Contas Digitais: Novidades e Pesquisa de Campo

As Contas Digitais surgiram e, ao que os números indicam, só tendem a crescer já que elas foram autorizadas pelo CMN (Conselho Monetário Nacional) em 2010 e puderam ser adotadas após março de 2011. Assim, os bancos foram autorizados a oferecer a seus clientes contas correntes que só podem ser movimentadas por meios eletrônicos (Internet Banking, Caixas Eletrônicos e Mobile Banking). E, a grande característica das contas digitais é que os clientes serão isentos de qualquer tarifa bancária quando utilizarem os meios eletrônicos.

Em abril de 2016, um novo grande passo foi dado! O mesmo CMN permitiu a abertura de contas correntes e cadernetas de poupança por meio da Internet. Essa forma de abertura faz parte do programa “Otimiza BC” que tem como objetivo o aprimoramento dos processos no sistema bancário.

O processo de abertura de contas pela Internet fez com que bancos de menor porte pudessem ter clientes de todas as cidades do Brasil. Um cliente de Manaus pode abrir um conta corrente em um banco que tem sede em Florianópolis, por exemplo. Antes dessa medida essa possibilidade era quase impossível.

Menos agências bancárias e algumas diferentes

Os meios digitais de acesso às contas bancárias têm gerado uma redução significativa no número de agências bancárias. Nas grandes cidades, o fechamento das agências tem sido percebido com mais facilidade: perto de 7% delas foram fechadas entre 2016 e 2018. Bradesco e Banco do Brasil são os líderes.

Os bancos perceberam que o custo da manutenção de agências não gera os resultados esperados. E, o custo é bastante alto, afinal, normalmente, as agências se localizam em ótimos pontos comerciais que tem o aluguel relativamente caro.

Além disso, há os custos fixos como água, energia elétrica, telefone e Internet, IPTU, condomínio, salários dos funcionários e seus reflexos trabalhistas etc. E, as agências que permanecem têm se transformado! Algumas delas tornaram-se espaços de convivência, fornecendo coworking com Internet, salas para reuniões e espaços para café até com parcerias com uma cafeteria gourmet argentina.

 O que as Contas Digitais vêem alterando?

A Internet que se disseminou na década de 1990 e os Smartphones no fim da década de 2000 alteraram sobremaneira o cotidiano e a forma de comunicação de toda a população mundial. Nesse mesmo sentido, segundo estatísticas divulgadas durante o evento Cards Future Payment, o crescimento da mobilidade nos pagamentos é de 10% ao ano. E, tal crescimento independe se a economia cresce ou não. Isso se deve, principalmente, ao crescimento das fintechs que já conquistaram um espaço importante do mercado financeiro por apresentarem uma abordagem que supre as dificuldades dos clientes em comparação com as vias tradicionais.

Pessoas que antes estavam desbancarizadas passaram a ser atendidas por instituições que, de fato, as valorizam como clientes diferentemente dos bancos tradicionais que veem mais valor nos grandes clientes que tendem a dar muito resultado. Para eles, os clientes de menor poder aquisitivo chegam a até dar prejuízo.

Outra mudança relevante é que os jovens são os grandes alavancadores das Contas Digitais. Segundo a Consultoria Cantarino Brasileiro que fez um pesquisa com 1.004 em todo país, 54% dos clientes de bancos tradicionais, com até 29 anos, abriram Contas Digitais.

Outros dados importantes foram:

  • 59% dos entrevistados de bancos digitais têm até 29 anos, enquanto esses são apenas 35% dos usuários de bancos tradicionais.
  • 6% dos entrevistados usam somente banco digital.
  • 44% dos entrevistados possui conta digital e conta em um banco tradicional.
  • 56% dos entrevistados disseram que taxa/economia é o principal critério para ter uma conta digital.

Apesar de apenas 6% utilizarem apenas banco digital, 44% ter ambas as opções – digital e tradicional – significa que há um forte processo de migração que deve ocorrer nos próximos tempos.

O que diz o Banco Central?

O Banco Central no Relatório de Economia Bancária (REB) que foi publicado em 12 de junho de 2018 trouxe algumas considerações importantes.

A primeira é que as fintechs e as contas digitais incentivam à redução dos custos e isso gera o aumento da contestabilidade no mercado financeiro, promovendo assim maior eficiência. Em outras palavras, quanto menores forem as barreiras para entrada e saída de competidores, mais contestável um mercado é.

Outro segundo ponto relevante é que as inovações tecnológicas aumentam a concorrência pois possibilitam a entradas de novas empresas e que essas inovações se replicam e que as vantagens passam a serem diluídas com o tempo.

Um terceiro ponto é que as fintechs atuam em nichos antes pouco explorados e, assim, conseguem nesses nichos ganhar na escala e não individualmente. Com o tempo buscam os ganhos de escopo. Isso gera mais participantes no sistema financeiro promovendo a concorrência.

Os riscos, de fato, existem, porém, é inegável que a concorrência é algo muito bom para o consumidor. Os riscos, com o tempo, vão diminuindo com maior segurança proporcionadas às empresas e às pessoas.

A Pesquisa de Campo – As perguntas

Entrevistamos algumas pessoas que possuem Contas Digitais para percebermos como elas as percebem. Enviamos as perguntas e esperamos as respostas. Ou seja, sem a presença física, as respostas tendem a ser as mais verdadeiras possíveis.

Fizemos as seguintes perguntas:

  1. Qual Conta Digital você utiliza? Como foi a sua escolha por ela?
  2. Por que você optou por um Conta Digital?
  3. Você comparou as opções disponíveis de Contas Digitais disponíveis no mercado antes de optar?
  4. Pensa que em um dia você não terá um conta em um banco grande optando assim, apenas por Contas Digitais?
  5. Qual você acha que são as principais vantagens e desvantagens de uma Conta Digital?
  6. Acha que o crescimento de Contas Digitais é uma tendência sem volta?
  7. Além da Conta Digital, você utiliza algum produto financeiro de Fintechs?

A Pesquisa de Campo – As respostas

Entrevistamos 5 pessoas para observarmos como elas percebem as Contas Digitais.

Entrevistado 1

Nome Completo: João Paulo Miarelli Pardini

Idade: 32 anos

Profissão: Técnico em Informática

Escolaridade: Ensino Médio Completo

Local de Residência: Boa Esperança / Minas Gerais

  1. Utilizo o Nubank (NuConta). Na verdade, foi indicação de um amigo.
  2. Eu nem ao menos sabia da existência de contas digitais. Comecei a usar depois da indicação desse amigo.
  3. Não. Pois ele já me apresentou diretamente o Nubank (NuConta).
  4. Sim, provavelmente, porque até os grandes bancos estão incluindo cada dia mais a tecnologia digital em seus serviços.
  5. Vantagens são a facilidade e rapidez de movimentar, monitorar e fazer alterações na conta por meio de aplicativos de celular e a eficiência de poder contatar um atendente através de chat ou telefone pra tirar qualquer dúvida ou resolver algum problema. E sobre desvantagem, sinceramente ainda não tive nenhuma experiência ruim pra definir como desvantagem.
  6. Sim, com certeza. Porque as contas digitais são um grande avanço da tecnologia.
  7. Não, no momento não.

Entrevistada 2

Nome Completo: Raquel Andrade Chaves

Idade: 30 anos

Profissão: Advogada

Escolaridade: Pós-Graduação Completa

Local de Residência: Contagem / Minas Gerais

  1. Eu utilizo as contas digitais do Banco Itaú, Inter e Banco do Brasil. Escolhi porque não possuíam taxas e havia a possibilidade de fazer DOC e TED ilimitadas.
  2. Escolhi porque não possuíam taxas e havia a possibilidade de fazer DOC e TED ilimitadas.
  3. Não.
  4. Já possuo apenas contas digitais.
  5. A principal vantagem é a ausência de taxas. A principal desvantagem é que não há qualquer tipo de atendimento presencial (ou há, mediante pagamento de taxas).
  6. Eu creio que sim, já que as pessoas estão se habituando cada vez mais a essa realidade.
  7. Sim. Tenho cartão de Crédito do Nubank e investimentos na Corretora Easynvest.

Entrevistado 3

Nome Completo: Gustavo Pamplona Silva

Idade: 43 anos

Profissão: Servidor Público Estadual e Advogado

Escolaridade: Mestrado Completo

Local de Residência: Belo Horizonte / Minas Gerais

  1. Banco Inter. E também Pag Seguro. Mudança de paradigma de relacionamento bancário.
  2. Praticidade. Velocidade. Tudo pela internet sem precisar ir numa agência perder tempo.
  3. Sim. E não pagar tarifa e lista de investimentos pesou na minha escolha.  Sim. E não pagar tarifa e lista de investimentos pesou na minha escolha.
  4. Sim. Desde que eu sinta mais segurança na instituição bancária digital.
  5. Vantagem: Praticidade. Velocidade. Tudo pela internet sem precisar ir numa agência perder tempo. Desvantagem: respostas automáticas que nem sempre atendem a solução do problema apresentado.
  6. Sim.
  7. Sim. MiBank.

Entrevistado 4

Nome Completo: Eduardo Alberto Panzi Teixeira dos Santos

Idade: 39

Profissão: Jornalista

Escolaridade: Superior Completo

Local de Residência: Belo Horizonte / Minas Gerais

  1. Banco Inter. Indicação.
  2. Isenção de taxas.
  3. Algumas.
  4. Talvez.
  5. Vantagens: facilidade de movimentação; simplicidade nos serviços; isenção de taxas. | Desvantagens: até o momento não vi desvantagens.
  6. Acredito que sim.
  7. Não.

Entrevistado 5

Nome Completo: Wadson Dutra Dias

Idade: 28 anos

Profissão: Servidor Público Estadual

Escolaridade: Superior Completo

Local de Residência: Governador Valadares / Minas Gerais

  1. Banco Inter. Indicação.
  2. Praticidade de abrir a conta, possibilidade de realizar transferências ilimitadas, baixo custo.
  3. Não.
  4. Sim.
  5. As vantagens são praticidade de contratar serviços, agilidade nas solicitações, baixo custo. As desvantagens são: alguns problemas e empecilhos na execução de determinadas solicitações por meio do aplicativo e falhas no funcionamento do site e do aplicativo.
  6. Sim, é uma tendência sem volta, porém o relacionamento pessoal com gerentes bancários ainda será requisitado por passar maior confiança, mesmo que infundada, aos clientes.
  7. Sim, corretoras de valores digitais.

Se quiser entender ainda melhor a percepção das pessoas, descubra a relação dos millennials com os serviços financeiros.
Nós também já falamos sobre as armadilhas financeiras dessa geração!

Analisando as respostas e o momento das Contas Digitais

De fato, as Contas Digitais estão demonstrando que são um caminho sem volta. O mundo contemporâneo exige mudanças e velocidade e estas duas características são muito presentes. As Contas Digitais estão totalmente engajadas nesse movimento. As respostas às perguntas que fizemos deixa isso tudo muito claro. A tendência da digitalização e da automação em todos os setores da economia tem se mostrado irreversível.

Escrevemos alguns posts muito legais sobre Contas Digitais que valem, e muito, a pena você ler. Conheça alternativas para as Contas Digitais que sumiram, sabia como abrir a sua Conta Digital e entenda a diferença entre Contas Digitais e Contas de Pagamento.

E você, já tem sua Conta Digital? Não? Então, que tal conhecê-las melhor? Use o Simulador de Contas Digitais do Educando seu Bolso! Nele você preencherá alguns campos (poucos, pode acreditar!) e saberá qual a melhor Conta Digital para você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *