Programa de pontos: qual a melhor opção de resgate?

Programa de pontos: qual a melhor opção de resgate?

Semana retrasada, meu amigo Daniel Meinberg postou aqui sobre como usar os pontos acumulados nos programas de fidelidade dos cartões de crédito. Inspirado pelo texto dele e pela minha atual fatura de cartão, que demonstra que tenho pontos expirando a partir do mês que vem, fui às compras, ou melhor, ao resgate. Mas, resgatar para onde?! Tive que pesquisar bastante, pra chegar à minha conclusão. Por isso resolvi que este seria o assunto do post de hoje e também do Educando seu Bolso desta semana na Rádio Inconfidência.

No HSBC Rewards, que é programa do banco no qual tenho conta e que também é o emissor dos meus dois cartões de crédito, o resgate pode ser feito para serviços do próprio banco, para produtos de terceiros, ou transferidos para outros programas de milhagem como Smiles, Multiplus etc…

Dentro do próprio banco é possível converter os pontos em:

  • Desconto na anuidade do cartão;
  • Desconto no IOF sobre compras internacionais;
  • Redução do valor das prestações do financiamento de veículos;
  • Doações ao Instituto HSBC Solidariedade, ou
  • Créditos em sua fatura de cartão de crédito (Cash Back Rewards).

Como não pago anuidade de cartões, nem tenho financiamento de veículos (acho que a esta altura, o leitor frequente já sabe o quanto sou avesso a dívidas) não tive como simular essas duas opções. Já entre o HSBC Solidariedade e o Cash Back Rewards, fiquei com o segundo, em função da taxa de conversão, que era de R$ 180,00 de crédito para cada 10 mil pontos no último, contra R$ 100,00 no primeiro.

Optando por produtos e/ou serviços de terceiros há basicamente duas maneiras:

  • Adquirir uma gama limitada de produtos diretamente do HSBC ou
  • Passar por lojas para obtê-los.

Entre estas duas, se fosse optar por produtos externos, preferiria a segunda alternativa, devido à maior variedade de produtos para escolher. Não sei em outros bancos, mas no HSBC a oferta direta estava longe de ser impressionante.

Se você for como eu e gostar de muito “sortimento”, como diria meu avô, veja só as possibilidades:

  • Lojas que permitem acesso direto aos seus sites de comércio eletrônico, mantendo o vínculo com o HSBC e o reconhecimento do cliente e o seu saldo de pontos;
  • Intermediários que permitem a conversão dos pontos em créditos de celular ou em pagamentos de contas de água, luz, telefone fixo ou celular;  ou
  • Modalidade mais simplificada que permite a emissão de vale-compras, que depois teriam que ser usados diretamente nas lojas emissoras.

Muito honestamente, este território aqui é um balaio de gato. São dezenas de lojas, com várias taxas de conversão diferentes. É praticamente impossível calcular o que é melhor financeiramente.  Ia montar uma tabela, mas desisti. Extremamente complicado.

Há, entretanto, aparentemente alguma equivalência entre diferentes opções. Por exemplo, a recarga do pré-pago Oi, DDD 031, requer 5.556 pontos para gerar R$ 100,00 de crédito no celular, taxa de conversão idêntica à dos vale-compras de inúmeras lojas como Livraria Cultura, Netshoes e Postos Shell, e também equivalente ao Cash Back Rewards do próprio HSBC.

Outras lojas pediam um pouquinho mais de milhas: 5.883 pra gerar o mesmo vale-compras de R$100,00. Por exemplo: Livraria Saraiva, Boticário, Tok&Stok, Chili Beans, Carrefour, Marisa, Marisa Lingerie, C&A, TelhaNorte, e Pão de Açúcar. Mas como saber se este pouquinho a mais de pontos gastos não será mais do que compensado por preços mais baixos na loja? Imaginem concorrentes como Saraiva x Cultura por exemplo…

Bom, a esta altura já esgotei meu limite de palavras e ainda não cumpri meu objetivo inicial, que é dar dicas sobre o que fazer com seus pontos. Vamos lá então ao que aprendi, fiz  e recomendo que você também faça:

  1. Escolha o cartão que te oferece a melhor taxa de conversão. US$ 1.00 pode valer 1, 1,3, 1,5 ou 2 pontos no mesmo programa de fidelidade. Depende do cartão que você tem.
  2. Não se esqueça da anuidade, ou seja, confronte o item acima com o custo dos cartões. Eu, por exemplo, tenho o cartão que me dá 1,5 pontos, não porque não queira o de 2, mas porquê no de 1,5 consigo isenção de anuidade e no de 2 teria que pagar R$ 780 (ui…!);
  3. Observe também a validade dos pontos acumulados. Mais uma vez, diferentes cartões te dão pontos diferentes, não só em quantidade, mas também em validade. No HSBC, alguns pontos duram 24 meses, outros 36 meses. Obviamente que quanto maior a validade melhor e porque mesmo?
  4. Além do fato óbvio de que o que vale mais vale mais do que vale menos (parece estranho, mas neste caso é isso mesmo), há outra vantagem para a maior durabilidade dos pontos, que é: as taxas de conversão são melhores quanto maior é o montante a ser resgatado. Por exemplo, resgate de 1.000 pontos do HSBC Rewards rende R$ 10,00 de crédito na sua fatura, já o resgate de 50.000 gera R$ 1.250,00, ou seja R$ 25,00 a cada 1.000 (2,5 vezes a taxa de conversão de quem resgata só 1.000);
  5. Acho que pelo que está no item 4, você já tem uma bela razão para que você deixe para a última hora para resgatar, acumule o máximo possível de pontos e tenha acesso às melhores taxas de conversão.
  6. Outra boa razão pela qual você deve esperar até a última hora são as promoções frequentes dos programas de milhagens externos como por exemplo: Smiles e Multiplus. O objetivo deles é que você transfira os pontos para lá e, consequentemente, fique preso a eles. Para isso, esses programas tem oferecido bônus de até 50%. Exemplo: transfira 50.000 e ganhe crédito de 75.000 pontos Smiles. É claro que se você pretende usar seus pontos de relacionamento para emitir uma passagem de avião, não pode deixar escapar uma promoção destas não é mesmo? Portanto, não deixe de se aproveitar das promoções que oferecem bônus para transferência de pontos para outros programas de milhagem;
  7. É claro que a dica acima só vale para aqueles que realmente vão conseguir utilizar os pontos no outro programa. Afinal, além da dificuldade que existe hoje em dia para emitir passagens com milhas, nos outros programas de milhagem os pontos também tem validade. Portanto, se for transferir para outro programa, escolha-o cuidadosamente, considerando novamente validade e facilidade de uso.
  8. Depois de todos estes esforços pra acumular o maior número de pontos e para que eles valham pelo maior tempo possível, não posso deixar de mencionar que infelizmente ainda há muita gente que não se aproveita deste benefício, deixando vencer seus os pontos. Não deixe expirar os seus pontos, isso é o equivalente a queimar dinheiro!
  9. A oferta de produtos diretamente pelo Banco é limitada, não vale a pena;
  10. Nas lojas a variedade é maior mas as taxas de conversão são ruins, ou seja, é bem mais barato comprar em dinheiro do que com pontos;
  11. Finalmente, vale dizer que cartões adicionais acumulam pontos no CPF do titular, conta única, concentrando esforços, sabe?! Então, para fins de programa de fidelidade, os cartões adicionais são melhores do que cartões independentes;

Segue agora minha decisão: optei por resgate de uma só vez do meu total de pontos para obter crédito na próxima fatura de cartão de crédito. Muita gentileza do HSBC, das lojas, dos prestadores de serviços e das companhias aéreas que tiveram essa trabalheira toda para criar e colocar a nossa disposição os vários sistemas de milhagem e possibilidades de conversão, mas…. Fazendo as contas, a conversão dos pontos do programa de fidelidade em crédito na próxima fatura concilia simplicidade e bom retorno financeiro. Como não optar por ele?!

Assine nosso Podcast no

CastBox - Download from Google Play

Autor

Frederico Torres
Profissional do mercado financeiro há 20 anos e interessado em como fazer o $$$ parte de nossa vida de forma mais saudável.

4 comments

  • Boa noite.tenho pontos acumulados porém não consegui resgasta_los.
    Liguei para o banco HSBC e a telefonista e a resposta foi que só resgataria pelo site.gostaria de saber como faço para resgatar pois pela internet não consegui .e os meus créditos expiram em dezembro.alguém me ajude? Grato.

    Responder
    • Frederico Torres

      Bom dia Celso,
      É relativamente simples fazer isto pelo internet banking.
      No Hsbc o resgate dos pontos de fidelidade está dentro do menu de cartões de crédito em consultar e resgatar pontos do programa de relacionamentos Valeu. O site pede o token e te mostra o saldo do HSBC Rewards, depois você escolhe as opções de resgate (milhas aéreas ou produtos, por exemplo) e daí vai.
      Espero ter ajudado,
      Abraço, Frederico

      Responder
  • Boa dica!
    Também quebro sempre a cabeça, mas a taxa de conversão do cartão de crédito para cashback é melhor que o resto.

    A única desvantagem vai ser pontualmente algum produto que tenha se desvalorizado em uma das lojas, mas aí é melhor pagar em dinheiro; outra são passagens aéreas que poderiam ser utilizadas (mas aí a taxa de conversão vai variar muito).

    Enfim, para quê ter tanto trabalho? Cashback é a solução.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *