberado comprova que ele pode ser pago. Isso no entanto não é verdade. Quem deve ter responsabilidade sobre suas finanças e dar o veredito sobre algo caber ou não no seu orçamento é você, e não seu credor. Esse erro é muito cometido, e prova disso é o fato de mais de 40% da população brasileira estar inadimplente.

Portanto, não se pode fazer um empréstimo sem antes ter certeza de que as parcelas poderão ser pagas. Lembre-se: é um comprometimento de longo prazo, então devem ser consideradas variáveis de longo prazo. Se alguém pega um empréstimo que durará 3 anos, deve analisar, dentro do possível, seus gastos previstos para esse período. Pode ser que hoje você não tenha que gastar nada com a educação do seu filho, por exemplo, mas ano que vem ele vá entrar em uma faculdade particular.

Em outras palavras, você não deve analisar se a parcela do empréstimo caberá no seu bolso esse mês, mas sim se ela caberá no seu bolso todos os meses durante o tempo em que existir. Ou seja, a parcela do empréstimo deverá entrar no seu controle financeiro como sendo um gasto fixo mensal. No caso de você não conseguir honrá-la, começa a famosa bola de neve de dívidas.

Dúvida para fazer um empréstimo? Procure informação!

Sabemos que os erros nos ensinam as vezes, mas a melhor forma de evitar que eles aconteçam é se informar. Ao reunir aqui alguns erros muito comuns cometidos, esperamos ter te ajudado a não repeti-los. Se você decidiu que pegar um empréstimo é a melhor opção para o seu caso, escolha com atenção. Você pode entender melhor quais são os tipos de empréstimo disponíveis no mercado no nosso Guia do Empréstimo. Além disso, você pode escolher aquele que é melhor para o seu bolso consultando nosso simulador de empréstimo. E, se tiver qualquer dúvida sobre o assunto, deixe pra gente nos comentários! Sugestões também são muito bem-vindas, é claro…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *