6 razões para você investir em Previdência Privada

Não foi dessa vez que a reforma da previdência aconteceu, mas será que dá para confiar e contar apenas com a aposentadoria do INSS no futuro? Esse assunto tem despertado a preocupação de muitas pessoas. Principalmente, trabalhadores que pensam em parar de trabalhar e aproveitar a vida após a aposentadoria. Se você é uma dessas pessoas, nós vamos te ajudar a pensar em soluções para a complementação de sua aposentadoria. Esse artigo vem para mostrar que a previdência privada pode ser uma boa opção para você.

Não é estranho que muitas pessoas conheçam apenas a previdência social, que é administrada pelo INSS, como opção de previdência. Uma explicação para esse fenômeno é o fato de o INSS ser atrelado às folhas de pagamento. Ou seja, se você é um trabalhador com carteira assinada, automaticamente, está contribuindo com o INSS e contando com sua aposentadoria no futuro.

Hoje, a previdência privada vem ganhando espaço e se tornando um hábito dos brasileiros, mas ainda existem muitas dúvidas. Afinal, o que é a previdência privada?

Basicamente, é uma variação de previdência não vinculada ao INSS. Também é conhecida como aposentadoria complementar, ou seja, serve como uma complementação ao benefício da previdência oferecida pelo INSS.

Como funciona a previdência privada?

Na previdência social você não tem controle do valor investido, já na previdência privada, você determina o seu investimento. É possível investir de acordo com as suas possibilidades, podendo investir um pequeno valor mensal ou fazer aportes maiores. Porém, é importante lembrar que o valor do resgate e dos futuros rendimentos será proporcional ao valor investido. Assim, quanto maior o investimento hoje, mais rendimentos você terá no futuro.

É evidente que outros fatores também influenciam no montante a receber da previdência privada. Ressalto os custos como as taxas de administração, taxas de carregamento, taxas de saída e rentabilidade do plano escolhido. Portanto, é importante pesquisar opções de previdência privada existentes no mercado e escolher a adequada ao seu perfil de investidor.

Quer saber quais são as reais vantagens da previdência privada? Por que optar pela previdência e não por um investimento no mercado financeiro ou mesmo por guardar dinheiro na poupança? Vamos às respostas!

  1. Complemento de renda

Uma das maiores vantagens oferecidas pela previdência privada é a possibilidade de complementação da renda familiar. Mesmo que você contribua com o INSS, o valor do benefício que será recebido pode não ser suficiente para o sustento familiar. É preciso avaliar quais são os gastos atuais da família. Em seguida, verificar se o valor a ser recebido será suficiente para mantê-los. Lembrando que nem sempre a correção do INSS acompanha a inflação, portanto, a sua aposentadoria poderá ter menor valor de compra no futuro.

  1. Segurança – Por que optar pela Previdência Privada e não por um fundo de investimento?

Apesar de toda previdência privada ser aplicada em um fundo, afinal é daí que vem o rendimento das contribuições, a maior diferença para um outro investimento é a segurança conferida à operação. A SUSEP – Superintendência de Seguros Privados é o órgão responsável pelo controle e fiscalização dos planos de previdência privada e também é a responsável por atuar no sentido de proteger os investimentos realizados em previdência privada. Isso significa que, se a seguradora ou instituição financeira responsável pelo plano de previdência vier a falir, outra instituição poderá assumir a responsabilidade por essas operações. Desse modo, a previdência pode conferir maior segurança a pessoas que desejam fazer um investimento a longo prazo.

  1. Rentabilidade – A maior vantagem sobre a poupança e fundos de renda fixa

Se comparada com a poupança, a grande vantagem da previdência privada é o rendimento dos valores investidos. Os planos de previdência vão gerar rendimentos diferentes dependendo dos fundos em que serão investidos, mas, quase sempre, possuem rendimentos muito superiores aos da poupança.

Existem diferentes fundos previdenciários que são recomendados para cada perfil de investidor. Aos mais conservadores, é recomendado que a previdência seja aplicada em fundos de renda fixaJá aos investidores mais arrojados, é possível aplicar até 70% da previdência em fundos de renda variável, que são mais arriscados, mas podem gerar maior rentabilidade.

Outro fator a ser levado em consideração é que não há incidência de imposto de renda antecipado sobre os rendimentos da previdência, os famosos “come-cotas” que incidem sobre rendimentos de fundos de renda fixa. A alíquota do imposto varia de 15% a 22,5% dependendo do período em que o dinheiro ficará investido e sua incidência reduz de forma significativa a rentabilidade desses fundos a longo prazo.

  1. Dedução no imposto de renda

Para pessoas que declaram o imposto de renda pelo modelo completo, uma ótima vantagem é a dedução das contribuições no cálculo do imposto até o limite de 12% da renda tributável do contribuinte.

Além disso, durante o período de diferimento fiscal, que nada mais é do que o adiamento do pagamento do imposto, as aplicações estão isentas de Imposto de Renda sobre os ganhos de capital. Assim, no momento da contribuição, não será devido o imposto de renda e ele será cobrado somente no momento do resgate dos valores aplicados ou no recebimento da aposentadoria complementar. Importante dizer que, para ter o benefício, o contribuinte deve optar pelo PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) que é uma das opções de plano e possui regime tributário diferente do VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres). Está aí mais um motivo para pesquisar e buscar a melhor opção de plano para o seu perfil.

Neste artigo, não iremos abordar a fundo os regimes tributários dos planos. No entanto, na tabela abaixo, você encontra algumas das principais informações sobre eles:

Diferenças importantes entre PGBL e VGBL:

PGBLVGBL
 

Declaração anual de Imposto de Renda

Ideal para quem faz a declaração completa de Imposto de Renda e contribui ao INSS.Ideal para quem faz a declaração simplificada do Imposto de Renda, é isento, profissional autônomo, profissional liberal, ou já atingiu o limite de dedução das contribuições no PGBL.
 

Incentivo Fiscal

Permite que você possa deduzir as contribuições até 12% da sua renda bruta anual tributável, diminuindo o valor do imposto a pagar ou aumentando a restituição.Não possui incentivo fiscal. Ideal para quem deseja aplicar mais de 12% de sua renda bruta em Previdência ou apenas diversificar investimentos.
TributaçãoA tributação é feita no momento do resgate ou recebimento de renda e incide sobre todo o montante investido.A tributação é feita no momento do resgate ou de renda e incide apenas sobre a rentabilidade do plano.
  1.   Liberdade de investimento e resgate

A previdência privada é similar à poupança quando o assunto é liberdade de investimento e resgate do valor. Portanto, o contribuinte pode começar a investir com qualquer idade. Na verdade, quanto mais cedo melhor, pois o benefício resgatado ao final do contrato é proporcional ao valor investido.

O resgate total da previdência também pode ser feito a qualquer momento. Mas é importante considerar o tipo de plano contratado e se há ou não multas em caso de resgate de valores antes do período determinado em contrato. Esse é um cuidado importante se o objetivo for investir na previdência privada para a aquisição de um bem futuro. Um carro, por exemplo.

  1. Não participação em inventário

Outra vantagem é que em caso de morte do titular, os familiares recebem os valores da previdência sem precisar passar pelo demorado processo de inventário e partilha de bens. Além disso, não há incidência de ITCD – Imposto Sobre Transmissão Causa Mortis.

Vista por todos esses ângulos, a previdência privada tem sido cada vez mais procurada por brasileiros que querem garantir um futuro tranquilo para suas famílias.

Ficou interessado na previdência depois de ler este artigo? Dê uma olhada na ferramenta “Simulador de Aposentadoria” aqui no blog. Lá você poderá fazer simulações de maneira rápida e prática e planejar melhor o seu futuro financeiro.

Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Tudo bem, deixe sua pergunta nos comentários que teremos prazer em responder!

Já decidiu por um PGBL ou VGBL? Ótimo! Conte conosco também para entender qual o melhor plano para o seu perfil de contribuinte.

Júlia Reghin

Corretora, Advogada e Sócia da LEX Corretora de Seguros

Previdência privada

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *