O Gerente responde: planos de previdência

O Gerente responde: planos de previdência

Boa noite! Gostaria de tirar mais algumas dúvidas, agora sobre planos de previdência. Tenho um plano de previdência do BB há mais de 10 anos e, aprendendo sobre educação financeira através dos podcasts deste site, fui procurar saber mais a respeito deste meu plano e descobri que não é uma boa alternativa. Então fui a outras instituições financeiras e descobri que a cooperativa Unicred tem um plano de previdência aparentemente mais atrativo que o meu atual e estou querendo fazer a portabilidade, porém com alguns questionamentos. Vejam o comparativo: meu plano atual : taxa de administração: 1.8%;, taxa de carregamento: 2,8%; não tem taxa de saída. Plano da Unicred : taxa de administração: 1%; sem taxa de carregamento; porém, com taxa de saída que não foi especificada, me disseram que depende do valor e do tempo aplicado.

Perguntas: 1) ao fazer portabilidade vou pagar alguma taxa? 2) a Taxa de saída, (quando houver) em que momento é descontada? 3) os planos de previdência possuem garantia do FGC? 4) Se não tiver garantia do FGC, o Banco do Brasil seria melhor opção, por ser uma instituição financeira mais sólida? 5) o meu plano é PGBL e tabela regressiva, se fizer a portabilidade, vou pagar imposto de renda? 6) Vocês acham que é um bom negócio fazer a portabilidade? muitíssimo obrigada, desde já!

Vivianne

.

Olá, Viviane!

Que bom que os podcasts estão ajudando no seu processo de educação financeira. Se não for pedir demais, apreciaríamos se pudesse compartilhar esta opinião também através de um review público. Testemunhos ajudam bastante a formar opinião de eventuais interessados no futuro.

Ficamos mais felizes ainda que esteja praticando nossas recomendações e tenha ido a luta pra achar um plano melhor, comparando custos financeiros.
Suas perguntas são ótimas e as respondemos com prazer, em um post, para que outros também possam aprender com elas.
.
1) Ao fazer portabilidade vou pagar alguma taxa?
Existe a possibilidade de cobrança de taxa de saída, mesmo na portabilidade, mas como você disse que o seu atual plano no BB não tem esta taxa, então você não pagará qualquer outra taxa.
.
2) A Taxa de saída, (quando houver) em que momento é descontada?
Quando você resgatar ou fizer a portabilidade para outro plano ou instituição
3) Os planos de previdência possuem garantia do FGC?
Não.
.
4) Se não tiver garantia do FGC, o Banco do Brasil seria melhor opção por ser uma instituição financeira mais sólida?
Infelizmente, estes grandes conglomerados financeiros, em média, têm sim uma probabilidade um pouco menor de enfrentar problemas financeiros do que as instituições menores. Inclusive em função disto é que se criou a expressão “Too Big to Fail” ou “grande demais para falir”. Mas, escolhendo direitinho, é possível através de um pequeno aumento deste risco, obter importantes ganhos de performance, através de melhor gestão e menores custos financeiros. Exatamente como você está buscando fazer.
.
5) O meu plano é PGBL e tabela regressiva, se fizer a portabilidade, vou pagar imposto de renda?
Não. O IR é devido apenas no resgate. Apesar disto, como você diz já ter o PGBL há 10 anos na tabela regressiva, você já atingiu a alíquota mínima de IR (10%). Uma maneira portanto de reduzir a exposição ao risco de falência do gestor é resgatar do PGBL estes aportes com mais de 10 anos e reaplicá-los diretamente, ou no Tesouro Direto, ou através de contas em corretoras, ou gestoras de investimentos. Para isto, se ainda não usou, recomendo que visite o nosso comparador de investimentos de renda fixa.
.
6) Vocês acham que é um bom negócio fazer a portabilidade?
Desde que você esteja confortável com o novo risco do Gestor (Unicred, ou qualquer outro que você escolher), sim. Só pra citar um exemplo, como você, eu também tenho PGBL na regressiva há mais de 10 anos e já fiz 2 portabilidades entre 3 instituições: Bradesco, HSBC e Icatu.
.
Grande abraço e muito obrigado pela confiança!

 

Autor

Frederico Torres
Profissional do mercado financeiro há 20 anos e interessado em como fazer o $$$ parte de nossa vida de forma mais saudável.

2 comentários

  • Bom dia. Na resposta 5, seria importante deixar claro que a tabela regressiva se aplica a cada aporte, independentemente do tempo que a pessoa tem o plano PGBL. Vocês até mencionam isso na sequência da resposta, mas para quem é leigo, não vai ficar claro.

    Outra questão importante é que, enquanto o dinheiro estiver aplicado, na fase de acumulação, não importa o distribuidor, afinal o cotista tem direito ao valor de sua cota em caso de quebra daquele. Na fase de aposentadoria, caso o investidor opte por receber a renda mensal, aí sim o risco é direto do distribuidor. Nesse momento, o mais importante é saber a composição do fundo, para ver se está adequado ao perfil de risco do investidor.

    Espero ter contribuído. Abraços!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *