Icatu Seguros
O GERENTE RESPONDE: Qual a melhor opção para amortizar o financiamento imobiliário?

O GERENTE RESPONDE: Qual a melhor opção para amortizar o financiamento imobiliário?

“Estou com dúvida sobre como vou amortizar meu financiamento imobiliário. Tenho R$ 15 mil de FGTS, vou utilizar para amortizar o financiamento. Qual a melhor opção? Usar o valor para antecipar as parcelas, ou amortizar a dívida? Atualmente, minha dívida é de R$ 129 mil. Pago por mês +/- $1400. Tenho minhas finanças controladas e estou pensando em fazer uma reforma na área de lazer da minha casa.”
André – Comentário no blog

 Prezado André, agradecemos pelo contato.

Sua dúvida é se você deve amortizar a dívida pagando as últimas parcelas e reduzindo o prazo do financiamento, ou reduzir o valor das parcelas, mantendo o prazo do financiamento, certo?

No seu caso, a melhor opção, em princípio, é a primeira, pagar as últimas parcelas, reduzindo o prazo do financiamento. Isto porque em cada parcela estão embutidos juros. Quando você antecipa o pagamento, está pagando o principal – aquela parte da parcela que realmente se refere ao bem que você adquiriu –, e se livrando dos juros. Além disso, em cada parcela estão embutidos também o seguro e a taxa de administração. Encerrando antecipadamente o financiamento, você se livra deles também. E, finalmente, você fica menos tempo exposto ao risco de a TR disparar, corrigindo sua dívida de forma mais severa.

Isso é válido principalmente porque você pretende usar o saldo do FGTS, cuja correção é inferior à das aplicações. Caso você tivesse a opção de aplicar esse valor em outro investimento, aí precisaríamos pensar mais um pouco.

Essa opção de amortizar as últimas parcelas é especialmente indicada caso esse seu saldo de FGTS seja sua única “bala na agulha”. Isto é, caso você não tenha perspectiva de compor uma poupança para quitar sua dívida e, assim, pretenda levar o financiamento até o final do prazo contratado.

Caso você tenha a possibilidade de, daqui a alguns anos, quitar a dívida, compensa analisar a opção de diminuir o valor das parcelas. É um cálculo um pouco complexo, eu precisaria saber a taxa de juros e o prazo do seu financiamento, e a sua perspectiva de poupança. Se quiser, entre em contato novamente, será um prazer.

Vou aproveitar sua pergunta e falar um pouco mais dessa possibilidade. Para isso, vou utilizar como base um exemplo real.

Um amigo meu tem um financiamento com saldo devedor de R$ 182 mil, faltando 324 parcelas – 27 anos – para o fim. A prestação, hoje, é de R$ 1.880, e diminui um pouco a cada mês. Ele tem R$ 60 mil aplicados em um investimento que lhe rende 0,8% ao mês. Vamos analisar duas opções:

Opção 1 – Ele usa os R$ 60 mil para amortizar o financiamento diminuindo o valor das parcelas. Seu saldo devedor, portanto, cairia para R$ 122 mil. O blog fez os cálculos, usando o Sistema de Amortização Constante – SAC, utilizado na maioria dos financiamentos. A próxima prestação cairia para R$ 1.130, uma diferença de R$ 750. Essa diferença meu amigo aplicaria, a cada mês.

Opção 2 – Ele deixa tudo como está: mantém os R$ 60 mil aplicados e deixa o saldo devedor e as parcelas no mesmo valor que têm hoje.

Para saber qual opção é a mais vantajosa, devemos compará-las ao longo do tempo. É preciso levar em conta quanto ele teria na aplicação, quanto pagaria de prestação e qual seria o saldo devedor, em cada um dos cenários.

No início, a opção 1 é mais vantajosa, pesando todos os fatores. Se, por um lado, o rendimento da aplicação da opção 2 é maior – pois já começa com um saldo de R$ 60 mil –, por outro lado a parcela da opção 1 é mais barata.

À medida que o tempo passa, a coisa muda. A vantagem no valor da parcela da opção 1 vai caindo – já que o valor que se paga de juros vai diminuindo. Chega um momento em que a opção 2 passa a ser mais rentável.

O momento exato varia de caso para caso. Nesse que calculamos, o momento seria daqui a exatamente 3 anos. Isso significa que, se meu amigo puder quitar o financiamento dele em até 3 anos, compensa usar os R$ 60 mil para fazer uma amortização agora, diminuindo o valor da parcela. Se ele achar que não consegue quitar em 3 anos, já não compensa.

O cálculo um pouco complexo e um tanto chato para ser detalhado em um texto como esse. Quer saber mais? Quer que analisemos seu caso? Entre em contato conosco! Se preferir, use nossa calculadora abaixo e simule você mesmo o resultado de amortização por prazo ou parcela!

Cálculo de Amortização
*Saldo devedor atual
*Amortização extraordinária
*Amortização mensal atual
Valor do seguro mensal
Taxa de administração mensal
*Prazo da operação, em meses
*Taxa de juros anual
*Número da parcela atual
*Seu melhor email
Seu telefone
Quer tomar a melhor decisão sobre o financiamento do seu imóvel?

Nós podemos te ajudar!

Dúvidas?

———-

Atualização: Para tornar mais rentáveis suas aplicações financeiras, recomendo que visite também o nosso comparador de investimentos.

Autor

Ewerton Veloso
Ewerton Veloso é bacharel e mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais. Trabalha há mais de 10 anos na área de monitoramento do Sistema Financeiro Nacional e é professor de Administração. Neste espaço, pretende convidar o leitor à organização das suas finanças e à reflexão quanto ao seu comportamento como consumidor e investidor.

464 comentários

  • Ewerton Veloso bom dia!
    Fazendo a simulação de amortização, encontrei no site uma nova prestação de R$ 815,00.
    Na caixa o valor ficou em R$859,00. Essa diferença é prevista?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Cesar, no boleto da prestação geralmente vem escrito. No da Caixa, com que tenho mais familiaridade, fica em um quadro no lado esquerdo do boleto, “Saldo devedor teórico em XX/XX/XX”

      Abraço!

      Responder
  • boa tarde gostaria de saber se a amortização do mês é a que é descontado no saldo devedor

    exemplo devo 105.917,62 amortização é de 586,50 o próximo mês o saldo devedor é de 105.410,13 na minha conta deu 105.331,12 só descontaram 507.49 esta certo a conta o empréstimo é pelo (sac)

    obrigado

    Responder
  • Parabéns pela matéria, principalmente pela calculadora de amortização.

    Toda vez que quero fazer uma amortização tenho que mandar email pro meu gerente, que demora dias para responder. Ligo na agência e ele nunca está ou não pode atender o telefone, ou seja, é uma tortura lidar com ele. Estou extremamente insatisfeito com o atendimento que venho tendo. Não sei se por culpa dele ou da CEF que sobrecarrega o funcionário.

    Pretendo realizar amortizações mensais, mas esta dificuldade que relatei vem me desanimando.

    Você sabe se existe uma outra forma de solicitar amortização junto a Caixa Econômica Federal?

    Muito grato
    Fabio Lucio

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Fabio, obrigado pela sua mensagem.

      Infelizmente não conheço outra forma. Quando fiz minhas amortizações foi assim. Mas eu tive mais sorte que você com minha agência, fui bem atendido. Mas não precisei falar com o gerente, e sim com o pessoa que lida diretamente com habitação. Minha sugestão (não como consultor, mas como mutuário) é ir pessoalmente à agência e tentar identificar algum funcionário que possa te atender melhor.

      Boa sorte. Abraço!

      Responder
      • Olá Ewerton, muito grato pela resposta
        Fiz contato com a Central de Atendimento da CEF e me informaram que pelo tel3004-1105, na opção 7, é possível solicitar o boleto para amortização.
        Ainda não usei, mas fica a dica.

        Grande abraço e, mais uma vez, parabéns pelo blog

        Responder
  • Olá, fiz um empréstimo lote com construção em 2014 e ate o dia de hoje estou pagando as prestações debito em conta só que não estão amortizado e também descontam todo mês 400,00 de taxa de engenheiro fui na caixa e eles alegam que a casa esta em obra ainda enquanto eu não averbar a casa no cartório e levar ate a caixa pra dar baixa .
    E a caixa me informou que eu não pego esse dinheiro que já paguei porque é juros do empréstimo isso é certo?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Rodrigo, te peço desculpas por não poder te ajudar. minha especialidade é a parte de estratégia financeira, e não de regulamentos. Nos casos mais simples eu consigo sugerir algo, mas seu caso é mais específico, pois envolve obra, engenheiro etc. Sugiro que consulte alguém especializado nos regulamentos.

      Conto com sua compreensão, e agradeço por ela. Abraço!

      Responder
  • Depois de muitos meses tentando, conseguir acessar a App Caixa Habitação. Tentei em um celular que nunca havia instalado o app. Assim quando eu o instalei, ele pediu para ser atualizado. Atualizei. Fui em esqueci minha senha. Cadastrei os dados corretamente (e-mail não pode estar em letra maiúscula). Recebi o código de ativação no e-mail. Cliquei em validar o acesso e cadastrei uma senha com letra maiúscula e minúscula e d números (8 dígito ao todo) cliquei em avançar e deu uma mensagem de erro. Cliquei em avançar novamente e exibiu uma mensagem falando que o usuário já estava cadastrado ( ou algo parecido). Daí tentei fazer o login e deu certo.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Dalles, obrigado pela sua mensagem.

      Que saga, hein? Eu também acho a Caixa bem complicada nesse sentido. Algumas seções do site ficam fora do ar com frequência, algumas coisas não funcionam, outras ficam bastante escondidas. Mas, às vezes, é a melhor opção, principalmente em financiamento imobiliário. Em muitos casos é lá que se encontram as melhores taxas. E aí o mutuário precisa exercitar um pouco sua paciência. Mas, dependendo do quanto se economiza, compensa muito.

      Abraço!

      Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Michelle, obrigado pela sua mensagem.

      Depende do perfil da pessoa, da situação do seu orçamento, das condições do financiamento, dos seus planos para o prazo de quitação, enfim, de uma série de coisas.

      Por exemplo, tem muita gente que tem o orçamento mais apertado, e por isso precisa optar pela Price, que tem parcelas iniciais mais baixas. Outros optam pela SAC com um prazo maior, com juros maiores no início, mas têm plano de quitar o financiamento em poucos anos. Entende? Depende muito…

      É por isso que o Educando Seu Bolso oferece um serviço de consultoria que tem, como um dos produtos, justamente interpretar esse tipo de situação. O serviço tem um custo, porque envolve uma conversa pessoal para conhecer seu perfil, e uma porção de cálculos, comparando as diversas situações. Mas pode ser muito vantajoso para você, pois o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa decisão pode oferecer.

      Se quiser conhecer, o endereço é http://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia! Parabéns pelo texto.
    Eu tenho uma dúvida. Estou pleiteando um financiamento de 255.000,00 pela caixa pelo pro cotista, com jutos de 9,88% (Com a TR) ao ano. As parcelas são entorno de 2.200,00 ao mês. Daí destes 2.200,00 por mês, uns 700,00 é amortização da dívida e uns 1.500,00 são juros calculados para os 35 anos.
    Agora se por exemplo, todo ano eu pagar as parcelas de aproximadamente 2.200,00 certinhas, e no final do ano eu ainda sobrar com uns 20.000,00 de renda e quiser adiantar a quitação do financiamento…. Aquelas parcelas de 2.200,00 que eu tinha pago deixa de ser 700,00 de amortização e 1.500,00 de juros? Pois se eu estou diminuindo o prazo se financiamento, teoricamente deveria amortizar mais a dívida e pagar menos juros do que já foi pago, ou seja, por exemplo, passaria a ser uns 900,00 de amortização e uns 1.300,00 de juros…

    Responder
    • Outra dúvida. Vamos supor que eu consiga pagar as parcelas mensais e ainda sobre com uma renda de uns 1.000,00 extra. Compensa todo mês usar estes 1.000,00 para ir diluindo a dívida, ou compensa juntar um ano por exemplo, 12.000,00 para fazer a diluição? Tem alguma diferença?

      Responder
      • Ewerton Veloso

        Rapaz, aí é preciso fazer cálculos. Você disse que o financiamento tem “juros de 9,88% (com a TR)”. Achei um pouco estranho isso. Não seria 9,88% MAIS a TR? Ou eles estimaram a TR?

        De toda forma, para saber o que compensa mais é preciso comparar o Custo Efetivo Total – CET do financiamento, e o rendimento líquido que você consegue com uma aplicação segura e líquida.

        O Educando Seu Bolso oferece um serviço de consultoria que tem, como um dos produtos, justamente cuidar desse tipo de situação. Fazemos os cálculos levando em conta todos os custos – inclusive alguns que os bancos “se esquecem” de incluir no cálculo – e encontramos aplicações rentáveis que se encaixem na sua renda extra, inclusive te orientando sobre como cuidar dela. Se quiser conhecer, o endereço é http://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?. Pode ser vantajoso para você, pois o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa decisão pode oferecer.

        Abraço!

        Responder
    • Ewerton Veloso

      Rafael, obrigado pela sua mensagem! Gostei muito dela.

      Perfeito raciocínio. É isso mesmo. Se você amortiza diminuindo o prazo, a prestação permanece a mesma (ou próxima disso) e, assim, a parte de amortização mensal aumenta, e a quantidade de juros mensais diminui. E é assim que o financiamento termina antes, pois você amortiza mais rápido.

      Só não consigo dizer se seria essa proporção que você disse, 900,00 e 1300,00, mas o raciocínio está perfeito.

      Abraço!

      Responder
  • Olá, compareci à CEF para simular minha situação com redução do prazo ou redução da parcela. O que me assustou foi constatar que ao optar por reduzir o prazo o valor da parcela aumenta. Lendo vários posts eu tinha a impressão de que o valor permaneceria o atual. Praticamente, exceto pelo fato de ser dinheiro do FGTS que rende menos que o juros praticado no contrato (7,72% a.a.), a amortização não ocorre sobre o valor do principal, mas sobre a dívida. É isso mesmo?

    Responder
  • Tudo bom? Minha pergunta é bem simples.
    Meu financiamento é pelo método price.
    Pago as mensalidades com uns 25 dias de antecedência. Isto ocorre todos os meses.
    Quando eu tinha um financiamento de um veículo eu fazia a mesma coisa: adiantava o pagamento sempre, e tinha um bom desconto…
    Na habitação isso também ocorre? Se sim, como faço para obter o boleto com o desconto?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Rafael, obrigado pela sua pergunta.

      Se for pelo SFH, normalmente, pelo que eu saiba, os bancos não oferecem desconto por pagamento antecipado. Não há impedimento para que isso ocorra, mas não é o mais comum. Sugiro que entre em contato com seu banco e se informe. Abraço!

      Responder
  • Boa noite, realizei o financiamento de um terreno pela tabela price, com prazo de 144 meses e taxa de juros de 1% ao mês já calculadas no valor da prestação, que sofre atualização mensal apenas pelo IGPM. Já foram pagas 16 parcelas, sem contar a entrada, e o saldo devedor permanece quase que inalterado. Nesse meio tempo obtive um aumento substancial em minha renda, minha dúvida é: devo adiantar o pagamento das últimas prestações ou devo juntar o dinheiro para pagar o saldo devedor de uma única vez?
    Att.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Flávia, obrigado pela sua mensagem.

      É preciso ver o que diz o contrato em relação às amortizações e, em seguida, fazer os cálculos. Se você puder fazer amortizações de forma semelhante à do SFH, a princípio me parece mais vantajoso amortizar o quanto antes, pois dificilmente você conseguirá uma aplicação segura e líquida que renda o equivalente à taxa de juros do seu financiamento (1% + IGPM).

      Mas, como eu disse, uma resposta mais exata depende de ler o contrato e de fazer cálculos. O Educando Seu Bolso oferece um serviço de consultoria que tem, como um dos produtos, justamente interpretar esse tipo de situação. Se quiser conhecer, o endereço é http://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?. Pode ser vantajoso para você, pois o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa decisão pode oferecer.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, parabéns pelo seu artigo e respostas nos comentários.
    Minha dúvida é em relação a como funcionam as mecânicas de amortização; pelo jeito há duas “opções”, 1) saldo devedor (reduz parcela) e 2) pagar últimas parcelas (reduz prazo).

    A opção (2) creio ser auto explicativa, mas a (1) eu não entendo muito bem – supondo que eu decida amortizar uma certa quantia, ela é simplesmente abatida do meu saldo devedor e as parcelas subsequentes são recalculadas? Em outras palavras, o novo saldo devedor após amortização dividido pelo número de parcelas restantes, juros calculados de acordo?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Vinícius, obrigado pela sua mensagem e pelos elogios.

      É mais ou menos isso.

      Um contrato de financiamento tem 3 elementos principais: Valor financiado (saldo devedor), prazo e taxa de juros. A partir deles, calcula-se o 4º elemento: o valor da prestação. Quando você faz uma amortização extraordinária, você reduz o saldo devedor. A taxa de juros vai sempre permanecer a mesma. Aí você precisa escolher qual dos dois elementos vai permanecer o mesmo, e qual vai diminuir: o prazo ou o valor da prestação. A partir da sua escolha, o contrato é recalculado, e você tem o novo prazo, ou a nova prestação.

      Deu para entender? Se não deu, por favor entre em contato de novo. Abraço!

      Responder
  • Boa Tarde!

    Gostaria de um esclarecimento, fiz um financiamento em 2015 pela CEF utilizando recursos do FGTS, foi me passando uma planilha de evolução teórica dos fluxos de evolução. Porém os valores estão bem diferentes, considerando que o contrato é atualizado pelo saldo devedor da TR do FGTS. Comecei pagando a 1º parcela 1019,36 em 21.09.2015. Na parcela de 21.05.2017 vou pagar 1010,06 na planilha de evolução dada pela CEF deveria estar pagando 981,57.

    Gostaria de uma opinião a respeito se posso pedir uma revisão de contrato? Já fui em uma agência e não me deram nenhum esclarecimento plausível. E gostaria de saber qual a melhor forma de amortização por prazo ou valor de parcela? Considerando que minha parcela está um pouco alto. E gostaria de amortizar um pouco do saldo do FGTS e um pouco com recursos próprios em torno de 15.000,00.

    Obrigado pela atenção.

    Cálculo de Amortização
    *Sistema de financiamento: SAC
    *Tipo de financiamento: Programa carta de crédito individual – FGTS COM UTILIZAÇÃO DO FGTS – Caixa Econômica Federal.
    * Valor da 1º Parcela: 1019,36
    *Vencimento da 1º parcela: 21.09.2015
    *Valor do financiamento: 116.000,00
    *Saldo devedor atual: 112.916,03
    *Amortização extraordinária: 10.000,00
    *Amortização mensal atual: 328,86
    *Juros/Correção do Mês(R$): 628,51
    *Índ. Reaj. S. Dev. Mês conf. C. Contratual: 0,99999
    Valor do seguro mensal: 27,19
    Taxa de administração mensal: 25,50
    *Prazo da operação, em meses: 360 meses
    *Taxa de juros anual: 6,6600% a.a
    *Taxa de juros anual efetiva: 6,8671
    *Número da parcela atual: 21
    *Seu melhor email: [email protected]
    Seu telefone: (62)984733171

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Mário, obrigado pela sua mensagem.

      Lancei os dados que você informou em nossa planilha, eles coincidiram com os seus. Parece não haver nada errado com seu contrato. A evolução do saldo devedor e do valor da prestação é mesmo por culpa da TR. À medida que o tempo for passando esse efeito vai se reduzindo, e as duas coisas começam a diminuir mais rapidamente.

      Quanto à melhor forma de amortização, se você precisa de uma folga no orçamento, a melhor opção é diminuir o valor da prestação.

      Mas se não precisa dessa folga, e queira saber o que compensa mais (talvez o melhor seja NÃO AMORTIZAR, e sim investir o dinheiro), nesse caso preciso saber um pouco mais, para poder dar uma sugestão mais embasada. O Educando Seu Bolso oferece a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente esse, identificar a melhor opção de amortização, conforme as características de cada caso, e propor uma estratégia adequada ao cliente. Consideramos adequado para você, porque o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa estratégia pode proporcionar. Se tiver interesse em conhecer, o link é http://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/

      Abraço!

      Responder
      • Ewerton, muito obrigado pelos esclarecimentos e pela análise!
        Vou analisar as opções, porque o que eu for amortizar será dinheiro do FGTS uns 10 mil, porque não compensa deixar o dinheiro do FGTS parado rendendo a 3% a.a. Ai vou analisar se amortizo a parcela ou valor das prestações para poder guardar um dinheiro maior e investir em CDBs de banco menores ou Tesouro Direto por enquanto. Obrigado pela atenção. E até a próxima. Abraços..

        Responder
  • Boa tarde, tenho um financiamento na tabela sac 180.000,00 feito em 180 meses falta 173 parcelas, tenho 50 mil de fundo de garantia, gostaria de amortizar os R$ 50.000,000, gostaria de verificar se é melhor só abater o valor de parcela ou valor e tempo pois pretendo quitar em 4 anos, o juros foi 11.39% ao ano, qual melhor opção?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Oi, Cristiane, obrigado pela sua mensagem.

      Isso depende de vários fatores. Se você precisar de um alívio no orçamento, certamente compensa diminuir a prestação. Mas você quer saber se compensa diminuir TAMBÉM o prazo, certo? 11,39% não é uma taxa baixa, convém mesmo você ficar livre do financiamento o quanto antes. No seu lugar eu diminuiria um pouco o prazo, também.

      Abraço!

      Responder
  • Cálculo de Amortização
    *Saldo devedor atual
    99.444,20
    *Amortização extraordinária
    93.000,00
    *Amortização mensal atual
    658,48
    Valor do seguro mensal
    174,82
    Taxa de administração mensal
    25,00
    *Prazo da operação, em meses
    156
    *Taxa de juros anual
    8,6488
    *Número da parcela atual
    6
    Minha dúvida, após quitar todo o saldo, tenho que pagar mais algum valor para a documentação?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Ivanil, obrigado pela sua mensagem.

      Normalmente, apenas as despesas de cartório, para encerrar a alienação fiduciária e passar o imóvel definitivamente para o seu nome.

      Responder
  • Tenho um financiamento pela CEF, SAC. tenho hoje 50.000,00 recursos próprios para amortizar e no ano que vem terei mais recursos próprios e poderei usar novamente valor de FGTS. A dúvida é posso amortizar já os 50.000 ou é melhor juntar um valor maior para amortizar? Perco alguma coisa se por exemplo, neste ano amortizar 50.000 e o ano que vem 30.000? ou é melhor esperar ano que vem ter os 80.000?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Cidelio, obrigado pela sua mensagem!

      Se fosse o contrário, isto é, se você tivesse o FGTS disponível agora, e no ano que vem tivesse os R$ 50 mil em recursos próprios, eu não teria dúvida em afirmar: faça a amortização agora. Isto porque o FGTS rende muito pouco, certamente menos do que o Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento.

      Mas sua situação é a inversa, você tem o recurso próprio hoje, e o FGTS no futuro.

      A lógica para se tomar essa decisão é comparar o CET do financiamento e o rendimento líquido que você poderia obter ao aplicar esses R$ 50 mil. Caso o CET seja maior que o rendimento da aplicação, o melhor é amortizar agora. Não há necessidade de esperar para ajuntar com o FGTS.

      Esses R$ 50 mil estão bem aplicados? Tem certeza? Sugiro que conheça nosso Comparador de Investimentos. Ele poderá te ajudar a obter um bom rendimento. O link é http://educandoseubolso.blog.br/compare-investimentos/

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia estou fazendo negocio num imóvel , e vou dar meu apartamento na troca, devo 59,00,00 de financiamento ainda para caixa, e quero quitar essa divida para trocar meu imóvel por outro.A duvida consigo reduzir esse valor de 59,000,00 pagando a vista e como proceder?

    Responder
    • Frederico Torres

      Boa tarde Rodrigo.
      Veja, quando você consulta o saldo devedor do seu financiamento imobiliário, o valor que você vê é o que realmente deve naquele momento. Diferentemente de outros empréstimos, onde você consegue um desconto por antecipar os pagamentos, no caso do imobiliário, você deve os 59mil mesmo.
      Grande abraço e boa sorte no seu negócio aí.
      =)

      Responder
  • Olá Ewerton, tenho um financiamento na caixa economica de 107.000,00 e tenho 9.000,00 de fgts, de uma empresa só certo, esse valor vc acha que devo colocar pra diminuir a parcela, ou abater do valor final ?
    ja entrei no meu apartamento, mes que vem, comeco pagar as parcelas…
    At. Felipe

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Felipe, obrigado pela sua mensagem.

      Rapaz, isso depende de alguns fatores. Por exemplo, a condição do seu orçamento, a sua condição para poupar dinheiro mensalmente, os seus planos para o futuro. É difícil dar uma recomendação firme sem conhecer sua situação, pois a resposta depende de coisas além dos cálculos financeiros.

      É por isso que oferecemos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Por meio dela podemos te conhecer melhor e, aí sim, fazer os cálculos e apresentar uma sugestão de estratégia, não apenas sobre o que fazer com esse saldo de FGTS, mas para todo o seu financiamento. Pode ser bastante vantajoso para você, porque o investimento é baixo, se comparado com o ganho que a pessoa pode obter ao tomar as decisões corretas. Se quiser conhecer, o link é http://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia, tenho uma dúvida. Tenho um financiamento residencial com a minha esposa, hoje ela já pode usar o FGTS para amortizar algumas parcelas finais, diminuindo o tempo do financiamento. Porém se esperarmos mais 2 anos, somando o meu FGTS com o dela conseguiríamos , e os pagamentos mensais que estamos fazendo conseguiríamos liquidar o financiamento.
    A minha dúvida é se eu ganho alguma coisa de juros pagando agora parte disso é daqui a 2 anos novamente, ou espero para fazer tudo de uma vez.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Thiago, obrigado pela mensagem.

      No seu lugar, eu faria uma amortização agora e, daqui a 2 anos, faria a outra. Não há vantagem financeira, nem necessidade, em esperar os 2 anos para fazer as duas amortizações.

      Uma ressalva: o único motivo para não usar o FGTS, em minha visão, é que ele funciona como uma reserva financeira para emergências. Fora isso, sugiro usar. Ele rende apenas 3% ao ano (mais TR), o que certamente é menos que o Custo Efetivo Total do seu financiamento.

      Abraço!

      Responder
  • Olá. Estou em duvida. Fiz um empréstimo em junho de 2012 na caixa no valor de 50 mil em 360 parcelas, com taxas de juros contratual de 09,5600, em 9/8/2013 na 015 prestação eu paguei 485,37 de prestação e 22,26 de seguro. em dezembro de 2016 fui quitar e paguei 44,600,00.
    Só me disseram:
    o valor é esse tudo bem?
    Aí paguei, me deram apenas um papel com esse valor e depois de 10 dias fui ao cartório pagar mais 200 reais e pegar os dcs do terreno.
    Será que eu teria direito a descontos tendo quitado tudo na 54º parcela????

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Marta, obrigado pela sua mensagem.

      Lancei seus dados na planilha, o valor para quitação é esse mesmo (o meu deu R$ 44.593). Nos financiamentos é assim que funciona: esse valor que te apresentaram era o saldo devedor. Se você não quitasse, a soma das parcelas que ainda iria pagar seria bem maior que esse valor. Os $44600 eram o valor que você devia, sem juros, tarifas, seguros etc.

      Abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *