Como investir em ações?

Investir em ações não é nenhum bicho de sete cabeças como muitas pessoas pensam. Mas a Bolsa de Valores é um ambiente diferente em comparação a aplicações como a poupança, que o brasileiro está acostumado a usar desde muito jovem. Para ajudar a desmistificar este mercado, separamos aqui alguns conceitos essenciais que explicam como investir em ações e podem te ajudar a se tornar um investidor no futuro bem próximo.

Como investir em ações?

Para investir em ações, o primeiro passo é entender o mercado e estudar seu funcionamento. Conhecimento é primordial. A boa notícia é que há muito conteúdo de qualidade na internet que pode te ajudar nesta fase.

Mesmo que você adquira bastante conhecimento, uma dica valiosa é buscar orientação de profissionais do mercado. Existem pessoas que são certificadas para fazer análise de ações. Portanto, ter o apoio deles pode ser o que faltava para fazer seus investimentos deslancharem.

Para começar a investir de fato, você precisa abrir conta em uma corretora de valores. Ela será a ponte entre você e a Bolsa. Esse processo costuma ser muito tranquilo e, muitas vezes, a conta pode ser aberta facilmente pela internet.

Ter uma reserva financeira para começar também é importante. E não precisa ser uma reserva milionária, com muitos dígitos, como muitos acreditam. Ficou curioso? Você vai entender melhor sobre isso no próximo tópico.

Qual o mínimo para investir na Bolsa?

Quem não sabe bem como investir em ações pode pensar que, para entrar na Bolsa, é preciso ter um iate e um apartamento no bairro mais badalado de Londres. Porém, isso não passa de um mito. A Bolsa não exige valor mínimo para quem quer começar a investir. Ou seja, é possível comprar ações de vários preços e diferentes empresas.

Inclusive, a orientação para quem está começando, é não operar com valores muito altos ou com uma parcela expressiva do capital que possui. É bom iniciar com valores menores até adquirir experiência de mercado. Dessa forma, até alcançar um nível maior de experiência, caso você tenha alguma prejuízo, ele será menor. E, claro, causará menos impacto no seu bolso.

Escolha ações de acordo com o seu perfil

Cada investidor tem um perfil que está ligado à disposição que ele tem de correr riscos e ao tempo que tem disponível para investir. Escolher ações que estejam de acordo com o perfil é indispensável para quem quer ter bons resultados.

De maneira geral, existem três tipos de perfil de investidor, são eles:

Agressivo: o investidor com perfil mais agressivo se permite assumir maiores riscos visando ter maiores retornos.

Moderado: este perfil possui mais flexibilidade na relação risco x retorno. Ou seja, se protege nos maus momentos, mas se dispõe a se arriscar em momentos favoráveis. É um meio termo entre os perfis agressivo e conservador.

Conservador: esse é um perfil mais avesso ao risco. Busca investir em ativos menos voláteis e, ao mesmo tempo, busca lucrar com empresas que são boas pagadoras.

É de acordo com o seu perfil que o investidor vai definir como investir em ações e montar sua carteira. É interessante que todo o capital não seja investido em apenas um ativo. Isto é, que o investidor diversifique seus investimentos escolhendo empresas e setores diferentes para comprar papéis.

Essa estratégia, chamada de diversificação de carteira, poderá aumentar as chances de ter bons resultados e proteger o dinheiro em caso de cenários adversos.

Como investir em ações

Melhores investimentos para 2018

Para grandes analistas de mercado, quem busca maiores rentabilidades e tem mais disposição para correr riscos pode encontrar na Bolsa de Valores o melhor investimento de 2018.

Claro, não custa avisar mais uma vez: tudo depende dos objetivos de cada investidor e do seu perfil, como você já viu ali em cima.

Para quem pretende investir em ações em 2018, a orientação dos analistas de mercado é procurar especialmente por papéis de grandes bancos, do setor varejista e de consumo e de empresas de infraestrutura. Estes setores têm forte potencial para crescer e se valorizar no próximo ano.

Uma outra saída para diversificar os investimentos pode estar em modalidades da renda fixa. Por exemplo, CDBs de instituições menores, Fundos de Investimento Imobiliário, Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letra de Crédito do Agronegócio (LCA).

Quem pretende manter uma carteira de investimentos em 2018, deve ficar atento ao cenário político-econômico que o país atravessa. Afinal, ele pode influenciar muito o rumo dos negócios futuros, principalmente na Bolsa de Valores.

Aproveite as oportunidades que esse mercado incrível pode te proporcionar. Busque conhecimento sempre. Com estudo, disciplina e cautela, você pode se tornar um investidor do mercado de ações de muito sucesso.

Autoria: equipe Toro Radar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *