Amortizar o financiamento imobiliário?

“Estou com dúvida sobre como vou amortizar meu financiamento imobiliário. Tenho R$ 15 mil de FGTS, vou utilizar para amortizar o financiamento. Qual a melhor opção? Usar o valor para antecipar as parcelas, ou amortizar a dívida? Atualmente, minha dívida é de R$ 129 mil. Pago por mês +/- $1400. Tenho minhas finanças controladas e estou pensando em fazer uma reforma na área de lazer da minha casa.”
André – Comentário no blog

 Prezado André, agradecemos pelo contato.

Sua dúvida é se você deve amortizar a dívida pagando as últimas parcelas e reduzindo o prazo do financiamento, ou reduzir o valor das parcelas, mantendo o prazo do financiamento, certo?

No seu caso, a melhor opção, em princípio, é a primeira, pagar as últimas parcelas, reduzindo o prazo do financiamento imobiliário. Isto porque em cada parcela estão embutidos juros. Quando você antecipa o pagamento, está pagando o principal – aquela parte da parcela que realmente se refere ao bem que você adquiriu –, e se livrando dos juros. Além disso, em cada parcela estão embutidos também o seguro e a taxa de administração. Encerrando antecipadamente o financiamento, você se livra deles também. E, finalmente, você fica menos tempo exposto ao risco de a TR disparar, corrigindo sua dívida de forma mais severa.

Isso é válido principalmente porque você pretende usar o saldo do FGTS, cuja correção é inferior à das aplicações. Caso você tivesse a opção de aplicar esse valor em outro investimento, aí precisaríamos pensar mais um pouco.

Essa opção de amortizar as últimas parcelas é especialmente indicada caso esse seu saldo de FGTS seja sua única “bala na agulha”. Isto é, caso você não tenha perspectiva de compor uma poupança para quitar sua dívida e, assim, pretenda levar o financiamento até o final do prazo contratado.

Caso você tenha a possibilidade de, daqui a alguns anos, quitar a dívida, compensa analisar a opção de diminuir o valor das parcelas. É um cálculo um pouco complexo, eu precisaria saber a taxa de juros e o prazo do seu financiamento, e a sua perspectiva de poupança. Se quiser, entre em contato novamente, será um prazer.

Vou aproveitar sua pergunta e falar um pouco mais dessa possibilidade. Para isso, vou utilizar como base a realidade.

.

Caso real de financiamento imobiliário

Um amigo meu tem um financiamento com saldo devedor de R$ 182 mil, faltando 324 parcelas – 27 anos – para o fim. A prestação, hoje, é de R$ 1.880, e diminui um pouco a cada mês. Ele tem R$ 60 mil aplicados em um investimento que lhe rende 0,8% ao mês. Vamos analisar duas opções:

Opção 1 – Ele usa os R$ 60 mil para amortizar o financiamento imobiliário diminuindo o valor das parcelas. Seu saldo devedor, portanto, cairia para R$ 122 mil. O blog fez os cálculos, usando o Sistema de Amortização Constante – SAC, utilizado na maioria dos financiamentos. A próxima prestação cairia para R$ 1.130, uma diferença de R$ 750. Essa diferença meu amigo aplicaria, a cada mês.

Opção 2 – Ele deixa tudo como está: mantém os R$ 60 mil aplicados e deixa o saldo devedor e as parcelas no mesmo valor que têm hoje.

.

E agora?

Para saber qual opção é a mais vantajosa, devemos compará-las ao longo do tempo. É preciso levar em conta quanto ele teria na aplicação, quanto pagaria de prestação e qual seria o saldo devedor, em cada um dos cenários.

No início, a opção 1 é mais vantajosa, pesando todos os fatores. Se, por um lado, o rendimento da aplicação da opção 2 é maior – pois já começa com um saldo de R$ 60 mil –, por outro lado a parcela da opção 1 é mais barata.

À medida que o tempo passa, a coisa muda. A vantagem no valor da parcela da opção 1 vai caindo – já que o valor que se paga de juros vai diminuindo. Chega um momento em que a opção 2 passa a ser mais rentável.

O momento exato varia de caso para caso. Nesse que calculamos, o momento seria daqui a exatamente 3 anos. Isso significa que, se meu amigo puder quitar o financiamento dele em até 3 anos, compensa usar os R$ 60 mil para fazer uma amortização agora, diminuindo o valor da parcela. Se ele achar que não consegue quitar em 3 anos, já não compensa.

O cálculo um pouco complexo e um tanto chato para ser detalhado em um texto como esse. Quer saber mais? Quer que analisemos seu caso? Entre em contato conosco! Se preferir, use nossa calculadora abaixo e simule você mesmo o resultado de amortização por prazo ou parcela!

Cálculo de Amortização
*Saldo devedor atual
*Amortização extraordinária
*Amortização mensal atual
Valor do seguro mensal
Taxa de administração mensal
*Prazo da operação, em meses
*Taxa de juros anual
*Número da parcela atual
*Seu melhor email
Quer tomar a melhor decisão sobre o financiamento do seu imóvel?

Nós podemos te ajudar!

Dúvidas?

 

Atualização: Para tornar mais rentáveis suas aplicações financeiras, recomendo que visite também o nosso simulador de investimentos.

652 comentários

    • Ewerton Veloso

      Olá!

      É sim, você pode fazer uma amortização extraordinária no valor que quiser. E geralmente é um bom negócio fazer isso. Dê uma lida em outros comentários aqui no post e você verá. Abraço!

      Responder
  • Ewerton, boa noite!

    Estou querendo pagar um valor a mais todo mês para finalizar mais rápido o contrato. Liguei no banco e o gerente me informou que o valor mínimo que posso antecipar é de 1.200,00. Ele me disse que eu vou estar diminuindo na faixa de 3 parcelas e mantendo o valor atual da parcela.

    Coloquei esses valores na sua calculadora e me deu o resultado abaixo. Veja que no seu cálculo está me dizendo que deve diminuir na faixa de 12 parcelas. Consegue me ajudar?

    Nova Prestação:R$ 1.041,18
    Prazo Restante: 234 meses
    Saldo Devedor:R$ 88.684,00
    Valores aproximados

    Consegue me ajudar?

    Dados do Contrato
    Tipo = SFH
    Valor do Financiamento = 101.000,00
    Prazo = 290
    Sist. Amortização = SAC
    Taxa de Juros = Nominal 8,833% a.a. Efetiva 9,2% a.a.
    Saldo Devedor: 89.884,96

    Dados da Parcela
    Prestação atual: 46
    Capital = 348,27
    Juros = 669,54
    Prestamista = 34,36
    Tarifa de Adm. / Manutenção de contrato 25,00
    Correção Monetária 15,80
    Valor Parcial da Prestação 1.092,97
    FGTS – SIUMP 3 0,00
    Valor da Prestação 1.092,97

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Cristiano, obrigado pela sua mensagem.

      Seu financiamento não é pela Caixa, certo? É pelo Banco do Brasil?

      Independentemente disso, eu confio mais no nosso Simulador do que na informação que você recebeu. Me parece que seu gerente simplesmente dividiu os R$ 1200 pelo valor da amortização mensal (R$ 348,27 + R$ 15,80 = R$ 364). Mas não é assim que se faz esse cálculo, ele é bem mais complexo.

      Creio que se ele lançar o valor no sistema vai vir algo parecido com o nosso Simulador. Se for pelo Banco do Brasil pode ficar um pouco diferente porque o sistema deles leva em conta o número de dias corridos do mês, na hora de calcular a prestação. Mas deve dar, no máximo, 1 mês de diferença no prazo.

      Se ficar diferente, por favor me fale aqui. Abraço!

      Responder
      • Olá Eweton. É pelo Banco do Brasil. O gerente me informou que não tem como eu saber exatamente quantas parcelas vai amortizar. Eu devo falar para ele quanto quero dar para amortizar e ele lança no sistema, sem possibilidade de desistir. A hora que eu fizer isso te digo como ficou. Obrigado;

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Ah, rapaz… Nunca ouvi falar disso. Bem, dizem que sempre há uma vez para tudo, mas… achei estranho. O banco precisaria ter um sistema onde é possível simular a amortização antes de fazer.

          Mas, bem, se é assim, arrisco dizer que a quantidade de parcelas vai ser mais próxima da que nosso Simulador indica, e não dessa conta que seu gerente fez.

          Responder
  • Boa tarde, Ewerton!

    Estou pensando em fazer um financiamento mas tenho uma dúvida que gostaria de solucionar com sua ajuda. É o seguinte:
    O financiamento total é de R$ 98.000,00 (Imóvel Usado).
    Eu gostaria de dar uma entrada de R$ 73.000,00 e financiar só R$ 25.000,00 para a prestação ficar pequena, mas a CEF só faz financiamento de no mínimo R$ 50.000,00.
    Na simulação feita na CEF foi de 313 prestações. A prestação inicial(SAC) R$ 413,00 e a final R$ 160,00..
    O que eu quero saber é se após pagar a primeira parcela eu adiantando 50% do saldo devedor, R 25.000,00(que é o valor que gostaria de não financiar e não pude), e pedindo redução do valor da prestação, se ela também cairá 50%. Se o cálculo é simples assim, ou seja, a prestação inicial que era de R$ 413,00 passará para R$ 206,50, e logicamente reduzindo todas até a final na mesma proporção.

    Muito obrigado!

    Responder
  • Boa tarde, parabens pela iniciativa de estar ajudando com sua experiência.
    Gostaria de saber, no meu caso, que tenho a intenção de baixar o valor da parcela o máximo q puder ao mês independente qto tempo levar pra quitar.
    Esse ano consegui juntar R$ 20mil e fui ao banco amortizar e percebi que o valor da parcela não baixou muito!
    Faz muita diferença esperar juntar R$30mil/R$40mil ou continuar amortizando a cada R$10mil/R$20mil economizados?
    Existe diferença amortizar em valor monetário ou com FGTS?

    Valor Dívida na Aquisição
    R$ 140.065,88
    Data: 16/11/2014
    Parcela inicial: R$ 1.317,42
    Prazo: 360 meses
    Juros nominal: 7,9536% a.a
    Juros efetiva: 8,2500% a.a
    Sistema amortização: SAC
    Enquadramento: SFH

    Dia 19/03/2018 fiz a primeira amortização com R$20mil e meu saldo devedor era R$ 129.996,16 e parcela R$ 1.340,61 e prazo restante de 319.
    Com a amortização consegui baixar a parcela para R$ 1.214,65 e fiquei com uma dívida total de R$ 110.009,41 (aparece agora T.J. Nominal 8,7873% a.a e T.J. Efetiva 9,1499% a.a).

    Obrigada!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Ana Lúcia, obrigado pela sua mensagem!

      Pois é, o efeito da amortização extraordinária no valor da prestação não é muito extraordinário… Principalmente no início do contrato. À medida que o tempo passa esse efeito fica melhor.

      Respondendo às suas perguntas, não faz diferença esperar juntar um valor maior. Pelo contrário, quanto antes você conseguir amortizar melhor, porque vai diminuindo (mesmo que pouco) o valor do saldo devedor, que é onde incidem os juros. E não faz diferença, em relação ao efeito da amortização, se os recursos são próprios ou se vêm do FGTS.

      Minha sugestão é que você não desanime, continue fazendo as amortizações sempre que puder, e em breve isso passará a fazer diferença no seu orçamento. Abraço!

      Responder
  • Tenho um financiamento de uma casa quefiz no valor de 120.000.00. para pagar em 25 anos.Meu saldo devedor hoje é 90.000.00.Tenho este dinheiro.Devo quitar ou nao?Minha prestaçao é em torno de 1.600.00.No final do ano vai fazer 8 anos que estou pagando.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Aurora, obrigado pela sua mensagem!

      Passei pela sua situação no ano passado. No início do ano consegui juntar o valor necessário para a quitação.

      Primeiro você precisa avaliar se o Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento é maior que o rendimento líquido de uma aplicação segura e líquida. Se o CET for maior, isso é motivo para quitar. Hoje em dia, quase sempre o CET dos financiamentos são mais altos que o rendimento das aplicações (a não ser os do Minha Casa, Minha Vida).

      Mas, além disso, sugiro que você avalie de quanto seria uma reserva financeira para emergências. Quitar o financiamento é ótimo, mas ficar completamente desprevenida pode ser arriscado. Talvez compense esperar um pouco, juntar pelo menos um dinheirinho, antes de quitar o contrato.

      Abç!

      Responder
  • Olá tudo bem, gostei muito das explicações, gostaria que tirasse minha dúvida, tenho uma dívida na caixa financiamento imobiliário no valor $97.800,00 parcela de $1.098,00 325 parcelas, até julho de 2019, vou ajudar +/-$15.000,00. Dúvida diminuir a parcela ou diminuir o tempo? Gostaria de pagar em 10 anos essa dívida meu sonho..KKK
    Obrigado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Washington, obrigado pela sua mensagem.

      A melhor modalidade de amortização varia de pessoa para pessoa.

      Primeiro é preciso fazer os cálculos de cada opção, para ver qual compensa mais. Mas, além disso, há que se considerar que, já que o financiamento imobiliário é um contrato de longo prazo, não basta olhar apenas os números. Muita coisa pode acontecer durante o trajeto (inclusive coisas boas), e é preciso estar preparado.

      Para eu te responder com firmeza qual seria a melhor opção para você, eu precisaria te conhecer melhor. Nós fazemos isso sob a forma de um serviço de consultoria.

      Em uma conversa (por telefone ou Skype) eu iria conhecer as condições do seu financiamento, a situação do seu orçamento, sua situação profissional, o perfil da sua família, seus planos, sua condição de poupar. A partir daí eu faria os cálculos, comparando as duas opções de amortização, te apresentaria a estratégia mais adequada e te daria as orientações sobre como adotá-la. Por exemplo, como cuidar do dinheiro até chegar o momento de quitar o contrato. É um trabalho bem completo.

      Se quiser conhecer melhor, entre em contato conosco novamente.

      Abraço!

      Responder
  • Tenho financiamento com a caixa. Saldo devedor 175k. Pago em torno de 2800 por mês. Já utilizei meu FGTS para quitar a dívida. Minha dúvida, vale a pena durante o mês amortizar o saldo com valores menores? Em torno de 300-400 reais (além da minha parcela mensal). Digo isso por que utilizo a conta da caixa para o financiamento e algumas movimentações bancárias restam esses pequenos valores, aí aproveito para amortizar uma vez que transferir para outro banco pagaria uma taxa muito alta.

    Qual sua sugestão? Obrigado!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Adriano, obrigado pela sua mensagem.

      Fazer a amortização certamente é um bom negócio, porque o custo do seu financiamento certamente é mais alto que o rendimento de uma aplicação segura e líquida (a menos que seu financiamento seja pelo Minha Casa, Minha Vida). Você precisaria decidir se amortizaria reduzindo prazo ou prestação. O que é melhor varia de pessoa para pessoa.

      Não sei se, na sua agência, a amortização extraordinária é um processo simples. Na minha não era muito, eu tinha que ir à agência todas as vezes. Se a sua for mais simples, melhor ainda.

      Outra coisa que você deveria levar em conta é compor uma reserva financeira para emergências. Esses 300 ou 400 mensais poderiam ser úteis para isso.

      Além de te responder, acabei te trazendo mais dúvidas, né? Na verdade eu te mostrei alguns pontos a que você deve ficar atento. Se precisar de ajuda profissional para tomar essas (e outras) decisões, fale conosco. Nós oferecemos serviços de consultoria. Normalmente o que a pessoa economiza ao tomar as boas decisões e adotar bons hábitos é bem mais do que o valor investido no serviço. Se quiser saber mais, fale conosco.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton, tudo bem?

    Parabéns pelo belo trabalho! Este post tirou muitas dúvidas que tinha sobre financiamento!

    Tenho um financiamento que atualmente encontra-se com um Saldo Devedor de aproximadamente R$265.000,00, sob Juros Nominais Vigentes de 8,4175%.
    Comecei este financiamento em Outubro/2014 na opção de 360 parcelas e dentro deste tempo, fiz algumas amortizações.

    Minha dúvida é:
    Atualmente, além da parcela de R$3080, pago R$300,00 mensalmente e amortizo na opção de redução de prazo.
    Tenho feito isso desde Fevereiro deste ano.

    Porém ainda tenho dúvidas se este é o melhor caminho.

    Na sua opinião, seria mais benéfico colocar estes R$300 em alguma aplicação e usar a liquidez final da aplicação para amortizar ou continuar com esta prática?

    Muito obrigado desde então.

    AC

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Augusto!

      Sob o ponto de vista dos número em si, colocar os R$ 300 em uma aplicação não seria melhor do que fazer essa amortização extra, não. Isto porque sua taxa de juros é de mais de 8% ao ano, e uma aplicação segura e líquida renderia cerca menos de 6% (descontado Imposto de Renda).

      A vantagem de manter essa aplicação é constituir uma reserva financeira. Temos batido nessa tecla o tempo todo. DEPENDENDO da situação da pessoa, pode compensar pagar um pouco mais caro por essa opção, mas manter uma reserva de segurança.

      Outra opção que talvez fosse mais vantajosa do que a que você vem adotando é fazer a amortização extra reduzindo O VALOR DA PRESTAÇÃO. Mesmo que a redução seja bem pequena, já é alguma coisa, e você conseguiria juntar mais do que os R$ 300. Daqui a pouco seriam R$ 350, depois R$ 400, e assim por diante.

      Para saber o que seria de fato mais vantajoso precisaríamos fazer os cálculos e comparar. Fazemos isso sob a forma de uma consultoria. Se quiser saber mais me fale, te passo os detalhes. Ou então dê uma olhada em outros comentários. Em alguns deles eu explico melhor sobre a consultoria.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, bom dia.

    Preciso financiar 130 mil reais e estou em dúvida quanto as seguintes opções:

    Opção 1: Juros a 7% a.a + TR em 360 meses. Amortizar a cada dois anos com FGTS e sempre que possível com o dinheiro que conseguir juntar com salário, 13o, PLR, etc.

    Opção 2: Juros a 7% a.a + TR em 360 meses. Amortizar a cada dois anos com FGTS e aplicar o dinheiro que conseguir juntar com salário, 13o, PLR, etc, em investimentos.

    Opção 3: Juros a 7% a.a + TR em 120 meses. Amortizar a cada dois anos com FGTS e o dinheiro que conseguir juntar com 13o, PLR, etc. (Neste caso não sobra dinheiro do salário mensal devido a parcela mais alta).

    A taxa de 7% a.a. é porque sou funcionário de Instituição financeira.
    O valor mensal que tenho para pagar as parcelas e/ou amortizar/investir é de R$3000,00.
    Somando 13o e PLR teria R$20000,00 por ano para amortizar ou investir.
    A amortização do FGTS será de R$15000,00 a cada dois anos.

    Obrigado,

    Marcus

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Marcus!

      Rapaz, eu precisaria calcular e projetar cada uma dessas opções ao longo do tempo e comparar uma com a outra. E a comparação não se restringe aos números dos cálculos, mas tudo o que vem com eles (a opção 3 aperta o orçamento, a opção 2 constitui uma reserva etc.).

      Estamos acostumados a fazer isso, sob a forma de consultoria. Tudo começa com uma boa conversa, em que vamos procurar te conhecer, saber mais detalhes sobre seu perfil e sua situação (você já falou bastante coisa, mas ainda há mais a saber). Em seguida fazemos os cálculos, depois trazemos esses fatores extra-cálculos. Assim podemos traçar uma estratégia sob medida para você e te orientar sobre como colocá-la em prática.

      Se tiver interesse, entre em contato e lhe passo mais detalhes. Pode ser muito vantajoso para você. Dá para perceber que você tem uma noção muito boa das possibilidades, certamente aproveitaria muito bem as informações.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite.meu nome é andre tenho um finaciamento de 300 meses atualmente estou na parcela 82 com saldo devedor de 73000 custo adm 13 reais e juros de 4.5 .prestacao esta em 620 reais. Onde a amortizacao é 333.61 e 247 e juros. Tenho 25 mil de fgts. Gostaria de saber qual a melhor forma de armortizar manter o prazo ou diminuir o prazo.
    Estou poupando 200 por mes para juntar um montante para fazer outra amortizacao futuramente. Pensei em manter o prazo e a diferenca que cair da prestacao poupar tambem aumentando para mais ou menos 400 por mes para amortizar futuramente.

    Desde ja agradeço e parabenizo pelo o belo trabalho do seu site sem leio e acompanho.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      André, obrigado pela sua mensagem.

      Sua estratégia é muito boa, e parece bem adequada ao seu perfil.

      Seu financiamento é barato, pois é Minha Casa Minha Vida, certo? Por isso você não precisa ter pressa para quitá-lo. Usar o FGTS é sempre bom, porque ele rende apenas 3% ao ano. Quanto ao dinheiro que você poupa por fora, recomendo que você pense também em manter uma reserva financeira para emergências. Se seu financiamento fosse caro eu diria “André, quite esse contrato o mais rápido que conseguir”. Mas não é. Então, acho legal essa atitude de fazer amortizações até conquistar a quitação do contrato, mas no seu caso é legal também guardar um dinheirinho, já que você parece ser uma pessoa disciplinada (que não vai torrar essa reserva com coisa desnecessária).

      Se você ler os comentários, vai ver que sempre falamos da nossa consultoria. Ultimamente ela tem servido também para essa finalidade: saber dar a boa direção para o recurso que a pessoa tem disponível. Se ela usar só o FGTS, em quanto tempo quita o contrato? E se usar também todo o dinheiro extra que consegue poupar? Qual seria uma reserva financeira segura para a família desta pessoa? Então quanto ela deveria guardar por mês para a reserva, e quanto deveria guardar para a próxima amortização? COMO e ONDE ela deveria guardar esse dinheiro? Se levar o plano desta forma, em quantos anos ela conseguirá quitar o contrato, e quanto terá guardado na reserva?

      Essas coisas.

      Parabéns pelo seu cuidado com suas finanças, você parece ser bastante consciente e disciplinado.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde!

    Estou prestes a financiar um imóvel pelo PMCMV e gostaria de saber qual tabela seria mais vantajosa (PRICE ou SAC) tenho em vista que pretendo quitar 100% do saldo devedor em até 15 anos???

    Valor financiado: R$ 152.000,00
    1ª parcela SAC seria: R$ 1.444,25
    1ª parcela PRICE seria: R$ 1.131,30

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Wilker.

      Para te dar essa resposta nós precisaríamos fazer cálculos, projetar as duas possibilidades, levar em conta a sua situação e seu perfil, e assim elaborar uma estratégia boa para você.

      Oferecemos isso sob a forma de consultoria. Se quiser saber mais, me fale e lhe passo os detalhes. Pode ser muito vantajoso para você, pois é um trabalho bastante completo, que inclusive te orienta sobre como cuidar do dinheiro até conseguir quitar o contrato. Tomando as decisões e atitudes certas você pode economizar um bom dinheiro.

      Abraço!

      Responder
  • Olá, boa tarde! Sobre amortizar as parcelas do financiamento, é vantajoso, ao invés de pagar as últimas, pagar as primeiras prestações? Por exemplo, um financiamento de 135 mil, usar 20 mil pra pagar as primeiras, as mais caras.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Bruna, obrigado pela sua mensagem.

      Não existe essa possibilidade de amortizar pagando as primeiras prestações. E, se existisse, ela não faria muito sentido, porque as primeiras prestações são mais caras porque sobre elas incidem mais juros. E a amortização reduz apenas o saldo devedor, sem juros.

      Muita gente costuma falar “pagar as últimas prestações”, mas não é bem isso que acontece.

      A amortização extraordinária é usar um recurso que você tem para reduzir o saldo devedor. Quando você faz isso, o financiamento é recalculado, com o novo saldo devedor. A taxa de juros é mantida a mesma. E aí você escolhe se reduz o valor da prestação OU o prazo. Quando reduz o prazo, fica parecendo que você pagou as últimas prestações, mas não é bem isso. Na verdade você terá um novo financiamento, mais curto.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia.
    Poderia me ajudar?
    fiz um financiamento em 150 meses, já paguei 48 parcelas. Hoje o valor da parcela + juros é R$ 793,00 (amortização R$524,00). Meu saldo devedor é de R$ 54.000,00.
    Tenho R$ 16.000,00 para amortizar. Já utilizei o simulador e ainda tenho dúvidas de diminuo o prazo do financiamento ou o valor das parcelas. Como não sei o valor das ultimas parcelas não sei se realmente reduzir o prazo é o mais viável, pois acredito que sejam pagas as ultimas parcelas já sem os juros… E agora, qual a melhor opção? Tenho algum ganho financeiro diminuindo o valor da parcela?
    Obrigado.
    Igor

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Igor, obrigado pela sua mensagem.

      O ganho financeiro em reduzir as parcelas é justamente fazer sobrar mais dinheiro a cada mês. Quem tem disciplina para guardar dinheiro pode justamente guardar essa sobra para fazer novas amortizações no futuro.

      Reduzir o prazo não produz essa sobra a cada mês, mas, por outro lado, faz com que o saldo devedor diminua mais rapidamente.

      Quanto a usar os R$ 16 mil para amortizar, caso seu financiamento não seja pelo Minha Casa, Minha Vida, provavelmente a amortização é um bom negócio, pois os juros do financiamento são maiores que o rendimento da aplicação. A ressalva que fazemos é quanto ao risco de ficar sem reservas financeiras, em um período tão turbulento do nosso país.

      Nós oferecemos um serviço de consultoria, que visa justamente montar uma estratégia financeira adequada, que te permita, ao mesmo tempo, pagar menos juros e não ficar desprotegido. Se quiser conhecer, entre em contato novamente.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde.

    Primeiramente gostaria de parabenizá-lo pela disponibilidade e a atenção com que nos ajuda, realmente é um belo trabalho.

    Se puder me dá uma luz rsrs…meu caso é:
    – Possuo um financiamento imobiliário cujo saldo devedor hoje é 207.000.
    Sistema de amortização é SAC.
    Juros efetivos: 10% a.a
    Juros nominais: 9,5690% a.a
    Faltam 279 parcelas
    Última parcela: 2.488,08 (diminui um pouquinho a cada parcela)
    Tenho 70.000 em caixa, porém não sei se amortizo e diminuo as parcelas para sobrar mais dinheiro para juntar, ou se aplico esse dinheiro e continuo juntando menos até dar o total da quitação.
    Gostaria de terminar de pagar esse imóvel até daqui 7 anos, no máximo.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Danielle, obrigado pela sua mensagem!

      Olhando somente o financiamento em si, você pagaria menos juros se fizesse uma amortização agora, em vez de aplicar o dinheiro. O alerta que temos feito aos leitores é sobre o risco de ficar sem nenhuma reserva financeira.

      O que posso dizer em linhas gerais, sem te conhecer melhor, seria isso: compensa amortizar desde já, mas pense na questão da reserva de segurança.

      Nós oferecemos um serviço de consultoria que visa justamente te conhecer melhor, a condição do seu financiamento, a situação do orçamento familiar, os planos para o futuro, a estabilidade no trabalho etc.

      A partir daí podemos calcular QUANTO custa a opção por manter o financiamento, em vez de amortizar. E pensar sobre uma reserva financeira para emergências. De quanto seria a reserva ideal? Isso vai depender muito da situação de cada pessoa.

      Assim podemos avaliar qual seria o melhor caminho a tomar. Calculamos um valor adequado para a reserva de segurança, avaliamos qual seria a melhor opção de amortização (reduzir prazo ou valor da prestação), orientamos sobre como cuidar do dinheiro até conseguir quitar o contrato. Enfim, elaboramos uma estratégia completa.

      Se quiser saber mais, entre em contato novamente e lhe passo mais detalhes. Pode ser bem vantajoso para você. Tomar a melhor decisão pode economizar um bom dinheiro.

      Abraço!

      Responder
  • Olá boa noite
    Estou com dúvidas ao querer amortizar meu financiamento
    Devo ao banco 130965.17 reais com taxa de juros 6.66 estou na 23 prestação
    Tenho 3000 no FGTS e queria saber quanto em dinheiro abaixaria no valor da parcela
    Atualmente de parcela pago 903.47

    Queria abaixa valor das parcela.

    No aguardo de algumas dicas

    Responder
  • Boa tarde,
    Vocês poderiam me ajudar com uma questão?

    Cenário:
    Hoje devo 270.000,00 (saldo devedor) para a caixa devido ao parcelamento na compra de um imóvel.

    Dúvida:
    Esse valor oscila junto com a inflação? Ou seja, se amanhã o Real quebrar e o pão francês passar a custar 1.000 reais, o valor do meu saldo devedor também será alterado?

    Obrigado,
    Lucas.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Lucas, obrigado pela sua mensagem!

      Sim, num cenário apocalíptico como esse que você desenhou o saldo devedor será alterado, pois ele é corrigido pela TR, a Taxa Referencial de juros. Mas não se assuste: TR é diferente de inflação. Para você ter uma ideia, nos anos de 2015 e 2016 o IGPM ficou em 10,54% e 7,19%, respectivamente. Enquanto isso a TR ficou em 1,79% e 2,01%. Outra informação interessante: desde setembro de 2017 o valor da TR é zero. Isto é, historicamente a TR tem sido menor que a inflação.

      Portanto, sugiro que não se preocupe com isso.

      Abraço!

      Responder
      • Olá Ewerton! Muito Obrigado!

        Se puder, tenho mais umas dúvidas sobre os termos.

        Na Calculadora de Amortização, O saldo devedor tanto da Amortização por Prazo ou Prestação no final ficam iguais. O que muda na verdade é o valor da prestação e o tempo restante. É isso mesmo? Essa Amortização por Prestação então é diferente do que falam de adiantar as parcelas do imovel, certo?

        Outra coisa, eu posso pegar 30 mil agora e Amortizar por Prazo na Caixa e, daqui a 2 anos, caso tenha mais 30 mil, Amortizar por Prestação?

        E última dúvida, pelo que entendi lendo o texto, a grande questão do Amortizar por Prestação é que, como o prazo restante é maior do que a outra opção, o por Prazo, no final o valor total pago será bem maior devido aos juros, certo?

        Muito obrigado de novo Ewerton,
        Lucas.

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Olá, Lucas, obrigado mais uma vez pela sua mensagem. Ótimas perguntas!

          Vamos a elas:

          -Sim, o saldo devedor fica igual. Porque, na amortização, o que acontece é justamente subtrair do saldo devedor o valor que você amortiza. Então o saldo remanescente é igual nos dois casos. E aí você escolhe se mantém o prazo e reduz a prestação ou o contrário, mantém a prestação e reduz o prazo (que é o que chamam de “adiantar as parcelas”).

          -Você só precisa esperar 2 anos se for usar recursos do FGTS. Se os recursos forem livres, você pode fazer mais de uma amortização até no mesmo mês. Se for FGTS você precisará esperar os 2 anos, e sim, pode amortizar primeiro por prazo e depois pela prestação, se quiser. Ou vice versa.

          -Se você amortizar reduzindo a prestação e GASTAR o dinheiro que economiza todo mês, no final das contas vai pagar mais. Não apenas por ficar mais tempo exposto aos juros e outros custos, mas porque, na amortização pelo prazo o saldo devedor começa a cair mais rapidamente. PORÉM, se você GUARDAR o dinheiro que economiza na amortização pela prestação, poderá fazer novas amortizações (ou amortizações maiores), o que pode fazer com que você pague menos. Nesse caso, o que vai compensar depende das condições do financiamento (principalmente taxa de juros e prazo) e do rendimento das aplicações financeiras. Não há como eu te dizer o que compensa mais sem fazer os cálculos. Nós até oferecemos esse cálculo sob a forma de consultoria, que visa justamente avaliar a melhor opção e montar uma estratégia financeira adequada.

          Mais uma vez agradeço por mais uma ótima mensagem. Abraço!

          Responder
          • Olá Ewerton, muito Obrigado pelo esclarecimento!

            Fiquei em dúvida só nessa parte: “na amortização pelo prazo o saldo devedor começa a cair mais rapidamente.” O que isso quer dizer?

            Outra coisa, como funciona essa consultoria de vocẽs? Consegue me passaar mais detalhes?

            Obrigado!

            Responder
            • Ewerton Veloso

              Olá, Lucas.

              Em toda prestação que você paga, há o componente “amortização mensal”. É a parte da prestação que realmente é abatida do seu saldo devedor. Essa amortização mensal, em linhas gerais, é o valor do saldo devedor dividido pelo prazo que falta para você quitar o contrato. Então, vamos supor que você faça uma amortização diminuindo O VALOR DA PRESTAÇÃO e seu saldo devedor passe a ser de R$ 96 mil, faltando 200 meses para quitar. Então a amortização mensal é de 96000 / 200 = 480. Mas se você diminui O PRAZO, e ele passe a ser de, digamos, 160 meses, sua amortização mensal passa a ser de 96000 / 160 = 600. Então, em vez de seu saldo passar a cair R$ 480 por mês, ele passa a cair R$ 600 por mês, ou seja, mais rapidamente.

              Tá, mas o que COMPENSA MAIS, realmente? Essa redução a mais provocada pela redução do prazo? Ou aquele dinheirinho que sobra a mais a cada mês, provocado pela redução da prestação?

              Para saber isso, amigo, só fazendo os cálculos, projetando cada situação para o futuro, até a quitação, e saber em qual das duas se pagam mais juros. Varia de caso a caso.

              A consultoria serve para isso. Começa com uma boa conversa (via telefone, Skype, WhatsApp, qualquer canal com voz). Nela nós obtemos não apenas as informações objetivas do seu financiamento e do seu orçamento familiar em geral, mas conseguimos também perceber o seu perfil. Depois nós fazemos os cálculos, as projeções e avaliamos o que é mais adequado PARA VOCÊ. Isto é, não apenas aquilo que custa menos na ponta do lápis, mas também que combine com seu perfil. Isto é, com seu temperamento, com o tempo que você tem disponível, com sua situação profissional, seus planos para o futuro. Tudo.

              A consultoria é um trabalho bem mais amplo que uma simples análise do seu financiamento. Porque para chegar a falar do financiamento, antes nós fazemos um diagnóstico da sua situação. E depois de fazer os cálculos nós te orientamos sobre como colocar em prática a estratégia que nós propomos. Tudo isso em 1 semana, aproximadamente.

              Abraço!

              Responder
  • Bom dia, tenho um financiamento na Caixa, no valor de 95.000, e pago 1075, de prestacoes mensal, pago 10,% de juros anual, e o financiamento eh em 360 meses, já paguei umas 21 prestações. Estou juntando para amortizar, no momento tenho 50.000 na poupanca. Estou planejando pagar a dívida total em agosto de 2019. Estou na dúvida se pago um pouco agora, ou tudo ano q vem
    ..ou se invisto em outra coisa.. Agradecido

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Brunno, obrigado pela sua mensagem.

      Olhando somente o financiamento em si, você pagaria menos juros se fizesse uma amortização agora.

      O alerta que temos feito aos leitores é sobre o risco de ficar sem nenhuma reserva financeira. O que você vai pagar a mais de juros se guardar o dinheiro talvez não seja tanto assim, entende?

      Vou te dar um exemplo concreto: o meu. Eu tinha um financiamento imobiliário. Em 2016 consegui alcançar, em aplicações, o valor suficiente para quitar. Porém, não queria ficar sem reserva financeira. Mantive o dinheiro aplicado e ia pagando o financiamento. Quando o rendimento das aplicações começou a cair muito (por causa da queda na Selic), essa opção começou a ficar cara. Como eu já tinha acumulado um pouco mais de reserva, fui lá e quitei.

      Como saber o custo dessa opção? Isto é, como saber a diferença entre os juros que se paga mensalmente no financiamento e o rendimento que se recebe mensalmente nas aplicações? Somente fazendo os cálculos.

      Essa tem sido a tônica das nossas consultorias: apurar o custo da opção de manter a reserva em vez de amortizar, estimar um valor adequado para a reserva, orientar sobre boas formas de guardar o dinheiro até a quitação. Enfim, montar uma boa estratégia que equilibre viver com segurança e pagar menos juros.

      Se quiser saber mais detalhes, entre em contato novamente. Abraço!

      Responder
  • Olá. Primeiramente, parabenizo pelo excelente trabalho.

    Estou numa fase de acertos de contas, literalmente. Já inclusive tirei cartão de crédito da minha vida.

    Fiz um financiamento imobiliário há quase quatro anos, pagando parcelas de aproximadamente R$2000 mensal, e q agora após quase quatro anos está em $1900, o q ainda pesa o orçamento.

    Financiei $192 mil em 360x, com taxa de 9%/a.a. Já paguei quase $100 mil e o meu saldo devedor quase ñ saiu do lugar: ainda em $176 mil.

    Agora estou pretendendo vender o meu carro q está quitado e devo alcançar um valor de $25 mil p tentar amortizar o financiamento, já q há tempos ñ consigo juntar dinheiro, pois o projeto família é bom mas muito consome.

    Uma alternativa q pensei tb foi um consignado a taxa de 1,6% em 60 parcelas p amortizar parcelas do financiamento, já q não junto grana e este seria um consignado, o qual ñ tem p onde correr, pois desconta em folha. Sei q essa taxa supera e muito a de 9% a.a. do financiamento.

    Mas será q no meu caso ñ seria interessante essa alternativa, já q ñ mais consigo guardar uma grana? E se conseguisse um empréstimo consignado a uma taxa de 1,2% ou quem sabe até a 1%?

    Agradeço esta contribuição especializada.

    Rogerio.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Rogério, obrigado pela sua mensagem e parabéns pelo acerto de contas. Principalmente pela corajosa medida de tirar o cartão de crédito da sua vida (já que, pelo que imagino, ele tenha te causado problemas).

      Rapaz, não contrate empréstimo para pagar financiamento imobiliário! Como você mesmo disse, a taxa é muito superior que os 9% do financiamento.

      Veja só: você disse que não consegue guardar grana, mas estava pensando em contratar um empréstimo que iria retirar uma parte do seu salário. Que tal se você juntasse todo mês a grana que iria pagar no consignado?

      Quanto a esse fato de seu saldo devedor ter diminuído apenas R$ 16 mil nesses 4 anos, tenho uma boa notícia. Uma coisa que fazia o seu saldo devedor cair tão lentamente no início era a TR. Só que ela está zerada desde o ano passado. Reparou como seu saldo devedor e suas prestações estão diminuindo um pouco mais rapidamente?

      Então, amigo, calma. Tente economizar um pouco mais. Se você estava disposto a deixar o banco retirar parte do seu salário todo mês no consignado, retire VOCÊ mesmo parte do salário e coloque em uma aplicação. E de tempos em tempos faça uma amortização. Você vai ver como as coisas vão melhorar.

      Boa sorte. Abraço!

      Responder
  • Gostei muito do Blogs e da sua ajuda, estou lendo e está clareando minha cabeça

    Fiz um financiamento pela caixa no seguinte modelo:

    Tabela: PRICE
    Valor Financiado: 101.000
    Juros Efetivos Contratado: 4,5939 %
    Juros Efetivos com Relacionamento: 4,5939 %
    Prazo: 360 Meses
    Parcela: 531,00

    Eu gostaria de saber qual vai ser o impacto da TR sobre as parcelas, eu sei que no momento ela está zerada, mas já pesquisei bastante e ela fica oscilando, chegando até a bater 2% a.a.

    Essa é uma grande dúvida que me dá dor de cabeça, o meu empreendimento está em obras, mas já quero estar preparado para esse pequeno reajuste.

    Qual seria o impacto das parcelas por exemplo se a TR ficar em 2% anual por exemplo.

    Fiz um bom negócio em relação a esse financiamento, mesmo sendo via tabela price.

    Agradeço desde já pela atenção!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Fernando, obrigado pela sua mensagem.

      Boa pergunta. Parabéns por ser tão previdente e já se preparar para o caso de a inflação subir um pouco e a TR sair do zero.

      Para saber o efeito de uma TR de 2% ao ano no seu contrato inteiro eu precisaria fazer alguns cálculos um pouco complexos, principalmente no sistema Price. Mas vou te dizer o que aconteceria com sua primeira prestação, ok?

      Ela aumentaria em cerca de R$ 1,50. Em vez de R$ 531, seria de uns R$ 532,50.

      Abraço!

      Responder
  • Olá boa noite. Meu nome é Camila, primeiramente quero parabenizar vocês pelo trabalho que fazem, pois mesmo sendo uma empresa de consultoria financeira, vocês respondem todas aa questões mesmo a pessoa nao contratando os serviços, deixam claro que é preciso uma analise de perfil etc.. mais mesmo assim nao deixam vagas as perguntsa das pessoas!! Parabéns pelo profissionalismo!
    Gostaria de pedir uma sugestão, meu esposo e eu estamos na reta final para concluirmos a contratação de nosso financiamento imobiliario. Iremos financiar 170 mil e nossa parcela esta em torno de 1800.00 mensais.. e a taxa anual de 9.30. Estamos na dúvida se pagamos nossa parcela anual e poupamos um valor para amortizarmos no futuro ou pagamos a parcela e amortizarmos sempre as duas ultimas.. o que vocês nos sugerem? O valor das parcelas sem os juros e seguro é de R$ 472.00. Desde ja muito obrigada.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Camila! Obrigado pela sua mensagem e suas palavras. Realmente, procuramos sempre responder às perguntas que não necessitam de cálculos e análise mais personalizada.

      Fiquei um pouco confuso com um detalhe da sua pergunta. Você diz que está em dúvida sobre se paga sua parcela ANUAL. Seria anual mesmo, ou mensal? Seu contrato é pelo SFH?

      Se não for pelo SFH, não tenho condição de te responder sem analisar cuidadosamente seu contrato. Mas se for pelo SFH e você se refere à parcela MENSAL, então posso te dizer que não é muito vantajoso poupar para fazer uma amortização maior no futuro. Melhor é amortizar o quanto antes, já que sua taxa de juros é de 9,30% ao ano, bem maior do que o rendimento de um investimento seguro e líquido.

      Nossa ressalva, nesse caso, seria em relação a você manter uma reserva de segurança para emergências. Pode ser bastante recomendável nesses tempos instáveis que vivemos.

      Se quiser nossa ajuda para saber se compensa mais amortizar reduzindo o prazo ou a prestação, essa é uma das nossas especialidades. Montamos estratégias adequadas para cada pessoa, orientando sobre como manter uma reserva de segurança adequada (nem grande demais, nem pequena demais), como cuidar do dinheiro, quando realizar as amortizações. Enfim, como proceder para pagar menos juros e, ao mesmo tempo, não ficar desprotegida.

      Se quiser saber mais, entre em contato novamente.

      Abraço!

      Responder
  • Olá lá tenho um financiamento e o saldo devedor é de 80000, Pago ao mês 695 reais de prestações. Possuo 21000 de FGTS e 30000 na poupança. Gostaria de saber se amortizo esse valor, ou diminuo as prestações? Juros contratual é 5.5 e já paguei 48 parcelas de 300.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Rodolfo, obrigado pela sua mensagem!

      Pelo que percebi, seu financiamento é pelo programa Minha Casa, Minha Vida, certo?

      Nesse caso, podemos afirmar que compensa usar o FGTS em uma amortização extraordinária, já que ele rende apenas 3% ao ano, enquanto sua taxa de juros é um pouco maior que isso, 5,5% ao ano. Já em relação aos R$ 30 mil da Caderneta de Poupança, é preciso avaliar se compensa utilizá-los na amortização ou procurar uma aplicação que renda mais que o custo do seu financiamento. Você conhece o Simulador de Renda Fixa do Educando Seu Bolso? Ele oferece boas opções de investimentos seguros. É possível que alguns deles sejam mais vantajosos para você. Sugiro que visite o Simulador no endereço https://educandoseubolso.blog.br/simuladores/simulador-de-investimentos/

      Quanto a qual opção seria mais vantajosa, reduzir o prazo ou o valor da prestação, precisaríamos fazer cálculos para afirmar com certeza. Isso porque a melhor opção varia de pessoa para pessoa, de acordo com as características do contrato e também com a sua situação: a condição do seu orçamento, seu perfil pessoal e profissional, seus planos etc.

      Nós oferecemos um serviço de consultoria que faz tudo isso. Avaliamos SE compensa fazer a amortização, analisamos qual seria a opção mais adequada e te orientamos sobre como proceder, inclusive sobre como cuidar do seu dinheiro visando quitar o contrato no momento mais adequado.

      Me desculpe se, em vez de te dar uma resposta, eu te trago mais uma dúvida. Mas é para seu próprio bem. É importante alertarmos nossos leitores sobre as diferentes opções de amortização e também sobre a opção de NÃO amortizar, pois a melhor decisão pode significar uma boa economia.

      Se quiser saber mais sobre nossa consultoria entre em contato novamente.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite. Fiz um financiamento no valor de R$ 189.000,00 em 360 parcelas decrescentes.
    Paguei até hoje 48 parcelas. Estou com R$ 20.000,00 depositado no fgts. Fui até a caixa para saber como reduzir minha prestação e a gerente informou que seria mais viável para mim reduzir o prazo final do que as parcelas. Ela informou que com estes R$ 20.000,00 eu reduziria os últimos 12 anos. A minha prestação é no importe atualmente de R$ 1.700,00 e estou conseguindo pagar sem problemas. Vocês acham melhor, de fato, quitar as últimas prestações ou reduzir a prestação? Pelos cálculos dela, a redução seria de no máximo R$ 300,00.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, André, obrigado pela sua mensagem.

      Se você estivesse com o orçamento apertado, a melhor opção seria reduzir a prestação. Mas se a prestação está cabendo tranquilamente, então a decisão deve passar por outros fatores:

      -Reduzir a prestação tem a vantagem de te permitir acumular, mês a mês, uma reserva financeira para emergências ou para uma futura amortização. Ela requer disciplina para aplicar o dinheiro todos os meses. Para quem não tem disciplina, essa opção não é boa.

      -Reduzir o prazo tem a vantagem de fazer com que o saldo devedor caia mais rapidamente.

      Para saber qual das duas compensa mais é necessário fazer os cálculos e avaliar qual seria a sua situação daqui a alguns anos. Isso varia de caso para caso, de acordo com a taxa de juros, o prazo etc. Além disso, é importante levar em conta o perfil da pessoa (por exemplo, a já citada disciplina para aplicar o dinheiro). Nós oferecemos um serviço de consultoria que visa justamente isso. Projetar as duas situações, avaliar qual das duas é mais vantajosa e mais adequada à sua situação. Além disso, prestamos as orientações sobre como cuidar do dinheiro, caso a melhor estratégia seja reduzir a prestação (e, consequentemente, compor uma reserva financeira). Se tiver interesse, entre em contato novamente e lhe daremos mais informações.

      Abraço!

      Responder
  • Olá, boa tarde!
    Cancelar o seguro do financiamento da Caixa é viável?! Pago R$97,00 só desse seguro e preciso baixar o valor da parcela urgente!
    Já fiz 2 amortizações e agora que acabou o prazo, a prestação não diminuiu …. desesperador isso! Atualmente, pago R$2.931,79 mensal e estã bem complicado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Christiane, obrigado pela sua mensagem.

      Boa pergunta! Os seguros têm sido inevitáveis para a contratação de financiamento imobiliário. Não sou especialista na jurisprudência referente a financiamentos (minha especialidade é a parte financeira), mas não creio que seja possível cancelar o seguro. Os contratos de financiamento geralmente têm cláusulas que exigem que haja o seguro. É uma segurança para o banco. O máximo que poderia acontecer seria o banco permitir que você contrate um seguro mais barato, o que não iria resolver muito a sua situação.

      Recentemente a Susep abriu consulta pública para tratar desse assunto (http://susep.gov.br/setores-susep/noticias/noticias/susep-abre-edital-de-consulta-publica-para-seguro-prestamista-e-para-regras-de-propaganda-e-material-de-comercializacao-de-titulos-de-capitalizacao). Pode ser que algo mude para os contratos no futuro, mas nos contratos vigentes, creio que não seja possível.

      Sugiro que procure no seu contrato se há essa cláusula, e o que ela diz. No meu contrato havia a cláusula. Aliás, havia um outro contrato só para o seguro.

      Desejo boa sorte no controle das suas finanças. Essa luta não é fácil, mas vale muito a pena. Nosso blog tem boas dicas para você se organizar e controlar seu orçamento. Sugiro, por exemplo, este link: https://educandoseubolso.blog.br/category/educacao-financeira/

      Abraço!

      Responder
      • Muito obrigada pela informação e me interessei pela consultoria, pois, não sei se estou fazendo as coisas da maneira mais certa! Nesses últimos anos, venho fazendo s amortização com o meu FGTS inteiro e me sinto nadando muito e morrendo na praia! As prestações abaixam por 01 ano, cerca de 600 reais…. mas ainda fico desconfortável financeiramente…..

        Responder
  • Boa noite,

    Poderia me sugerir a melhor opção?
    Tenho um financiamento de 360 meses (325 meses remanescentes), pelo sistema SAC (parcelas reajustáveis), c/ taxa de juros de 6,86% ao ano (efetiva), no valor de R$ 116.589,94 (saldo atual devedor de R$102.961,95). Estou querendo realizar a amortização utilizando FGTS de 8.000,00. Vale a pena utilizar amortizando o valor das parcelas atuais ou quitando as ultimas parcelas?

    Desde já, obrigado!

    Responder
    • Daniel Meinberg

      Obrigado pela visita, Andrey
      Como dito no texto, para responder sua questão seriam necessários muitos outros dados, não disponíveis. Entretanto, a rigor, deve-se buscar a projeção futura de pagamentos e trazer a valor presente para que os valores sejam comparados.
      Espero ter ajudado.
      Atenciosamente
      Equipe Educando seu Bolso

      Responder
  • Olá! Gostaria de dizer que aprendo muito lendo o blog.
    Gostaria também de tirar uma dúvida:
    Tenho um financiamento na Caixa e usei meu FGTS para amortizar reduzindo prazo em jul/2017.
    Atualmente, tenho R$13 mil reais de FGTS para poder abater até 80% de 12 parcelas a partir de jul/2018 (PPP).

    A dúvida é a seguinte: é melhor eu utilizar meu FGTS

    A) Nessa modalidade PPP, reduzindo cerca de 1000 reais mensalmente, e pegando esses mesmos 1000 reais e somar com mais 2500 que consigo poupar mensalmente e continuar abatendo prazo do financiamento todo mês?

    B) Guardar esses 13 mil reais na conta de FGTS e esperar chegar jul/2019 (dois anos depois do último uso) para abater prazo total do financiamento novamente e continuar usando apenas 2500 para abater prazo do financiamento todo mês?

    Dado importante: não estou com orçamento apertado.
    Pretendo terminar de pagar o financiamento em 3 anos, no máximo.
    Fiquei em dúvida entre as opções A e B, pois sei que, ao optar pela PPP, continuarei pagando juros, seguro e taxa mensais.

    Dados do financiamento:

    Prestação do Mês Nº 1
    Prazo do Financiamento 95 meses
    Taxa de Juros c/ Relacionamento: 7,581%
    Juros Efetivos: 7,850%
    Sistema de Amortização: SAC
    Saldo Devedor Teórico em 01/07/2018
    R$ 230.468,05
    Juros/Correção do Mês R$ 1.471,48
    Amortização do Mês R$ 2.451,77
    Seguro: R$ 83,39
    Taxa de Administração: R$ 25,00
    Valor da prestação a vencer em 01/07/2018: R$ 4.031,64

    Muito obrigado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Rafael, obrigado pela sua mensagem.

      De modo geral, o PPP é indicado para quem está com o orçamento apertado e precisa de dinheiro com urgência. Como você mesmo disse, com o PPP você paga os juros e as taxas normais do financiamento, e na amortização não paga.

      Contudo, para afirmar com certeza qual seria a melhor opção (PPP, amortização reduzindo prazo ou amortização reduzindo valor da prestação), só mesmo fazendo os cálculos completos. Este é um trabalho que oferecemos sob a forma de consultoria, que fazemos sob medida para o cliente, levando em conta sua situação e seu perfil pessoal.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia Ewerton,
    Meu caso tenho uma dívida restante de R$32.950
    De fundo tenho R$16.000
    Meu financiamento é SAC com juros de 6.1677% decrescente , ainda me restam 194 prestações de R$448 reais!
    Qual seria a melhor forma de amortizar nesse caso?! Cair as parcelas para 97 ou ter o valor da prestação reduzido?!?
    Muito obrigado desde já!
    Alexandre

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Alexandre, obrigado pela sua mensagem!

      Para saber a melhor forma de amortizar, é preciso fazer os cálculos. Reduzir o valor da prestação tem a vantagem de fazer sobrar mais dinheiro a cada mês (que você poderia guardar para fazer outra amortização, ou mesmo quitar, daqui a algum tempo). Por outro lado, reduzir o prazo faz com que o saldo devedor caia mais rapidamente. Além de facilitar para uma futura quitação, a prestação vai ficando menor a cada ano. Para quem não tem disciplina para guardar dinheiro, eu digo logo: reduza prazo. Mas para quem é disciplinado, é preciso fazer as contas, pois a decisão certa pode fazer a pessoa poupar dinheiro.

      E outra coisa que você precisa levar em conta: você tem reserva financeira para emergências? Ou esses R$ 16 mil são tudo o que você tem? Pergunto isso porque a taxa de juros do seu financiamento não é das maiores, 6,1677%. Seria prudente (e não sairia caro) guardar algum dinheiro como reserva.

      Me desculpe por, talvez, colocar mais dúvidas do que certezas na sua cabeça. Mas é que as certezas, mesmo, nós só conseguimos ter quando fazemos os cálculos. Então acho importante pelo menos estimular a reflexão no leitor.

      Abraço!

      Responder
      • Obrigado pela resposta, mas a grosso modo, não teria como guardar, estou pagando dividas do casamento e estudando ao mesmo tempo, penso que se reduzir a prestação, certamente gastarei e não guardarei! Esses R$16.000 é o montante de FGtS que tenho hoje! Pensei em amortizar algo, pois mais uns 4 anos trabalhando teria o mesmo montante é estaria bem próximo de quitar o imóvel…..
        Ness caso seria melhor juntar todo o montante ou abater algo agora?!
        Muito obrigado !!

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Olá! Bem, há momentos em nossas vidas em que o orçamento aperta e precisamos reduzir gastos. Parece ser o seu caso, neste momento. Então me parece adequado reduzir a prestação, mesmo que você não consiga guardar todo o valor que vai ser reduzido.

          Três observações:

          -Tente guardar um pouco de dinheiro. Use nosso simulador para saber em quanto sua prestação cairia caso você não usasse o dinheiro todo. Talvez você não precise usar todos os R$ 16 mil para conseguir o alívio de que precisa. O endereço é https://educandoseubolso.blog.br/simuladores/simulador-de-amortizacao-prazo-ou-parcela/

          -Veja quais outras despesas você consegue cortar (essa sugestão não é só para você, mas para todas as pessoas, rs)

          -Se sua decisão é mesmo fazer uma amortização, o melhor é fazer logo, não faz muito sentido juntar todo o montante.

          Abraço!

          Responder
  • Olá!

    Muito bom os esclarecimentos, pelo que entendi no caso é melhor a pessoa reduzir as parcelas do que o prazo do financiamento?

    No caso, quando a gente reduz no prazo, usamos a nossa reserva ou FGTS e ficamos zerados, e os benefícios do prazo reduzido só será aproveitado depois de ANOS.

    E quando reduzimos a parcela, conseguimos aliviar o orçamento e assim até criar uma nova reserva guardando a diferença que foi reduzida na parcela. Assim todo ano conseguimos reduzir um pouco da parcela, até acabar.

    Não importa se o prazo continuar, afinal se chegar em determinado tempo você conseguir quitar a dívida, não importa se tem 300 parcelas ainda. Você deve 20 mil em 300 parcelas, e você consegue os 30 mil pra quitar, fim da dívida.

    A ideia é essa?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Gleison, obrigado pela sua mensagem!

      Seu raciocínio vai na direção certa. Quero só fazer uns ajustes.

      De fato, quando reduzimos o valor da prestação conseguimos aliviar o orçamento e criar condições para fazer uma nova reserva. Perfeito. E, de fato, mesmo se o prazo continuar, você poderá quitar a dívida quando conseguir acumular o valor suficiente para isso. Perfeito!

      Quanto a você só aproveitar o benefício da redução do prazo depois de ANOS, não é bem assim. De fato, a prestação não reduz, então não aumenta a sua sobra de caixa. Porém, quando você reduz prazo, o saldo devedor começa a cair mais rapidamente (porque aumenta a amortização mensal contida na prestação). Isto também é um benefício.

      Entende? Reduzir a prestação traz o benefício direto no bolso. Reduzir o prazo traz o benefício no saldo devedor.

      Qual dos dois é melhor? Depende das condições do contrato e da economia de modo geral. Além, é claro, do perfil de cada um. Mas você já indicou que seu perfil é de uma pessoa disciplinada, com disposição para criar uma reserva financeira (aliás, parabéns!).

      Por isso não podemos afirmar categoricamente que o melhor é reduzir o valor da prestação. É preciso fazer cálculos. É por isso que oferecemos uma consultoria especializada nisso: identificar o que compensa mais e orientar o cliente sobre como proceder.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton
    Tenho um financiamento na Caixa SAC e estou a utilizar o meu FGTS mas estou com dúvida de utilizá-lo para diminuir valor da prestação ou amortizar. Tendo em vista a instabilidade q ainda tinha o país não tenho um fundo de emergência e pensei até em deixar pelo menos 5 meses pagos adiantados para sempre ter uma margem de tempo para emprevistos já q pago R$1300,00 por mês. Qual seria a melhor opção já q a última parcela segundo simulação seria de R$312,00?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Luiz Fernando, obrigado pela sua mensagem. E parabéns pela clareza com que você enxerga a sua situação e a do país.

      Quanto à ideia de deixar “pelo menos 5 meses pagos adiantados”, creio que na Caixa isso não seja possível. Acho que você consegue, no máximo, emitir o próximo boleto a vencer. Além disso, não faz muito sentido, sob o ponto de vista financeiro. Se sua intenção é criar um fundo para não precisar se preocupar com a prestação, caso aconteça algum imprevisto, o melhor é deixar o dinheiro aplicado em algum investimento seguro e líquido. Tesouro Selic, por exemplo.

      É difícil, para nós, opinar sobre qual seria a melhor opção, sem conhecer em detalhes a sua situação. É por isso que nós oferecemos um serviço de consultoria, dedicado a fazer um diagnóstico completo da situação.

      A partir de uma conversa, nós solicitamos do cliente todas as informações necessárias sobre o financiamento, a situação do seu orçamento, sua condição para poupar, sua situação profissional, seus planos para o futuro etc. Em seguida, nós fazemos os cálculos e desenhamos a estratégia.

      Primeiro, nós sugerimos um valor adequado para a reserva financeira de segurança. Depois, sugerimos o valor adequado para ser usado em uma amortização. E apontamos qual seria a modalidade mais adequada (reduzir prazo ou valor da prestação). Por fim, prestamos as orientações necessárias para colocar em prática a estratégia que sugerimos.

      Pode ser adequado para você, já que, muitas vezes, o valor que a pessoa economiza por tomar a decisão mais acertada é bem maior do que o valor investido na consultoria.

      Se tiver interesse, entre em contato novamente, e poderemos dar mais detalhes. Pode enviar mensagem para o endereço [email protected].

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton,

    Tenho um financiamento no qual já fiz vária amortizações. Hoje meu saldo devedor é de R$86.745,00, com uma taxa de 9,56 ao ano, num prazo de 178 meses. Tenho a oportunidade de amortizar mais R$35.000,00. Minha dúvida é se devo amortizar no prazo ou no valor das prestações. Saliento que faço amortizações mensais de R$3.000,00 e minha prestação atual é de R$1.270,00. Além disso, meu objetivo é quitar o financiamento até meados do ano que vem. Então, qual a melhor opção, amortizar no prazo ou no valor da prestação que passará a ser em torno de R$750,00?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Nilmar, obrigado pela sua mensagem! E parabéns, pela sua conquista, sua disciplina e seu cuidado com seu investimento.

      Rapaz, para saber a melhor opção é preciso fazer os cálculos e comparar as duas situações. Não tem jeito, não existe fórmula. São muitos fatores interagindo (condição do contrato, situação do orçamento familiar, perfil pessoal, condição de poupar, entre outros), portanto é preciso analisar cada caso.

      Por isso nós oferecemos um serviço de consultoria para essa finalidade. Como o estudo envolve conversas com o cliente, cálculos complexos, projeções, o que demanda algumas horas de trabalho, nós precisamos cobrar por ele.

      No seu caso, porém, eu acho que não compensa você contratar a consultoria. Sinceramente. Seu contrato está na reta final, sua capacidade de poupança é muito boa, você é um sujeito determinado. Numa época em que os rendimentos das aplicações estão baixos, no seu caso vai fazer pouca diferença reduzir prazo ou prestação.

      Sugiro continuar com seu plano, fazendo seguidas amortizações. Se puder aumentar ainda mais o valor delas, melhor ainda (para isso, portanto, talvez o melhor seja reduzir prestação).

      Abraço!

      Responder
  • Excelente artigo, pode me ajudar com uma duvida ? Mesmo pagando as parcelas me sobra um valor de R$1000,00 mensais, considerando que tenho minha vida financeira controlada em outros aspectos, seria mais vantajoso todo mês eu amortizar o financiamento e diminuir o numero de parcelas ou poupar esses R$1000,00 mensalmente e amortizar no final do ano o valor de R$12.000,00 ?desconsiderei os rendimentos apenas para fim de exemplificar.

    Responder
    • Outra questão Ewerton, desculpa abusar rsrs Se eu ainda nao realizei o financiamento de um imovel e minha intenção é de vender em breve devo pagar o minimo possivel atualmente para não perder tanto com os juros, ou pagar o maximo possivel das parcelas para abater o valor mais rapidamente ? Parece confuso mas no meu caso tenho outros rendimentos alem do “salario”, posso realizar o financiamento com todos os meu rendimentos e pagar uma parcela maior do financiamento ou colocar apenas o salario e pagar uma parcela menor, como minha intenção é vender acredito que quanto menos eu pagar inicialmente melhor sera “visto que grande parte do valor é para os juros”, do ponto de vista de investimento, estou correto ? obrigado desde já

      Responder
      • Ewerton Veloso

        Prezado Sérgio, que boa pergunta. Agradeço por ela.

        Não acho nada confuso, essa questão é importante, é algo que deve ser pensado, mesmo. Quando a pessoa vai fazer um financiamento e tem um valor acima do mínimo exigido para dar de entrada, é importante avaliar se ela dá uma entrada maior e fica sem reserva, ou se dá o mínimo possível de entrada, mantendo uma reserva. O mesmo vale para o prazo: prazo maior significa prestação menor. Qual é o tamanho adequado da prestação, então?

        Inclusive nós prestamos essa orientação aos nossos clientes. Em uma conversa nós conseguimos estimar um valor adequado para uma reserva financeira e para a prestação mensal, de modo a garantir segurança no orçamento da pessoa.

        Mas vamos à sua pergunta. Os juros não dependem do prazo do financiamento, dependem apenas do valor financiado e da taxa de juros. Portanto, na primeira prestação, não importa se você vai contratar o financiamento por 100 meses, ou por 420 meses, a parte dos juros na sua prestação vai ser a mesma.

        MAS…

        Quanto menor for o prazo do financiamento, maior é a amortização mensal embutida na prestação. Portanto, o saldo devedor cai mais rapidamente. Assim, o saldo devedor NO MÊS SEGUINTE vai ser menor e, por isso, os juros vão ser menores também.

        Resumindo: quanto menor for seu prazo, menos juros você vai pagar, no final das contas.

        Abraço!

        Responder
        • Ola Ewerton e Quintiliano, muito obrigado pela ajuda, conheci o site esses dias e estou me surpreendendo com qualidade dos artigos e dos podcast, recomendarei fortemente, como demorei pra encontrar voces.

          Uma ultima duvida, entendi perfeitamente o que vc explicou, a taxa de juros vai sempre se relacionar com o saldo devedor e portanto quanto menor for esse valor menor sera a taxa de juros, porem em uma situação que estou refletindo, vamos supor que eu va financiar um valor de 100 mil reais, se minha intenção é de vender o imovel (daqui 1 ou 2 anos) seria mais vantajoso eu pagar parcelas maiores em um prazo menor, ou pagar parcelas menores em um prazo maior ? Do ponto de vista de retorno de investimento na venda acredito que a situação de pagar parcelas menores com maior prazo mesmo que estarei pagando mais juros que na outra situação seja mais vantajoso, estou correto ? no caso de uma venda rapida do imovel.

          Muito obrigado

          Responder
          • Ewerton Veloso

            Prezado Sérgio, agradecemos muito pelos elogios e pela confiança e gentileza em nos recomendar.

            Olha só, estou considerando que, quando você for vender o imóvel, vai se livrar do saldo devedor financiamento no ato da venda. Então, se você vender o imóvel por R$ 250 mil, e tiver um saldo devedor de R$ 100 mil, vai quitar o saldo devedor e embolsar os R$ 150 mil. Ou então o comprador vai assumir o financiamento pelo valor do saldo devedor e, assim, vai te repassar os mesmos R$ 150 mil.

            (nossa especialidade é a estratégia financeira do financiamento, e não os procedimentos e regulamentos. Entendemos razoavelmente sobre eles, mas procuro não entrar em detalhes, principalmente em casos específicos como este, de venda de imóvel com financiamento em andamento)

            Sendo assim, o raciocínio deve ser o mesmo, independentemente de você pretender vender o imóvel ou não. De modo geral, a melhor opção é aquela em que você paga menos juros.

            Abraço!

            Responder
    • Quintiliano Campomori

      Olá Sérgio, obrigado pela sua mensagem.
      Sem considerar os rendimentos, é melhor você amortizar, mensalmente, os R$ 1.000,00 que você tem disponíveis. O motivo é que quanto antes você pagar, menos juros você pagará. Claro que isso gerará um desgaste mensal de entrar em contato com a instituição financeira para realizar os amortizações, mas, na ponta do lápis, compensa.
      Quintiliano Campomori
      Educando seu Bolso

      Responder
  • Estou com uma dúvida. Fiz a simulação de uma amortização no site da Caixa Econômica Federal, para diminuir o prazo da minha dívida. Curioso que o mesmo resultado eu confirmei diretamente na Agência onde tenho o financiamento. Não entendi o porquê do valor da nova parcela aumentar e não diminuir como fiz a projeção no simulador do site. Achei muito estranho e por isso ainda não fiz nenhum pagamento. Tenho uma taxa de 7,44% a.a contratual e não há razões para aumentar nada. Obrigado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Cláudio, obrigado pela sua mensagem!

      Veja a resposta que dei para a Natália, logo abaixo. A situação dela é parecida com a sua, com a minha e com a de vários leitores. A diferença, no seu caso, é que você disse que fez a simulação no site da Caixa.

      Você poderia me enviar por e-mail essa simulação? Como eu disse para a Natália, se eu tiver os valores dos componentes da parcela (amortização mensal, juros etc.), posso entender melhor o que está acontecendo. Desconfio que é algum problema na taxa de juros.

      Se puder me enviar, agradeço. O endereço é [email protected]

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde!

    Tenho um financiamento com divida atual de 71.500,00 tenho 12.000,00 de FGTS.
    Qual a melhor opção reduzir as quantidades de parcela ou reduzir o valor da prestação. Não tenho outra forma de amortização, só usando o FGTS.
    Minha dúvida é se diminuir o prazo vou continuar pagando uma parcela alta por muito tempo ainda? e se diminuir o valor da parcela estarei pagando muito juros?

    Grata,

    Leila

    Responder
    • Quintiliano Campomori

      Prezada Leila, obrigado por sua mensagem.
      Não há uma resposta definitiva para a sua dúvida. Para quem recebe depósitos na conta do FGTS regularmente, em tese, deveria reduzir o valor das parcelas e manter o prazo. Isso se deve ao fato de poder ter acesso ao FGTS em mais oportunidades; em um contrato de 30 anos, você poderia usar o FGTS em 14 vezes.
      Por outro lado, reduzindo a quantidade de parcelas, há uma redução do tempo no pagamento de juros e nos valores dos seguros.
      Ou seja, se você tiver uma probabilidade alta de continuar a ter depósitos no FGTS entende-se como melhor opção a redução no valor das parcelas.
      Quintiliano Campomori
      Educando seu Bolso

      Responder
  • Olá Ewerton, tudo bem?
    Tenho um financiamento imobiliário pela CEF tabela SAC e ao conversar com a gerente sobre uma simulação de amortização (R$43.000,00), mesmo eu escolhendo a opção de amortizar o prazo minha parcela aumenta cerca de R$140,00. Achei bem estranho pois sempre li que as parcelas não aumentam com a amortização. A gerente abriu um chamado para uma outra área do banco que responderam que devido ao meu contrato ser novo (estou na 46ª parcela) é comum que haja esse aumento na parcela para compensar. Isso está correto? Eles me encaminharam a fórmula para o cálculo, que utilizaram como justificativa o aumento da parcela, mas nesta não tem a variável ‘parcela’. Abaixo as especificações do meu contrato:

    Prestação do Mês Nº – 47
    Prazo do Financiamento – 360
    Taxa de Juros Contratual – 8,7873
    Ind.Reaj.Prest.Mês conf.C.Contratual 0,0000
    Ind.Reaj.S.Dev.Mês conf.C.Contratual 0,99999
    Taxa de Juros c/ Relacionamento 7.9536
    Sistema de Amortização SAC

    Saldo Devedor Teórico em 18/05
    R$ 222.330,15
    Juros/Correção do Mês (R$) 1478, 31
    Amortização do Mês (R$) 709,29
    Seguro: 54,51
    Taxa administração: 25,00

    Simulação Efetuada:
    Amortização de R$ 42.810,83
    Dívida pós amortização: R$180.228,61
    Prazo: 177
    Parcela: R$2.411,58

    Fórmula: AE= t *(Dk/n-k)*(1/1+i(n-k-t), onde:

    AE = valor da amortização extraordinária;

    Dk = valor do saldo devedor atualizado pro-rata até o dia do evento;

    n k = prazo remanescente atual, em meses;

    n k t = prazo remanescente desejado, em meses;

    i = taxa nominal de juros ao mês;

    n = prazo contratual, em meses;

    k = prazo decorrido no dia do evento;

    t = número de meses que se deseja reduzir.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Natália! Obrigado pela sua mensagem!

      Vários dos nossos leitores apresentaram esta mesma queixa. E eu mesmo, no ano passado, passei por isso. A simulação de amortização reduzindo prazo aumentava o valor da prestação.

      Sabe o que estava acontecendo? A simulação, por um erro de sistema, considerava a taxa cheia. Isto é, sem o desconto pelo relacionamento.

      É comum que a prestação aumente UM POUCO. Mas esses R$ 140 me parecem exagerados. Sugiro que faça a simulação no nosso Simulador de Amortização. Ele é gratuito, está disponível no endereço https://educandoseubolso.blog.br/simuladores/simulador-de-amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Modéstia à parte, confio mais no nosso Simulador do que no de alguns bancos. Faça a simulação. Se o valor estiver diferente, sugiro que fale com sua gerente. É uma pena que o valor que você me informou traga apenas o valor total da parcela (amortização mensal + juros). Se trouxesse os componentes da parcela, eu poderia conferir aqui mesmo o que ocorreu.

      Abraço!

      Responder
  • Prezado Ewerton,
    Acabo de fazer um financiamento no valor de 144.000, pago uma parcela mensal de 1600. Tenho condição de amortizar R$1.000 por mês. Gostaria de saber se posso fazer isso mensalmente e qual a melhor maneira de fazer.

    Responder
    • Quintiliano Campomori

      Prezado Sidney, obrigado por sua mensagem.
      Você pode amortizar com recursos próprios quando desejar. Há duas modalidades: reduzindo o prazo ou reduzindo o valor das parcelas.
      Você pode utilizar nosso simulador neste link para verificar a melhor opção.
      Se você tem depósitos regulares no FGTS, de modo geral, será melhor reduzir no valor da parcela para você poder utilizar o saldo do FGTS em mais oportunidade.
      Quintiliano Campomori
      Educando seu Bolso

      Responder
  • Boa noite!!
    Tenho uma dúvida parecida, mas meus gerentes não conseguem me dar uma resposta quanto qual modalidade seria melhor para as amortizações. Minha situação é bem particular. Tenho um empréstimo imobiliário e faço amortizações quinzenais. O prazo dele são 40 anos, mas calculo que pagarei em dois. Não tenho interesse em colocar esse dinheiro que uso nas amortizações em outro investimento, pois quero me livrar da instituição financeira com a qual contraí ele o mais depressa possível e não gosto de dívidas. Nessa situação, seria melhor pagar as últimas parcelas ou diminuir o valor da parcela?
    Obrigado!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Ingo, obrigado pela sua mensagem.

      Normalmente nós oferecemos essa análise sobre a modalidade de amortização mais adequada (diminuir prazo ou valor da prestação) sob forma de consultoria. Fazemos cálculos, projeções e vemos o que é mais adequado para cada pessoa. Mas, realmente, sua situação é bem particular. Basicamente, a decisão passa pela situação do orçamento da pessoa, e sua capacidade de poupar. Como suas amortizações são muito frequentes (duas por mês!), não vejo tanta diferença assim. Se você amortiza, a cada vez, o valor máximo que consegue, minha impressão é de que a amortização reduzindo o valor é mais adequada. Abraço!

      Responder
  • Bom dia, fiz a simulação de amortizar 3.500 reais para diminuir o prazo, no site da CAIXA eu ficaria com 213 prestações, na calculadora do site eu ficaria com 204 prestações, muita diferença não???? como saber se eu que to fazendo errado ou o banco que está dando de esperto.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Cláudia!

      Peço que me envie a simulação para que eu possa ver o que houve. O endereço é [email protected].

      Mas, antes, te pergunto: seu financiamento é SAC ou Price? Nossa calculadora é configurada para o SAC.

      Grato. Abç.

      Responder
  • Boa Noite Ewerton!

    Estou adquirindo um imóvel pelo programa da Caixa minha casa minha vida.

    Vou financiar R$ 131.782,29 pelo Sistema Price por 30 anos, já verifiquei que este sistema eu vou pagar mais juros que o SAC mais infelizmente este foi o único modo, devido ao alto valor da entrada que teria que dar para fazer por SAC.

    Então minha prestação vai ficar R$ 735,00 mensais fixas, e eu vou conseguir juntar ao longo de um ano R$ 15.000,00 além de pagar minhas prestações mensais.

    Neste caso qual seria a melhor forma de quitar este financiamento mais rápido ?
    Quitando as últimas parcelas ?
    Mas neste caso minha parcela que seria R$ 735,00 vai diminuir?

    Obrigado.

    Abraço.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Johannes, obrigado pela sua mensagem.

      Para saber qual modalidade de amortização te permitiria quitar o financiamento mais rapidamente seria necessário fazer cálculos. Na verdade, já qeue seu contrato é pelo Minha Casa, Minha Vida, pode ser que nem compense amortizar, e sim guardar o dinheiro.

      Para mim é difícil dar uma resposta sem conhecer os detalhes do contrato. Especialmente sendo pelo sistema Price. Para isso nós oferecemos um serviço de consultoria. O objetivo dele é te mostrar a opção mais adequada para sua situação e te dar todas as orientações sobre como proceder. Se tiver interesse em saber mais detalhes, falo conosco.

      Abraço!

      Responder
      • Boa noite vc poderia me ajudar devo 188.000,00 no meu financiamento pago 2500,00 de prestação ( sendo 1060,00 de amortização e o 1450,00 de juros) e falta 175 parcelas. Tenho 60.000,00 de FGTS qual melhor forma pra eu amortizar? Se eu diminuir o valor seria mais ou menos ato tempo de amortização ? Vc poderia me ajudar…desde já agradeço

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Fabiana, obrigado pela sua mensagem.

          Para saber qual seria o efeito da amortização (no prazo ou no valor da prestação), recomendo que use nosso Simulador de Amortização. É gratuito. Basta acessar o link https://educandoseubolso.blog.br/simuladores/simulador-de-amortizacao-prazo-ou-parcela/

          Mas para saber qual é a melhor opção eu precisaria saber mais detalhes. Não apenas sobre o financiamento em si, mas sobre o seu perfil pessoal, a situação do seu orçamento, seus planos para o futuro… É um trabalho de consultoria, mesmo, pois cada caso tem suas particularidades. Se quiser saber mais, entre em contato conosco e daremos mais detalhes.

          Abraço!

          Responder
  • Boa tarde Ewerton!

    Estava procurando informações sobre esse assunto e encontrei você.

    Estou com uma dúvida que é a seguinte: Eu tenho um financiamento com saldo devedor de 134 mil, eu vou receber esse dinheiro dentro de 6 meses. Eu pago parcelas de +ou- 1900.

    Qual seria a melhor forma de quitar esse financiamento??
    1° ir recebendo e ir pagando as últimas parcelas?

    2° ir amortizando o valor total?

    3 ° ir pagando as parcelas normais, juntar o valor total é quitar o financiamento todo?

    Desde já agradeço a oportunidade de conhecer um pouco sobre o assunto.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Adriano, obrigado pela sua mensagem!

      A primeira coisa que precisamos fazer é comparar o Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento com o rendimento líquido que você consegue obter em uma aplicação segura e líquida.

      Atualmente, com a Selic baixa, quase sempre o CET é maior que o rendimento. A questão é avaliar se está MUITO maior, ou só um pouco.

      A segunda coisa é pensar sobre uma reserva financeira para emergências. Você tem essa reserva? De quanto seria a reserva ideal, dentro da sua atual situação familiar e profissional?

      Aí, finalmente, podemos avaliar se seus recursos são suficientes para quitar o financiamento e manter essa reserva prudente.

      Se não for, precisamos avaliar quanto, dos recursos, deve ser destinado à quitação, e quanto à reserva. Se a diferença entre o CET e o rendimento das aplicações estiver muito alta, compensa amortizar o máximo que for possível. Se não estiver tão alta, não há tanta pressa assim.

      “Nossa, Ewerton, te fiz uma pergunta simples e você vem com essa falação!”

      Ok, vamos lá.

      Suponhamos que o dinheiro seja mais que suficiente para quitar e manter a reserva.

      Nesse caso, se o Custo Efetivo Total do financiamento for maior que o rendimento líquido (isto é, descontando Imposto de Renda) da aplicação, compensa ir amortizando o quanto antes. Não faz muito sentido juntar o valor todo para quitar tudo de uma vez.

      Quem é disciplinado financeiramente pode amortizar reduzindo o valor da prestação, e, a cada mês, fazer outra amortização, e outra, e outra, sempre no maior valor que puder.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton bom dia
    Gostaria de efetuar uma amortização no final de 2018 com recursos próprios e em junho de 2019 utilizar o fgts é possível ou tenho que seguir a regra de amortizar a cada 2 anos?
    Obrigada

    Responder
    • Quintiliano Campomori

      Olá Priscila, obrigado pela mensagem.
      Você tem que aguardar 2 anos entre cada para utilizar o FGTS para amortização. Com recursos próprios, não há qualquer restrição; você pode fazer quando quiser e puder.
      Quintiliano Campomori
      Educando seu Bolso

      Responder
      • Olá!
        Aproveitando a dúvida do colega acima, tenho o seguinte cenário:
        Saldo devedor ainda alto (em torno de R$ 160.000,00). Além da parcela do financiamento, consigo juntar em torno de R$ 1.000,00 por mês.
        Eu consigo amortizar com recurso próprio todo mês? Pois meu investimento rende menos do que os juros do investimento, porém não quero me descapitalizar (perder o “colchão”).
        Eu poderia aplicar R$ 500,00 em investimentos e R$ 500,00 amortizando o financiamento todo mês?

        Responder
        • Quintiliano Campomori

          Olá Gabriel, obrigado por sua mensagem.
          Você tem razão em manter um “colchão” ou uma reserva de emergência. O tamanho desta reserva vai depender do seu perfil. Quanto mais segurança você tem da sua renda, menor poderá ser sua reserva.
          Com recursos próprios você pode amortizar o quanto quiser. As limitações de tempo de amortização valem apenas quando há a utilização dos recursos do FGTS.
          Quintiliano Campomori
          Educando seu Bolso

          Responder
  • Bom dia Everton,

    Estou com saldo no FGTS (2 anos após utilizar na entrada do apartamento) e estou em dúvida se vale a pena utilizá-lo para diminuir as 12 próximas prestações em 80%.

    Utilizando esta opção, estarei pagando os juros, seguro,taxas embutidos na parcela?
    Exemplo, minha próxima parcela é de R$ 605,00, utilizando o FGTS para diminuir em 80%, irei pagar o residual de R$ 121,00 (20%), certo?

    Desta forma a única vantagem que percebi seria do alívio financeiro momentâneo em 12 meses (já que abaixou o valor da parcela). E o lado bem desvantajoso seria de não amortizar o saldo devedor da mesma forma que iria amortizar utilizando o FGTS diretamente no saldo devedor. Este pensamento está correto ou tem algum outro ponto que não consegui perceber?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Arthur, obrigado pela sua mensagem.

      Está corretíssimo. A vantagem do Pagamento de Parte das Prestações – PPP é ser a opção que libera mais dinheiro no curto prazo. Ela é adequada para quem está precisando de um alívio imediato no orçamento. A desvantagem é que você vai usar o FGTS para pagar também os juros e demais custos.

      Se você não precisa deste alívio, o melhor é fazer uma amortização extraordinária. Com ela você usa o FGTS integralmente para diminuir o saldo devedor. No médio e longo prazos, é o mais vantajoso financeiramente. Aí você precisaria decidir se reduz o valor da prestação ou o prazo. O alívio na prestação é menos volumoso, claro, mas é permanente, isto é, vai valer até o fim do contrato.

      Se quiser saber em quantos meses ou em quantos Reais seu contrato será reduzido, use nossa calculadora. O endereço é https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/.

      E se quiser ajuda para decidir o que seria mais adequado para você, nós oferecemos o serviço de consultoria com esta finalidade. Por meio dela, nós conversamos com você, conhecemos a situação do seu orçamento e seus objetivos, identificamos seu perfil e, claro, conhecemos os detalhes do seu contrato (taxa de juros, Custo Efetivo Total etc.). Aí nós fazemos cálculos, desenhamos os possíveis cenários (reduzindo prazo e valor), identificamos o que julgamos mais adequado para você e te apresentamos o relatório. E orientamos sobre como colocar em prática a estratégia, inclusive sobre como investir o dinheiro da forma mais adequada.

      Se tiver interesse, entre em contato novamente. Será um prazer ajudar. Abraço!

      Responder
  • Boa noite. Hj fiz uma compra de um lote; Dei uma entrada de 10 mil reais e o restante em parcelas de 781 reais. Acho que seriam em até 150 meses. à vista o lote saria por 60 mil reais. Fiquei com uma dúvida a respeito da amortização da divida: poderia efetuar o pagamento as últimas parcelas? isso pq a taxa de juros anual eh de 12%. ]lembro q num emprestimo pessoal eu conseguia pagar as últimas parcelas e com isso consegui economizar uma bela quantia, evitando assim os juros.
    Obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Samuel, obrigado pela sua mensagem.

      A compra foi pelo Sistema Financeiro da Habitação – SFH?

      Se foi, é possível fazer amortizações reduzindo prazo, sim. Se não foi, provavelmente é possível também, mas aí seria necessário ler o contrato e analisar as cláusulas de amortização extraordinária e quitação antecipada.

      Abraço!

      Responder
  • Everton, boa tarde!
    Eu tenho um contrato de financiamento imobiliário conforme dados abaixo:
    Valor Total do Financiamento R$ 210.596,92
    Prazo do Financiamento 420
    Valor do Saldo devedor atual R$ 205.155,64
    Prestação Atual 387
    Taxa de Juros Contratual: 8,7873
    Taxa de juros Nominal anual: 8,3712% a.a
    Taxa de juros efetiva Anual: 9,1499% a.a
    Sistema de Amortização SAC
    Prestação R$ 2.046,56 (vencimento em 06/01/2018)
    Seguros R$ 57,96
    Taxa Adm. 25,00
    Amortização: R$ 528,74
    Parcela atual: 33
    Recebi uma proposta de amortizar meu Contrato Habitacional reduzindo a taxa de juros em 0,25 pontos percentuais na Taxa de Juros Nominal que se dará em até 60 dias após o pagamento do boleto, e de forma automática. Com as simulações abaixo qual seria a melhor opção uma vez que consigo pagar a mensalidade sem problemas.

    Redução de prazo:

    Prazo Remanescente atual: 388
    Saldo Devedor atual: 205.684,39
    Prazo ramescente após amortização: 388
    Saldo devedor Renascente: 195.896,79
    Taxa de Juros Nominal do Contrato: 8,3712
    Sistema de Amortização do contrato: SAC
    Juros diários calculados na simulação: 12,4
    Taxa de juros reduzida na simulação: 8,1212

    Redução de encargo:
    Prazo Remanescente atual: 388
    Saldo Devedor atual: 205.684,39
    Prazo ramescente após amortização: 328
    Saldo devedor Renascente: 195.895,74
    Taxa de Juros Nominal do Contrato: 8,3712
    Sistema de Amortização do contrato: SAC
    Juros diários calculados na simulação: 11,35
    Taxa de juros reduzida na simulação: 8,1212

    Desde já agradeço.
    Obrigado
    Renara Martins

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Renara, obrigado pela sua mensagem.

      Essa situação não é muito comum… O banco te ofereceu reduzir a taxa? Você vai precisar fazer algo em troca? Por exemplo, contratar cartão de crédito, transferir o recebimento do seu salário, algo assim?

      De toda forma, para saber o que é mais vantajoso eu precisaria calcular o cenário futuro em cada uma das opções, além de conhecer melhor o seu perfil.

      Reduzir o valor tem a vantagem de fazer sobrar um dinheirinho a mais todo mês, que você deveria guardar para, daqui a um tempo, fazer uma amortização. Reduzir o prazo tem a vantagem de aumentar um pouco o valor da amortização mensal contido em cada prestação. Assim o saldo devedor cai um pouco mais rapidamente.

      Isto é, se reduzir a prestação, daqui a algum tempo você terá uma reserva financeira; se reduzir o prazo, daqui a algum tempo terá um saldo devedor menor. Para saber o que compensa mais eu precisaria calcular as projeções.

      Além disso, preciso conhecer seu perfil. Se você não tiver disciplina para guardar o dinheiro (caso opte pela redução da prestação), o mais seguro é reduzir o prazo…

      Oferecemos um serviço de consultoria, justamente para identificar o que é mais adequado para você. Assim, além de apontar a melhor opção, ainda te orientamos sobre como cuidar bem do seu dinheiro, visando fazer uma amortização (ou mesmo a quitação) no futuro. Se tiver interesse, entre em contato novamente, e lhe daremos mais informações.

      Abraço!

      Responder
      • Everton, obrigada pelo retorno.

        Sim a C.E.F me ofereceu essa redução disse que alguns clientes foram sorteados para participar da “campanha Habitação com desconto” , não preciso adquirir nem um outro tipo de redutor como cartão de credito, até por que esses redutores eu já tenho., a unica condição é que o boleto tem que ser pago com recursos próprios até o dia 20/12/2017. Minha intenção é de quitar esse financiamento no prazo máximo de 10 anos.

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Que bom, reduzir a taxa de juros é bom, independentemente da modalidade de amortização. E, para saber qual seria a melhor modalidade, como eu lhe disse é preciso fazer cálculos, levando em conta também o seu perfil. Se tiver interesse, fale conosco. Se preferir, pode usar o endereço [email protected]. Abraço!

          Responder
    • Everton tenho um finaciamento que de 105 mil hoje está com 75 mil tenho 25 mil de fgts para amortizar. Taxa administração 13 reais, amortizacao do mês 333 .juro 283 .hoje a parcela está em 628 número de parcela 74.
      Qual é a melhor opção. Taxa anual de juros 04.5000

      Responder
      • Ewerton Veloso

        Prezado André, obrigado pela sua mensagem.

        Para te dizer a melhor opção é preciso fazer os cálculos das duas opções (reduzir prazo ou valor da prestação) e comparar os dois cenários no futuro.

        Além disso, é preciso levar em conta o seu perfil pessoal. Isto é, os seus planos futuros, suas necessidades presentes, a situação do seu orçamento, sua condição de poupar para fazer novas amortizações.

        Para isso oferecemos o serviço de consultoria. Por meio dele eu posso conversar com você, conhecer seu perfil, depois fazer os cálculos e te apresentar os resultador, aí sim indicando qual seria a opção mais adequada, na nossa opinião. E te daria todas as orientações para colocá-la em prática, inclusive indicando boas formas de poupar visando as amortizações futuras, até a quitação. Se for do seu interesse, entre em contato novamente e te passo mais detalhes sobre o serviço. Se preferir, pode enviar e-mail diretamente para nós, no endereço [email protected]. Abraço!

        Responder
  • Boa tarde

    Meu noivo e eu financiamos um apto pela caixa em 05/2017, usamos o saldo do FGTS das duas (minhas e do meu noivo) contas, caso façamos o pedido para uso novamente dos valores das duas contas de FGTS para diminuir o valor das parcelas, como ficaria? É possível usar os dois FGTS para essa finalidade também?

    Responder
    • Quintiliano Campomori

      Prezada Jéssica, obrigado pela sua mensagem!
      Para amortização, há duas possibilidades: manter o tempo e reduzir as parcelas ou reduzir o tempo e manter o valor das parcelas.
      Vocês podem utilizar para amortizar a qualquer tempo após utilizar para a aquirir o imóvel. Após esta primeira amortização, vocês tem que aguardar por 2 anos para um a nova utilização. Com base no valor que vocês vão utilizar é que vai trazer a resposta de quanto a parcela irá diminuir. Para uma compra em conjunto, vocês podem utilizar o FGTS de ambos sem qualquer problema.
      Como vocês financiaram o apartamento em 05/2017 e estamos em 12/2017, vocês, não acumularam um saldo significativo. Talvez, valha a pena aguardar pelo menos 1 ano.
      Abraços,
      Quintiliano Campomori
      Educando seu Bolso

      Responder
  • Boa noite Ewerton. Primeiramente, parabéns pelo blog, é excelente.
    Gostaria de tirar uma duvida sobre um financiamento imobiliário que eu estou fazendo. Estou comprando um apartamento e vou financiar 100.000,00, porém eu só preciso de 50.000 mas o mínimo que da pra financiar é 100.000. A taxa é 10% a.a, o prazo é 360 meses, parcela na SAC começando em 1130 +-. Minha dúvida é, com os 50000 que vai sobrar eu amortizo no prazo ou diminuo a parcela? Não pretendo levar o financiamento até o final e o fgts já foi usado na entrada. Muito obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Anderson, obrigado pela sua mensagem!

      Para saber a melhor opção eu precisaria fazer os cálculos de cada um dos cenários e compará-los.

      Reduzir o prazo tem a vantagem de o saldo devedor diminuir mais rapidamente (já que o valor da amortização embutida em cada parcela mensal é maior). Reduzir a prestação tem a vantagem de sobrar um dinheiro a cada mês, que você deverá guardar, visando uma amortização futura.

      Se você não tiver disciplina para guardar dinheiro, não tenho dúvida em afirmar: reduza o prazo. Mas se você tiver essa disciplina, aí seria mesmo necessário fazer as projeções e comparar as duas situações para ver qual é a mais vantajosa.

      Abraço!

      Responder
  • Boa Noite!

    Estou buscando um crédito imobiliário e estou e dúvida em qual sistema utilizar. Price ou SAC.

    Vou financiar 155 mil e em média as prestações pelo sistema SAC são de R$ 1.750 reais, já no Price ficariam em R$ 1.450,00. A menor parcela para mim seria o ideal, pois além do valores investido, terei custos extras com documentação e obras.

    Gostaria de saber se no sistema price eu consigo reduzir as prestações pagando parte do saldo devedor, inicialmente preciso reduzir as parcelas, mas depois pretendo reduzir o prazo.

    No sistema SAC eu sei que consigo, reduzir as prestações ou reduzir o prazo de pagamento, que acredito que seja melhor opção.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Leonardo, obrigado pela sua mensagem.

      Sim, pelo Price você também consegue fazer amortizações extraordinárias, reduzindo o prazo ou o valor da prestação.

      Para quem pensa em levar o financiamento até o fim (sem amortizar nada), o SAC geralmente compensa mais. Mas para quem pretende fazer amortizações, uma boa estratégia pode fazer com que o Price compense mais. Vai depender de uma série de fatores, como a taxa básica de juros da economia e a condição do seu orçamento.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite, tava conversando com amigo e ele me orientou nao dar entrada nessa questao sobre financiamento de veiculo, tenho 10.000,00 disp. eu gostaria de saber se compensa mais eu dar de entrada ou financiar sem entrada e abater as ultimas parcelas?
    obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Anderson, obrigado pela sua mensagem.

      Seria necessário fazer os cálculos das duas situações. Para isso, é preciso saber as taxas de juros, eventuais tarifas cobradas e as condições do contrato para a amortização. A ideia seria financiar um valor maior e logo fazer uma amortização (“abater as últimas parcelas”)? Não me parece vantajoso. Um dos motivos seria que você já estará pagando mais IOF. Mas para avaliar a diferença seria necessário realmente fazer os cálculos. Abraço!

      Responder
  • Bom dia Ewerton,

    Tenho um financiamento na caixa e fiquei muito assustado quando soube que minha divida foi corrigida pela taxa TR, tomei um susto muito grande, foi falta de informação por minha parte.
    Devo atualmente 176 mil tenho 44 mil, quero abater no valor da prestação e a diferença usar para abater mensalmente 1 mil no tempo para diminuir minha divida,seria a diferença mais um complemento para formar os mil, minha prestação e de 1800 com uma taxa de juros de 8.04 e devo 323 prestações
    só que estou com duvida se isso seria o correto a fazer .

    atenciosamente :

    Edson ribeiro.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Edson, obrigado pela sua mensagem.

      Pois é, muitos leitores se assustam com a correção da TR, principalmente no início do contrato. Afinal, eles amortizam mensalmente, digamos, R$ 500, e a TR vem e “devolve” para o saldo devedor R$ 200. Assusta um pouco, mesmo.

      Atualmente (desde o final de agosto) a TR está zerada. Enquanto estiver assim, esse efeito da “devolução” não ocorre mais.

      Mas se você quer amortizar seu financiamento, para quitá-lo mais rapidamente, provavelmente é vantajoso, sim. Mas para dizer qual estratégia seria melhor, eu precisaria conhecer melhor a sua situação como um todo, preparar cálculos, desenhar os cenários e te apresentar aquela que seria nossa sugestão de ação. Este é nosso trabalho de consultoria. É um serviço pago, porque envolve algumas horas de trabalho. Mas pode ser vantajoso para você, porque adotar a melhor estratégia pode te fazer poupar, além de tempo, um dinheiro maior que o investido na consultoria.

      Se tiver interesse, entre em contato conosco novamente.

      Abraço!

      Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Edson, obrigado pela sua mensagem.

      Pois é, muitos leitores se assustam com a correção da TR, principalmente no início do contrato. Afinal, eles amortizam mensalmente, digamos, R$ 500, e a TR vem e “devolve” para o saldo devedor R$ 200. Assusta um pouco, mesmo.

      Atualmente (desde o final de agosto) a TR está zerada. Enquanto estiver assim, esse efeito da “devolução” não ocorre mais.

      Mas se você quer amortizar seu financiamento, para quitá-lo mais rapidamente, provavelmente é vantajoso, sim. Mas para dizer qual estratégia seria melhor, eu precisaria conhecer melhor a sua situação como um todo, preparar cálculos, desenhar os cenários e te apresentar aquela que seria nossa sugestão de ação. Este é nosso trabalho de consultoria. É um serviço pago, porque envolve algumas horas de trabalho. Mas pode ser vantajoso para você, porque adotar a melhor estratégia pode te fazer poupar, além de tempo, um dinheiro maior que o investido na consultoria.

      Se tiver interesse, entre em contato conosco, será um prazer atendê-lo.

      Abraço!

      Responder
      • Bom dia Ewerton,

        Obrigado pela atenção,entrarei em contato logo em breve,minha duvida foi esclarecida,um forte abraço.

        atenciosamente:
        Edson Ribeiro.

        Responder
  • Olá Ewerton, estou com uma grande dificuldade sobre amortizar um valor do meu financiamento. gostaria de saber mais sobre a antecipação de parcelas no sistema PRICE, eu tenho um financiamento de 360 meses.. o valor financiado foi de R$ 97.587,00. Hoje estou pagando a 35° parcela… o saldo devedor que mostra no extrato é 97.607,42… a parcela 35º está no valor de R$ 558,16.. R$ 135,07 de amortização R$ 405,96 de juros R$ 5,97 de correção monetária, R$ 11,16 de comissão pecuniária… o juros efetivo do financiamento é de 5,116 a.a. eu gostaria de amortizar R$ 20.000,00 do saldo devedor.. quantas parcelas iria amortizar ?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      César, obrigado pela sua mensagem!

      Por favor, me informe:

      -O banco em que você contratou o financiamento
      -Valor inicial financiado
      -Dia do mês em que as prestações vencem.
      -Taxa de juros nominal

      Com essas informações eu posso te dar uma estimativa do novo prazo.

      Abraço!

      Responder
  • Muito boa tarde.
    Estou com a seguinte situação:
    Tenho financiado 125mil na caixa via tabela price + pós-fixada.
    Já pague 15 parcelas.
    Descobri que meu saldo devedor hoje é de 125.700,00 e se eu for quitar hoje ficaria 126.650,00.
    Fui ao banco para perguntar porque ainda não comecei abater meu valor devido de 125mil, e fui informado que é por causa da TR, o valor da amortização é menor que os juros, então em vez de diminuir o saldo devedor, ele esta subindo.
    Minha duvida é:
    1 – Tenho atualmente 40 mil contando com o FGTS, seria mais vantajoso amortizar o financiamento diminuindo a quantidade de prestações?
    O financiamento é de 360 meses, se eu abater, ficaria faltando em torno de 150 parcelas.
    Ou
    2 – esperar mais 2 anos para quitar o financiamento inteiro?

    Porque essa duvida? por causa da TR minha prestação esta aumentando aos poucos e não sei se eu esperar mais 24 meses será abatido o valor devido que é 125 mil.
    Estou com receio de pagar as 39 parcelas e ainda continuar no saldo devedor de 125mil e não ter abatido nada, já que paguei 15 parcelas e nada foi abatido.

    Acho que se eu amortizar 40mil a TR vai ser menor correto?
    qual melhor opção?

    Obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Diego, obrigado pela sua mensagem.

      A TR está zerada desde setembro. Enquanto estiver assim, não haverá esse efeito de “devolver” ao saldo devedor nenhuma correção, então a tendência é que o saldo devedor comece a cair. Financiamento pelo sistema Price tem esse problema no início, depois o saldo passa a cair mais rapidamente.

      Para saber se compensa amortizar agora eu precisaria fazer cálculos, e para isso seria necessário conhecer mais sobre seu contrato. Principalmente a taxa de juros, para saber a composição da sua prestação.

      Nós oferecemos esse serviço. Ele é pago, porque, como eu disse, é necessário fazer cálculos, é um trabalho complexo. Mas geralmente é vantajoso para o cliente, porque permite enxergar e entender a situação do contrato e montar uma estratégia boa, que permite economizar bem mais do que o valor investido na consultoria.

      Se quiser saber mais, entre em contato novamente, será um prazer te ajudar a usar bem seus recursos.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite, em breve contratarei um financiamento imobiliário, mas antes queria tirar uma dúvida. Quando se pretende fazer amortizações extras, compensa mais contratar um financiamento pela PRICE ou SAC?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Éder, obrigado pela sua mensagem. Boa pergunta!

      Se nós olharmos SÓ O FINANCIAMENTO, em condições idênticas (mesmo prazo, mesmo valor financiado), o SAC é mais vantajoso, porque o saldo devedor cai mais rápido.

      Mas quando se leva em conta o que você vai fazer com o dinheiro que vai economizar na prestação caso opte pelo Price, aí a coisa pode mudar. Por exemplo: Vamos supor que a sua prestação inicial no SAC fique em R$ 2000, e no Price fique em R$ 1500. Suponhamos também que você vai guardar mensalmente a diferença (que começa em R$ 500, mas vai caindo mês a mês). Dependendo de como você vai aplicar esse dinheiro, pode ser que, quando for fazer a amortização, seu saldo devedor MENOS o valor da aplicação seja menor do que seria seu saldo caso optasse pelo SAC.

      Está vendo como é complicado? É preciso fazer cálculos levando em conta uma porção de coisas: as condições do financiamento, as condições para aplicar o dinheiro, a data em que se pretende fazer a amortização…

      Não é à toa que nós oferecemos uma consultoria específica para esses casos: https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Se tiver interesse, entre em contato novamente. Pode ser bastante vantajoso para você, pois pode te fazer economizar bastante.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, boa noite!

    Eu tenho um contrato de financiamento imobiliário conforme dados abaixo:

    Valor Total do Financiamento R$ 280.736,00
    Prazo do Financiamento 360
    Valor do Saldo devedor atual R$277.706,74
    Prestação Atual 355
    Vencimento do Primeiro Encargo Mensal: 28/04/2017
    Taxa de Juros Contratual: 8,7800
    Taxa Juros ao Ano: Nominal: 8,4175%a.a. Efetiva: 9,1499%a.a.
    CET: Mensal: 1,0031%a.m.
    Sistema de Amortização SAC
    Prestação R$2.841,33
    Seguros R$75,23
    Taxa Adm. 25,00
    Amortização: R$ 782,21?
    Parcela atual: 05

    Hoje tenho R$45.000,00 para reduzir, dúvida seria como todos;… é reduzir valor da prestação mensal ou reduzir tempo do financiamento??

    Minha situação pessoal…, estou indo morar no apartamento já com adequações e mobiliado.
    Busco pagar menos pelo financiamento…entretendo se a opção por redução da prestação for a melhor, vai ajudar para contingência das despesas fixas mensais, já que a prestação se torna uma pouco alta.

    Desde já agradeço.

    Obrigado
    Marco Vinícius

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Marco, obrigado pela sua mensagem.

      Você chegou a usar nossa Calculadora de Amortização? Ela te informa para quanto iria o valor da sua prestação, ou para quanto iria o prazo. Dê uma olhada lá, e veja se a redução da prestação atende à sua necessidade de alívio no orçamento. Se te atender, talvez esta seja a melhor opção para você.

      O endereço da calculadora é https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Caso ainda fique em dúvida, nós oferecemos o serviço de consultoria em financiamento. Ele serve justamente para chegar à opção mais adequada para você. Além de fazer os cálculos, nós conversamos com você, para entender exatamente a sua necessidade, estudamos todas as opções e te apresentamos a que nos parece mais adequada. Caso seja do seu interesse, entre em contato novamente. Abraço!

      Responder
  • Ewerton, parabéns pelo post. Só tenho a seguinte dúvida, no sistema SAC, quando se abate um financiamento pelo prazo, você tem certeza que todo o valor é destinado à amortização? Pois as últimas prestações também tem juros, embora muito pequenos. Sendo assim, a minha dúvida consiste em saber se os juros das últimas parcelas são pagas nesse abatimento, ou não?

    Obrigado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Grande Thiago, obrigado pela sua mensagem.

      Sim, quando se faz uma amortização extraordinária (seja reduzindo o prazo ou o valor da prestação), o valor é integralmente abatido do saldo devedor.

      Portanto, o raciocínio não é bem esse, “os juros das últimas parcelas são pagos no abatimento”, embora possa parecer.

      O cálculo é o seguinte: o saldo devedor se reduz; a taxa de juros permanece a mesma; e aí a pessoa escolhe qual das modalidades vai querer. Ou vai reduzir prazo mantendo o valor da prestação, ou o contrário: reduzir o valor e manter o prazo. E aí o financiamento é recalculado, com as novas condições acordadas na amortização extraordinária.

      Abraço!

      Responder
      • Obrigado pelo rápido retorno. Mas não consegui compreender ainda a parte dos juros, se são pagos ou não, caso a opção seja fazer um abatimento no prazo.

        Como exemplo, tenho um financiamento (SAC) junto à Caixa em que fiz um abatimento de R$ 10.000 no prazo. O número de parcelas reduziu, entretanto, o financiamento não reduziu os R$ 10.000 líquidos, e, sim, apenas R$ 9.200. Os outros R$ 800 foram pagos a título de juros.

        Portanto, embora ao realizar este abatimento não tenha tido incidência das taxas administrativas e do seguro, conforme é mencionado neste post, incidiram juros e o abatimento não foi líquido de todo o valor que eu paguei.

        Caso o cálculo da Caixa esteja errado, pois imaginava que não deveriam incidir juros ao realizar um abatimento no prazo, pretendo solicitar revisão deste contrato, caso esteja certo o raciocínio, encerro por aqui mesmo.

        Desde já agradeço tua atenção. Obrigado.

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Olá, Thiago.

          Achei meio estranha essa história. Nunca vi isso acontecer. Se quiser, eu posso olhar e tentar entender. Nesse caso, peço que me envie o boleto anterior à amortização, o boleto posterior e, se houver, algum documento da própria amortização (informando valor, data, saldos etc.). Meu endereço é [email protected].

          Abraço!

          Responder
        • Comigo também aconteceu isso. O segredo é você ir amortizar sempre na data que vence a prestação. Por exemplo: se a sua prestação vence todo dia 20 de cada mês, você vai até o banco no dia 20 e pede para gerar um boleto e vc paga com o saldo teórico atualizado naquele valor que consta na sua fatura. Assim , eles não cobram juros adicionais da TR do saldo devedor .

          Pra mim explicaram que como estamos amortizando antes de cair a prestação, então eles pegam o saldo devedor total e cobram juros por esses dias proporcionais. Porém a prestação daquele mês já vem amortizado,

          Portanto sempre que for amortizar, se programe para pagar o boleto da amortização sempre na data do vencimento da prestação para não pagar juros retroativos.

          Também não acho correto essa cobrança e posteriormente pretendo procurar alguém pra conferir os cálculos pra ver se foi cobrado algo a mais.

          Em junho fez nova amortização e desta vez efetuei o pagamento na data do vencimento da prestação e deu certo. Amortizou todo o valor.

          Se você vai pagar com recursos próprios essa é a melhor opção pra você, mas se for pagar com FGTS, procure ver o prazo que demora pra debitar o valor da conta e se programe para solicitar a amortização sempre com a data mais próxima da data do vencimento.

          Responder
  • Ewerton parabéns pelo blog!!
    Gostaria da sua ajuda!!
    Tenho um financiamento imobiliário pelo sistema SAC, Valor financiado: R$110.000,00 com taxa de juros de 8.51%, feito no prazo de 126 meses, Taxa de juros efetiva: 8.8499%
    Parcela atual: 17
    Saldo devedor atual: R$97213.58
    Juros do Mês: R$695,73
    Amortização do Mês: R$889,62
    Seguro: R$37,60
    Taxa: R$25,00
    Parcela: R$1647,95 (baixa cerca de R$6,00 por mês)

    Estou querendo usar R$35000.00 do FGTS para amortizar esta dívida, no intuído de diminuir o valor de juros pago, pois este vem aumentando nos últimos meses devido a situação do nosso país.
    O que você me aconselha a fazer? Qual o melhor meio?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Tatiane, obrigado pela sua mensagem!

      O forma mais adequada de amortizar varia de pessoa para pessoa. Para te responder, eu precisaria conhecer melhor a situação do seu orçamento, seu perfil pessoal, seus planos para o futuro. Em seguida, eu faria os cálculos das opções possíveis e veria qual é mais adequada para você.

      Nós oferecemos esse serviço. Além de apresentar a forma mais adequada de amortizar, ainda orientamos quanto à melhor forma de investir o dinheiro, visando uma nova amortização no futuro, ou mesmo a quitação.

      Se quiser conhecer, entre em contato conosco: [email protected].

      Abraço!

      Responder
  • Ola Ewerton, boa noite.
    Tenho um financiamento que hoje tem um saldo devedor de 106 mil reais, sei que utilizando o FGTS posso utiliza-lo de 2 em 2 anos para diminuir o tempo da divida. Gostaria de saber se posso fazer um abatimento do tempo de divida mensalmente, pois trabalho em 2 empregos, onde conseguiria mensalmente antecipar mais ou menos 1800 reais por mês por meus recursos proprios. Minha prestação atual é de 980 reais e faltam 27 anos para quitar.Obrigado e um grande Abraço!!!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Grande Sérgio, obrigado pela sua mensagem.

      Pode sim. A questão é que, em muitos casos, você precisa ir até a agência para fazer isso; em outros casos, não (isso depende do banco e até da agência, pois em algumas há pessoas dedicadas somente a isso, e resolvem coisas por e-mail e telefone). Então pode ser que dê um pouco de trabalho.

      Se no seu caso for necessário ir até a agência, e se o Custo Efetivo Total do seu financiamento não for muito alto, compensa você juntar o dinheiro alguns meses e depois fazer a amortização (em vez de ir todo mês).

      Mas vou te falar uma coisa que você nem perguntou. Talvez seja vantajoso fazer essa amortização diminuindo o VALOR DA PRESTAÇÃO, e não o prazo. Se você for um sujeito disciplinado, e dependendo das condições do financiamento, pode ser que seja mais rápido e mais barato do que amortizar diminuindo prazo. Não posso garantir, porque precisaria conhecer os detalhes do contrato e fazer alguns cálculos, mas em muitos casos é mais vantajoso.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton, muito boas suas explicações.
    Cai aqui procurando informações sobre uma situação específica, talvez você possa me ajudar?
    Tenho um financiamento direto com a construtora, restam 37 parcelas de 2100 (que são corrigidas pelo CUB e sobem razoavelmente rápido). O que estou tentando descobrir é se:
    1) Faço financiamento pela caixa, para economizar considerando juros mais baixo (não tenho certeza qual seria o ganho aqui)
    2) ou continuo com a construtora até o final?
    Obrigado!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Thomas, obrigado pela sua mensagem.

      Rapaz, depende das condições do seu contrato, especialmente as taxa de juros e as cláusulas de correção. Se elas forem altas, e seu contrato permitir a rescisão sem ônus, seria fácil responder: compensa ir para o SFH na Caixa.

      Mas, dependendo das condições, seria necessário analisar o contrato, depois comparar com as condições em que você conseguiria fazer um financiamento pela Caixa, e saber o que é mais vantajoso. Pode ser um trabalho um pouco complexo.

      Se tiver interesse em saber mais, entre em contato pelo e-mail [email protected]. Abraço!

      Responder
  • Olá! Boa tarde!
    Eu fui na Caixa para fazer a simulação da amortização.
    A minha intenção inicialmente seria abater durante um ano 80% da parcela atual. Porém, o atendente da Caixa fez duas simulações, a 1º seria para abater o montante, sendo que diminuiu uns R$130,00 em cada parcela, mas o prazo continuaria sendo 201 parcelas e no outro caso, diminuiria 90 parcelas e o valor da parcela diminuiu uns R$6,00. Eu perguntei para o atendente se as parcelas seriam fixas e ele disse que sim, porém se continuar fixa, se eu fizer o valor da parcela com a quantidade que ainda falta pagar, o meu financiamento irá ficar maior do que já esta.
    Você saberia me informar se mesmo eu fazendo a amortização as parcelas continuarão decaindo ou ficarão fixas?
    Meu valor para quitação é de R$45.000,00, falta 200 parcelas para eu pagar, valor da parcela R$418,00 o meu saldo do FGTS é R$14.000,00. Se eu optar por diminuir as parcelas irá cair para 111 no valor de R$410,00 cada parcela, agora se eu optar pelo montante, meu saldo cairá para 31.000,00 mas a quantidade das parcelas continuarão sendo 200 mas no valor de R$289,00. Mas se você levar em consideração se a parcela não diminuir no decorrer dos meses não compensará. Na primeira opção meu valor total do financiamento irá para R$45.510,00 e na segunda opção R$57.800,00.
    Agradeço a atenção!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Natália, obrigado pela sua mensagem!

      Pois é, achei estranha essa história de prestações fixas. Até te perguntei inbox se seu financiamento era SAC ou Price, você me disse que é SAC. No SAC as prestações vão caindo aos poucos. Ele te entregou a simulação? Não tem escrito lá o valor da última prestação?

      Outra coisa: você disse que preferia a opção do PPP – Pagamento de Parte das Prestações, abatendo 80% do valor das 12 próximas prestações. Você está precisando de uma quantidade maior de dinheiro agora? Porque se não estiver, a melhor opção é mesmo alguma amortização (pelo prazo ou pelo valor da prestação).

      Mas, para concluir: peço que confirme com a Caixa essa questão da prestação. Pode ter sido um mal entendido. Em financiamento SAC a prestação cai. Se a prestação ficasse fixa, realmente seu contrato sairia mais caro no final das contas.

      Verifique lá e, se quiser e puder, volte aqui para nos contar. Será um prazer.

      Abraço!

      Responder
      • Boa noite Ewerton!
        Obrigada pela resposta. Eu estava pensando antes nessa opção dos 80% pois não conhecia as outras, mas vendo as demais eu realmente vi que não compensa mesmo. Na simulação que fizeram só consta o valor da parcela e não de todas, eu vou digitalizar e enviar para você dar uma olhada. Vou também na Caixa tirar essa dúvida e te aviso. Mais uma vez obrigada pelo retorno! Bom final de semana!

        Responder
  • Ola Ewerton, tudo bem? Primeiramente gostaria de parabeniza-lo pelo site. Ajuda muito, mas gostaria dos seus comentários

    Eu tenho um financiamento pela Caixa Economica, conforme abaixo:

    Prazo do Financiamento: 360 meses
    Prestação Atual: 16
    Taxa de Juros Nominal: 10,0262%
    Taxa de Juros Efetiva: 10,5000%
    Valor do Financiamento: R$ 194.418,17
    Saldo Devedor Teórico: R$ 189.333,27
    Juros/Correção do Mês: R$ 1.586,50
    Amortização do Mês: R$ 549,49
    Seguro: R$ 57,08
    Taxa Adm: R$ 25,00
    Valor Tota da Parcela Set/17: R$ 2.218,07
    Sistema de Amortização: SAC

    Em outubro terei R$ 50.000,00 + aproximadamente R$ 15.000,00 de FGTS. Qual seria a melhor opção para mim? Investir esses R$ 50.000,00 ou amortizar o financiamento. No seu site mesmo, fiz uma simulação de investimentos em renda fixa, e num prazo de dois anos o melhor seria no CDB que renderia aproximadamente 16% em 24 meses.

    Caso a melhor opção seja amortizar, seria melhor amortizar a parcela ou o prazo?

    Consigo guardar cerca de R$ 1.500,00 por mês. Seria bom diminuir minha parcela, mas não é obrigatório.

    Uma outra dúvida sobre amortizar o valor da parcela, caso eu quite o financiamento nos próximos 5 anos, ainda sim, caso opte por amortizar o valor da parcela, eu pagaria mais juros do que amortizando o prazo?

    Muito Obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Sérgio, obrigado pela sua mensagem.

      Se sua taxa de juros anual é superior a 10% e a aplicação que você simulou rende 16% em 2 anos, então não é vantajoso manter o dinheiro investido. A única ressalva que faço é que você pense se é prudente deixar pelo menos parte desses R$ 50 mil como reserva para emergências.

      Quanto a amortizar reduzindo prazo ou prestação, vai depender do seu perfil e de sua situação.

      Como você disse “seria bom diminuir minha parcela, mas não é obrigatório”, pode ser uma boa amortizar reduzindo a prestação, mas mantendo o compromisso consigo mesmo de, a cada mês, economizar o máximo possível, visando justamente esse seu plano de quitar o contrato em 5 anos.

      Quanto à sua última dúvida, se você amortizar reduzindo o prazo, a prestação vai ficar no mesmo valor, certo? Então você pagaria mais amortização mensal e menos juros do que paga atualmente. Caso amortize reduzindo prestação, você paga menos amortização mensal e menos juros. Por isso seu saldo devedor cai mais lentamente do que reduzindo o prazo. Mas você economiza um dinheirinho a cada mês.

      Qual das duas é mais vantajosa, na ponta do lápis? Só consigo responder com exatidão fazendo os cálculos. É preciso levar em conta, para cada opção, o saldo devedor ao final dos 5 anos, os desembolsos de prestações e o valor economizado na opção de reduzir a prestação.

      Nós oferecemos o serviço de consultoria em financiamento. Por meio dela nós identificamos seu perfil, passamos a conhecer sua situação, seus planos, colhemos mais alguns dados e calculamos os cenários. Em seguida, montamos uma estratégia adequada para você e te apresentamos. E te orientamos sobre a forma mais adequada para investir o dinheiro, visando a sonhada quitação do financiamento.

      Se quiser saber mais, entre em contato: [email protected]

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, bom dia!

    Eu tenho um contrato de financiamento imobiliário conforme dados abaixo:

    Valor Total do Financiamento R$ 282.000,00
    Prazo do Financiamento 253
    Vencimento do Primeiro Encargo Mensal: 30/Jul/2015
    Taxa de Juros Contratual: 8,5500
    Taxa Juros ao Ano: Nominal: 9,000000%a.a. Efetiva: 9,380690%a.a.
    CET: Mensal: 1,0701%a.m. Anual: 13,6252% a.a.
    Vencimento do Contrato: 30/Jul/2036
    Sistema de Amortização SAC
    Saldo Devedor Teórico R$ 263.427,39
    Prestação 4.007,69
    Seguros 937,02
    Taxa Adm. 25,00
    Amortização: R$ ????
    Parcela atual: 26

    No próximo mês de dezembro terei R$ 30.000,00 de reserva, e tenho como poupar R$ 2.000,00 por mês. Qual das duas opções é a melhor: 1. Amortizar o prazo em dezembro. 2. Investir para quitar o financiamento. 3.Caso seja investir, qual o melhor investimento para o meu caso?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Luis, obrigado pela sua mensagem.

      Seu caso é diferente da maioria dos que chegam até nós. Sua taxa de juros não é tão alta, mas o CET é muito elevado, por causa do seguro.

      Meu primeiro impulso seria sugerir amortização pelo valor da prestação (e não pelo prazo), já que você parece ser uma pessoa com condição e disciplina para poupar. Acontece que, com esse seguro alto, o plano deve ser tentar quitar o mais rápido possível. Nesse contexto, o prazo de 253 meses (não tão elevado) torna atraente a amortização pelo prazo, porque o saldo devedor passa a diminuir mais rapidamente, e você vai se aproximando mais rápido do objetivo.

      Me desculpe se te confundi ainda mais. É que, no seu caso, o melhor é fazer cálculos para montar uma boa estratégia.

      Nós oferecemos o serviço de consultoria, que serve justamente para fazer os cálculos e montar a melhor estratégia. E ela envolve também a parte de investimentos, com as opções mais adequadas (em rentabilidade e liquidez) para você acumular o quanto antes o valor para quitar o financiamento. Se quiser mais detalhes, entre em contato pelo endereço [email protected].

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite,
    Tenho um financiamento via Caixa com saldo devedor de R$ 68.384,41 pelo sistema SAC.
    Já paguei 76 prestações e, atualmente tenho dinheiro para quitar o debito.
    Porem gostaria de utilizar o FGTS para amortizar o debito antes de quitar, porem tenho duvidas qual a modalidade de amortização devo utilizar: por prazo ou por prestação.
    Considerando que após a amortização vou quitar o débito, tem alguma opção mais vantajosa?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Renata, obrigado pela sua mensagem.

      Se você vai quitar logo após a amortização, não fará muita diferença uma coisa ou outra. Se for demorar uns dois ou três meses, em princípio acho melhor reduzir a prestação. Isto porque o valor que a prestação diminui geralmente é maior que o valor que o saldo devedor diminui, na opção de reduzir prazo. Abraço!

      Responder
  • Boa tarde, gostaria de tirar uma duvida, tenho um financiamento (PMCMV – CEF) Tabela SAC.
    Saldo devedor 140.000,00 a prestação por mês é +- R$1.349,00 (Juros A.A. 7,9536%) tempo de financiamento de 420 meses, atualmente estou na parcela 31.

    Tenho 60.000,00 para diminuir o saldo devedor, a minha duvida é a seguinte:

    1) Posso diminuir o saldo devedor e consequentemente diminuir o valor da parcela e continuar com o mesmo prazo de pagamento?

    2) Ou sou obrigado a diminuir o saldo devedor e obrigatoriamente diminui o prazo e a parcela continua no mesmo padrão…. + – 1.349,00

    Obrigado pela ajuda.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Kiki, obrigado pela sua mensagem.

      Opção 1. Você pode, sim, optar por diminuir o valor da prestação e permanecer com o mesmo prazo. Não é obrigado a diminuir o prazo, só se preferir.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, boa tarde!

    Eu tenho um contrato de financiamento na caixa e hoje fui amortizar R$ 6.000,00 e me informaram que minha prestação de R$ 1.483,10 iria para R$ 1.601,00 me disseram que o motivo foi porque escolhi redução de numero de parcelas, sinceramente não estou muito confortável com esta explicação, pois independente do tipo escolhido eu entendo que minha parcela deveria diminuir ou pelo menos e manter como estava, estou errada?

    Segue os dados do meu financiamento:
    Prazo do Financiamento 360
    Taxa de Juros Contratual 8,5101
    Sistema de Amortização SAC
    Saldo Devedor Teórico R$154.882,35
    Prestação 1.483,10
    Seguros 40,43
    Taxa Adm. 25,00
    Amortização: R$ 436,45
    Parcela atual: 6

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Agata, obrigado pela sua mensagem.

      Mais um caso… Isso está ficando irritantemente comum. Não se sinta mesmo confortável com essa “explicação” do banco. Tenho quase certeza de que está errado.

      Vamos ver se eu adivinho:

      -Seu banco é a Caixa?
      -Você disse que essa taxa de 8,5101% é a “Taxa de Juros Contratual” do boleto. Por acaso o boleto tem uma “Taxa de juros com relacionamento” próxima de 7,62%?

      Sugiro que você faça a simulação na nossa calculadora (https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/) e compare com a que o banco te deu. Se estiver muito diferente, modéstia à parte, a nossa provavelmente é a correta.

      Por favor, me dê mais notícias quando puder. Há muita gente recebendo simulação incorreta por aí, e tomando a decisão errada.

      Abraço!

      Responder
  • olá, fiz o financiamento imobiliário mcmv. na modalidade tabela price, meu saldo devedor ficou em 103.000,00 não quero ficar 30 anos pagando essa dívida, por isso quero todo ano injetar meu fgts que dá em torno de 5.000,00 por ano. qual a melhor opção de amortização no meu caso.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Raimundo, obrigado pela sua mensagem.

      Tentei entrar em contato com você por e-mail, mas ainda não tive resposta.

      Para saber a melhor opção de amortização é preciso saber mais informações sobre seu financiamento e sua situação, e assim fazer alguns cálculos um pouco complexos.

      Tenho uma proposta (para você e para QUALQUER LEITOR que tem financiamento PELO SISTEMA PRICE). Ofereço uma consultoria GRATUITA sobre seu financiamento.

      Caso seja do seu interesse, entre em contato pelo e-mail [email protected] para saber os detalhes da proposta.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde!
    Poderia fazer o cálculo no caso de uma amortização de R$ 15.000,00 (FGTS) com o objetivo de diminuir o prazo do financiamento e quanto ficaria o valor da prestação.

    Total: 300 parcelas
    Parcela atual: 62/300
    Taxa de juros contratual: 07,6600
    Saldo Devedor Teórico: R$ 97.345,91
    Juros do mês: R$ 623,99
    Amortização do mês: R$ 408,54
    Prestação: R$ 1.032,53
    Seguro: R$ 31,90
    Taxa administrativa: R$ 23,52
    Valor a pagar: R$ 1.087,95

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Cristina, peço desculpas pela demora. E o pior: não vou te dar uma resposta satisfatória. Minha especialidade é a estratégia financeira, não os regulamentos. Sua pergunta me parece relativamente simples, mas como as normas mudam com certa frequência, sugiro que você converse com o setor de habitação do seu banco, ou com alguém especializado na comercialização de imóveis.

      Responder
  • Olá! primeiramente parabéns por ajudar tantas pessoas tirando suas dúvidas.
    Preciso dessa ajuda também.
    Meu pai tem um financiamento abtacional pela caixa parcelas decrescentes, se ele pagar as últimas parcelas ele pagará somente o valor que é amortizado do saldo devedor e não pagará os juros o seguro e a cesta que está incluso nas parcelas ?assim diminui o saldo devedor certo ?
    O financiamento foi feito em 180 meses ele já pagou 66 parcelas faltam 114 meses ,vale a pena amortizar de trás p frente mesmo ele tendo um valor muito baixo para dar ex 500
    reais ?
    Saldo devedor atual -28,932,24
    Amortização por mês -138,64
    Seguros-138,64
    Taxa administrativa-25
    Prestação pagas 66

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Liliane, obrigado pela sua mensagem!

      Às vezes ouvimos as pessoas dizendo desta forma, “pagar as últimas parcelas”, ou “amortizar de trás para frente”. Na verdade não é bem isso que acontece, embora pareça. Sempre que a pessoa faz uma amortização extraordinária, está diminuindo o saldo devedor. A taxa de juros permanece a mesma. Aí ela precisa escolher se quer que diminua o valor da prestação (mantendo o prazo), ou que diminua o prazo (mantendo o valor da prestação).

      Quando as pessoas falam “pagar as últimas parcelas”, se referem a diminuir o prazo. Então, os meses que ela eliminar, não vai pagar seguros e taxa de administração. Se cancelar a conta corrente também não vai pagar a cesta de serviços. E, como o financiamento acaba, também não vai pagar juros.

      Mas para dizer se vale a pena amortizar, e qual modalidade escolher (prazo ou prestação), preciso saber mais. Saber não apenas a taxa de juros do financiamento, mas também o perfil da pessoa. Se a pessoa consegue poupar dinheiro a uma taxa maior que os juros que paga no financiamento, pode ser vantajoso não amortizar. Desde que, claro, ela CONSIGA poupar (e não vá gastar o dinheiro por aí). Se o financiamento é mais caro que a aplicação, então compensa amortizar. Se vai compensar amortizar pelo prazo ou pela prestação, também depende da disposição da pessoa em aplicar dinheiro.

      Tá vendo com a questão não é só de finanças, mas também de comportamento?

      Agora falando sobre o valor baixo da amortização. Se, ao levar em conta o custo de financiamento e a disposição do seu pai para poupar, vocês concluírem que o melhor é ir amortizando, então não importa se são apenas R$ 500. Vão criando o hábito de amortizar sempre, e antes do que imaginam podem estar livres do financiamento.

      Abraço!

      Responder
  • Olá, eu simulei no aplicativo uma amortização de 20 mil numa divida na caixa de 120 mil 420 prestaçoes de 1380 reais, as parcelas caiu drasticamente mas o valor mensal aumentou +-30reais, ou seja pagaria 1410 reais de prestação mes. correto isso?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Heleone, obrigado pela sua mensagem.

      É correto, sim. Um aumento de R$ 30 é o esperado num caso como o seu. Isso acontece porque o sistema do banco arredonda o número de prestações. Abraço!

      Responder
  • Ola! tenho um financiamento imobiliario na Caixa e hoje meu saldo devedor está em 119.000,00 para pagar em 35 anos, a uma taxa de 7,44%. Tenho 90.000 para quitar e mais uns 15.000 que não quero mexer no momento. Gostaria de saber se é melhor deixar os 90.000 aplicado até conseguir o montante suficiente para quitar ou amortizar na divida. Minha aplicação é letra de cambio imobiliário e estou pensando em investir no tesouro também.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Luciene, obrigado pela sua mensagem!

      Para saber se compensa amortizar logo, ou manter o dinheiro aplicado, seria preciso comparar o rendimento da sua LCI com o Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento.

      Essa taxa de juros de 7,44% é nominal ou efetiva? Se for efetiva, é possível que sua LCI esteja rendendo mais que o custo do financiamento, e aí é financeiramente mais vantajoso manter o dinheiro aplicado.

      Mas, veja bem: eu disse “é possível”. Para saber ao certo eu precisaria fazer cálculos, levando em conta os seguros, a taxa de administração, o número de prestações já pagas, além de incluir também alguns outros custos que não entram no CET oficial, mas têm que ser computados, como manutenção de conta, cartões, entre outros.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia!

    Tenho um financiamento imobiliário (SAC) parcelado em 360 meses, com taxa de juros em 9,15%, atualmente com saldo devedor de R$293.261,99, sendo que já paguei 36 parcelas até o momento. Em breve disporei de R$90.000,00 e pretendo diminuir a parcela e também o prazo do financiamento. Pensei em utilizar 60 mil para diminuir a prestação e 30 mil para diminuir o prazo. Vc poderia me orientar se isto é o melhor a se fazer ou teria outra forma mais vantajosa de utilizar este recurso previsto (venda de outro imóvel)?
    É importante ressaltar que é urgente diminuir o valor da parcela (R$3.021,60), vez que o orçamento está muito apertado por aqui.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Socorro, obrigado pela sua mensagem.

      Se é urgente diminuir o valor da prestação, então acho adequado destinar a maior parte do recurso para esse fim.

      Mas para eu te dizer se esta divisão (R$ 60 mil / R$ 30 mil) é A MELHOR forma, eu precisaria compreender melhor a sua situação. Saber a situação exata do seu orçamento, perceber a forma como você lida com suas finanças, saber seus planos para o futuro, entre outras coisas. E, então, fazer alguns cálculos. Para isto nós lançamos a Consultoria em Amortização. Por meio dela nós poderemos conversar, e então eu vou saber todas essas informações, realizar os cálculos e te apresentar nossa recomendação. Pode ser vantajoso para você, porque ao tomar a melhor decisão você pode economizar muito.

      E se quiser saber em quanto a amortização de R$ 60 mil diminui sua prestação, use nossa calculadora de amortizações: https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Abraço!

      Responder
  • Eweton bom dia !
    Eu queria tirar uma duvida que nao consigo simular na caixa pq é muito falho os sistemas deles pra isso…
    tenho uma parcela de 1960,00 e 12 anos para quitar a divida…
    Tenho no FGTS 23.000,00.

    Qual o melhor jeito de amortizar em PPP pagando apenas 20 % por 1 ano?
    Usar na amortização pra dimunuir o valor das parcelas ?
    Usar na amortização pra diminuir a quantidade de anos a pagar?

    Por favor consegue me ajudar nisso por favor?

    Obrigada

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Daniela, obrigado pela sua mensagem.

      Só para esclarecer, pois ficou um pouco confusa a primeira pergunta: na verdade são TRÊS opções. Amortização diminuindo valor da prestação, amortização diminuindo prazo, e PPP (que não é amortização).

      Para te dar uma resposta mais segura eu precisaria saber mais sobre seu financiamento, sobre o seu perfil (situação do seu orçamento, sua forma de lidar com dinheiro, seus planos), e precisaria fazer cálculos para comparar as situações.

      Minha primeira sugestão é você acessar nossa Calculadora de Amortizações e saber, gratuitamente, o efeito que cada opção de amortização teria no seu financiamento. O endereço é https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/. Isso já vai te dar mais informação, talvez te ajude a decidir.

      Mas caso não consiga se decidir, nós oferecemos também uma consultoria. Com ela nós podemos te conhecer melhor, saber todas aquelas informações de que falei acima, fazer os cálculos necessários e te orientar sobre como proceder. Pode ser vantajoso para você, porque é possível que, ao tomar a melhor decisão, você economize bem mais que o valor investido na consultoria. Se quiser conhecer, o endereço é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/

      Abraço!

      Responder
    • Tudo bem? Obrigado pelas Dicas Sr. Ewerton.
      Será que pode me dar uma luz. Tenho um financiamento de saldo devedor de 136.524 faltando 249 parcelas a uma taxa efetiva de 8,70 %.
      Tenho uma reserva de segurança de 52.000 na poupança. E consigo fazer um aporte mensal de 500,00.
      Será que vale a pena amortizar o financiamento ou continuar poupando até ter um montante maior?
      Obrigado pela ajuda

      Responder
      • Ewerton Veloso

        Luciano, obrigado pela sua mensagem.

        Rapaz, se os R$ 52 mil estiverem na Caderneta de Poupança, certamente não está compensando manter aplicado. Mas há outras opções de aplicação seguras e rentáveis que talvez compensariam manter aplicado.

        Num caso como o seu, só mesmo fazendo alguns cálculos. Porque, com essa taxa, o Custo Efetivo Total do seu financiamento deve estar próximo do rendimento de uma boa aplicação.

        Nós oferecemos um serviço de consultoria que pode ser muito vantajoso para você. Por meio dele nós conversamos com você, compreendemos seu perfil (a situação do seu orçamento, seus planos, a reserva de segurança adequada para você), realizamos cálculos e te propomos uma estratégia. Se for o caso, te orientamos sobre como investir o dinheiro de forma segura, prática e rentável.

        Pode ser muito adequado para você, porque o investimento é relativamente baixo, em comparação com o ganho que você pode ter ao tomar a melhor decisão. Se tiver interesse, entre em contato novamente!

        Abraço!

        Responder
  • Ewerton, tenho a seguinte dúvida, em um financiamento (SAC) de 140 mil, com 300 parcelas 1450, sendo que 450 são amortizados mensalmente e 1000 são juros, CET entre 9 e 10%, se eu antecipar uns 10 mil , para abatimento no tempo devedor, e não nos valores de parcelas. Nesse caso a parcela de 1450 do mês seguinte, a ser paga, continua amortizando só os 450 do meu novo saldo devedor? Ou aumenta a amortização (para 500, por exemplo), tendo em vista que os juros do saldo devedor diminuem? Obrigado e parabéns.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Fabrício, obrigado pela sua mensagem!

      A amortização mensal aumenta. Isto porque, se o valor da prestação mantém-se fixo, e o valor dos juros diminui (já que o saldo devedor diminuiu em R$ 10 mil), essa diferença é “completada” com mais amortização mensal.

      Abraço!

      Responder
  • OLÁ, BOM DIA!
    TENHO UM FINANCIAMENTO COM A CEF COM SISTEMA DE AMORTIZAÇÃO SAC, HOJE TENHO 10 MIL DE FGTS E GOSTARIA DE AMORTIZAR A DIVIDA, QUAL SERIA A MELHOR OPÇÃO NO MOMENTO? MEU SALDO DEVEDOR HOJE É DE 69,918,71 E JÁ PAGUEI 37 PARCELAS.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Lika, obrigado pela sua mensagem.

      A melhor opção (amortizar diminuindo prazo, diminuindo prestação, ou fazer o PPP – Pagamento de Parte das Prestações) depende de uma série de coisas: a situação do seu orçamento, a forma como você lida com suas finanças, seus planos, as condições do seu financiamento, entre outros. Não consigo te dar uma sugestão sem levar isso em conta. Se quiser, entre em contato novamente, com mais informações. Abraço!

      Responder
  • Boa tarde tenho um ano de fgts apos o financiamento. Quero amortizar nas proximas 12 parcelas para aliviar o orçamento tem possibilidade. Tenho 5700 no fgts

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Bruna, obrigado pela sua mensagem.

      Se vocês pretendem usar o FGTS dele para amortizar, isso só será permitido se o nome dele constar no contrato como um dos responsáveis pelo financiamento. Mas se ele for usar recursos livres, naturalmente é permitido, sim. Abraço!

      Responder
      • Contribuindo: Se o casamento for pela comunhao universal de bens é possivel usar o Fgts do conjuge, mesmo q o casamento tenha ocorrido apos a aquisicao. Precisar averbar o casamento na matricula do imovel.

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Márcio, muito obrigado pela contribuição!

          Não sou especialista nas normas de financiamentos, minha área é a estratégia financeira. É muito bom quando um leitor vem e ajuda outro.

          Abraço!

          Responder
  • Olá, o valor inicial foi de 127,000,00 hoje
    Tenho um saldo devedor de 93.000,00, referente ao meu financiamento habitacional. Há dois anos, amortizei 17 anos, utilizando o FGTS no valor de 30.000,00. Hoje posso utilizar novamente o recurso e pretendo chegar a 63.000,00, como saldo devedor. Como daqui há dois anos, pretendo quitar qual melhor amortização?
    01- Diminuir a parcela de 1.300,00 para 900,00 e continuar com 15 anos e saldo devedor de 63.000,00 02- continuar pagando 1300,00 e de dever apenas 6 anos e continuar com saldo de 63.000,00?
    Lembrando que daqui dois anos vou quitar!
    Obs.: Na primeira opção em dois anos ( 24x) vou desembolsar 31,200, na segunda, 21,600, não vi vantagem em diminuir o números de parcela?sabendo que em 2019 sera quitado?
    Agradeço desde já!
    Márcio.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Márcio, obrigado pela sua mensagem.

      Não consigo te dar uma resposta exata sem fazer os cálculos.

      Olhando seus números, já que você pretende quitar dois anos após a amortização, pode parecer mais negócio diminuir a prestação. Mas é preciso tomar cuidado. Não basta comparar os $21.600 da primeira opção com os $31.200 da segunda. Se fosse só isso seria muito fácil responder. É preciso levar em conta que, na segunda opção (diminuir o prazo), o saldo devedor ao final dos dois anos será menor que na primeira. Isto porque diminuir o prazo aumenta o valor da amortização mensal, portanto o saldo devedor vai diminuir mais rapidamente.

      Para situações como a sua, nós criamos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é destinado justamente a isso: fazer os cálculos e apurar se o melhor é amortizar pelo prazo ou pela prestação. Pode ser vantajoso para você, pois o que você ganha tomando a decisão mais correta pode ser bem mais do que o valor investido na consultoria. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/.

      Abraço!

      Responder
    • Daniel Meinberg

      Obrigado pela visita, Fabiana.
      Muito provavelmente vale a pena, sim. Lembre-se que o FGTS é um dinheiro seu e que, geralmente, sempre que se puder usar, use: é muito mal remunerado (3% ao ano +TR).
      Até a próxima.
      Equipe Educando seu Bolso

      Responder
  • Tenho um apartamento que falta 17 mil para ser quitado . No fundo de garantia tenho 28 mil . É vantagem eu usar o fundo para quitar o meu imóvel?
    Obrigada

    Responder
    • Daniel Meinberg

      Obrigado pela visita, Fabiana.
      Muito provavelmente vale a pena, sim. Lembre-se que o FGTS é um dinheiro seu e que, geralmente, sempre que se puder usar, use: é muito mal remunerado (3% ao ano +TR).
      Até a próxima.
      Equipe Educando seu Bolso

      Responder
  • Gostaria de uma ajuda, estou guardando mensalmente 2 mil reais no tesouro direto, e estou na duvida se devo utilizar esse dinheiro para amortizar meu financiamento. Estava pensando em juntar pelo menos 20 mil para poder fazer a amortização, mas também não sei se é ideal esperar juntar este valor, ou se é melhor abater mesmo que 10 mil.

    Segue os dados do meu financiamento:
    Prazo do Financiamento 173
    Taxa de Juros Contratual 8,3712
    Sistema de Amortização SAC
    Saldo Devedor Teórico R$164.030,12
    Prestação 2.124,37
    Seguros 46,99
    Taxa Adm. 25,00

    Responder
  • Olá, muito bom o post, meu caso é parecido mas o valor que disponho para amortização são recursos próprios e não FGTS. Normalmente eu guardo 2mil reais por mês até chegar a 20 mil e amortizo, mas comecei a pesquisar investimentos e passei a colocar esse dinheiro no tesouro selic, e agora estou em duvidas se a melhor opção é tirar esse dinheiro do investimento e amortizar, e se realmente devo juntar 20 mil, ou devo amortizar de 10 em 10 mil.
    Tenho um saldo de 166 mil reais de financiamento, e 220 parcelas. minha parcela atual é de 2200 reais.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Jully, obrigado pela sua mensagem!

      Para saber se compensa amortizar tudo, parcelado, ou manter o dinheiro aplicado, é preciso comparar o Custo Efetivo Total – CET do financiamento, com o rendimento líquido do Tesouro Selic. Para isso eu precisaria saber a taxa de juros e os outros custos do financiamento, e fazer cálculos.

      Para isso nós lançamos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Por meio dela nós conseguimos te conhecer melhor, saber seu perfil, saber a condição do seu financiamento, e fazer os cálculos. Com isso nós podemos sugerir uma boa estratégia, entre amortizar ou investir. E, se for o caso, te orientamos sobre como investir. Pode ser vantajoso para você, porque o que você pode ganhar adotando a melhor estratégia pode ser bem mais do que o valor investido na consultoria. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia.
    Tenho um financiamento na CEF de um apartamento, no plano SAC.
    Fiz uma amortização pequena na quantia de R$ 3.000,00, porem no boleto próximo não apareceu essa amortização e no saldo devedor houve um abatimento porem não chegou ao montante que eu amortizei.
    O correto é o valor total amortizado abater no saldo devedor ne?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Bárbara, obrigado pela sua mensagem.

      Estranho. Em princípio, sim. Deveria abater toda a amortização no saldo devedor. Você conversou com o banco para saber o que aconteceu?

      Responder
  • Olá, bom dia.
    Comprei um imóvel em 2011, dei 60K de entrada, financiei 212K, pelo Itaú, através do sistema PRICE (é o que diz o contrato). As minhas parcelas iniciaram-se em Dez/2011, no valor de R$2.600 (aprox.) e hoje estão em R$2.180 (aprox.). Meu esposo e eu temos hoje 30K no FGTS e pelas minhas previsões teremos 40K em Jan/2018. O que vale a pena fazer? Tenho a intenção de amortizar parte do saldo devedor (atual em aprox. 163K), a fim de baixarmos as parcelas. Existe alguma outra opção?
    A partir de quando teremos uma melhoria real (baixa) nas parcelas?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Lilian, obrigado pela sua mensagem.

      Ué, o financiamento é pelo sistema Price e as prestações diminuíram? Estranho. Vocês já fizeram alguma amortização extraordinária? Tem certeza de que é pelo sistema Price?

      De toda forma, o que vai valer a pena fazer depende de comparar o Custo Efetivo Total – CET do financiamento, com o rendimento líquido de uma boa aplicação. E existem outras opções, sim. Por exemplo, amortizar diminuindo o prazo, em vez de diminuir o valor das prestações. Para saber o que é mais vantajoso para você é preciso saber sua situação, seus planos e necessidades, e fazer alguns cálculos.

      Para isso nós lançamos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Por meio dela nós conseguimos te conhecer melhor, saber seu perfil, saber a condição do seu financiamento, e fazer os cálculos. Com isso nós podemos sugerir uma boa estratégia, entre amortizar ou investir. E, se for o caso, te orientamos sobre como investir. Pode ser vantajoso para você, porque o que você pode ganhar adotando a melhor estratégia pode ser bem mais do que o valor investido na consultoria. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite.
    Fiz o financiamento do meu imóvel pela caixa, e as parcelas são decrescentes. Quando começou eram 1.600, hoje está na casa dos 1.400. Agora queremos usar o saldo do FGTS para amortizar o saldo devedor. Porém, soubemos que quando fizermos isso, o valor da prestação volta para 1.600 . Não consegui entender o porque disso. Não estamos amortizando o saldo devedor? O correto não seria a prestação manter-se a mesma? Agradeço desde já sua atenção.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Márlon, obrigado pela sua mensagem.

      É realmente estranho. O que sempre vi ocorrer nos financiamentos da Caixa é a prestação se manter a mesma e o saldo diminuir, ou o contrário: o prazo se manter e a prestação diminuir. Inclusive nossa Calculadora se baseia nesse cálculo. Mas temos visto aqui nos comentários casos como o seu, em que a prestação aumenta mais que o usual.

      De toda forma, a lógica é essa, a amortização diminui o saldo devedor. Isto é lei. Se a prestação aumenta, o prazo precisa diminuir.

      Peço que me envie por e-mail, se você tiver, a simulação da amortização. Eu posso olhar e te falar se há algo estranho. Meu endereço é [email protected].

      Abraço!

      Responder
      • Ewerton, obrigado pela resposta.
        Descobri qual era o problema. Na verdade eram dois. O primeiro é que eu involuntariamente exagerei no valor. Na minha cabeça tinha aumentado para R$ 1.600, mas na verdade aumentou para 1500. A segunda coisa, é que, segundo quem me atendeu na caixa, esse valor de R$ 1500 é considerado a taxa de juros padrão de 8 e alguma coisa %, mas no meu financiamento tenho uma taxa menor (7,44%), por ter aberto uma conta na caixa. A nova prestação na verdade será baseada nessa taxa.

        Responder
  • Ewerton,

    Estou com uma dúvida,

    Fiz um financiamento de 160 mil ….. Juros 8% ao ano, tipo SAC ( Redução dos valores das parcelas conforme passar dos anos )

    Se eu for quitar meu saldo devedor, eles tem que dar um desconto ? Pois os juros ( mais altos que paguei no inicio ) do financiamento foram calculados pra 10 anos, porém se vou quitar com 5 anos, posso ter pago mais juros do que deveria ?

    Ou sempre os juros cobrados são decorrentes do saldo devedor daquele mês ?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Rafael, obrigado pela sua mensagem.

      O saldo devedor que vem no seu boleto já é sem os juros e outros custos. Se for quitar, é aquele valor ali que vale.

      E sim, o valor dos juros que você paga a cada mês é decorrente do saldo devedor do mês. Por isso a amortização é chamada de constante (apesar da correção da TR). A prestação cai porque o saldo devedor cai, o que faz com que os juros caiam também.

      Abraço!

      Responder
  • Olá, boa tarde!

    Meu caso é o seguinte: Possuo hoje um valor 100.000,00. Fui na agência da CAIXA e o valor para quitar é de 103.000,00, segundo o atendente não existe nenhum tipo de amortização de juros, disse que se eu fizesse o pagamento hoje, seria esse mesmo valor e se eu mantiver o financiamento pelos anos restantes (15 anos) permanece o mesmo valor. Gostaria de saber se a afirmação do atendente procede ou se tenho direito a amortização de algum valor referente a taxa administrativa e juros anuais.

    Agradeço e fico no aguardo.

    Abraço.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Emylaine, obrigado pela sua mensagem.

      Esse valor de R$ 103 mil já é sem juros e taxas. Não é o caso de falar em desconto. Se você não quitar e levar o contrato até o fim, vai ver que, aí sim, vai pagar muito mais que esses R$ 103 mil, por causa dos juros e outros custos.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite Ewerton, fiz um financiamento habitacional pela C.E.F, meu saldo devedor é de 100 mil e pago 603,00 de prestação, porem percebi que desse valor que pago da prestação apenas +/- 115 R$ vai para a amortização e +/- 480 R$ vai para os juros.
    Gostaria de saber se entrar com um advogado ou uma dessas empresas que reduz juros eu consigo quebrar esse valor absurdo de juros?
    Obs. fiz em 30 anos, pago mensal 603,00, paguei até agora 15 prestações…. E antes minha prestação era de 589,00 agora 603,00 não entendi o pq aumentou tambem.

    Abraços.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Alessandro, obrigado pela sua mensagem.

      Apesar de você achar que existe algo errado, ou algum abuso, não me parece haver nada errado, não. É assim que funciona no início do financiamento. A amortização mensal representa pouco, na prestação. E, a menos que exista algum erro no cálculo, não há nada que possa ser feito (advogado etc.).

      Mas não pense que entrou numa “roubada” com o financiamento. O que diz se é bom ou mau negócio é o Custo Efetivo Total – CET do contrato. O principal custo é a taxa de juros. Se ela estiver em um nível aceitável, pode ser uma boa. Eu tenho um financiamento imobiliário, e no início era assim, mesmo.

      Quanto à prestação ter aumentado, é porque o contrato fez aniversário recentemente. Repare que o aumento aconteceu na prestação 13, certo? Isso acontece porque, a cada aniversário, a amortização mensal é corrigida. É justamente isso que evita que haja saldo residual ao final do contrato. E é isso que vai fazer com que a amortização represente uma parcela maior da sua prestação, amenizando o efeito de que falamos no parágrafo anterior.

      Abraço!

      Responder
  • Olá, Werton.

    Gostaria de saber, depois que quantos meses eu posso abater o saldo devedor do financiamento? Com um mês de financiamento já posso abater?
    Quero abater parte do valor em dinheiro, eu tenho um bom valor para dar de entrada mas o banco só aceita 50% do valor como entrada, ou seja, assim que eu começar a pagar quero ir ao banco e abater o saldo devedor com a diferença que eles não aceitaram na entrada para diminuir o valor das parcelas.

    Abraço,

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Reinaldo, obrigado pela sua mensagem.

      Sim, você pode fazer uma amortização quando quiser. Um amigo meu, recentemente, quitou o financiamento poucos meses depois de contratá-lo. Abraço!

      Responder
  • Boa tarde,
    tenho um consorcio do valor de 28.806,00 e vou dar um lance de 25%. Gostaria de saber se é mais vantajoso abater o valor desse lance nas parcelas ou diminuir o prazo do consorcio.

    detalhes
    valor do consorcio 28.806,00
    tx adm 16%
    fundo reserva 3%
    Valor Saldo Devedor: 26.141,31
    Valores Pagos: 8.595,32

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Larissa, obrigado pela sua mensagem.

      Para saber o que compensa mais seria necessário fazer os cálculos, comparar as duas situações. E também conhecer seu perfil e sua situação. Para isso nós lançamos um serviço de consultoria. Pode ser vantajoso para você, porque o que você pode ganhar adotando a melhor estratégia pode ser bem mais do que o valor investido na consultoria. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?. Apesar de a página falar em financiamento imobiliário, pode servir para consórcio também.

      Abraço!

      Responder
  • Boa Tarde!!!

    Estou com 5 parcelas do financiamento da casa própria em atraso. Posso usar o FGTS para abater nas parcelas atrasadas.

    Abraços.

    Responder
  • Boa noite Ewerton! Estou com uma dúvida estou adquirindo um imóvel no valor de 120mil.quando assinei com a suposta construtora eu tinha conseguido 100% financiamento porém dei uma entrada de 1.500 quando fui a correspondente sei mais 1250 de FGTS ela fez uma simulação pelo sac .Porém na simulação relata que saldo devedor e 108 mil agora ela me fala que e 120 mil então não valeu a pena as entradas?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Taiane, obrigado pela sua mensagem.

      Pelo que entendi, seu financiamento não é pelo SFH, e sim direto com a construtora, certo? Se for isso, cada contrato tem suas condições próprias, para saber se está correto é preciso ler as cláusulas com atenção. Infelizmente, sem isso eu não vou poder te ajudar…

      Responder
  • boa tarde,
    fiz um financiamento imobiliario
    valor R$ 483.000,00
    taxa 8,46%a.a – SISTEMA SAC + correção TR – 30 anos
    já paguei 28 parcelas em média de R$ 4.900,00 = R$ 137.000,00
    e ainda devo R$ 468.900,00 está correto ?
    compensa amortizar ? ou investir?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Wagner, obrigado pela sua mensagem!

      O valor de R$ 468.900 me parece coerente. Não consigo afirmar que está correto, teria que fazer os cálculos, mas me parece coerente. No início do financiamento o saldo devedor cai mais lentamente mesmo, porque a TR corrige o saldo devedor (que, no início, é alto). Sugiro que veja quanto pagou de amortização mensal nesses 28 meses (em vez de multiplicar por 28 o valor integral das prestações). Repare que o número vai ficar um pouco mais próximo da redução do saldo. Não vai coincidir porque, como eu disse, a TR corrige o saldo.

      Se compensa amortizar ou investir também não consigo afirmar sem fazer cálculos. Para isso nós lançamos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Por meio dela nós conseguimos te conhecer melhor, saber seu perfil, saber a condição do seu financiamento, e fazer os cálculos. Com isso nós podemos sugerir uma boa estratégia, entre amortizar ou investir. E, se for o caso, te orientamos sobre como investir. Pode ser vantajoso para você, porque o que você pode ganhar adotando a melhor estratégia pode ser bem mais do que o valor investido na consultoria. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?.

      Abraço!

      Responder
  • Fiz um Financiamento pela CEF no pró-cotista e “limpei” meu FGTS na época, dando uma entrada em torno de 45 mil reais.
    Estou ainda no inicio, mas com essa crise, meu anseio por me manter segura é importante.
    Prestação mês 8
    Prazo 360
    Juros 8,5101
    Sistema: SAC
    Saldo devedor em 01/07/2017 — R$ 188.707,29
    Juros/Correção do mês: R$ 1.342,07
    Amortização R$ 535,39

    Prestação desse mês foi
    PRESTAÇÃO 1.877,46
    SEGURO 75,16
    TAXA ADM 25,00
    TOTAL: R$ 1.977,62

    Como a gente não sabe de mais nada nessa crise e sou sozinha, preciso muito ter uma reserva caso algo me aconteça.
    Atualmente esse valor consigo pagar, mas tenho filho e a empresa que atuo não está nada bem e vejo que a recolocação anda meio complicada, como já mencionei.
    Queria juntar um pouco por mês pra me ajudar caso algo aconteça, sabe. Sei que consigo agora durante os próximos meses reservar tipo um pouquinho para começar essa reserva.
    Gostaria assim, portanto, de sua orientação de um valor razoável para reserva que me segurasse uns 6 /8 meses caso ficasse desempregada para manter o pagto em dia das minhas prestações, bem como uma sugestão de como e onde aplicar, pois precisaria ser bastante conservadora.
    Desde já agradeço e adorei o blog aqui pra ajudar a gente!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Andréa, obrigado pela sua mensagem!

      Minha sugestão é um pouco óbvia: que você corte os custos que puder cortar, e reserve o máximo que conseguir. A reserva que vai te segurar por 6 meses é o valor dos seus custos mensais multiplicado por 6. Como eu disse, não tem muito segredo…

      Caso “algo aconteça” e você tenha FGTS, a forma de usá-lo no financiamento imobiliário que libera mais dinheiro no curto prazo é o PPP – Pagamento de Parte das Prestações. Ele permite que você use o FGTS para pagar até 80% das 12 próximas prestações. No longo prazo não é a melhor opção, porque você usa o FGTS para pagar a prestação toda, isto é, incluindo juros, seguros e taxa de administração (enquanto a amortização usa o FGTS para pagar apenas o saldo devedor); mas no curto prazo, como eu disse, é a que provoca a maior redução no valor da prestação, isto é, libera mais dinheiro para seu orçamento.

      Quanto a boas opções de investimentos conservadores, sugiro nosso Comparador de Investimentos, no link https://educandoseubolso.blog.br/compare-investimentos/

      Desejo boa sorte, sugiro disciplina e dou os parabéns por pensar no futuro nesse cenário complicado.

      Abraço!

      Responder
  • Ola meu caso e que fiz um financiamento na caixa R$ 164 mil em 420 meses o valor da prestação no inicio era de R$1,565 e hj esta R$1,515 paguei ate hj 36 prestações,
    porem fiz amortização de R$ 48 mil em recurso próprio e o saldo caiu para R$100 mil
    e a prestação simplesmente aumentou porque sera oque aconteceu?
    tipo SAC

    Responder
      • Ewerton Veloso

        Marciano, obrigado pela sua mensagem.

        Isso pode acontecer mesmo. Quando você faz uma amortização extraordinária, especialmente com redução do prazo, o sistema faz um arredondamento. Isto porque você não pode ter um financiamento com, por exemplo, 286,7 prestações. Ou são 286, ou são 287. Então, para fazer esse arredondamento, pode acontecer de a prestação aumentar um pouco.

        Só que eu achei seu aumento um pouco exagerado, mais de R$ 60. Pode ser por um outro motivo: algum resíduo entre o dia em que fecha sua prestação e o dia em que você fez a amortização. Me diga uma coisa: a prestação aumentou para R$ 1577 e ficou nesse nível? Ou depois caiu de novo, para perto de R$ 1520?

        Se você puder me enviar o último boleto antes da amortização e o primeiro depois dela, eu tenho interesse em olhar e tentar achar algum erro. Pode enviar por e-mail: [email protected]

        Abraço!

        Responder
  • Boa noite, primeiramente parabéns pelo blog, ajuda muito nas duvidas.
    Eu estou adquirindo um financiamento junto a caixa pela tabela Price, mas lendo alguns sites me preocupa a TR, você sabe em media quanto a TR aumenta +/- uma parcela mensal de R$1000,00, com saldo devedor de 140.000,00? Eu tenho lido que a TR fica em media de 2% a.a. procede? , Obrigado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Alyson, obrigado pela sua mensagem.

      Sim, estava em 2% ao ano, mas está baixando muito, com a queda da inflação.

      O quanto ela vai aumentar depende da parcela relativa aos juros, dentro desses R$ 1000. Isto porque a TR corrige o saldo devedor, e os juros mensais incidem sobre esse saldo. Suponhamos que, nesses R$ 1000, os juros representem R$ 700. Uma TR de 2% ao ano aumentaria em cerca de R$ 1,20 a sua prestação

      Num cenário de inflação baixa, sugiro que você não fique tão preocupado com a TR, mas sim com a taxa de juros do financiamento. Ela é o grande componente do Custo Efetivo Total – CET do financiamento.

      Abraço!

      Responder
  • Uma dúvida.

    Vou financiar 500 mil, por 420 meses, para completar a aquisição de uma casa, mas pretendo quitar todo o financiamento em 60 meses, quando receberei uma quantia semelhante.

    No caso de quitação antecipada, qual sistema é melhor? Sac ou Price?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Túlio, obrigado pela sua mensagem.

      Rapaz, não existe uma resposta pronta para sua pergunta. É preciso fazer cálculos de uma situação e da outra, levando em conta juros, seguros, estimativa de inflação e TR, e, ao final, comparar um cenário com o outro.

      Para isso nós lançamos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Uma das modalidades é justamente essa, comparar SAC com Price. Pode ser uma boa para você, porque o que você pode ganhar ao tomar a melhor decisão pode ser mais do que o valor investido na consultoria. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Abraço!

      Responder
  • BOA TARDE!

    Gostaria de saber a melhor opção para quitar a divida do apartamento.
    Estou pensando em todo ano efetuar a amortização no valor de 8.000,00.
    Qual seria a melhor opção;
    1- Aplicar este dinheiro para render juros durante um período de anos.
    2 – Fazer a amortização anual?
    obs. levando em consideração que tem o acréscimo da TR do saldo devedor.

    Saldo devedor e 86.000,00
    plano= SAC
    prazo =246 parcelas
    juros -4,500%a.a
    seguro FGHAB -14,75
    amortização -362,12
    juros-326,58
    prestações= 9ºparcela =704,71

    Agradeço!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Francisco, obrigado pela sua mensagem.

      No seu caso, posso responder sem fazer muitos cálculos.Já que seu financiamento é pelo Minha Casa, Minha Vida, é financeiramente mais vantajoso aplicar o dinheiro. O Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento deve estar em torno de 5,5% ao ano, e você consegue investimentos bons e seguros com rendimento líquido superior a isso.

      Se quiser ajuda para escolher o investimento, recomendo que visite nosso Comparador de Investimentos, no link https://educandoseubolso.blog.br/compare-investimentos/

      Mas, claro: é preciso DISCIPLINA para manter o dinheiro aplicado, sem cair na tentação de gastar.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia! tenho um financiamento imobiliário com um saldo teórico devedor de 34.000, quero realizar a amortização total do saldo, o banco me dá um desconto em cima dessa amortização? pois uma vez ao questionar a atendente da caixa, ela me informou que este valor já e com o desconto.”minhas prestações são com valores decrescentes.

    Agradeço pela resposta!!!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Kleyce, obrigado pela sua mensagem!

      O saldo devedor teórico é realmente o valor para quitação. No seu caso, os R$ 34 mil.

      Mas eu não diria que é o “valor com desconto”, mais exato seria dizer “valor sem acréscimo”, isto é, o valor real, sem o acréscimo dos juros, seguros, tarifas etc. Mas isso é só o modo de falar…

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite,

    Estava verificando minhas parcelas de financiamento e verifiquei q ela não está baixando. Começou com R1.155,00 e esta de julho estou pagando R$1.168,00, sendo que pela tabela de prestações me passada junto com o contrato era para estar em R$1.089,00. Sei que tem alguma coisa a ver com a T.R, mas queria saber se isso realmente pode acontecer pois a diferença das parcelas que estaria pagando hoje já daria quase 100 reais. Outra coisa é que meu saldo devedor também está diferente do valor da tabela era para estar em R$ 115.800,00 e ainda está em R$ 121.800,00 uma diferença de 6 mil reais. Pq o saldo não está baixando? E correto isto? Financiamento Caixa SAC.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Tiago, obrigado pela sua mensagem.

      É normal o saldo devedor aumentar, exatamente por causa da TR, conforme você mesmo disse. Ela corrige mensalmente o saldo devedor. Nessa época atual a TR está bem baixa, por isso a correção também baixou bastante, em alguns casos chegando próxima de zero.

      Quanto a aumentar a prestação, isso não deveria ocorrer. A não ser uma vez por ano, quando o financiamento completa aniversário. Nesse caso a amortização mensal é corrigida, para que não haja saldo devedor ao final do financiamento.

      Suas prestações vêm aumentando todo mês? Ou ia diminuindo aos poucos, e em um determinado mês deu um salto? Se ela deu um salto, verifique se o número da prestação anterior ao salto é múltiplo de 12, isto é, se era mês de aniversário. Se era, pode estar tudo correto. Se não era, é estranho.

      Se quiser e puder, entre em contato novamente, com mais informações. Nós verificamos se algo nos parece errado.

      Abraço!

      Responder
      • Ewerton, boa tarde.

        No caso deste saldo devedor estar aumentando, faz correr o risco de quando eu terminar as minhas prestações e ainda ficar devendo? Ou este valor vai zerar no final da ultima prestação e minha prestaçao que não vai abaixar? Verifiquei que a minha menor prestação foi de R$ 1.143,00 nos utimos 18 meses e como falei anteriormente minha prestação era para estar em R$ 1.089,00 porque não está baixando? Verifiquei no demonstrativo de quitação de 2016 que aparecem juros de mora em 3 meses do ano e multa e é cobrado no mês seguinte, não entendo esta multa pois é debito automátcio. Verifiquei também que aparece no boleto uma Diferença Prestação Emitida acredito que são estes valores que estão fazendo aumentar. Mas aquela tabela de valores das prestações passado junto com o contrato deve ser seguida ou ela pode ser alterada? Pelo que tinha vistp na tabela baixaria R$ 2,00 em cada prestação e até hoje o maximo que baixou foi doze reais é correto?
        Obrigado.

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Vamos por partes!

          No Sistema Financeiro da Habitação não existe o risco de haver saldo residual ao final do contrato, porque a amortização mensal é corrigida. Alguns bancos, como a Caixa, corrigem isso uma vez por ano, no aniversário do financiamento. Outros corrigem todo mês. Algumas décadas atrás acontecia isso: a pessoa devia 100, pagava 200 e no final ainda estava devendo 300. Agora não tem mais isso.

          Juros de mora e multa não deviam acontecer, a menos que você atrasasse o pagamento. Tendo ocorrido débito automático todos os meses, na data certa, não deveria haver multa e juros de mora.

          A tabela fornecida no início do contrato é teórica. Mas as prestações reais só podem estar mais altas que o previsto na tabela por causa da correção da TR, isto é, apenas alguns Reais a mais, a cada mês.

          Responder
      • Ewerton Veloso

        Aumentou muito em relação à tabela? Ou apenas alguns Reais? Aumentar um pouco é normal, por causa da TR; ela corrige o saldo devedor, e quando os juros incidem sobre o saldo, dá um valor um pouco maior.

        Responder
  • Ewerton, boa noite.
    Fiz um financiamento pela Caixa a menos de 05 anos. Atualmente tenho um saldo devedor de R$ 97.000,00. Pago atualmente R$ 1.030,00 (prestação decrescente), por mês. Gostaria de usar o FGTS no valor de R$ 40.000,00 mas tenho dúvida se utilizo para abater o saldo devedor ou abato o número de parcelas. Meu maior problema hoje é o valor da prestação (R$ 1.030,00).

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Flávio, obrigado pela sua mensagem.

      Para te dar uma resposta rápida, se seu problema é o valor da prestação, me parece melhor diminuir o valor das prestações. Se você precisa MUITO de um bom abatimento, a opção que libera mais dinheiro no curto prazo não é a amortização, e sim o PPP – Pagamento de Parte das Prestações. Essa modalidade alivia mais no curto prazo, mas é desvantajosa no médio e longo prazos.

      Mas o melhor mesmo é, em vez de dar uma resposta rápida, dar uma resposta completa. Para isso é necessário não apenas fazer cálculos, mas conhecer melhor seu perfil, sua situação, sua capacidade para poupar, sua condição de acumular FGTS etc. Para isso lançamos um serviço de consultoria. Ele envolve tudo isso, os cálculos, o entendimento do seu perfil, e até uma orientação quanto à melhor forma de cuidar do valor que a amortização permite economizar.

      É um serviço pago, mas o valor que você pode ganhar investindo bem esses belos R$ 40 mil pode ser bem maior do que o investimento na consultoria. Pense nisso, pode ser vantajoso para você. Caso se interesse, entre em contato novamente, será um prazer.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde

    Gostaria de amortizar meu financiamento imobiliário utilizando as contas ativas do FGTS meu e de minha esposa, porém o banco quer me cobrar uma taxa de avaliação (R$ 1.000,00 !!) do imóvel para verificar se ele se enquadra no limite máximo de R$ 950.000,00, o valor do imóvel no contrato é de R$ 650.000,00. Questionei na Caixa e me disseram que não é necessária nenhuma “reavaliação”, o que está correto?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      André, obrigado pela sua mensagem.

      Taxa de avaliação para que? Para você fazer a amortização? Para usar as contas do FGTS? Nunca ouvi falar nisso. O financiamento é pelo SFH? isso é realmente novo para mim. Se quiser e puder, conte mais sobre isso, vale até fazer uma “propaganda” do banco.

      Abraço!

      Responder
  • BOA TARDE!
    fiz compra de uma casa no valor de 100.000,00 com 1 parcela a pagar no mes de julho de 2017
    plano= PRICE
    sendo que dei 12.000,00
    o saldo devedor e 88.000,00
    prazo =360 parcelas
    juros -4,500%a.a
    CET-4,0549%
    CESH-2,4233%
    seguro FGHAB -16,82
    juros efetivo +TR =4,5939a.a +TR%
    amortizacao -115,88
    juros-330,00
    prestacoes= 1ºparcela =482,71 fixa
    ultima parcela =462,80
    queria saber o seguinte: tenho um terreno pra receber no final do ano no valor de 30.000,00
    queria saber qual a melhor forma de usar esse dinheiro para movimentar o saldo da casa que vou comecar a pagar! qual melhor! pagar o saldo e qual seria a quantidade de parcelas pagas, e qual valor ficaria a parcela e o saldo da casa,ou,se e melhor pagar as parcelas do ano pra ficar livre o inicio da casa sem pagar boleta ainda e diminuir as parcelas no comeco? qual o melhor quitar o saldo e qual valor que ficaria pra frente?ou pagar a boleta para diminuir a parcela por mes durante quanto tempo de reducao pra nao apertar o mes a mes? qual o melhor? e faz uma simulacao dos valores que ficaria entre as duas dicas!obrigado!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Bruno, obrigado pela sua mensagem.

      No seu caso, o que financeiramente mais vantajoso é investir o dinheiro em uma aplicação segura, líquida e rentável. Isto porque o custo do seu financiamento (o chamado Custo Efetivo Total – CET) do seu financiamento é mais baixo do que o rendimento de boas aplicações.

      Mas isso, claro, requer disciplina. Você não pode cair na tentação de gastar o dinheiro.

      Quanto às outras opções que você menciona, para saber qual é a melhor seria necessário fazer uma série de cálculos.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton Veloso bom dia!
    Fazendo a simulação de amortização, encontrei no site uma nova prestação de R$ 815,00.
    Na caixa o valor ficou em R$859,00. Essa diferença é prevista?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Andre Luis, obrigado pela sua mensagem.

      Pode haver alguma diferença, devido ao arredondamento do número de parcelas, ou devido ao dia em que a amortização é calculada. Neste caso, por causa da diferença dos dias dentro do mesmo mês.

      Mas achei a sua diferença um pouco grande. Quase 5%. Se quiser e puder, peço que nos envie os dados que você informou na calculadora, para que possamos avaliar. O e-mail é [email protected]

      Abraço!

      Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Cesar, no boleto da prestação geralmente vem escrito. No da Caixa, com que tenho mais familiaridade, fica em um quadro no lado esquerdo do boleto, “Saldo devedor teórico em XX/XX/XX”

      Abraço!

      Responder
  • boa tarde gostaria de saber se a amortização do mês é a que é descontado no saldo devedor

    exemplo devo 105.917,62 amortização é de 586,50 o próximo mês o saldo devedor é de 105.410,13 na minha conta deu 105.331,12 só descontaram 507.49 esta certo a conta o empréstimo é pelo (sac)

    obrigado

    Responder
  • Parabéns pela matéria, principalmente pela calculadora de amortização.

    Toda vez que quero fazer uma amortização tenho que mandar email pro meu gerente, que demora dias para responder. Ligo na agência e ele nunca está ou não pode atender o telefone, ou seja, é uma tortura lidar com ele. Estou extremamente insatisfeito com o atendimento que venho tendo. Não sei se por culpa dele ou da CEF que sobrecarrega o funcionário.

    Pretendo realizar amortizações mensais, mas esta dificuldade que relatei vem me desanimando.

    Você sabe se existe uma outra forma de solicitar amortização junto a Caixa Econômica Federal?

    Muito grato
    Fabio Lucio

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Fabio, obrigado pela sua mensagem.

      Infelizmente não conheço outra forma. Quando fiz minhas amortizações foi assim. Mas eu tive mais sorte que você com minha agência, fui bem atendido. Mas não precisei falar com o gerente, e sim com o pessoa que lida diretamente com habitação. Minha sugestão (não como consultor, mas como mutuário) é ir pessoalmente à agência e tentar identificar algum funcionário que possa te atender melhor.

      Boa sorte. Abraço!

      Responder
      • Olá Ewerton, muito grato pela resposta
        Fiz contato com a Central de Atendimento da CEF e me informaram que pelo tel3004-1105, na opção 7, é possível solicitar o boleto para amortização.
        Ainda não usei, mas fica a dica.

        Grande abraço e, mais uma vez, parabéns pelo blog

        Responder
  • Olá, fiz um empréstimo lote com construção em 2014 e ate o dia de hoje estou pagando as prestações debito em conta só que não estão amortizado e também descontam todo mês 400,00 de taxa de engenheiro fui na caixa e eles alegam que a casa esta em obra ainda enquanto eu não averbar a casa no cartório e levar ate a caixa pra dar baixa .
    E a caixa me informou que eu não pego esse dinheiro que já paguei porque é juros do empréstimo isso é certo?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Rodrigo, te peço desculpas por não poder te ajudar. minha especialidade é a parte de estratégia financeira, e não de regulamentos. Nos casos mais simples eu consigo sugerir algo, mas seu caso é mais específico, pois envolve obra, engenheiro etc. Sugiro que consulte alguém especializado nos regulamentos.

      Conto com sua compreensão, e agradeço por ela. Abraço!

      Responder
  • Depois de muitos meses tentando, conseguir acessar a App Caixa Habitação. Tentei em um celular que nunca havia instalado o app. Assim quando eu o instalei, ele pediu para ser atualizado. Atualizei. Fui em esqueci minha senha. Cadastrei os dados corretamente (e-mail não pode estar em letra maiúscula). Recebi o código de ativação no e-mail. Cliquei em validar o acesso e cadastrei uma senha com letra maiúscula e minúscula e d números (8 dígito ao todo) cliquei em avançar e deu uma mensagem de erro. Cliquei em avançar novamente e exibiu uma mensagem falando que o usuário já estava cadastrado ( ou algo parecido). Daí tentei fazer o login e deu certo.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Dalles, obrigado pela sua mensagem.

      Que saga, hein? Eu também acho a Caixa bem complicada nesse sentido. Algumas seções do site ficam fora do ar com frequência, algumas coisas não funcionam, outras ficam bastante escondidas. Mas, às vezes, é a melhor opção, principalmente em financiamento imobiliário. Em muitos casos é lá que se encontram as melhores taxas. E aí o mutuário precisa exercitar um pouco sua paciência. Mas, dependendo do quanto se economiza, compensa muito.

      Abraço!

      Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Michelle, obrigado pela sua mensagem.

      Depende do perfil da pessoa, da situação do seu orçamento, das condições do financiamento, dos seus planos para o prazo de quitação, enfim, de uma série de coisas.

      Por exemplo, tem muita gente que tem o orçamento mais apertado, e por isso precisa optar pela Price, que tem parcelas iniciais mais baixas. Outros optam pela SAC com um prazo maior, com juros maiores no início, mas têm plano de quitar o financiamento em poucos anos. Entende? Depende muito…

      É por isso que o Educando Seu Bolso oferece um serviço de consultoria que tem, como um dos produtos, justamente interpretar esse tipo de situação. O serviço tem um custo, porque envolve uma conversa pessoal para conhecer seu perfil, e uma porção de cálculos, comparando as diversas situações. Mas pode ser muito vantajoso para você, pois o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa decisão pode oferecer.

      Se quiser conhecer, o endereço é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia! Parabéns pelo texto.
    Eu tenho uma dúvida. Estou pleiteando um financiamento de 255.000,00 pela caixa pelo pro cotista, com jutos de 9,88% (Com a TR) ao ano. As parcelas são entorno de 2.200,00 ao mês. Daí destes 2.200,00 por mês, uns 700,00 é amortização da dívida e uns 1.500,00 são juros calculados para os 35 anos.
    Agora se por exemplo, todo ano eu pagar as parcelas de aproximadamente 2.200,00 certinhas, e no final do ano eu ainda sobrar com uns 20.000,00 de renda e quiser adiantar a quitação do financiamento…. Aquelas parcelas de 2.200,00 que eu tinha pago deixa de ser 700,00 de amortização e 1.500,00 de juros? Pois se eu estou diminuindo o prazo se financiamento, teoricamente deveria amortizar mais a dívida e pagar menos juros do que já foi pago, ou seja, por exemplo, passaria a ser uns 900,00 de amortização e uns 1.300,00 de juros…

    Responder
    • Outra dúvida. Vamos supor que eu consiga pagar as parcelas mensais e ainda sobre com uma renda de uns 1.000,00 extra. Compensa todo mês usar estes 1.000,00 para ir diluindo a dívida, ou compensa juntar um ano por exemplo, 12.000,00 para fazer a diluição? Tem alguma diferença?

      Responder
      • Ewerton Veloso

        Rapaz, aí é preciso fazer cálculos. Você disse que o financiamento tem “juros de 9,88% (com a TR)”. Achei um pouco estranho isso. Não seria 9,88% MAIS a TR? Ou eles estimaram a TR?

        De toda forma, para saber o que compensa mais é preciso comparar o Custo Efetivo Total – CET do financiamento, e o rendimento líquido que você consegue com uma aplicação segura e líquida.

        O Educando Seu Bolso oferece um serviço de consultoria que tem, como um dos produtos, justamente cuidar desse tipo de situação. Fazemos os cálculos levando em conta todos os custos – inclusive alguns que os bancos “se esquecem” de incluir no cálculo – e encontramos aplicações rentáveis que se encaixem na sua renda extra, inclusive te orientando sobre como cuidar dela. Se quiser conhecer, o endereço é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?. Pode ser vantajoso para você, pois o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa decisão pode oferecer.

        Abraço!

        Responder
    • Ewerton Veloso

      Rafael, obrigado pela sua mensagem! Gostei muito dela.

      Perfeito raciocínio. É isso mesmo. Se você amortiza diminuindo o prazo, a prestação permanece a mesma (ou próxima disso) e, assim, a parte de amortização mensal aumenta, e a quantidade de juros mensais diminui. E é assim que o financiamento termina antes, pois você amortiza mais rápido.

      Só não consigo dizer se seria essa proporção que você disse, 900,00 e 1300,00, mas o raciocínio está perfeito.

      Abraço!

      Responder
  • Olá, compareci à CEF para simular minha situação com redução do prazo ou redução da parcela. O que me assustou foi constatar que ao optar por reduzir o prazo o valor da parcela aumenta. Lendo vários posts eu tinha a impressão de que o valor permaneceria o atual. Praticamente, exceto pelo fato de ser dinheiro do FGTS que rende menos que o juros praticado no contrato (7,72% a.a.), a amortização não ocorre sobre o valor do principal, mas sobre a dívida. É isso mesmo?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Alessandro, obrigado pela sua mensagem.

      Se o financiamento for pelo Sistema Financeiro da Habitação – SFH, a amortização ocorre sobre o valor do principal. É comum que a prestação aumente um pouco, nas amortizações com redução de prazo, devido ao arredondamento. Por exemplo: suponhamos que, após o cálculo, seu prazo caia para 143,2 prestações. Não existe esse “vírgula duas” prestações. Então o banco pode arredondar para 143 prestações e, com isso, o valor da prestação aumenta um pouco. Mas só um pouco.

      Se quiser, envie por e-mail os dados que o banco te forneceu, nós analisaremos aqui e te falaremos nossa impressão. Meu e-mail é [email protected].

      Abraço!

      Responder
  • Tudo bom? Minha pergunta é bem simples.
    Meu financiamento é pelo método price.
    Pago as mensalidades com uns 25 dias de antecedência. Isto ocorre todos os meses.
    Quando eu tinha um financiamento de um veículo eu fazia a mesma coisa: adiantava o pagamento sempre, e tinha um bom desconto…
    Na habitação isso também ocorre? Se sim, como faço para obter o boleto com o desconto?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Rafael, obrigado pela sua pergunta.

      Se for pelo SFH, normalmente, pelo que eu saiba, os bancos não oferecem desconto por pagamento antecipado. Não há impedimento para que isso ocorra, mas não é o mais comum. Sugiro que entre em contato com seu banco e se informe. Abraço!

      Responder
  • Boa noite, realizei o financiamento de um terreno pela tabela price, com prazo de 144 meses e taxa de juros de 1% ao mês já calculadas no valor da prestação, que sofre atualização mensal apenas pelo IGPM. Já foram pagas 16 parcelas, sem contar a entrada, e o saldo devedor permanece quase que inalterado. Nesse meio tempo obtive um aumento substancial em minha renda, minha dúvida é: devo adiantar o pagamento das últimas prestações ou devo juntar o dinheiro para pagar o saldo devedor de uma única vez?
    Att.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Flávia, obrigado pela sua mensagem.

      É preciso ver o que diz o contrato em relação às amortizações e, em seguida, fazer os cálculos. Se você puder fazer amortizações de forma semelhante à do SFH, a princípio me parece mais vantajoso amortizar o quanto antes, pois dificilmente você conseguirá uma aplicação segura e líquida que renda o equivalente à taxa de juros do seu financiamento (1% + IGPM).

      Mas, como eu disse, uma resposta mais exata depende de ler o contrato e de fazer cálculos. O Educando Seu Bolso oferece um serviço de consultoria que tem, como um dos produtos, justamente interpretar esse tipo de situação. Se quiser conhecer, o endereço é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?. Pode ser vantajoso para você, pois o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa decisão pode oferecer.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, parabéns pelo seu artigo e respostas nos comentários.
    Minha dúvida é em relação a como funcionam as mecânicas de amortização; pelo jeito há duas “opções”, 1) saldo devedor (reduz parcela) e 2) pagar últimas parcelas (reduz prazo).

    A opção (2) creio ser auto explicativa, mas a (1) eu não entendo muito bem – supondo que eu decida amortizar uma certa quantia, ela é simplesmente abatida do meu saldo devedor e as parcelas subsequentes são recalculadas? Em outras palavras, o novo saldo devedor após amortização dividido pelo número de parcelas restantes, juros calculados de acordo?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Vinícius, obrigado pela sua mensagem e pelos elogios.

      É mais ou menos isso.

      Um contrato de financiamento tem 3 elementos principais: Valor financiado (saldo devedor), prazo e taxa de juros. A partir deles, calcula-se o 4º elemento: o valor da prestação. Quando você faz uma amortização extraordinária, você reduz o saldo devedor. A taxa de juros vai sempre permanecer a mesma. Aí você precisa escolher qual dos dois elementos vai permanecer o mesmo, e qual vai diminuir: o prazo ou o valor da prestação. A partir da sua escolha, o contrato é recalculado, e você tem o novo prazo, ou a nova prestação.

      Deu para entender? Se não deu, por favor entre em contato de novo. Abraço!

      Responder
  • Boa Tarde!

    Gostaria de um esclarecimento, fiz um financiamento em 2015 pela CEF utilizando recursos do FGTS, foi me passando uma planilha de evolução teórica dos fluxos de evolução. Porém os valores estão bem diferentes, considerando que o contrato é atualizado pelo saldo devedor da TR do FGTS. Comecei pagando a 1º parcela 1019,36 em 21.09.2015. Na parcela de 21.05.2017 vou pagar 1010,06 na planilha de evolução dada pela CEF deveria estar pagando 981,57.

    Gostaria de uma opinião a respeito se posso pedir uma revisão de contrato? Já fui em uma agência e não me deram nenhum esclarecimento plausível. E gostaria de saber qual a melhor forma de amortização por prazo ou valor de parcela? Considerando que minha parcela está um pouco alto. E gostaria de amortizar um pouco do saldo do FGTS e um pouco com recursos próprios em torno de 15.000,00.

    Obrigado pela atenção.

    Cálculo de Amortização
    *Sistema de financiamento: SAC
    *Tipo de financiamento: Programa carta de crédito individual – FGTS COM UTILIZAÇÃO DO FGTS – Caixa Econômica Federal.
    * Valor da 1º Parcela: 1019,36
    *Vencimento da 1º parcela: 21.09.2015
    *Valor do financiamento: 116.000,00
    *Saldo devedor atual: 112.916,03
    *Amortização extraordinária: 10.000,00
    *Amortização mensal atual: 328,86
    *Juros/Correção do Mês(R$): 628,51
    *Índ. Reaj. S. Dev. Mês conf. C. Contratual: 0,99999
    Valor do seguro mensal: 27,19
    Taxa de administração mensal: 25,50
    *Prazo da operação, em meses: 360 meses
    *Taxa de juros anual: 6,6600% a.a
    *Taxa de juros anual efetiva: 6,8671
    *Número da parcela atual: 21
    *Seu melhor email: [email protected]
    Seu telefone: (62)984733171

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Mário, obrigado pela sua mensagem.

      Lancei os dados que você informou em nossa planilha, eles coincidiram com os seus. Parece não haver nada errado com seu contrato. A evolução do saldo devedor e do valor da prestação é mesmo por culpa da TR. À medida que o tempo for passando esse efeito vai se reduzindo, e as duas coisas começam a diminuir mais rapidamente.

      Quanto à melhor forma de amortização, se você precisa de uma folga no orçamento, a melhor opção é diminuir o valor da prestação.

      Mas se não precisa dessa folga, e queira saber o que compensa mais (talvez o melhor seja NÃO AMORTIZAR, e sim investir o dinheiro), nesse caso preciso saber um pouco mais, para poder dar uma sugestão mais embasada. O Educando Seu Bolso oferece a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente esse, identificar a melhor opção de amortização, conforme as características de cada caso, e propor uma estratégia adequada ao cliente. Consideramos adequado para você, porque o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa estratégia pode proporcionar. Se tiver interesse em conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/

      Abraço!

      Responder
      • Ewerton, muito obrigado pelos esclarecimentos e pela análise!
        Vou analisar as opções, porque o que eu for amortizar será dinheiro do FGTS uns 10 mil, porque não compensa deixar o dinheiro do FGTS parado rendendo a 3% a.a. Ai vou analisar se amortizo a parcela ou valor das prestações para poder guardar um dinheiro maior e investir em CDBs de banco menores ou Tesouro Direto por enquanto. Obrigado pela atenção. E até a próxima. Abraços..

        Responder
  • Boa tarde, tenho um financiamento na tabela sac 180.000,00 feito em 180 meses falta 173 parcelas, tenho 50 mil de fundo de garantia, gostaria de amortizar os R$ 50.000,000, gostaria de verificar se é melhor só abater o valor de parcela ou valor e tempo pois pretendo quitar em 4 anos, o juros foi 11.39% ao ano, qual melhor opção?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Oi, Cristiane, obrigado pela sua mensagem.

      Isso depende de vários fatores. Se você precisar de um alívio no orçamento, certamente compensa diminuir a prestação. Mas você quer saber se compensa diminuir TAMBÉM o prazo, certo? 11,39% não é uma taxa baixa, convém mesmo você ficar livre do financiamento o quanto antes. No seu lugar eu diminuiria um pouco o prazo, também.

      Abraço!

      Responder
  • Cálculo de Amortização
    *Saldo devedor atual
    99.444,20
    *Amortização extraordinária
    93.000,00
    *Amortização mensal atual
    658,48
    Valor do seguro mensal
    174,82
    Taxa de administração mensal
    25,00
    *Prazo da operação, em meses
    156
    *Taxa de juros anual
    8,6488
    *Número da parcela atual
    6
    Minha dúvida, após quitar todo o saldo, tenho que pagar mais algum valor para a documentação?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Ivanil, obrigado pela sua mensagem.

      Normalmente, apenas as despesas de cartório, para encerrar a alienação fiduciária e passar o imóvel definitivamente para o seu nome.

      Responder
  • Tenho um financiamento pela CEF, SAC. tenho hoje 50.000,00 recursos próprios para amortizar e no ano que vem terei mais recursos próprios e poderei usar novamente valor de FGTS. A dúvida é posso amortizar já os 50.000 ou é melhor juntar um valor maior para amortizar? Perco alguma coisa se por exemplo, neste ano amortizar 50.000 e o ano que vem 30.000? ou é melhor esperar ano que vem ter os 80.000?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Cidelio, obrigado pela sua mensagem!

      Se fosse o contrário, isto é, se você tivesse o FGTS disponível agora, e no ano que vem tivesse os R$ 50 mil em recursos próprios, eu não teria dúvida em afirmar: faça a amortização agora. Isto porque o FGTS rende muito pouco, certamente menos do que o Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento.

      Mas sua situação é a inversa, você tem o recurso próprio hoje, e o FGTS no futuro.

      A lógica para se tomar essa decisão é comparar o CET do financiamento e o rendimento líquido que você poderia obter ao aplicar esses R$ 50 mil. Caso o CET seja maior que o rendimento da aplicação, o melhor é amortizar agora. Não há necessidade de esperar para ajuntar com o FGTS.

      Esses R$ 50 mil estão bem aplicados? Tem certeza? Sugiro que conheça nosso Comparador de Investimentos. Ele poderá te ajudar a obter um bom rendimento. O link é https://educandoseubolso.blog.br/compare-investimentos/

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia estou fazendo negocio num imóvel , e vou dar meu apartamento na troca, devo 59,00,00 de financiamento ainda para caixa, e quero quitar essa divida para trocar meu imóvel por outro.A duvida consigo reduzir esse valor de 59,000,00 pagando a vista e como proceder?

    Responder
    • Frederico Torres

      Boa tarde Rodrigo.
      Veja, quando você consulta o saldo devedor do seu financiamento imobiliário, o valor que você vê é o que realmente deve naquele momento. Diferentemente de outros empréstimos, onde você consegue um desconto por antecipar os pagamentos, no caso do imobiliário, você deve os 59mil mesmo.
      Grande abraço e boa sorte no seu negócio aí.
      =)

      Responder
  • Olá Ewerton, tenho um financiamento na caixa economica de 107.000,00 e tenho 9.000,00 de fgts, de uma empresa só certo, esse valor vc acha que devo colocar pra diminuir a parcela, ou abater do valor final ?
    ja entrei no meu apartamento, mes que vem, comeco pagar as parcelas…
    At. Felipe

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Felipe, obrigado pela sua mensagem.

      Rapaz, isso depende de alguns fatores. Por exemplo, a condição do seu orçamento, a sua condição para poupar dinheiro mensalmente, os seus planos para o futuro. É difícil dar uma recomendação firme sem conhecer sua situação, pois a resposta depende de coisas além dos cálculos financeiros.

      É por isso que oferecemos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Por meio dela podemos te conhecer melhor e, aí sim, fazer os cálculos e apresentar uma sugestão de estratégia, não apenas sobre o que fazer com esse saldo de FGTS, mas para todo o seu financiamento. Pode ser bastante vantajoso para você, porque o investimento é baixo, se comparado com o ganho que a pessoa pode obter ao tomar as decisões corretas. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia, tenho uma dúvida. Tenho um financiamento residencial com a minha esposa, hoje ela já pode usar o FGTS para amortizar algumas parcelas finais, diminuindo o tempo do financiamento. Porém se esperarmos mais 2 anos, somando o meu FGTS com o dela conseguiríamos , e os pagamentos mensais que estamos fazendo conseguiríamos liquidar o financiamento.
    A minha dúvida é se eu ganho alguma coisa de juros pagando agora parte disso é daqui a 2 anos novamente, ou espero para fazer tudo de uma vez.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Thiago, obrigado pela mensagem.

      No seu lugar, eu faria uma amortização agora e, daqui a 2 anos, faria a outra. Não há vantagem financeira, nem necessidade, em esperar os 2 anos para fazer as duas amortizações.

      Uma ressalva: o único motivo para não usar o FGTS, em minha visão, é que ele funciona como uma reserva financeira para emergências. Fora isso, sugiro usar. Ele rende apenas 3% ao ano (mais TR), o que certamente é menos que o Custo Efetivo Total do seu financiamento.

      Abraço!

      Responder
  • Olá. Estou em duvida. Fiz um empréstimo em junho de 2012 na caixa no valor de 50 mil em 360 parcelas, com taxas de juros contratual de 09,5600, em 9/8/2013 na 015 prestação eu paguei 485,37 de prestação e 22,26 de seguro. em dezembro de 2016 fui quitar e paguei 44,600,00.
    Só me disseram:
    o valor é esse tudo bem?
    Aí paguei, me deram apenas um papel com esse valor e depois de 10 dias fui ao cartório pagar mais 200 reais e pegar os dcs do terreno.
    Será que eu teria direito a descontos tendo quitado tudo na 54º parcela????

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Marta, obrigado pela sua mensagem.

      Lancei seus dados na planilha, o valor para quitação é esse mesmo (o meu deu R$ 44.593). Nos financiamentos é assim que funciona: esse valor que te apresentaram era o saldo devedor. Se você não quitasse, a soma das parcelas que ainda iria pagar seria bem maior que esse valor. Os $44600 eram o valor que você devia, sem juros, tarifas, seguros etc.

      Abraço!

      Responder
  • ola!deixa eu lhe perguntar compramos uma casa no valor de 95 mil deuso o nosso fgts entao ficou 84mil,poremas parcelas ficaram 870,oo bom nunca abaixou ja tem 4 anos comom devo proceder.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Irinea, obrigado pela sua mensagem.

      Não sei se entendi bem. Sua prestação não diminuiu nada nesses 4 anos? Isso é estranho. Se o financiamento tem prazo longo (420 meses, por exemplo), é normal que o valor da prestação diminua lentamente. Mas não diminuir nada é estranho. Se quiser, envie mais detalhes por e-mail. O endereço é [email protected]. Aí eu posso olhar os detalhes e te falar alguma coisa.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton,

    Tenho um financiamento de 420 meses, do qual paguei 45 parcelas. Ultimamente fui checar meus boletos de pagamentos das parcelas e percebi que o valor do saldo devedor não cai conforme o valor da amortizacao. ex.: minha amortizacão é de 1.200 mensal, mas o saldo devedor baixa entre 800 e 1100 por mês. A pergunta é: pq o saldo devedor não baixa exatamente o valor da amortizacão mensal? O banco tá certo? Tem algum detalhe que eu perdi? Se for o caso, posso te passar mais informações por email.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Leonardo, obrigado pela sua mensagem.

      O banco está certo. Isso acontece porque todos os meses há uma correção do saldo pela TR. E, vou te falar: esses números que você trouxe mostram um cenário bem melhor do que era pouco tempo atrás, principalmente em contratos longos, de 420 meses. O cenário melhorou porque a TR vem caindo muito, chegando até mesmo a zero em alguns casos. No tempo de TR mais alta (poucos meses atrás!), para uma amortização de R$ 1200 em início de contrato, o saldo devedor caía em cerca de R$ 300.

      Mas, resumindo: seu estranhamento é muito comum, vários leitores perguntam isso, mas é assim mesmo que funciona. E isso, por mais incômodo que seja, não faz do financiamento imobiliário um mau negócio, não. Mesmo somando tudo (taxas de juros, tarifas, TR), ainda assim o financiamento pelo SFH tem custos baixos, em comparação com outros financiamentos.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton,

    Eu optei pelo uso do FGTS na diminuição de 80% das minhas 12 próximas parcelas do financiamento da CAIXA.

    O valor da minha parcela era 1600.
    Nos meus calculos era para vir 320, porém veio 800 na primeira parcela. Gostaria de saber se seria algum pro rata por causa do dia que iniciei esse processo do uso do FGTS.
    Você saberia informar?

    Obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      David, obrigado pela sua mensagem.

      Rapaz, que estranho. Não deve ser pro rata, porque o valor está muito alto (50% da prestação, ao contrário dos 20% esperados). Seu saldo de FGTS era suficiente, para pagar os 80% das prestações? Se quiser entrar em contato novamente, com mais detalhes, temos interesse em saber o que houve. Se preferir, pode ser por e-mail: [email protected]

      Abraço!

      Responder
  • Ola estou perguntando, pois a calculadora no site nao esta funcionando. Obrigado.

    Saldo devedor atual

    217.097,04
    *Amortização extraordinária

    20.000,00
    *Amortização mensal atual

    671,95
    Valor do seguro mensal

    63,64
    Taxa de administração mensal

    25,00
    *Prazo da operação, em meses

    360
    *Taxa de juros anual

    8,5101
    *Número da parcela atual

    37

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Júlio, acabei de acessar a calculadora, para mim funcionou normalmente.

      Se diminuir o prazo, ele cai para 243 meses.
      Se diminuir o valor da prestação, ela vai para R$ 2042,11.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton,

    Estamos de mudança para fora do Brasil onde iremos estudar, ou seja, não geraremos mais FGTS no futuro a curto e médio prazo. Pretendemos alugar nossa casa por R$ 1.800,00 (avaliação real). Na sua opinião, o que vale a pena , amortizar de forma que o aluguel – prestação= fundo de reserva para gerar amortizações futuras ou encurtar a quantidade de parcelas ? Fiz a simulação no site e a diferença a ser destinada a um “fundo de amortização futuro” seria de R$ 684,00/mes.

    Seguem nossos nºs :
    Prestação do Mês Nº
    tt de prestações – 240
    tt de prestações pagas – 86
    Tx de Juros com relaciomaneto – 9,1098
    SIstema = SAC
    Saldo devedor = 105.897
    Amortização = 692,8
    Juros/Correção = 850

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Yan, obrigado pela sua mensagem.

      Antes de qualquer coisa, te parabenizo pela forma como cuida das suas coisas. Está indo estudar fora, vai alugar a casa já pensando no fundo de reserva para a quitação. Enfim, parabéns pela lucidez e disciplina.

      Em casos como o seu, geralmente tem sido mais vantajoso amortizar diminuindo o valor da prestação, e investindo a diferença em uma boa aplicação. Geralmente, nem sempre.

      O cenário tem mudado, com a queda na taxa Selic. Por isso, para “cravar” uma resposta, seria necessário fazer cálculos mais detalhados (incluindo, claro, o valor do seu FGTS). Para isso oferecemos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos planos é justamente esse, fazer os cálculos para definir o que é mais vantajoso em cada caso, amortizar diminuindo o prazo ou o valor da prestação. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?. Pode ser bastante adequado para você, pois o preço é baixo, em comparação com o que uma boa decisão pode te trazer em lucros. Espero que nos compreenda: não é que estamos “amarrando” a resposta, é porque os cálculos são complexos, mesmo.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde.
    tenho um financiamento imobiliário no BB, de R$123.000,00 e pretendo amortizar minha dívida com o FGTS no valor de R$31.000, e gostaria de diminuir o valor da parcela que é de R$1350,00, porém o funcionário me informou que só consigo isso com amortização em dinheiro, pelo FGTS só da quantidade de parcelas ou abater o valor da parcela anual, usando o FGTS para saldar até 80% do valor da parcela e eu pago a diferença por 1 ano e depois a parcela volta ao valor original, isso realmente procede ou tenho o direito de usar meu FGTS para que minha prestação caia realmente?
    obs. sistema sac.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Everton, pelo que sei, não procede.

      Recentemente, acompanhei pessoalmente um caso de amortização com diminuição no valor da prestação, no Banco do Brasil, usando o FGTS. e não houve problema nenhum.

      Abraço!

      Responder
  • Oi Boa tarde, você pode me ajudar com o meu caso.. Tenho um saldo devedor de 114.500,00 (24ª parcela do financiamento – o total são 420 meses). Minha parcela está na faixa de R$ 1.200,00. Gostaria de saber se eu usar o saldo do fgts (aproximadamente 8 mil reais) para reduzir o valor da parcela, valeria a pena? E se eu reduzisse o prazo do financiamento? (Info: Juros 8,6488% a.a –
    CET ­ Custo Efetivo Total 9,8039% – CESH ­ Custo Efetivo do Seguro Habitacional 2,3224%)
    Muito obrigada!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Ester, obrigado pela sua mensagem!

      Olha, financeiramente compensa, sim, usar FGTS para amortizar financiamento imobiliário. O único risco é você ficar sem uma reserva financeira contra certos problemas, como perda de emprego ou doença grave. Mas, olhando só os números, compensa, sim.

      Se é mais vantajoso amortizar diminuindo o valor da prestação ou o prazo, depende de alguns fatores. Por exemplo, seu perfil como poupadora: pode ser vantajoso diminuir o valor da prestação, se você tem disciplina para poupar mensalmente o valor economizado. Caso não tenha essa disciplina, pode ser mais vantajoso diminuir o prazo, para ficar logo livre do financiamento.

      E se quiser saber para quanto vai o valor da prestação, ou o prazo do financiamento, visite nossa calculadora. Lá você mesma consegue fazer os cálculos. O link é https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite! meu nome é Jaqueline e estou com problemas com meu financiamento onde foi adquirido por sistema sac através do Banco do Brasil em 300 meses . Já paguei 32 prestações onde o valor através do documento chamado Cronograma de reposição do Financiamento impresso pelo próprio banco, em que a primeira prestação é 1729,75 mas tem quase três anos que pago e ela não sofre queda sendo sac. que posso fazer ? já paguei até valor maior que este.
    segue alguns demostrativos de extrato desse financiamento, e se o banco esta certo pois não vejo amortização nas parcelas .
    Outra dúvida se compensa eu amortizar 10.000,00 de FGST.

    Data da contratação
    26/05/2014
    Modalidade
    BB CREDITO IMOBILIARIO-AQUISICAO PF-SFH
    Tipo
    SFH
    Valor do financ. – R$
    153.000,00
    Prazo (meses)
    300
    Sist. Amortização
    SAC
    Taxa de Juros
    Nominal
    8,93% a.a. 0,74% a.m.
    Efetiva
    9,30% a.a. 0,74% a.m.
    Prazo final da operação
    031/269
    FGTS utilizado na aquisição – R$
    4.600,00
    Período de consulta
    01/02/2017 a 17/02/2017

    Movimentação Financeira
    DataDescriçãoValor – R$Saldo parcial – R$
    23.01.2017Saldo Anterior- 143.507,84
    17.02.2017Saldo Final- 143.507,84

    Data do contrato
    26/05/2014
    Modalidade
    BB CREDITO IMOBILIARIO-AQUISICAO PF-SFH
    Tipo
    SFH
    Valor do Financiamento
    153.000,00
    Prazo
    300
    Sist. amortização
    SAC
    Taxa de Juros
    Nominal
    8,926% a.a.
    Efetiva
    9,300% a.a.
    Prestação nr.
    032 / 300
    Índice de Reajuste
    TRDB
    Indice de Reajuste – %
    0,129000
    Data vencimento prestação
    20/02/2017
    Saldo devedor
    143.507,84
    Data saldo
    18/02/2017

    Valor – R$
    Capital 509,99
    Juros 2.178,72
    Prestamista 72,34
    Danos Imov. 16,75
    Tarifa de Adm. / Manutenção de contrato 25,00
    Correção Monetária 23,99
    Valor Parcial da Prestação 2.826,79
    FGTS – SIUMP 3 0,00
    Valor da Prestação 2.826,79

    obrigado!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Jaqueline, obrigado pela sua mensagem.

      Respondendo primeiro a última pergunta: financeiramente compensa, sim, usar FGTS para amortizar financiamento imobiliário. O único risco é você ficar sem uma reserva financeira contra certos problemas, como perda de emprego ou doença grave. Mas, olhando só os números, compensa, sim.

      Quanto à outra questão, no Banco do Brasil pode acontecer de a prestação de um mês ser superior à do mês anterior, porque o valor varia conforme o número de dias corridos do mês. Mas em 3 anos o valor já deveria ter caído.

      As informações que você enviou não ficaram muito boas, aqui na área de comentários. Peço que nos envie novamente, mas por e-mail, no endereço [email protected]. Vamos olhar os números e, se entraremos em contato com você em seguida.

      Abraço!

      Responder
    • Ewerton Veloso

      Sidney, obrigado pela sua mensagem.

      O valor que vem escrito no boleto, no campo “Saldo devedor teórico em xx/xx/2017”, é o valor para a quitação. Sobre ele não é dado mais nenhum desconto. Abraço!

      Responder
  • Bom dia Ewerton Veloso

    Tenho um financiamento na caixa, e no boleto que vem para pagamento aparece encima Taxa de juros contratual 8.5101 e mais embaixo aparece taxa de juros / Relacionamento 7.5810, mas não sei qual está sendo cobrado do meu financiamento, fui na Caixa aqui na cidade, mas o cara que me atendeu se enrolou tudo ele disse que acha que é o com o relacionamento, mas fazendo um teste de amortização no teu site, aparece que esta sendo cobrado o normal. Oque eu tenho com a caixa é Conta salário e débito em conta da prestação.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Jardel, obrigado pela sua mensagem.

      Em muitos casos, a conta salário e o débito automático são suficientes para que seja adotada a taxa especial de relacionamento. E quando no boleto vem destacada essa taxa, geralmente é ela que está sendo adotada.

      Mas se persistir a dúvida, entre em contato conosco pelo link https://educandoseubolso.blog.br/contact/ e lhe daremos as orientações.

      Abraço!

      Responder
  • Estive na caixa para solicitar a antecipação das 10 últimas parcelas do meu financiamento e o funcionário simulou no sistema deles e me disse que se fizesse a minha prestação atual iria aumentar. Não entendi nada? Existe alguma explicação lógica para isso?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Maurício, obrigado pela sua mensagem.

      Pode aumentar uns R$ 10 ou R$ 20, no máximo, por uma questão de arredondamento. É que, quando você faz a amortização, o sistema recalcula o prazo. Se o resultado do cálculo foi um número não inteiro (por exemplo, 148,43 meses), o sistema arredonda o número (para, no caso, 148 meses). E aí a prestação pode aumentar um pouco. Mas só um pouco. Aumentar muito realmente não faz sentido.

      Abraço!

      Responder
    • Ewerton Veloso

      Joao, obrigado pela sua mensagem.

      A forma mais usual de diminuir a prestação é fazer uma amortização, optando pela diminuição da prestação (e não do prazo). Não é permitido (pelo menos nos financiamentos pelo SFH) aumentar o prazo ou eliminar o seguro.

      Abraço!
      Ewerton

      Responder
  • Olá, boa tarde! Td bem?
    Pode, por favor, me ajudar com uma dúvida?

    Quero quitar meu financiamento, o que vale mais a pena neste caso? Utilizar o saldo do FGTS ou recursos próprios?

    Se a opção for FGTS, qual a melhor opção segura para aplicar o recurso próprio (R$20.000,00) que tenha um melhor rendimento que o FGTS?

    Obrigada!!!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Marilu, obrigado pela sua mensagem!

      Usar o FGTS para amortização sempre vale a pena. Porque o FGTS rende apenas 3% ao ano, mais a TR, e nenhum financiamento tem taxa de juros tão baixa.

      Quanto a usar o recurso próprio, aí depende. É preciso apurar o Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento. Se ele for superior ao rendimento líquido (isto é, descontado o Imposto de Renda) que você consegue em uma boa aplicação, então compensa usar os recursos próprios. Se o CET for inferior ao rendimento líquido da aplicação, então compensa manter o dinheiro aplicado.

      Quanto a encontrar uma boa aplicação, recomendo que visite nosso Comparador de Investimentos, no link https://educandoseubolso.blog.br/compare-investimentos/

      Recomendo atenção aos detalhes dos investimentos. Além da rentabilidade, fique de olho na liquidez (isto é, se você pode sacar o dinheiro antes do vencimento, sem penalidades) e na proteção (se o investimento é protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito – FGC).

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde. Tenho uma dúvida, se eu utilizar o saldo do meu FGTS para reduzir o prazo do meu financiamento, as parcelas atuais também não diminuiriam ? Pois a prestação mensal é composta de Amortização + Juros (sobre o saldo devedor) + seguro + taxa.
    Estou na prestação 16 – Valor: Amortização 340,47, Juros 649,60, Seguro 29,45 e taxa 25,00 = total 1.044,52
    Saldo devedor atual é 97.667,52 e faltam 284 parcelas.
    Tenho aproximadamente 10.000,00 de FGTS, e pretendo usar a cada dois anos.
    Qual a melhor maneira de utilizar o FGTS no meu caso?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Diego, obrigado pela sua mensagem!

      Se optar por diminuir o prazo, a prestação mensal permanece a mesma. Talvez até com um pequeno aumento, pelo arredondamento do prazo (no caso do meu próprio financiamento, aumentou R$ 10).

      Quanto à melhor forma de usar o FGTS, depende do seu perfil. Por exemplo, geralmente é vantajoso diminuir a prestação, se você tem disciplina para aplicar mensalmente o valor economizado. Caso não tenha, pode ser mais adequado diminuir o prazo.

      O Educando Seu Bolso oferece o serviço de consultoria em financiamento imobiliário. Um dos pacotes tem justamente esse objetivo: identificar a melhor forma de amortizar. Nós identificamos seu perfil (econômico e pessoal), desenhamos os possíveis cenários (amortizar diminuindo o prazo ou a prestação) e propomos a melhor estratégia. Pode ser bastante vantajoso para você, pois é um investimento baixo em relação ao ganho obtido ao tomar a melhor decisão. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia Ewerton!
    Tenho uma dúvida:
    Fiz um financiamento Imobiliário via CEF, para construção de minha residência.
    O valor foi de 410.250,00, assinado em 21/12/13.
    Terminei a construção em dez/15, e a partir daí iniciei a amortizar a dívida.
    Atualmente já paguei 14 parcelas, e com a TR elevada, meu saldo devedor não diminuiu muito; hoje é de R$ 407.305,00 – aproximadamente R$ 210,00/mês.
    Quero realizar uma redução no saldo devedor com a amortização da dívida. Imagino que irei disponibilizar em torno de R$ 110.000, com FGTS e dinheiro.
    Minha dúvida é: Como meu planejamento é quitar o financiamento em no máximo 10 anos, qual a melhor opção (melhor resultado financeiro) para realizar a amortização: reduzindo prazo ou o valor da parcela?
    DADOS DO FINANCIAMENTO:
    Sistema de amortização: SAC – SBPE – pós -fixada.
    Prazo: 420 meses (pagas 14 parcelas até janeiro/17).
    Taxa de juros: nominal 8.2785 / efetiva 8,5999 ao ano.
    Prestação: R$ 3.982,91 (14ª parcela).
    Amortização R$ 999,01
    Minha Idade: 39 anos.
    Obrigado!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Eduardo, obrigado pela sua mensagem, e parabéns pelas suas conquistas e pelo seu cuidado com elas.

      O motivo para que seu saldo devedor caia tão lentamente é o prazo elevado, que faz com que a amortização mensal seja muito pequena, quase igual à correção pela TR. Por isso pode ser vantajoso usar pelo menos parte do valor disponível para a amortização extraordinária para diminuir um pouco esse prazo.

      Para saber a melhor forma de utilizar são necessários cálculos mais complexos e simulações. Além de conhecer seu perfil pessoal (sua condição de poupar no futuro e sua disposição para gerenciar aplicações). O Educando Seu Bolso oferece o serviço de consultoria em financiamento imobiliário. O objetivo é justamente identificar seu perfil (econômico e pessoal), calcular os possíveis cenários (amortizar diminuindo o prazo ou a prestação) e propor uma estratégia adequada. Pode ser muito vantajoso para você, porque é um investimento baixo, em comparação com o quanto você pode ganhar ao adotar a melhor estratégia. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Ola Ewerton,
    Estou querendo financiar um imóvel no valor de 180 mil em 360 meses pela caixa econômica, porem estou com dúvida sobre qual tabela escolher a Price ou a Sac .
    Caso eu tenha condições de zerar a dívida antes do prazo, qual seria a melhor tabela, Price ou Sac ?
    Abraço

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Rafael, obrigado pela sua mensagem!

      Se a intenção fosse levar o financiamento até o final, normalmente o SAC seria mais vantajoso. Como você pretende quitar antes do prazo original, pode ser que o Price compense, ou não.

      Para saber, são necessários cálculos mais cuidadosos e detalhados, levando em conta o prazo, a taxa de juros e a condição de poupar. O Educando Seu Bolso oferece o serviço de consultoria em financiamento imobiliário. Um dos pacotes é justamente este, avaliar se é mais vantajoso o sistema Price ou o SAC. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Ola boa tarde, tenho uma casa financiada pela caixa e quero usar o fgts como forma de armortizaçao gostaria que vcs me ajudase a escolhe a melhor situacao,no meu caso
    O praso do financimento e de
    180 meses/ 21 prestacoes ja foram pagas
    Taxa de juros contratual e de 06,6600
    Indice de reajuste prestacao do mes e 0,00000
    Indice reajuste saldo devedor no mes e 1,00184
    Saldo devedor teorico em 20.01.2017 e de 90.531,00
    5
    Juros / correçao do més 504,34
    Amortizacao 340,40
    Tp 310
    Gostaria de saber os calculos das duas formas de armotizaçao se posivel por favor
    Quero usar 15.000

    Responder
  • Olá Ewerton.

    Primeiramente queria parabeniza-lo pela iniciativa de ajudar as pessoas como eu com seus financiamentos.

    Queria tirar uma ennorme dúvida: Fiz um financiamento de uma terreno + construcao com as seguintes condições:

    Valor do Imóvel: R$ 78.000.00
    Valor dado como Entrada: R$ 15.000,00 (FGTS)
    Tempo do Financiamento: 300 meses
    Taxa de juros efetiva: 4,5000% a.a
    Seguro: R$ 9,34

    Já foram pagos 52 prestações com valores próximos a R$ 450,00, gostaria muito de amortizar com os R$20.000,00 que possuo do FGTS, para diminuir o valor da parcela ou o tempo de financiamento.

    Por gentileza me indique se seria correto nesse momento usar esse valor do FGTS ou esperar aumentar essa quantia e qual procedimento seria o mais viavel abaixar o valor da parcela ou o tempo de financiamento.
    Desde já agradeço.

    Abraço,
    Gilson Reis

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Gilson, obrigado pela sua mensagem, e parabéns pelo seu zelo com seu financiamento.

      Mesmo que a taxa de juros do seu financiamento seja baixa, posso te afirmar que compensa usar o FGTS para amortizá-lo, porque o rendimento do Fundo é ainda mais baixo.

      Mas para te dizer o que compensa fazer (amortizar diminuindo o prazo ou a prestação, ou mesmo utilizar a modalidade PPP – Pagamento de Parte da Prestação), seria necessário fazer cálculos mais cuidadosos, levando em conta suas características como poupador.

      O Educando Seu Bolso oferece a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente esse, identificar a melhor opção de amortização, conforme as características de cada caso, e propor uma estratégia adequada ao cliente. Consideramos adequado para você, porque o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa estratégia pode proporcionar. Se tiver interesse em conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/

      Abraço!

      Responder
  • Ola Ewerton,

    Meu caso tenho um financiamento de 360 meses taxa de 8,7873, já paguei 26.
    Saldo devedor atual de 134.000.
    Tenho 19,800 de FGTS para amortizar.
    Tenho condições de continuar pagando as parcelas com o mesmo valor.
    O melhoria seria amortizar o tempo, pois iria pagar menos juros no final das contas ? Correto?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Leonardo, obrigado pela sua mensagem.

      Depende. Se você continuar recebendo FGTS e tiver condição de fazer uma nova amortização extraordinária no futuro e, principalmente, se tiver disposição para controlar mensalmente aplicações financeiras, a melhor opção pode ser a amortização pelo valor da prestação. Mas para ter uma resposta 100% segura são necessários cálculos mais cuidadosos, levando em conta todos os fatores do seu caso. Abraço!

      Responder
  • Boa noite , tudo bem ?
    Adquiri um imovel cujo saldo devedor hoje é 90.703,70 prazo de 180 meses, estou na parcela 20, juros do mês 505,29, amortização mes 339,45 parcela mensal total de 901,46 seguro 31,22, administração 25,50.
    Possuo 15.000,00 de recursos propriose aconselha a fazer ? mais nao sei ao certo o que fazer nesse momento ! Pode me ajudar a clarear ?
    Desde ja muito obrigado, e parabens pelo trabalho esclarecedor que faz !
    Reinaldo queria saber a melhor forma de amortiza os messe ou prestacao

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Denis, obrigado pela sua mensagem.

      Para te dizer o que compensa fazer (amortizar diminuindo o prazo ou a prestação), seria necessário fazer cálculos mais cuidadosos, levando em conta dados que você não nos informou (como a taxa de juros), e as suas características como poupador.

      O Educando Seu Bolso oferece a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente esse, identificar a melhor opção de amortização, conforme as características de cada caso, e propor uma estratégia adequada ao cliente. Consideramos adequado para você, porque o investimento é baixo, em comparação com o ganho que uma boa estratégia pode proporcionar. Se tiver interesse em conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, boa tarde!!!

    Tenho um financiamento pela tabela sac e gostaria de amortizar 17.000, 00 do meu Fgts no saldo devedor no prazo, gostaria de saber como ficaria.

    Saldo devedor: 116.664, 68
    Meses: 420 , sendo que já paguei 33 prestações
    Taxa contratual: 8,5101
    Índice de reajuste saldo devedor:1,00244
    Juros no mês:725,25
    Amortização mês:296,54
    Seguro: R $ 58,23
    Taxa administrativa: R $ 25,00

    Responder
  • Bom dia! Tenho um financiamento com as seguintes características:

    Valor do Financiamento: 400.000,00
    Prazo:100
    Sist. amortização: SAC
    Taxa de Juros Nominal: 8,418% a.a.
    Taxa de Juros Efetiva: 8,750% a.a.
    Prestação nr. 026 / 100
    Índice de Reajuste TRDB
    Indice de Reajuste – % 0,169100
    Data vencimento prestação: 25/12/2016
    Saldo devedor: 285.581,26
    Data saldo: 24/12/2016

    Demonstração da prestação mensal:

    Capital 4.000,00
    Juros 1.973,61
    Prestamista 90,82
    Danos Imov. 61,14
    Tarifa de Adm. / Manutenção de contrato 0,00
    Correção Monetária 160,29

    Valor total da Prestação 6.285,86

    Tenho recurso disponível para quitar o financiamento parcial ou totalmente. O que você recomenda?

    Muito obrigado desde já!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado José, obrigado pela sua mensagem!

      Rapaz, para saber se compensa quitar o financiamento é preciso apurar o Custo Efetivo Total – CET, que envolve não apenas a taxa de juros, mas os seguros, a taxa de administração e até os outros custos que o banco costuma exigir do cliente, como manutenção de conta corrente e de cartão de crédito.

      Calculado o CET, é preciso ver o rendimento líquido (isto é, deduzido o Imposto de Renda) que você consegue ao aplicar o dinheiro.

      Se o rendimento líquido da aplicação for superior ao CET do financiamento, em princípio é financeiramente vantajoso aplicar o dinheiro, em vez de quitar o financiamento.

      É claro que, para saber tudo isso, é preciso fazer cálculos. Mas, no seu caso, olhando rapidamente, creio que o CET do seu financiamento seja inferior a 10%. E, como você tem um valor alto para investir, não é difícil conseguir aplicações rentáveis, seguras e líquidas. Se você puder deixar o dinheiro aplicado por algum tempo, possivelmente consegue rendimentos líquidos superiores a 12%.

      O Educando Seu Bolso oferece serviço de consultoria em financiamentos e em investimentos. Se quiser uma boa estratégia para investir de forma rentável e diversificada (protegida de risco), e programar o momento ideal para quitar seu financiamento, entre em contato novamente.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton Veloso, boa tarde!

    Tenho financiamento imobiliário com a CEF e estou apto a utiliza-lo para possíveis amortizações. Gostaria de sua opinião, atualmente minha prestação (R$1850) está pesando no meu bolso e gostaria de usar meu saldo de FGTS (18 mil) para baixar esse valor. Analiso no momento 2 opções:

    1) Usar o FGTS para reduzir ao máximo as 12 próximas prestações de 2017 objetivando fazer um caixa, se possível aplicar, e ficar mais folgado; ou

    2) Usar o FGTS para reduzir o valor das parcelas e saldo devedor normalmente;

    Qual você me indicaria, penso que o FGTS é um dinheiro “perdido” onde só pode ser utilizado para investimentos imobiliários, então utiliza-lo na redução da parcela me daria mais folego para possíveis aplicações.

    Desde já, agradeço.

    At
    Tiago

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Tiago, obrigado pela sua mensagem!

      Pensando no longo prazo, a opção 2 é melhor, porque você usa os R$ 18 mil para abater apenas o saldo devedor.

      Na opção 1você paga também os juros da prestação. Em compensação, ela é a que libera mais dinheiro no curto prazo.

      Fiz as contas por alto. As 12 prestações de R$ 1850 resultam em R$ 22.200. A modalidade de Pagamento de Parte das Prestações – PPP permite o pagamento de até 80% das prestações, o que daria R$ 17760. Ou seja, você poderia usar seu FGTS praticamente integralmente em 2017.

      Se você está precisando de uma folga grande e imediata, a opção 1 é adequada. Mas você precisa estar ciente de que, em 2018, a prestação voltará a pesar no seu orçamento.

      Se uma folga moderada te atende, a opção 2 é melhor. Recomendo que você visite nossa Calculadora de Amortização. Ela poderá te indicar o valor a ser economizado na amortização. O link é https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Abraço!

      Responder
  • Olá, Ewerton,

    Estou com uma dúvida que nenhum funcionário da minha agência da Caixa conseguiu responder adequadamente. Tenho financiada minha casa com prestação atual de R$ 2.010,00. O prazo inicial era de 420 meses e, atualmente, restam umas 395 prestações a serem pagas. O valor inicial da prestação era R$ 2.280,00, mas no meio do caminho fiz uma amortização extraordinária com redução do valor da parcela, o que explica o valor menor que pago hoje em dia. Bom, agora gostaria de fazer mais uma amortização extraordinária no valor de R$ 10.000,00, mas, dessa vez, reduzindo o prazo. Nesse caso, em teoria, o valor da minha prestação deveria se manter igual ou muito próximo aos R$ 2.010,00 e o prazo reduzido em uma quantidade adequada para manter a prestação. Entretanto, ao fazer a simulação, o meu prazo é reduzido em 60 meses, mas a prestação sobe para algo em torno de R$ 2.150,00. Esses R$ 140,00 a mais de diferença podem ser considerados algo “muito próximo”? E se eu fizer várias amortizações com redução do prazo, o valor da minha prestação irá sempre subir indiscriminadamente? O que, ou quanto, seria um “muito próximo” razoável? Já que o sistema não permite me deixar decidir a quantidade de meses que eu quero reduzir, como ele chega ao valor “60 meses”, levando a um aumento de prestação? Ele poderia reduzir, digamos, apenas 50 meses e, com isso, conseguir manter minha nova prestação mais próxima da atual, não?

    Obrigado!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Yuri, obrigado pela sua mensagem.

      Rapaz, na minha opinião esses R$ 140 não podem ser considerados “algo muito próximo”, não. A ideia é a prestação subir só um pouco, o suficiente para “arredondar” o cálculo. Mas pode ser que esteja correto, e a diferença foi grande devido ao alto valor do saldo devedor, e ao prazo longo.

      Você usou nossa Calculadora de Amortização, para ver se os cálculos coincidem? O link é https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/.

      Se puder, visite a página, use a calculadora e nos conte o resultado, estamos à disposição.

      Abraço!

      Responder
  • Oi Ewerton! Tenho um financiamento no valor de R$144.000, em um prazo de 420 meses. Juros do mês no valor R$1081,00, amortização do mês R$349,68+ seguro de R$51,74+ taxa operacional R$25,00. Sobre essa amortização do mês, esse valor teria que ser descontado no meu saldo devedor todo mês??? O meu saldo devedor hoje é de R$142.180. Se todo mês a amortização é na faixa de R$349.00x 15 prestações que já paguei, da um valor de R$5235,00. Então 144.000 que financiei , menos R$5235,00= R$ 138.765 esse seria o meu saldo devedor hoje, estou certo???

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Murilo, obrigado pela sua mensagem.

      Infelizmente, não… Você não está levando em conta a correção do saldo devedor pela TR. Ela tem um efeito importante, especialmente nos contratos com prazos longos, como o seu. Todo mês você realmente abate do saldo devedor os R$ 349, mas aí vem a TR e “devolve” mais de R$ 200 para o saldo devedor. Por isso ele diminui mais lentamente do que gostaríamos.

      Abraço!

      Responder
  • Ewevrton,

    Um caso me deixou curioso. Tenho um financiamento de 270mil, CET 8,51%, 420. Estou na primeira parcela e gostaria de amortizar com recursos proprios 45mil reduzindo a parcela(nao ppp) e nao o prazo. Quando solicitei a simulacao na caixa ele me mostraram uma reducao de apenas 25 reais na parcela. Achei estranho pois na logica (e no seu simulador) a parcela deveria uns 300 reais. como funciona a amortizacao na parcela? abate do saldo devedor e abaixa tanto parcela amortizacao quanto juros?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Daniel, obrigado pela sua mensagem.

      Creio que a informação da Caixa esteja errada. Muito baixo esse valor.

      Respondendo à sua pergunta, a amortização extraordinária diminui o saldo devedor e provoca um recálculo no financiamento. Quando você opta por diminuir o valor da prestação, isso afeta a amortização mensal e os juros.

      Abraço!

      Responder
      • Ewerton, neste caso não poderia ser a seguinte situação:
        A amortização é calculada a cada 12 meses a contar da data de assinatura do contrato, no caso citado acima ele está na primeira parcela ainda, o valor de amortização permaneceria o mesmo até a prestação 12 quando ela seria recalculada pelo novo saldo devedor reduzido da amortização extraordinária, aí aconteceria a “grande”redução no valor final da parcela.

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Thiago, obrigado pela contribuição.

          Mas creio que não seja o caso. Se ele solicitou uma simulação à Caixa, a resposta já deveria contemplar a diminuição do saldo devedor, com novo cálculo de amortização mensal e juros. Abraço!

          Responder
  • bom dia…..Ewerton…..gostaria se puder vc me da um conselho….tenho um financiamento cujo valor devedor era de 130.500,00 com prestação inicial de 1.334,00 hoje esta em 83.971,05 saldo devedor financiei 300 prestação e estou já na 69 prestação falta 231 prestação valor da prestação hoje é de 961,67……taxa de juros contratual 7,6600%….amortização 359,49……seguro 40,81…..taxa adm 23,07….juros/correção do mês 538,30….já usei meu FGTS primeira vez usei 13.000,00 abaixou na época 145 reais na prestação a segunda vez usei 11.000,00 baixou 120,00 reais……agora estou com 15.000,00 e não sei qual seria a melhor opção se é continuar diminuindo a prestação ou dessa vez usar para diminuir em anos…

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Celso, obrigado pela sua mensagem.

      Isso vai depender do seu perfil. Eu, normalmente, gosto de diminuir o valor da prestação e investir o montante economizado a cada mês em alguma boa aplicação financeira. É claro que isto requer disciplina. Se a pessoa corre o risco de gastar o valor economizado, a melhor opção sob o ponto de vista financeiro é diminuir o prazo.

      Se quiser saber o que vai acontecer com seu financiamento em cada uma das opções, é só acessar nossa Calculadora de Amortização: https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Abraço!

      Responder
  • Olá, tenho um apartamento com saldo devedor de 157.877,50 , taxa de juros 8.5101, prazo de 360 meses, seguro 91,57, taxa adm 25,00 estou na prestação 23. Minha divuda estou vendondo por 280 mil, mais o comprador pode dar 100 mil de entrada e saldo em 18 x 10 mil por mês. Minha duvida e como faço apara abater esses 100 mil ? e depois ir abatendo o saldo que ficar.

    Luciana

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Luciana, obrigado pela sua mensagem.

      A dúvida é como você vai amortizar esses R$ 100 mil no saldo devedor, junto ao seu banco? Na maior parte dos casos, é só depositar o valor na conta e solicitar a amortização ao gerente.

      Se entendi errado, por favor entre em contato novamente. Abraço!

      Responder
  • Oi boa tarde gostaria de tirar uma duvida fiz um financiamento de um habitacional da caixa de um imovel de 118.000,0 financiando apenas 62.935,06 estou na prestacão de numero 48 de 595,00, sendo 23,84 de seguro 25,00 de tarifas, juros nominal de 8,51 e efetivo de 8,85 % meu saldo devedor hoje é de 55.592,63 tenho 5000,00 de fgts e gostaria de saber qual a melhor forma de amortização se diminuindo o valor da parcela ou o prazo de financiamento

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Katiucia, obrigado pela mensagem.

      A melhor forma depende do seu perfil. Na maior parte dos casos eu prefiro a amortização diminuindo o valor da prestação, e sugiro que a pessoa aplique todo mês o valor investido. Mas isso pode variar, conforme o perfil da pessoa.

      Sugiro que visite a nossa calculadora de amortizações, e veja qual vai ser o efeito da sua amortização: quantos meses vai diminuir, ou qual valor vai economizar. O link é https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton, após muito pesquisar, gostaria de uma opinião.

    Primeiramente parabéns pelo trabalho que você faz, é muito esclarecedor.

    Seguinte tenho um financiamento no prazo de 360 meses.

    Já paguei 64 parcelas.

    Saldo devedor de 69.000 mil.

    Taxa de juros de 8,16.

    Estou querendo usar um total de 30.000 mil do FGTS para fazer uma amortização nas prestações.

    Hoje pago uma parcelas de 745.00, com essa amortização o valor cairia (+ – ) pela metade.

    Pegaria esse valor mensalmente e faria um investimento mensal.

    Poderia me orientar/aconselhar de alguma forma ?

    Desde já muito obrigado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Willian, obrigado pela sua mensagem e pelos elogios!

      Ué, aconselhar como? Você já está no caminho certo, rs. Eu gosto dessa estratégia, usar o FGTS para amortizar diminuindo o prazo, e usar o valor economizado (e mais um pouco, se possível) em um bom investimento. Se quiser ajuda para escolher esse investimento, sugiro que visite nosso comparador de renda fixa: https://educandoseubolso.blog.br/compare-investimentos/

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton, gostaria de tirar uma dúvida que não encontrei resposta: Tenho um financiamento imobiliário com taxa de 10,4% a.a. com CET 11,3%. Fiz uma amortização no número de parcelas, ao consultar o saldo devedor após a amortização percebi que o CET foi alterado para 11,58% (taxa basal continua em 10,4%). Abri uma ocorrência no banco (2x) e a resposta que recebi é que o CET é apenas um informativo baseado na composição de valores (prestação + seguros + tarifas) e que a taxa basal estava inalterada. Em contrato consta as duas taxas, sem mencionar possibilidade de alteração, mesmo na cláusula de amortização. perguntei ao gerente e não soube me responder.

    Grato

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Bruno, obrigado pela sua mensagem. Ela é muito interessante!

      Realmente assusta, não? Você faz uma amortização e seu CET aumenta?? Mas é assim mesmo, e a resposta do banco foi boa. O X da questão são as taxas fixas (seguros e tarifas).

      Suponha que você tenha um financiamento cuja prestação seja de R$ 1500, sendo R$ 150 de seguros e taxa de administração. Suponha que você faça uma amortização diminuindo o valor da prestação, que cai para R$ 900. Enquanto o valor de amortização e juros diminui muito, o dos seguros e da taxa de administração diminuem bem menos. Eles cairiam para cerca de R$ 130.

      Repare bem: no início os seguros + taxas representavam 10% da prestação. Depois da amortização, passaram a representar quase 15%. É isso que explica o aumento do CET.

      No seu caso a amortização foi diminuindo o prazo, mas o raciocínio é o mesmo. Levando em conta todo o fluxo do financiamento, o montante de seguros e tarifas representa uma porcentagem maior.

      Deu para entender? Se não, me fale, eu tento explicar melhor.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia Ewerton,

    Minha dúvida é sobre qual a melhor maneira de amortizar meu financiamento imobiliário. Tenho R$ 20 mil de FGTS. Qual a melhor opção? Usar o valor para antecipar as parcelas, ou amortizar a dívida?
    Atualmente, minha dívida é de R$ 300.000,00, taxa de juros efetiva anual 8,85% a.a. e nominal 7,5343%.a.a. Sistema SAC- Prestações decrescentes. Prazo restante 382 meses. A prestação atual é R$ 2.890,00 e consigo pagar sem comprometer muito a renda mensal.
    Tenho ainda R$ 30.000,00 aplicado em poupança que poderia ser utilizado também se valer a pena.
    Agradeço antecipadamente sua orientação.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Ana, obrigado pela sua mensagem.

      Eu gosto bastante da opção de diminuir o valor da prestação e aplicar o máximo que conseguir, desse valor que se economiza na prestação (em vez de gastar, sabe?). Você poderia fazer isso com o FGTS.

      Com os R$ 30 mil, se entendi bem eles estão na Caderneta de Poupança, certo? Nesse caso, você teria duas opções:

      -tirá-lo de lá e colocá-lo em uma aplicação bem melhor.
      -usá-lo para amortizar o financiamento.

      O que compensa mais? Aí seriam necessários fazer alguns cálculos e conhecer seu perfil. Pode ser que o melhor seja deixá-los aplicados (mas não na Caderneta de Poupança!), pode ser que seja melhor amortizar.

      O Educando Seu Bolso tem o serviço de Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos planos é justamente avaliar a melhor forma de usar seu dinheiro: amortizar ou investir bem. Pode ser muito vantajoso para você, pois é um investimento relativamente baixo, comparado com o ganho que você pode ter usando bem esses R$ 30 mil. Se quiser conhecer, o endereço é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Boa Tarde,
    Possuo um financiamento com Itau de 233mil com com as seguintes caracteristicas :
    Amortização:
    R$ 656,16
    Juros:
    R$ 2.110,98
    Seguro de morte e invalidez:
    R$ 33,24
    Seguro de danos físicos:
    R$ 76,11
    Tarifa – Administração de Contrato:
    R$ 25,00
    Índice de reajuste de prestação:
    1,001903
    Valor total da prestação:
    R$ 2.901,49
    Possuo 50mil para amotização no meu caso a parcela esta um pouco alta, compensa abater no prazo ou na parcela ? esses 50mil me rende 9% em um CDB.

    obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Marcelo, obrigado pela sua mensagem!

      Faltou uma informação importante: qual é o prazo do financiamento? Só assim será possível saber a taxa de juros dele e, assim, calcular o Custo Efetivo Total – CET.

      Me parece que esse seu CDB está rendendo relativamente pouco. Provavelmente o rendimento líquido dele – descontado o Imposto de Renda – estará abaixo da taxa de juros do financiamento – a menos que seja um contrato mais antigo, ou que seja pelo programa Minha Casa, Minha Vida.

      Se quiser conhecer outras opções de aplicação em renda fixa, visite nosso Comparador de Investimentos, no link https://educandoseubolso.blog.br/compare-investimentos/

      Sugiro que verifique a taxa de juros do seu financiamento. Ou, se quiser, nos informe o prazo dele, e poderemos estimar o CET. Aí será possível avaliarmos se ele está mais alto do que pode render uma aplicação em renda fixa.

      Abraço!

      Responder
        • Ewerton Veloso

          Olá novamente, Marcelo.

          Bem, 0,94% ao mês é melhor que os 9% ao ano. Daria pouco menos de 12% ao ano. Ainda assim, descontando o Imposto de Renda, ficaria mais baixo que o CET do seu financiamento. Como você disse que sua prestação está um pouco alta, a melhor opção parece ser a amortização diminuindo o valor da prestação. Mas recomendo cuidado com a folga que a amortização vai te proporcionar. Reveja seu orçamento e economize o máximo que puder, desse valor que diminuirá na prestação. Senão daqui a pouco você poderá estar com o orçamento apertado novamente, e sem os R$ 50 mil para te socorrer.

          Abraço!

          Responder
  • Boa tarde , tudo bem ?
    Adquiri um imovel cujo saldo devedor hoje é 168.359,85 prazo de 360 meses, estou na parcela 54, juros contratual 8,6488, amortização mes 546,24, parcela mensal total de 1.831,33, seguro 42,72, administração 25%.
    Possuo 30.000,00 de recursos proprios livre. Possuo um consorcio ainda na contemplado no valor da carta de 125.000,00 e parcelas de 870,00. O que me aconselha a fazer ? Na verdade sou otimo pra guardar dinheiro mais nao sei ao certo o que fazer nesse momento ! Pode me ajudar a clarear ?
    Desde ja muito obrigado, e parabens pelo trabalho esclarecedor que faz !
    Reinaldo

    Responder
    • Frederico Torres

      Veja Reinaldo,

      O CET do seu financiamento imobiliário não é alto e, como você disse que é bom pra guardar dinheiro, seria financeiramente interessante aplicar os 30mil em uma aplicação de renda fixa de baixo risco, que te renderia líquido de IR mais do que isto. Ao mesmo tempo, você manteria o financiamento apenas com o pagamento regular das parcelas (sem amortizar antecipadamente).

      Bom, mas você tem também o consórcio e aí as coisas podem mudar. Vou te dar duas opções abaixo e você decide, ok?!

      Como você já deve ter lido nos nossos textos, ou escudado nos nossos podcasts, via de regra não recomendo os consórcios, mas se você já possui um, financeiramente, o recomendável é tentar obter a carta de crédito (ser contemplado) o quanto antes. Assim, sugiro que você aplique os 30mil em renda fixa segura e com liquidez mensal, além do que porventura vier a guardar a mais mensalmente. Todo mês, porém, você consultará o valor da aplicação e fará um lance no seu consórcio naquele valor. O objetivo é usar esta reserva para ser contemplado e obter a carta de crédito de 125mil.

      Com a carta, você terá 2 opções. A mais simples é usá-la para amortizar seu financiamento imobiliário, reduzindo a dívida mesmo não sendo cara. A outra, que dará um pouco mais de trabalho, mas pode render mais, especialmente enquanto a Selic ainda estiver alta, é negociar a carta de crédito e aplicar os 125mil, ao invés de usar os recursos para fazer uma quitação antecipada do financiamento.

      Grande abraço e obrigado pela confiança.

      Responder
  • Prezado Everton.
    Parabéns pelo blog. Muito bom!

    Veja se este raciocínio procede: para financiamentos em bancos diferentes, mas com o mesmo CET, para quem pretende quitar rapidamente o saldo devedor (digamos 1 ano), o banco que apresenta o CESH maior seria o mais vantajoso?

    Isso porque, se o CESH está embutido no CET, ao remover o CESH da maioria das parcelas (o que ocorre ao amortizar o prazo, eliminado custo administrativo e também o seguro, onde entraria o CESH), significa que o banco que apresenta CESH maior possui uma menor taxa de juros.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Marco, obrigado pela sua mensagem. Gostei muito dela, traz um raciocínio bem interessante.

      Sim, se dois financiamentos que têm o mesmo valor e mesmo prazo apresentam o mesmo CET, e um deles tem o CESH maior, quer dizer que este tem o seguro mais caro. E tem também taxa de juros mais baixa. Portanto, se você quitá-lo antecipadamente, ele é mais vantajoso.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton. Gostaria de saber o seguinte: quando abatemos o valor do FGTS no financiamento habitacional CEF ,o valor não é descontado do saldo devedor?
    Obrigada. Vilma

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Vilma,

      quando você faz uma AMORTIZAÇÃO EXTRAORDINÁRIA, diminui, sim. Mas quando você opta pelo PPP – Pagamento de Parte das Prestações, não diminui. Em compensação, esta é a modalidade que permite um alívio maior no orçamento da pessoa. Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton.

    Primeiramente queria parabeniza-lo pela iniciativa de ajudar as pessoas com seus financiamentos.

    Queria tirar uma dúvida: Fiz um financiamento de um apartamento com as seguintes condições:

    Valor do Imóvel: R$ 300.000,00
    Valor dado como Entrada: R$ 68.500,00 (FGTS)
    Tempo do Financiamento: 240 meses
    Taxa de juros efetiva: 7.8500% a.a
    Taxa adm: R$ 25,00
    Seguro: R$ 51,41

    Já foram pagos 13 prestações com valores próximos a R$ 2.500,00, mas percebi que grande parte deste valor é juros, ou seja, a amortização é bem pequena, só que consigo ainda juntar próximo de R$ 20.000,00 por ano, aproximadamente R$ 1.600,00 por mês. Qual a melhor forma de aproveitar esse dinheiro … juntar para quitar quando o montante for maior ? Amortizar de tempos em tempos ? Meu objetivo é pagar a menor quantia em juros. Devo procurar a caixa e pedir para que recalculem num tempo menor para que a amortização seja maior ?

    Desde já agradeço.

    Abraço,

    Thiago.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Thiago, obrigado pela sua mensagem!

      Rapaz, em comparação com muitos casos que vemos por aqui, a proporção de amortização, na sua parcela, é bem boa. Pelos meus cálculos, você deve estar pagando pouco menos de R$ 1000 de amortização, e pouco mais de R$ 1400 de juros, certo?

      Mas concordo, ainda assim é muito…

      Sua taxa de juros não é muito alta, certo? Por isso, pode ser vantajoso você manter o dinheiro aplicado, para amortizar (ou quitar) no futuro. Mas é preciso fazer alguns cálculos para saber se realmente é vantajoso. Porque não basta levar em conta apenas a taxa de juros, mas sim o Custo Efetivo Total, que inclui, além dos juros, o seguro, a taxa de administração e outros, que muitas vezes o gerente do banco não considera, como as tarifas de manutenção de conta corrente e de cartão de crédito.

      Apurado o CET, é preciso compará-lo com o rendimento líquido de uma boa aplicação que esteja ao seu alcance. Se o rendimento for razoavelmente maior que o CET, é vantajoso manter o dinheiro aplicado. Mas, claro, para que essa estratégia funcione, e preciso ter disciplina.

      O Educando Seu Bolso oferece o serviço de Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente esse, identificar seu perfil, verificar se compensa amortizar ou manter o dinheiro aplicado (e, nesse caso, ajudamos a procurar uma boa aplicação) e montar uma boa estratégia para amortizações ou quitação no futuro. Pode ser vantajoso para você, pois o investimento é relativamente baixo, em comparação com o que você pode ganhar fazendo uma boa escolha. Se quiser conhecer, o endereço é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/

      Respondendo sua última pergunta, normalmente a Caixa não altera as condições do financiamento durante a vigência do contrato. Para diminuir o prazo e, consequentemente, aumentar o valor da amortização mensal, a forma mais prática é fazer uma amortização extraordinária diminuindo o prazo.

      Abraço!

      Responder
  • Olá tenho um saldo devedor de 66mil sendo as parcelas 530+- mensalmente.
    Tenho fgts no valor de 10mil.
    Quero saber a melhor forma de usa-lo amortizando o valor das parcelas ou o prazo. E se devo usar todo o valor
    Obrigada

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Vivianny, obrigado pela sua mensagem!

      Saber qual é a melhor forma de utilizar seu FGTS depende de vários fatores. Por exemplo, o Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento (que inclui a taxa de juros e outros custos), a situação do seu orçamento, sua condição de poupar, seu perfil pessoal, entre outros fatores.

      Em alguns casos a melhor opção é bastante clara (mas eu precisaria saber pelo menos o CET do financiamento). Em outros casos não é tão claro assim, e seria necessário fazer cálculos e conhecer seu perfil.

      Para isto o Educando Seu Bolso oferece o serviço de Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente saber qual é a melhor opção de amortização e montar uma estratégia adequada para cada pessoa. Pode ser vantajoso para você, já que o investimento é relativamente baixo em comparação com a economia que você pode fazer. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?.

      Mas se quiser nos informar detalhes sobre seu financiamento, fique à vontade. Pode ser que no seu caso a solução seja mais clara, e nós consigamos dar sugestões sem a necessidade de cálculos.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde. Estou com uma dúvida referente aos valores do meu financiamento, peguei os extratos dos últimos dois anos e comecei a comparar, foi aí que eu achei estranho.Vou tentar ser clara com exemplo prático:
    Saldo Devedor em 31/12/2014: R$ 92.399,39
    Valor pago em 2015: R$ 7.684,60
    Saldo Devedor em 31/12/2015: R$ 90.737,99
    Em fevereiro de 2.016 fiz o abatimento de R$ 6.000,00 do FGTS para diminuir as prestações mensais, mais nos meus cálculos de janeiro até agora já paguei R$ 8,118,58 (considerando o FGTS + as prestações), e o meu saldo devedor atual ainda é de R$ 89.447,35.
    Porque esses valores não batem? A impressão é que eu pago e não é abatido no total da minha dívida, isto está correto? Qual é a lógica?
    Dados do financiamento:
    Prazo: 360 meses
    Prestação atual: 39
    Juros: 4,5000%
    Juros/ Correção do mês: R$ 336,45
    Amortização do mês: R$ 274,80
    Seguro: R$ 12,46
    Prestação integral: R$ 622,00
    Prestação atual com amortização: R$ 124,73

    Muito obrigado desde já!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Marina, obrigado pela sua mensagem!

      O que acontece é que o valor que você paga é, sim, abatido do saldo devedor. Mas aí vem a TR e corrige o saldo devedor, aumentando-o um pouco outra vez. Então é natural que, no boleto, venha escrito “Amortização do mês: R$ 274,80”, mas que o saldo caia apenas, digamos, R$180.

      Até aí, tudo bem…

      Mas esse abatimento de R$ 6 mil me chamou a atenção. Você disse seu saldo devedor em dezembro de 2015 era de R$ 90.700, em fevereiro você abateu R$ 6 mil e atualmente o saldo está em R$ 89 mil. Você fez uma AMORTIZAÇÃO EXTRAORDINÁRIA de R$ 6 mil, ou usou aquela modalidade “Pagamento de Parte das Prestações – PPP”, em que você abate 80% da prestação? Se for amortização, me parece que há algo errado. Se for PPP, me parece certo.

      Peço que verifique e entre em contato conosco novamente. Recentemente encontramos um erro grotesco do banco em um financiamento, em que o cliente estava sendo prejudicado.

      Abraço!

      Responder
      • Ola Ewerton! Obrigado pelo pronto atendimento. A modalidade que usei foi a do abatimento das prestações mesmo (PPP), você acha que está correto assim? Então não foi vantagem eu fazer essa utilização do FGTS já que não abate no meu saldo devedor? Só gostaria de entender o porque nessa modalidade não abate do saldo devedor….
        Pelo que entendi a maioria do valor que eu pago mensalmente é juros, e uma pequena parte se refere a prestação efetivamente, por isso que não sinto diferença no saldo devedor, é isso mesmo? Grata.

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Olá, Marina, é um prazer revê-la aqui.

          Já que você optou pela PPP, os valores que você me falou me parecem coerentes. Não posso garantir que estejam 100% certos sem fazer uma auditoria, claro, mas não vejo nenhum absurdo neles.

          A PPP não diminui o saldo devedor porque ela não é uma amortização. É uma forma de “liberação” do saldo de FGTS para pagar as prestações.

          Então qual é a vantagem dela? É que esta é a forma que proporciona uma economia maior, imediata, para o mutuário.

          Veja bem: se optasse pela amortização diminuindo o prazo, você diminuiria seu financiamento em cerca de 45 meses e não diminuiria a prestação. Se optasse por amortizar diminuindo a prestação, você economizaria cerca de R$ 40 por mês. Mas optando pelo PPP você economiza 80% da prestação, isto é, cerca de R$ 500.

          Por isso a PPP é especialmente recomendada para quem deseja um alívio imediato no orçamento.

          Mas não fique triste, achando que fez mau negócio. Em alguns casos pode ser a opção mais vantajosa! Se você precisava deste alívio, ele veio. E se não precisava, pode aplicar esses R$ 500 em um investimento que renda bem mais que os 3% do FGTS. Tudo vai depender do uso que você faz do dinheiro.

          E o que você falou no final é verdade. Como você mesma pode ver, na sua prestação mensal de R$ 620, pouco mais de R$ 20 são para pagar seguro e taxa de administração, R$ 336 são juros e apenas R$ 275 são a amortização. E ainda tem a TR que todo mês corrige um pouco seu saldo devedor. É por isso que o saldo devedor cai tão lentamente.

          Olhando assim é um pouco assustador, né? Mas pense que a taxa de juros é de 4,5% ao ano, é a mais baixa que existe no mercado. Não é mau negócio, se levar em conta que boas aplicações rendem mais que o dobro disso. Mas, claro, não deixa de ser uma dívida, não deixa de ter juros e correção. Por isso é bom cuidar bem dela. Já que você optou pela PPP, recomendo que faça bom uso da economia mensal.

          Abraço!

          Responder
          • Muito obrigado Ewerton. Foi muito esclarecedor, você me tranquilizou em relação a varias dúvidas. Parabéns pelo blog!! Vou recomendá-lo aos amigos.

            Um abraço.

            Responder
  • Oi Ewerton. Vamos ver se vc consegue me ajudar. Fiz um financiamento imobiliário no Itaú no valor de R$700.000,00. Quero amortizar R$350.000,00. Como pretendo usar FGTS e quitar a dívida nos próximos 2 anos, preferi usar a redução do valor das parcelas mantendo o prazo. Liguei no Itau para simular valores e me orientaram a fazer a amortização no dia do aniversário do pagamento da prestação. Segundo eles, a amortização na data do vencimento das parcelas serve para reduzir uma série de encargos. Ficou a dúvida se no dia do pagamento da amortização precisarei pagar também o valor da parcela daquele mês. Entendo que não, uma vez que, ao pagar a amortização no mesmo dia do vencimento da parcela, no calculo prévio da amortização já estava o saldo devedor daquela parcela daquele mês. Poderia me ajudar a entender, pf?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Verushka, obrigado pela sua mensagem.

      Achei um pouco inusitada essa sugestão do Itaú. E acho estranho eles dizerem que amortizar na data do aniversário “reduz uma série de encargos”. Geralmente, quando você paga fora da data, o sistema faz os cálculos proporcionais (de acordo com o número de dias até o vencimento) de amortização mensal, juros etc. Só isso. Não vejo por que reduzir encargos.

      Quanto à prestação do mês, de um jeito ou de outro você vai pagar. Ou vai pagar os R$ 350 mil MAIS a prestação do mês, e o valor total vai ser abatido do seu saldo devedor, ou vai pagar apenas os R$ 350 mil e, apenas este valor será abatido do saldo. Aí é uma questão operacional do banco.

      Por exemplo: suponha que seu saldo devedor seja de R$ 600 mil, e sua prestação seja de R$ 2 mil. Na hora da amortização, se você pagar a prestação do mês, serão deduzidos do saldo devedor R$ 352 mil. Se não pagar, serão deduzidos R$ 350 mil.

      Se ainda ficou dúvida, por favor me fale. Abraço!

      Responder
  • Bom dia,

    Estou começando a fazer um financiamento na caixa desta forma:
    Valor de financiamento R$ 150.000,00
    Prazo 120 meses
    Valor da entrada R$ 180.000,00
    Juros 9,5690% a.a
    CET – Custo Efetivo Total 11,5020%

    gostaria de saber quanto pagaria se fosse amortizar todo mes a ultima parcela, e se vale a pena..

    Obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Alan, obrigado pela sua mensagem.

      Vou te explicar como funciona a amortização. Seu financiamento, a cada momento, tem um saldo devedor, certo? Além disso, ele tem a taxa de juros, combinada no início do contrato. Além disso, ele tem um prazo restante para a quitação. A partir desses três fatores é calculado o quarto fator, a prestação.

      Quando você faz uma amortização extraordinária, você está diminuindo o saldo devedor. A taxa de juros permanece a mesma. E aí você vai escolher se deseja diminuir o prazo (mantendo a prestação), ou diminuir a prestação (mantendo o prazo). A partir da sua escolha, o financiamento é recalculado.

      Por que estou te dizendo tudo isso? Porque a coisa não funciona da forma como você (e muita gente) disse, “amortizar a última parcela”. Você escolhe o valor, e o banco diz quantas parcelas diminuíram.

      Se quiser saber o efeito das suas amortizações, sugiro que visite nossa Calculadora de Amortizações. Lá você entra com seus dados e com o valor que deseja amortizar, e a calculadora te fala para quanto vai seu prazo ou sua prestação. O link é https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Quanto a dizer o que vale a pena, aí depende de outros fatores. A condição do seu orçamento, sua condição de poupar, entre outros. Para isso o Educando Seu Bolso lançou a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes serve justamente para ajudar a pessoa a escolher a melhor estratégia para amortizar seu financiamento. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • muito obrigada, pela explicação..Amo esse tipo de calculo, pena que
    não sei…quero saber onde posso estar aprendendo mais sobre esse temas! juros, aplicações

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Nalva, que bom que gostou.
      Aqui no blog tem bastante informação sobre vários assuntos, inclusive aplicações. Mas se quiser se aprofundar nos cálculos, procure conteúdo que envolva matemática financeira. Não exatamente livros de matemática pura, mas posts de professores, com exemplos práticos, que mostram passo a passo como os cálculos são feitos. Abraço!

      Responder
  • Olá, achei seu artigo muito interessante e bem escrito, tenho pesquisado sobre o assunto mas não havia encontrado informação com credibilidade.

    Estou com uma dúvida muito grande no que fazer no caso do meu financiamento e gostaria de saber se você pode me ajudar.

    Tenho um financiamento hoje que está nos seguintes moldes:

    Saldo devedor de R$ 180.000,00
    Prazo total: 340 meses
    Número da parcela atual:
    Taxa de juros efetivo de 10,5%
    Amortização

    Eu tenho uma valor de R$150.000,00 investido porem sem aplicar ainda.

    A minha perspectiva é de levantar recursos para quitar o financiamento nos próximos 6 anos.

    Tendo em vista esse cenários eu pendei nas seguintes opções:

    1 – aplicar os R$150.000,00 e como e onde aplicar?
    2 – Abater as ultimas parcelas do financiamento agora e sistematicamente abater a ultima parcela com todo o recurso extra que eu venha ganhar.
    3 – uma melhor sugestao de aplicacao ou pagar o financiamento.

    a ideia seria nao desfazer o montante quitando o emprestimo….e sim ter um dinheiro para qualquer urgencia ou investimento.

    Não sei se fui claro o suficiente mas qualquer dúvida estou a disposição.

    Fico muito grato pela sua disponibilidade desde já

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Francisco, obrigado pela sua mensagem.

      Entendo exatamente sua situação. Esses R$ 150 mil dão uma sensação de segurança, para o caso de acontecer alguma urgência. Usá-los integralmente para quitar a dívida, e ficar sem reserva, é desconfortável.

      Esses 10,5% equivalem, aproximadamente, ao rendimento líquido (descontado o Imposto de Renda) de uma boa aplicação financeira. É preciso verificar se há algum outro custo, como manutenção de conta corrente ou de cartão de crédito.

      Eu não gosto muito da opção de amortizar diminuindo o prazo. Você iria ficar sem a reserva e teria pouco ganho financeiro imediato (apenas seu saldo devedor diminuiria mais rapidamente após a amortização).

      Me atrai mais manter o dinheiro aplicado ou amortizar diminuindo a prestação, aplicando mensalmente o valor economizado.

      O Educando Seu Bolso lançou a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente este, definir uma boa estratégia para amortizar ou para investir o dinheiro. Primeiro nós temos uma conversa para entender com detalhes o seu perfil. Em seguida, fazemos os cálculos e apresentamos uma (ou mais de uma) estratégia adequada ao seu perfil. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?. O investimento é relativamente baixo, em comparação com o benefício que uma boa decisão financeira pode trazer.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, parabéns por ajudar tantas pessoas no esclarecimento das dúvidas. É uma atitude muito nobre sua.

    Eu tenho um imóvel financiado á uma taxa de 4,5% a.a.
    O prazo total é de 240 meses, e restam 166 parcelas.
    A parcela atual está em 548,13 sendo destes, 208,00 de juros e é decrescente a cada mês.
    FGHAB no valor de 11,48.
    O saldo devedor está em 55.123,00.
    A cada dois anos, posso utilizar aprox. 6.500,00 do FGTS.

    Apenas do ponto de vista financeiro, é mais vantajoso diminuir o prazo do financiamento evitando pagar juros, seguro e o efeito da TR ao longo desses 14 anos restantes, ou vale a pena amortizar diminuindo o valor das parcelas com o FGTS, e com esse valor mensal que sobra das parcelas, utilizar numa aplicação em títulos públicos.

    Nesse caso, qual a melhor alternativa para pagar menos pelo financiamento.

    Parabéns novamente pelo belo trabalho e pelo blog educando seu bolso.
    Abraços!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Rodrigo, obrigado pela mensagem, e peço mil desculpas pela demora na resposta.

      Se a pessoa tem apenas uma chance de fazer uma amortização extraordinária, no final das contas é financeiramente mais vantajoso diminuir o prazo, porque, como você disse, ela fica menos tempo exposta a juros, tarifas, seguro e TR.

      Mas se ela tem a perspectiva de fazer outras amortizações ao longo do tempo, pode ser mais vantajoso diminuir o valor da prestação e, como você disse, aplicar a diferença. Nesse caso, seria necessário fazer alguns cálculos, levando em conta outros fatores, inclusive a situação do orçamento familiar e a condição da pessoa em fazer as aplicações.

      O Educando Seu Bolso oferece o serviço de Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente esses, “Prazo ou Parcela”. Se quiser conhecer, acesse o link: https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      O papel da consultoria é justamente conversar com a pessoa e traçar a melhor estratégia, inclusive com a previsão para quitação. É um investimento relativamente baixo, em comparação com o benefício que pode trazer.

      Abraço!

      Responder
      • Ewerton, muitíssimo obrigado pela resposta.

        Faz sentido dizer então que: quanto mais baixa for a taxa do CET, ou seja, mais barato o financiamento, mais acertada será a opção da redução do valor das parcelas. E quanto mais ALTA for a taxa do financiamento, a melhor opção tende a ser a redução do prazo?

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Não. Se o CET for muito baixo, talvez não compense amortizar. Se for mais baixo do que se consegue em aplicações, pode ser financeiramente vantajoso manter a dívida barata e aplicar o dinheiro no mercado. Mas, claro, com cuidado: verificando o Custo Efetivo Total, mas total mesmo, rs. Inclusive o custo de manutenção de conta corrente, de cartão de crédito, essas coisas de que a gente costuma se esquecer. E verificando o rendimento líquido da aplicação (descontando taxas e impostos), e a segurança do investimento (de preferência, escolher os protegidos pelo FGC).

          Se a taxa for alta, compensa fazer a amortização. Para dizer o que compensa mais é preciso levar em conta outros fatores, como a condição do orçamento, a capacidade de poupança, entre outros.

          Abraço!

          Responder
  • Obrigado pelos esclarecimentos Sr. Ewerton.

    Eu já fiz algumas amortizações e não havia pensado que a segunda opção compensaria em alguma hipótese. Havia pensado que a segunda hipótese era um engodo para apenas adiantar o pagamento de juros ao banco, reduzir as parcelas parece atrativo e estava sendo sugerida pelo atendente da Caixa, mas concluí logo que manter o valor da parcela me permitiria abater a dívida sem pagar os juros, achei isso tão legal que faço disso meu cofrinho, cada sobra vou lá e amortizo baixando o prazo, sinto que estou brincando de multiplicar dinheiro com o melhor investimento de 100% de rendimento instantâneo, já que amortizo cerca de R$500,00 por mês e pago em torno de R$480,00 com juros e taxas ao mês. Ou seja, quando vou lá e pago mais R$500,00 além da parcela, é como se eu tivesse ganhado de brinde R$480,00 na hora. Acho tão legal que saio comemorando como se tivesse ganhado uma raspadinha kkk

    Nem vou fazer as contas, quero me livrar da dívida logo, nem vou considerar comparar investimentos e tal, mas foi bom saber que pode também ser uma alternativa.

    Abraço

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Diego, obrigado pela sua mensagem, gostei muito dela!

      Pois é, as duas modalidades podem ser adequadas, depende das condições do financiamento, das oportunidades de investimento e das características da pessoa.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia, Ewerton. Tudo bem?
    Possuo um financiamento na CEF com saldo devedor teórico de 254.494,37. Já li bastante a respeito das melhores maneiras de amortizar a dívida e, no meu caso, pretendo fazer uma amortização com meu FGTS no valor de 30 mil.
    O que me intriga é por que o saldo teórico quase não muda. No mês de julho meu saldo era 254.756,06 e agora em setembro está como informei acima. Nessa conta, amortizei apenas 261,29 quando o combinado seria 646 por mês.
    Estou pensando que se for nesse passo, vai chegar a minha 420a prestação e ainda haverá saldo a pagar. De 420 paguei 32.
    A taxa de juros do contrato é 8,51% a.a., o juros calculado na parcela deste mês (09) é 1.601,93 e a amortização 646,40. O seguro é 84,72 e a taxa 25. Ainda tem um índice de reajuste mensal de 1,00164.
    Pode me ajudar a entender pq meu saldo devedor não muda?
    Já pesquisei em vários lugares, mas não obtive uma resposta assertiva.
    Muito obrigada pelo seu auxílio.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Fran, obrigado pela sua mensagem!

      O motivo para essa diferença (amortizar R$ 646 e o saldo cair só R$ 261) é a TR, que corrige mensalmente o seu saldo devedor. Então o seu saldo primeiro diminui nos R$ 646, depois a TR “devolve” R$ 385 ao saldo, resultando, então, em uma queda real de R$ 261. É assim mesmo que funciona.

      O efeito da TR é especialmente alto nos financiamentos de prazo mais longo, que têm amortização mensal menor.

      Quanto a restar saldo devedor ao final do prazo, isso não acontece, porque, a cada aniversário do financiamento, a amortização mensal é recalculada. Repare que a prestação subiu um pouco nas parcelas de números 13 e 25, e vai subir de novo na 37.
      Por essa e por outras razões, é vantagem, sim, usar o FGTS para amortizar o saldo devedor. E aí, o que vai compensar mais (amortizar diminuindo o prazo ou a prestação), vai depender de fazer cálculos. A vantagem de diminuir o prazo, no seu caso, é justamente fazer com que a amortização mensal fique um pouco maior, diminuindo esse efeito danoso da TR. Diminuir a prestação, por outro lado, gera uma pequena economia a cada mês, que pode ser reinvestida, visando novas amortizações no futuro.

      O Educando Seu Bolso oferece o serviço de Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente este, o de avaliar o que compensa mais, amortizar diminuindo prazo ou prestação. Pode ser útil para você, e o investimento é relativamente baixo. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Olá, achei seu artigo muito interessante e bem escrito, tenho pesquisado sobre o assunto mas não havia encontrado informação com credibilidade.

    Estou com uma dúvida muito grande no que fazer no caso do meu financiamento e gostaria de saber se você pode me ajudar.

    Tenho um financiamento hoje que está nos seguintes moldes:

    Saldo devedor de R$ 420.000,00
    Prazo total: 247 meses
    Número da parcela atual: 2
    Taxa de juros efetivo de 10,5%
    Amortização R$1711,00

    Eu tenho uma valor de R$100.000,00 investido a uma rentabilidade de 1,14% ao mês.

    A minha perspectiva é de levantar recursos para quitar o financiamento nos próximos 6 anos.

    Tendo em vista esse cenários eu pendei nas seguintes opções:

    1 – Retirar os R$100.000,00 do fundo de investimento e abater o saldo devedor.
    2 – Abater as ultimas parcelas do financiamento agora e sistematicamente abater a ultima parcela com todo o recurso extra que eu venha ganhar.
    3 – Manter os 100.000,00 investindo e ir incrementando o valor investido e pagar o financiamento na sua totalidade em alguns anos.

    Não sei se fui claro o suficiente mas qualquer dúvida estou a disposição.

    Fico muito grato pela sua disponibilidade desde já.

    Obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Arthur, obrigado pela sua mensagem!

      Foi claríssimo. São as 3 opções mais clássicas em uma situação como a sua. Aí, o que vai compensar mais vai depender das condições do financiamento e dos investimentos.

      A segunda opção não me parece boa. Você vai se descapitalizar, sem ter uma contrapartida financeira imediata. Então eu ficaria entre a opção 1 ou a 3.

      O rendimento líquido mensal do seu investimento é de cerca de 0,97% (se levarmos em conta um Imposto de Renda de 15%, isto é, se você deixar o dinheiro quieto por pelo menos 2 anos). Aí seria necessário calcular o Custo Efetivo Total – CET do financiamento, que não é simplesmente a taxa de juros (que, se é de 10,5% efetivos ao ano, significa 0,84% ao mês). É preciso levar em conta os seguros, tarifas e custos de manutenção de conta e cartão de crédito, se houver. Talvez não chegue aos 0,97% do investimento, mas é algo próximo disso.

      Para saber ao certo a melhor estratégia, portanto, seria necessário fazer cálculos mais cuidadosos e, principalmente, levar em conta outros fatores, como a situação do seu orçamento, sua capacidade de poupança, seu perfil e o da sua família, entre outros.

      O Educando Seu Bolso oferece o serviço de Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente este, o de avaliar o que compensa mais, poupar ou amortizar (e, se for o caso de amortizar, qual seria a melhor modalidade). Pode ser útil para você, e o investimento é relativamente baixo. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia,comprei uma casa pelo.programa minha casa minha vida, optei pela tabela price pela entrada ser menor,360 meses com parcela de 467,tenho a intenção de a cada 2 anos dar uns 10 mil para abater as parcelas,minha dúvida vou ter desconto pagando as últimas parcelas,obrigado desde já

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Eni, obrigado pela sua mensagem!

      Quando você faz amortizações extraordinárias, abate do saldo devedor o valor integral da amortização. Ou seja, é como se fosse um desconto, porque você evita os juros, seguros e taxa de administração. E isso vale tanto para a amortização que diminui o prazo como para a que diminui o valor da prestação.

      Então, por exemplo, se seu saldo devedor é de R$ 60 mil, e você faz uma amortização extraordinária de R$ 10 mil, seu saldo devedor passa a ser R$ 50 mil. Você fica livre de várias parcelas, ou seja, evita juros e taxas.

      Respondi sua pergunta? Se não, por favor entre em contato novamente.

      Abraço!

      Responder
        • Ewerton Veloso

          Juliano, obrigado pela sua mensagem.

          Nesse caso, seria necessário apurar o Custo Efetivo Total – CET do financiamento, e compará-lo com o rendimento líquido de uma aplicação. Se o rendimento for maior, pode ser vantajoso juntar o dinheiro todo. Se não for, pode ser vantajoso ir amortizando sempre que possível.

          Mas, para saber ao certo, é necessário, além de ter todas as informações, fazer uma série de cálculos.

          Responder
  • Boa noite Ewerton,

    Consigo utilizar meu saldo de FGTS para pagamentos de parcelas referentes a juros contratuais? Neste caso referente ao valor que a construtora repassa a caixa até que meu apartamento fique pronto?

    Att,
    Jorge Valcanaia

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Jorge, obrigado pela sua mensagem!

      Pelo que entendi, você pretende usar o FGTS para pagar financiamento fora do Sistema Financeiro de Habitação – SFH, certo?

      Há muitos mutuários conseguindo permissão para isso, ao acionar a justiça. Originalmente não era permitido, mas tem sido criada jurisprudência, e muita gente tem conseguido.

      Nossa especialidade é a parte de estratégia financeira de financiamentos, e não a parte legal e de procedimentos. Sugiro que procure alguém – geralmente advogados – especializado nessa parte.

      Mas se entendi errado sua pergunta, me desculpo e peço que entre em contato novamente. Abraço!

      Responder
  • Boa Tarde, eu tenho um financiamento onde foi dado meu apto como garantia. Atualmente saldo devedor 87.488,59
    ,00. Infelizmente esse financiamento sofre correções em cima do saldo devedor antes de amortizar o valor para parcela. Estou pensando em dar um valor de 35.000,00 para abater saldo devedor, porém eu venderia meu carro e então financiaria um outro em torno de 40.000,00 mas em 60x. Mas não sei se é viável. Outra possibilidade é que talvez em 12/2017 eu tenha juntado 40.000,00 e então venderia o carro para juntar e pagar, mas acredito que ainda faltaria.
    Abaixo referencias do financiamento com imóvel em garantia:
    Valor emprestimo em 19/02/2014 – 82.621,83 – PLANO -pcm/sac – reajuste -PCM/IGPM – correção – PCM/IGPM/1
    Prazo – 240 meses – Taxa Juros – 12,600
    Prestação – 1211,79 – seg.Mip – 29,62 – Seg.DFI – 44,34 – Razão – 3,61
    SALDO DEVEDOR – 87,488,59 – última prestação – 1341,63 –
    Seguro – 42,71
    Juros de Mora – 923,02 – Amortização – 418,61
    Todos esses valores oscilam conforme IGPM. Fora que peguei 82000 e estou devendo 87500. Desembolso de 40.000,00.
    Que caminho seria melhor?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Nádia, obrigado pela sua mensagem.

      Pelo que entendi, seu financiamento não é pelo Sistema Financeiro de Habitação – SFH. A taxa é de 12,6% + IGPM? Se for, realmente é relativamente alta.

      Vender o carro e financiar outro é quase igual a tomar um empréstimo à taxa de juros do financiamento do automóvel (a diferença é que você vai ter um carro novo, que pode gerar menos despesas de manutenção, além do conforto do carro novo). Financeiramente, isso só é vantajoso se os juros do financiamento do automóvel forem menores que os juros do financiamento imobiliário.

      Para te dar uma sugestão mais acertada, seria necessário conhecer em detalhes todos os detalhes do financiamento. O Educando Seu Bolso oferece o serviço de Consultoria em Financiamento Imobiliário. A proposta é te ouvir, conhecer o seu perfil, levantar todos os dados e propor uma estratégia adequada para você. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Boa Tarde,

    tenho um financiamento com a caixa e o saldo devedor e de 71.843,04, tenho 23 mil de FGTS, a prestação e de 746,73 + seguro de 21,56 + 23,13 taxa adm. gostaria de saber qual a melhor forma de usar o FGTS falta 250 prestações?

    Abraço

    João Henrique

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado João Henrique, obrigado pela sua mensagem!

      A melhor forma de usar o FGTS depende de vários fatores: a condição do seu orçamento, a sua condição de poupar para novas amortizações no futuro, sua condição de acumular mais FGTS, entre outros.

      O Educando Seu Bolso oferece o serviço de Consultoria em Financiamento Imobiliário, que tem uma opção destinada exatamente a comparar as duas formas de amortização. A proposta é te ouvir, conhecer o seu perfil, levantar todos os dados do seu financiamento e propor uma estratégia adequada para você. Não apenas de utilização do FGTS, mas de futuras amortizações e até da quitação. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton.
    Meu nome é Jonathan e tô entrando em um financiamento com a Caixa econômica no plano Minha Casa Minha Vida.
    O valor do imóvel é de R$ 180 mil.
    Minha renda bruta R$ 3.650,00
    Valor da entrada R$ 45 mil
    Vou pegar um juros de 7.93% Efetivos e 7.66% nominais
    Primeira parcela valor de R$ 1.010,41

    Bom… A princípio o meu financiamento seria no modo PRICE , eu estava certo disso…
    Quando estive conversando com um despachante da Caixa ( preparando a documentação ) o mesmo me disse que a tabela PRICE sobe anualmente se baseando na inflação. Fiquei com medo e acabei pesquisando um pouco a mais.
    Eu não consigo fazer no SAC pois ele vai me exigir um valor maior de entrada, e esse valor eu não tenho, e o pior de tudo é que já dei sinal de negócio com a imobiliária, não posso voltar atrás.
    O meu medo é que a tabela PRICE suba anualmente e eu não consiga pagar o financiamento. Pelo simulador da Caixa mostra parcelas quase fixas do início ao fim, porem o despachante imobiliario me disse ao contrário.
    Além das parcelas eu consigo dar um valor anual de mais 25 mil para amortizar o financiamento. Tô com medo de entrar em uma enroscada, não conseguir quitar o imóvel e os juros continuarem subindo ( por conta das parcelas subirem se baseando na inflação)
    A um tempo atrás, um correspondente da Caixa tinha me falado que se a minha intenção era quitar o imóvel em até 10 anos o financiamento ideal seria pela PRICE, mais descobri sobre a inflação somente depois de ter assinado o contrato de negocio com o corretor . Não sei se esse correspondente me disse o certo.
    Qual valor das minhas parcelas no Price ficariam ano a ano com a Inflação?
    Realmente se eu quitar em 10 anos o imóvel a tabela price é mais interessante ?
    Na amortização em até 10 anos o financiemrno mais interessante seria a SAC ou a Price ?

    Estou muito preocupado… Se puder me ajudar eu agradeço e muito

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Jonathan, obrigado pela sua mensagem!

      Nos financiamentos que eu já acompanhei, e nas minhas pesquisas, sempre vejo o saldo devedor sendo corrigido pela TR, e não por um índice de inflação. Tanto no sistema Price como no SAC.

      Sugiro que você confirme sobre essa correção. “Sobe anualmente se baseando na inflação” é um pouco vago. A TR, de certa forma, aumenta ou diminui conforme a inflação, mas não é um índice de inflação. Atualmente está em menos de 3% ao ano.

      Se ficar confirmado que o índice de correção é a TR, sugiro que você invista esses R$ 25 mil como reserva, já que as taxas de juros do Minha Casa, Minha Vida são mais baixos que os rendimentos das aplicações.

      O sistema Price é vantajoso para casos como o seu, em que o orçamento não comporta as prestações iniciais altas do sistema SAC. E realmente, se você quitar antes da metade do prazo, pode ser mais vantajoso.

      O Educando Seu Bolso oferece o serviço de Consultoria em Financiamento Imobiliário, que tem uma opção destinada exatamente a comparar os sistemas Price e SAC. E desenhar cenários futuros e estratégias para quitação antecipada. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Olá o Everton boa noite gostaria que você me ajudasse a entender como funciona o sistema de amortização de um financiamento que fiz pelo programa Minha Casa Minha Vida no valor de r$ 120000 parcelados em 360 meses com parcelas de mais ou menos r$ 900 como posso fazer os pagamentos sem pagar um valor muito alto de juros.
    Se eu optar por ficar pagando as parcelas no período de 360 meses irei pagar de juros o dobro do financiamento.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      André, obrigado pela sua mensagem!

      Vou te explicar.

      Um financiamento imobiliário tem 3 componentes principais: o valor financiado, o prazo e a taxa de juros. O banco faz o cálculo, usando esses 3 componentes, e chega a um valor inicial de prestação.

      A partir daí, todos os meses esse cálculo é refeito. O saldo devedor (valor financiado) está um pouco menor, o prazo está 1 mês menor, e a taxa de juros é a mesma. É refeito o cálculo, e se chega a um novo valor de prestação. E assim vai, todo mês.

      Quando você faz a amortização extraordinária, você está diminuindo mais ainda o saldo devedor. A taxa de juros permanece a mesma. E aí você vai escolher o que vai diminuir: o prazo ou o valor da prestação. Se preferir diminuir o prazo, a prestação fica a mesma. Se diminuir a prestação, o prazo fica o mesmo.

      Respondendo sua pergunta: como você pode fazer os pagamentos sem pagar um valor muito alto de juros? Diminuindo o prazo.

      MAS…

      Já que é Minha Casa, Minha Vida, cujos juros são relativamente baixos, talvez o que compense mais seja diminuir a prestação, e aplicar todo mês o valor economizado. Para isso é preciso ter disciplina, claro. Mas pode ser financeiramente vantajoso.

      O Educando Seu Bolso oferece a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente esse, avaliar o que compensa mais, amortizar pelo prazo ou pelo valor da prestação. Se quiser conhecer, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton, parabéns pelo blog!
    Enviei um email, porém fiquei na duvida se iria chegar pra vc, por isso vou deixar minha dúvida aqui também.
    Tenho um financiamento e gostaria de abater R$ 26.000,00 no saldo devedor, pois quero terminar com essa dívida em menos tempo. Esse valor seria 13.000,00 meu e 13.000,00 da minha mãe. Valores esse da poupança!
    Minha dúvida é abater esse valor agora ou aplicá-lo em algum rendimento mais rentável?
    Já fiz a simulação em sua planilha:
    Amortização por Prazo
    Nova Prestação:R$ 582,14
    Prazo Restante:147 meses
    Saldo Devedor:R$ 50.970,00
    Valores aproximados
    Porém notei que o valor da prestação não diminuiu… por que isso acontece?
    Abaixo segue os dados do financiamento (Se der, me responda também pelo email!) :
    Prestação : 28
    Prazo do Financiamento: 336
    Taxa de Juros Contratual: 4,5000
    Índice de reajuste Prestação mês: 1,00162
    SG: MF04S
    L. Finan/Or. Recursos: 80/25
    Saldo Devedor em: 04/08/2016
    R$: 76.970,31
    Juros: 289,56
    Amortização mês: 248,27
    Seguros: 49,68
    Obrigada!
    Valquiria

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Valquíria, obrigado pela sua mensagem! E me desculpe pela demora em responder, vi que você já mandou outras mensagens…

      Sempre que você faz uma amortização extraordinária, é precisoescolher se quer diminuir o prazo OU o valor da prestação.

      Se você quer terminar a dívida em menos tempo, a princípio podemos pensar que o melhor é abater diminuindo o prazo, certo?

      Mas…

      Sua taxa de juros é baixa, portanto seu Custo Efetivo Total – CET deve ser baixo também. Compensa muito pensar na possibilidade de aplicar bem esse dinheiro, formando uma reserva para, no futuro, quitar, ou fazer uma amortização maior.

      Mas se você quiser saber o que compensa, é necessário levar em conta vários fatores, porque a questão não é apenas matemática, tem muito a ver com o seu perfil. É preciso saber a sua condição de poupança no futuro próximo, a condição atual do seu orçamento, se você vai ter FGTS, entre outros fatores. Para isso nós lançamos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Se quiser conhecer, é só clicar no link:https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton. Adorei o seu site, tem dicas incriveis. Tenho um financiamento pela CEF e vou fazer uma amortização de R$ 30.000,00, fui a agencia, mas eles não explicam direito pra gente. Gostaria de saber se eu amortizar no prazo do financiamento, quanto de juros vou pagar? Eles só me passaram os valores da parcela.
    Prestação do Mês: 21 , prazo: 360 meses, taxa de juros contratual: 07,16, devedor teorico em 07/08/2016: R$ 113.611,10 , juros do mês R$ 679,85 , amortização do mês: R$ 330,23, valor da parcela : R$ 1.066,68 , prestação: R$ 1.010,08, taxa adm.: R$ 25,39 , FGHAB: R$ 31,21 .
    Vc pode me ajudar? Obrigada. Vilma

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Vilma, obrigado pela sua mensagem e pelos elogios!

      Se seu saldo devedor é R$ 113 mil e você vai amortizar R$ 30 mil, esse valor é integralmente abatido do saldo devedor, que vai passar para R$ 83 mil. Quando você amortiza, o valor é integralmente abatido, sem pagar juros.

      Um financiamento tem, basicamente, 3 fatores: saldo devedor, prazo e taxa de juros. A partir desses três fatores é calculada a prestação (e depois, são somados à prestação os seguros e taxa de administração).

      Quando você vai fazer uma amortização, o valor amortizado diminui o saldo devedor. A taxa de juros permanece sempre a mesma. Então você precisa escolher o que você quer que diminua junto do saldo: o prazo ou a prestação. Se vai diminuir o prazo, a prestação fica a mesma. Se vai diminuir a prestação, o prazo fica o mesmo.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton, parabéns pelo blog!

    Enviei um email, porém fiquei na duvida se iria chegar pra vc, por isso vou deixar minha dúvida aqui também.
    Tenho um financiamento e gostaria de abater R$ 26.000,00 no saldo devedor, pois quero terminar com essa dívida em menos tempo. Esse valor seria 13.000,00 meu e 13.000,00 da minha mãe. Valores esse da poupança!
    Minha dúvida é abater esse valor agora ou aplicá-lo em algum rendimento mais rentável?
    Já fiz a simulação em sua planilha:

    Amortização por Prazo
    Nova Prestação:R$ 582,14
    Prazo Restante:147 meses
    Saldo Devedor:R$ 50.970,00
    Valores aproximados

    Porém notei que o valor da prestação não diminuiu… por que isso acontece?

    Abaixo segue os dados do financiamento (Se der, me responda também pelo email!) :
    Prestação : 28
    Prazo do Financiamento: 336
    Taxa de Juros Contratual: 4,5000
    Índice de reajuste Prestação mês: 1,00162
    SG: MF04S
    L. Finan/Or. Recursos: 80/25

    Saldo Devedor em: 04/08/2016
    R$: 76.970,31
    Juros: 289,56
    Amortização mês: 248,27
    Seguros: 49,68

    Obrigada!
    Valquiria

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Valquíria, obrigado pela sua mensagem.

      Sempre que você faz uma amortização extraordinária, o valor é abatido do saldo devedor. Então, se seu saldo hoje é de R$ 77 mil, e você vai amortizar R$ 20 mil, o saldo vai cair para R$ 57 mil. Aí você vai precisar escolher se quer diminuir o prazo ou o valor da prestação.

      Creio que sua pergunta é se compensa diminuir a prestação ou o prazo, certo?

      Se você quiser saber PARA QUANTO iriam o prazo ou o valor, o Educando Seu Bolso tem uma calculadora prática e gratuita que informa isso. É só clicar em https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Mas se você quiser saber O QUE COMPENSA, é necessário levar em conta vários fatores, porque a questão não é apenas matemática, tem muito a ver com o seu perfil. É preciso saber a sua condição de poupança no futuro próximo, a condição atual do seu orçamento, se você vai ter FGTS, entre outros fatores. Para isso nós lançamos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Se quiser conhecer, é só clicar no link:https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/

      Abraço!

      Responder
  • Oi Ewerton, tudo bem?
    Gostei desse seu artigo, mas recentemente na CBN, o Mauro Halfeld fez um comentário no qual ele indica o uso do FGTS para amortizar o valor da parcela, alegando que assim você pode utilizar o FGTS por mais tempo, já que ele perde valor com o tempo.
    Você já fez essa consideração? Concorda? Segue link do áudio.
    Abraços!
    https://t.co/il6LW66gD1

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Fabrício, obrigado pela sua mensagem! E obrigado por trazer o comentário do Mauro Halfeld para nosso post!

      Veja bem, ele falou praticamente o mesmo que eu: quem tem Fundo de Garantia deve diminuir a prestação, para poder utilizar o fundo. Quem não tem, deve diminuir o prazo.

      Eu indico a diminuição no prazo caso o saldo de FGTS seja a “única bala na agulha”, isto é, caso não haja perspectiva de amortizações ou mesmo quitação no futuro. Caso exista esta perspectiva, é bom considerar a diminuição da prestação.

      O Mauro acrescenta um fator que eu não falei no post, mas tenho falado nos comentários: a situação do orçamento. Quem está apertado deve considerar a possibilidade de diminuir a prestação.

      E eu tenho falado em outro ponto que o Mauro não mencionou: a disciplina da pessoa para poupar. Porque diminuir a prestação, mas torrar o dinheiro economizado, não é bom negócio.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton, embora eu sinta que minha dúvida é bem primária, não deixa de ser uma dúvida.
    Comprei um apto novo, na planta, direto com a construtora, com uma entrada dividida em 31 parcelas (ultima paga em julho desse ano) e agora vou partir para o financiamento bancario da diferença.
    Mas minha dúvida está restrita aos valores do saldo devedor apresentados agora.
    Considerando que em fev/2016 esse saldo devedor era de 182,848,00 e que com a parcela de julho, nesse periodo foi amortizado um total de 13.500,00, como a construtora pode apresentar uma salo devedor de 186.000,00.
    Lembrando que o saldo devedor é corrigido contratualmente pelo INCC.
    É possível essa diferença/acréscimo ser tão grande. Att. Rodrigo

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Rodrigo, obrigado pela sua mensagem!
      Pelos valores do INCC que apurei, se você não tivesse feito amortização nenhuma, seu saldo devedor deveria ser de pouco mais de R$ 190 mil.
      Você diz que fez amortizações de R$ 13500 e o saldo está em R$ 186 mil. Uma explicação possível é que, nesses R$ 13500, estejam embutidos juros. Isto é, você amortizou, na verdade, cerca de R$ 4 mil, e pagou cerca de R$ 9 mil em juros.
      Para dizer se isto está certo ou errado seria necessário ver o contrato, apurar a taxa de juros e fazer o cálculo. Um bom consultor poderia te ajudar. O Educando Seu Bolso presta esse tipo de consultoria. Se tiver interesse, visite o link da nossa página: https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, boa noite!

    De tanto pesquisar uma solução para meu problema, encontrei seu blog, que creio que poderá me ajudar a entender…Deixa eu te resumir o que tem se passado:

    Fiz um financiamento na caixa de 420 meses, o imovel tinha valor de 150 mil, financiei 52 mil…tive uma péssima assistência do corretor, e por ser leigo, segui orientações dele do tipo melhor agencia da caixa para fizer o financiamento…maior facilidade…etc

    Pois bem financiei, 52 mil em 420 meses..e estou indo para pagamento da 37° parcela.

    Me foi informado que parcelas eram decrescentes, e assim foi por um tempo…porém hoje oscila, reduz algumas parcelas em centavos..e do nada aumenta alguns reais em outras, detalhe : mudei tudo meu para caixa, na promessa de menor prestação e menor juros. A parcela 36, paguei R$ 510,78…a 37° que vence no próximo dia o valor será R$ 513,38. O detalhe é que nunca atrasei nenhuma parcela..todas são débitos automaticos…inclusive transferi meu salário para recebimento na caixa, na promessa que a parcela ainda ficaria menor..

    Agora vem a parte que mais me revolta… 36 parcelas pagas, ou seja mais de R$ 18 mil pago, e consulto meu saldo devedor, e não entendo o motivo está em R$ 52.215,79.

    Ou seja além de não amortizar nada! ainda minha divida aumentou R$ 215,79.

    Já me encaminhei a caixa 6 vezes, abriram diversos protocolos…falei com gerente, todos estranham, solciitam ao um setor para recalcular contrato e até hoje estou sem resposta.

    Já tenho um bom valor no FGTS para abater metade deste valor, mas só quero assim fazer quando entender tudo isso.

    Penso seriamente em procurar medidas legais, mas por ser leigo queria entender o que se passa, para não perder meu tempo. abaixo segue alguns dados do meu contrato que printei do internet banking:

    ———————–
    Prestação do Mês Nº 37
    Prazo do Financiamento 420
    Taxa de Juros Contratual 8,5101
    Índice de Reajuste Prestação no Mês 1,02106
    Índice Reajuste Saldo Devedor no Mês 1,00168
    Categoria Profissional 000.000-0
    Complemento 00000000
    SG RGE MTRMS
    L. Financ./Or. Recursos 162/15
    TP 310
    UNO – Agência de Contrato 1294-7
    —————————————–

    Extrato de Evolução
    Saldo Devedor Teórico em 10/07/2016
    R$ 52.215,79
    Juros/Correção do Mês (R$) 328,70
    Amortização do Mês (R$) 136,09

    —————————

    Te agradeço se poder me explicar.

    Abcs,

    Thiago

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Thiago, obrigado pela sua mensagem.

      Primeiro, vou explicar a parte fácil. Na Caixa, é natural que o valor a pagar suba um pouco, logo após uma prestação cujo número seja múltiplo de 12. No caso, a prestação 37. É que, sempre que o financiamento completa aniversário, o valor da amortização é recalculado (divide-se o saldo devedor pelo número de prestações restantes). É isso que garante que não haja saldo residual ao final do contrato.

      Vamos agora à parte complicada.

      É natural, também, que o saldo devedor caia lentamente, principalmente em contratos de prazo longo. É que, em contratos longos, o valor da amortização mensal é muito pequeno, então a correção mensal do saldo devedor pela TR acaba “devolvendo” ao saldo boa parte do que foi amortizado no mês.

      Porém, seu caso está estranho. Eu tenho visto saldo cair devagar, mas AUMENTAR, não.

      Lancei na minha planilha os dados que você informou (alguns eu precisei estimar), e eles não bateram com o saldo devedor que você informou. Mas quando passei o valor financiado para R$ 55 mil, eles quase bateram.

      Você tem certeza de que o valor que você financiou é R$ 52 mil? Porque, se for, eu creio que haja algo errado aí.

      Peço que você verifique isso e entre em contato conosco novamente. E, por favor, me informe os valores de seguro e taxa de administração.

      Abraço!

      Responder
      • Ewerton, boa noite!

        Obrigado pela explicação, de fato esta muito confuso, Já tenho inúmeros documentos sobre o tema gostaria de compartilhar contigo, O valor financiado foi de fato 52 mil e consultei exatamente agora meu saldo devedor, após 37 parcelas pagas e está em 52.183,33. Tentei colar toda documentação, contrato, tabela evolutiva do contrato porém não é possível aqui no blog. gostaria de saber da possibilidade de envio por e-mail para você.

        Abcs!

        Responder
  • Boa noite Ewerton

    Pago um financiamento a 28 meses de um apto e estou na dúvida sobre os valores das parcelas que acho que estão diminuindo muito devagar. O apto custava na planta 170000,00 e quando fui morar realmente devido ao INCC estava 175000,00.Dei 50000,00 de entrada e financiei os 120000,00 restantes em 360 meses. A primeira parcela partiu de 1192,00 e hoje estamos pagando 1174,00.Lembrando que os juros efetivo é de 7,6% +TR. Consegue me informar se a parcela atual está correta?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Cleyton, obrigado pela sua mensagem.

      Você não nos forneceu os dados completos, para que pudéssemos fazer os cálculos com exatidão. Mas, pelas nossas estimativas, o valor parece correto, sim.

      O problema é que, em financiamentos com prazos longos, a amortização mensal é relativamente baixa, por isso o saldo devedor cai devagar, e ainda é corrigido pela TR, que atualmente está alta.

      Esse é mais um bom motivo para tentar fazer amortizações extraordinárias: diminuir mais rapidamente o saldo devedor, que fica exposto à correção pela TR.

      Abraço!

      Responder
  • Prezado Ewerton,
    Parabéns pelo Blog!
    Peço sua orientação na seguinte situação :
    parcela de nº 13 no valor de R$ 1.339,00
    prazo :197 meses
    Meu orçamento está apertado e gostaria de um folego, amortizando 80% das 12 parcelas próximas.
    Minha dúvida : como calcular? 80% do valor total da parcela incluindo juros ?
    Desde já agradeço,

    Thereza Cristina

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Thereza Cristina, obrigado pela sua mensagem!

      Vou te dizer como o cálculo é feito. O banco calcula o valor das próximas 12 prestações – com juros e demais encargos. Em seguida, calcula os 80% do montante – a pessoa pode amortizar menos de 80%, se quiser, ou se não tiver o dinheiro suficiente. O valor amortizado é integralmente retirado da conta de FGTS e vai para uma conta separada, que rende juros – até mais altos que os 3% do FGTS. A cada mês é retirado dessa conta o valor correspondente à amortização daquele mês. Ao final, se houver algum saldo nessa conta, ele volta para a conta normal de FGTS.

      Ficou alguma dúvida? Entre em contato, será um prazer. Abraço!

      Responder
  • Prezado Ewerton, boa noite.
    Meus parabéns pelo blog e que continue ajudando a gente com os seus ensinamentos.
    Gostaria de uma orientação para o meu caso.
    Eu e minha cônjuge estamos pensando em comprar um apartamento financiado com o seguinte:
    Valor financiado: R$ 240.000,00
    Taxa Adm: R$ 25,00
    Seguro: R$ 52,37
    Prazo: 420 meses
    Juros: 10,79% a.a
    1ª parcela: R$ 2.629,53
    Amortização: R$ 571,43
    Eu e ela somos funcionários públicos e todo final de mês dar para juntar um pouco tendo uma expectativa de juntar ao ano R$ 20.000,00 para fazer a amortização.
    Neste caso é melhor amortizar diminuindo o valor das parcelas ou diminuindo o prazo?

    Desde já agradeço à ajuda.

    Atenciosamente,
    Leonardo

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Leonardo, obrigado pela sua mensagem!

      Foi para responder a questionamentos como o seu que nós lançamos a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Por meio dela nós conhecemos a situação é o perfil da pessoa, fazemos os cálculos detalhadamente e analisamos cada possibilidade. Se você quiser conhecer, o endereço é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      No seu caso, como você diz que tem a capacidade de poupar R$ 20 mil por ano, na minha opinião a opção mais adequada seria, enquanto os juros da economia estiverem altos, amortizar diminuindo o valor da prestação, e assim aumentar a capacidade de poupança, para novas amortizações futuras, até quitar. Mas, como eu disse, para cravar uma resposta, eu precisaria fazer alguns cálculos mais detalhados.

      Abraço!

      Responder
  • OLA WAGNER. TUDO BEM. QUERIA TIRA UMA DUVIDA COM VC.
    TENHO FINANCIAMENTO DE CASA NA CAIXA…juros de 8,5%….Saldo devedor: R$ 74.000…falta ainda 380 prestacoes….a minha parcela atual é : R$ 790,00…
    Eu estava querendo amortizar a divida…tenho R$ 10.000 no FGTS e mas R$ 10.000 recurso proprio.
    Queria seu conselho se é melhor reduzir o valor da parcela ou o prazo do financiamento.
    eu fiz o simulado na calculadora de armotizacao do site e o prazo caiu para 161 vezes…se eu for ao banco sera q cai tudo isso no prazo do finaciamento..? abracos

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Danilo, muito obrigado pela sua mensagem!

      Primeiro, vou dar minha opinião sobre SE é vantajoso amortizar.

      No seu lugar, eu certamente utilizaria o FGTS, que rende apenas 3% ao ano, mais TR. Mas possivelmente não utilizaria os recursos próprios.

      Isto porque, se a taxa de juros do seu financiamento é de 8,5%, é possível que o Custo Efetivo Total – CET dele esteja inferior ao rendimento que se conseguiria em aplicações seguras e líquidas.

      (não consigo afirmar o valor do CET porque precisaria de outras informações sobre o financiamento)

      Então, é possível que eu utilizasse apenas o FGTS.

      Quanto a QUAL modalidade de amortização seria melhor, isto também depende de outros fatores, como a situação do seu orçamento, sua capacidade de poupança e sua disposição para gerenciar seu financiamento.

      Recentemente lançamos o produto Consultoria em Financiamento Imobiliário. Por meio dele nós ouvimos o cliente, entendemos sua situação e seu perfil, traçamos cenários de acordo com cada opção que ele tem, e sugerimos uma estratégia. Sugiro que visite a página, o link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?.

      No seu caso, por exemplo, tomando por base apenas as informações que você passou, eu diria que, se estivesse no seu lugar, possivelmente eu optaria por usar o FGTS para diminuir o valor da prestação e aplicar mensalmente o valor economizado, junto com os outros R$ 10 mil, enquanto os juros da economia estiverem altos. Assim eu acumularia mais FGTS para nova amortização futura.

      Respondendo à sua última pergunta, sim, nossa calculadora foi baseada na forma de cálculo da Caixa. O resultado dela precisa ser muito próximo ao que a Caixa vai te passar.

      Abraço!

      Responder
  • Olá amigo, meu nome é Claudio, por favor, me oriente: Tenho um financiamento com saldo devedor de 160 mil reais e parcela de 1540,00 com taxa de juros de 7,55%, tenho um saldo no FGTS de 14 mil reais, n estou com orçamento apertado e nada q venha me instabilizar, o q queria era uma opção que fosse mais vantajosa financeiramente, qual seria? Abater o saldo devedor? Ou outra opção? Me explique por favor, grato.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Cláudio, obrigado pela sua mensagem.

      Se você diz que não tem em vista nada que vá te instabilizar, no seu lugar eu usaria o FGTS para amortizar o saldo devedor do financiamento. Isto porque o FGTS rende menos que o custo do financiamento.

      Para dizer qual opção de amortização (diminuindo o prazo ou o valor da prestação), seria necessário conhecer o seu perfil. Isto é, sua capacidade para poupar, as condições do seu orçamento, entre outros fatores.

      O Educando Seu Bolso lançou recentemente a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Sugiro que você visite a página, talvez possamos te ajudar. O link é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton, fiquei muito feliz em encontrar seu site!
    Estou com uma grande dúvida, quero reduzir a parcela do meu financiamento imobiliário, tenho um saldo devedor de 109 mil, minha parcela é de 1.250,00 , está apertando meu orçamento mensal. Pretendo amortizar 35 mil do montante com meu FGTS. Gostaria de entender se essa modalidade, redução de parcela, teria alguma desvantagem em relação a redução de tempo? Sendo que pretendo quitar em 6 anos?
    Muito obrigada!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Patrícia, obrigado pela sua mensagem, que bom que ficou feliz em nos conhecer!

      Cada modalidade tem sua vantagem.

      No seu caso, como você disse que os R$ 1250 estão apertando seu orçamento, a opção de reduzir a prestação me parece a mais adequada para você.

      O que recomendo é que você tente poupar mensalmente um pouco do valor economizado com a diminuição da prestação. E, daqui a 2 anos, quando puder usar novamente seu FGTS, faça uma nova amortização.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite,

    Primeiramente gostaria de parabenizá-lo pelo blog, gostei muito!
    Minha dúvida é: Quero fazer uma amortização no meu financiamento diminuindo meu saldo devedor e o prazo. Consigo fazer as duas alterações ao mesmo tempo? Por exemplo: Com um saldo devedor de 100k e 360 parcelas quero amortizar 50 e alterar para 240 parcelas. Posso fazer isso?

    Obrigada!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Patrícia, obrigado pela sua mensagem!

      Sim, você pode fazer as duas amortizações. Dependendo do banco, o máximo que será pedido é que elas não sejam feitas no mesmo dia, para que seja processada no sistema primeiro uma, depois a outra. Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton,
    Tenho um financiamento na caixa e gostaria de verificar qual a melhor opção de abatimento.
    Financiei em 300 meses R$ 91.013,00, estou na parcela 72 com juros 4,5 aa, FGHAB de R$ 13,00 mensais.
    Gostaria de saber se é melhor usar 20 mil que tenho no fgts para abater as ultimas parcelas ou usar esse dinheiro como siump para abater parte da parcela e aplicar o valor que iria pagar em cdb ou mesmo em poupança?
    Existe alguma outra forma de abatimento além das citadas acima?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Samuel, obrigado pela sua mensagem!

      Existe também a modalidade PPP – Pagamento de Parte das Prestações. Ela consiste no pagamento de 80% das prestações dos 12 próximos meses. O banco calcula o valor e o retira do seu FGTS.

      Por exemplo: Se sua prestação for de R$ 1.000, os 80% seriam de R$ 800. Em 12 meses, o valor seria de R$ 9.600. O banco retira esses R$ 9.600 do seu FGTS, e você desembolsa apenas R$ 200 por mês (os outros R$ 800 vão sendo sacados mensalmente desses R$ 9600).

      Essa modalidade tem a vantagem de te deixar com mais dinheiro livre. Já a modalidade de amortizar diminuindo a prestação tem a vantagem de diminuir integralmente o saldo devedor.

      Para saber qual das duas é mais vantajosa para você, é necessário fazer cálculos mais completos e comparar os dois cenários. Recentemente lançamos o produto Consultoria em Financiamento Imobiliário. Um dos pacotes é justamente esse: calcular qual modalidade é mais vantajosa.

      Já atendemos demanda parecida com a sua. Mas cada caso é um, cada cliente tem um perfil, uma quantidade de dinheiro, uma disciplina para poupar. No caso de que me lembrei, a modalidade mais vantajosa para o cliente foi a amortização diminuindo a prestação, seguida de perto pelo PPP. A menos vantajosa era amortizar diminuindo o prazo.

      Mas, repito: cada caso é um caso. Se for do seu interesse, visite a página da consultoria. Considero um investimento relativamente baixo, para um ganho potencialmente alto. O endereço é https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?

      Abraço!

      Responder
  • Caro Ewerton, boa tarde!
    Tenho uma dúvida e acho que você poderá me ajudar. Fiz um financiamento no dia 11/03 para compra de um imóvel, no valor de R$ 600.000,00 pela tabela SAC, com juros nominais de 8,95% a.a por 360 meses. A primeira parcela venceu em 10/04 e já foi quitada. A segunda parcela vencerá em 10/05. No entanto, vendi meu apartamento e recebi uma parte do valor (R$ 150.000,00) que apliquei num fundo que rende aproximadamente 97% do CDI e receberei a outra parte até o início do próximo mês de junho (R$ 193.000,00).
    Bem, do seu ponto de vista, vale mais a pena fazer uma amortização única em junho ou amortizar parte do saldo devedor em maio e outra parte em junho?
    Desde já, agradeço!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Camila, obrigado pela sua mensagem!

      Não vejo muita diferença entre fazer uma só amortização, ou duas, em maio e junho.

      Em minha opinião, a questão é saber se vale a pena amortizar ou manter o dinheiro aplicado. Essa aplicação de 97% do CDI, mesmo descontando o Imposto de Renda, possivelmente é um pouco superior ao Custo Efetivo Total – CET do financiamento (que não tenho como te dizer exatamente qual é, pois precisaria saber os valores de seguro, taxa de administração, manutenção de conta etc.).

      Resumindo: se sua intenção é mesmo fazer a amortização extraordinária, não vejo muita diferença, do ponto de vista financeiro, entre fazer duas amortizações ou uma só. Mas sugiro que avalie a possibilidade de manter o financiamento e a aplicação, e deixar para fazer a amortização quando os rendimentos das aplicações caírem a uma taxa menor que a dos juros do financiamento.

      Abraço!

      Responder
  • Olá comprei um terreno em um condomínio no valor de 75 mil, dei 15 mil de entrada e o restante do saldo devedor foi parcelado em 100x que a construtora nos informou que iria baixar todo mês acontece que todo mês o saldo DEVEDOR é atualizado pelo IGPM isso pode? O certo não seria atualizar o saldo devedor 1 vez ao ano? Desse jeito vai chegar uma hora que as parcelas vão ficar impagáveis isso não fere a teoria da imprevisão? Grata

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Hevilyn, obrigado pela sua mensagem! Mas acho que você não vai gostar da minha resposta…

      Na minha visão, o reajuste do saldo devedor não é incorreto. No próprio SFH os saldos são reajustados, mas pela TR. Reajuste pelo IGPM realmente acaba saindo caro. Mas, ainda assim, não creio que seja abusivo. Se no contrato que você assinou está assim, creio que não há muito o que ser feito. Um advogado com alguma experiência nessa área poderá te dar uma opinião melhor, pois esta não é minha especialidade. Boa sorte. Abraço!

      Responder
  • Bom dia Ewerton!
    Tenho um financiamento no minha casa minha vida no Banco do Brasil, sistema Price.
    Valor financiado:108.000,00
    Primeira Parcela: 631,00
    Parcela atual: 651,00
    Taxa de juros 5,49%
    Restam 336 parcelas de 360 vezes;
    Valor da divida atual por volta de 107,000,00

    Tenho R$10.000,00 de FGTS, o que vale a pena? Abater no montante ou antecipar as ultimas parcelas?
    Quanto ficaria o valor das parcelas se for abatido no montante?
    Se antecipar as ultimas parcelas, quantas conseguirei antecipar?

    Desde já agradeço o retorno.

    Marcos

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Marcos, obrigado pela sua mensagem!

      A calculadora que o Educando Seu Bolso lançou é baseada no sistema SAC da Caixa, não no Price. Por isso, fiz seus cálculos manualmente.

      Você não nos informou todos os dados, mas foi o suficiente para um cálculo bastante aproximado. O valor da sua prestação cairia em algo em torno de R$ 55 e R$ 60. Ou o seu prazo cairia em algo próximo a 63 meses.

      Mas o que valeria mais a pena depende de outros fatores, como a situação do seu orçamento, e sua condição de poupar. Como a taxa de juros do seu financiamento é baixa, minha primeira idéia é diminuir o valor da prestação e investir o valor economizado. Mas, como eu disse, é apenas uma primeira idéia. Para dar uma sugestão mais segura seria necessário levar em conta outras coisas.

      O Educando Seu Bolso lançou também a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Ela poderá te ajudar a encontrar a melhor estratégia. Sugiro que visite a página da consultoria (https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?). Abraço!

      Responder
  • Ewerton, boa tarde! Suas explicações são de grande valia.
    O que você considera uma boa opção. Possuo um imóvel financiado com saldo devedor de R$ 40.485,87, minha parcela hoje está em torno de R$ 630 (arredondando – metódo SAC). Tenho FGTS aproximado de R$ 24.500 e fico em dúvida se amortizo em tempo ou valor da prestação. Hoje diminuir o valor da prestação me ajudaria bastante porém quando penso no tempo que ainda falta. Qual seria um fator de decisão para isso?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Catleen, obrigado pela sua mensagem!

      Se quiser saber para quanto iriam o prazo ou o valor da prestação, use a Calculadora de Amortização que o Educando Seu Bolso lançou recentemente. Basta acessar o link https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Para quem tem FGTS, eu acho que compensa amortizar o quanto antes, porque ele rende menos que os juros do financiamento. A única ressalva que eu faço é que o FGTS é uma reserva para emergências mais sérias, como perda de emprego. Fora isso, compensa amortizar, sim.

      Mas para saber o que seria melhor (prazo ou prestação), seria necessário levar em conta outros fatores, como sua capacidade de poupança e a condição do seu orçamento.

      Você disse que seu orçamento está apertado. Este é um bom motivo para amortizar diminuindo o valor da prestação. O ideal seria acumular mais FGTS nos próximos anos, além de poupar, para fazer uma nova amortização daqui a 2 anos.

      O Educando lançou também a Consultoria em Financiamento Imobiliário. Ela poderá te ajudar a encontrar a melhor estratégia. Sugiro que visite a página da consultoria (https://educandoseubolso.blog.br/consultoria-em-financiamento-imobiliario/?). É um investimento que vale a pena. Se tiver alguma dúvida, entre em contato conosco novamente. Abraço!

      Responder
  • Olá
    Tem financiamento pelo programa minha casa minha vida, no valor de R$ 52.000,00, taxa de juros 4,5%aa, quero amortizar com FGTS que é R$ 20.000,00.Como estou com um bebê e as despesas aumentaram pretendo de diminuir o valor das parcelas.Favor acha que vale apena amortizar agora usando o FGTS ou melhor esperar um pouco e quitar?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Lucélia, obrigado pela mensagem e parabéns pelo bebê!

      Eu acho que, para quem tem FGTS, compensa amortizar o quanto antes, porque o FGTS rende menos que os juros do financiamento (mesmo os do Minha Casa, Minha Vida).

      A única ressalva que eu faço é que o FGTS é uma reserva para emergências mais sérias, como perda de emprego. Fora isso, compensa amortizar, sim.

      E, como você disse que as despesas aumentaram, creio que a melhor opção para você seja a amortização pelo valor das prestações. Se quiser saber para quanto vai sua prestação, use a Calculadora de Amortização que o Educando Seu Bolso lançou recentemente. Basta acessar o link https://educandoseubolso.blog.br/amortizacao-prazo-ou-parcela/

      Abraço!

      Responder
    • Ewerton Veloso

      Jaílson, obrigado pela sua mensagem!

      Pode sim. Só faço uma pequena observação. É comum as pessoas falarem como você falou, “pagar a última parcela”. Na verdade, não é bem isso. O que você faz é abater o saldo devedor e, assim, fazer um recálculo do seu financiamento, diminuindo o prazo ou o valor da prestação. Por isso, o valor das amortizações não precisa ser o de um número exato de prestações.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton bom dia,
    Estou com uma dúvida, gostaria de sabe sem a possibilidade de reduzir o valor da prestação de um terreno que comprei em 2013?
    Hoje pago R$ 630,00 o total de parcelas foi de 175 no meu ponto de vista acredito que o metro quadrado vdesse terreno na área em que comprei não vale está valor porém já comprei e também não quero desfazer será que como rever esse contrato e pago o que eu acredito um valor menor do que eu pago hoje?
    Muito obrigado Ewerton.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Davi, obrigado pela sua mensagem!

      Infelizmente, creio que não seja possível. Quando você comprou o imóvel, havia a possibilidade de o preço de mercado dele disparar, ficar estável ou cair. Esse tipo de negócio é sempre uma aposta.

      É claro que, se o vendedor concordar, é possível renegociar. Mas, se ele não concordar, estará no direito dele. De toda forma, desejo boa sorte. Se não for possível a renegociação, espero que o terreno volte a se valorizar, e o negócio seja vantajoso para você. Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton, parabéns pelo site, muito conteúdo importante.

    Minha duvida não tão diferente de tantos outros, mas segue….

    Meu financiamento é pelo Minha Casa Minha Vida. Possuo 15 mil para amortizar e mais 3 mil de FGTS. Qual seria melhor opção??
    Utilizar os 18 mil para amortizar ? ou aplicar os 15 e amortizar com os 3.

    Obs. Sou disciplinado e acredito que no segundo semestre de 2016 venha fazer outra amortização.
    Dados:
    Saldo devedor: R$ 75.502,86
    Prestações: 58 pagas de 300.
    Juros: 4,5%
    Indice de reajuste do saldo devedor: 1.00130
    Juros/Correções Mês: R$ 284,29
    Amortização Mês: R$ 309,06
    Seguro: R$ 12,09
    sem taxa administração.

    Obrigado. Abraço!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado José Rafael, obrigado pela sua mensagem.

      Como o financiamento tem taxa de juros baixa, no seu lugar eu preferiria usar apenas o FGTS para amortizar, e aplicaria os R$ 15 mil em um investimento seguro, líquido e com boa rentabilidade, como um bom CDB.

      Abraço!

      Responder
  • PREZADO, BOO TARDE!!

    Gostaria de um auxilio, tenho um financiamento da casa própria na caixa economica federal em conjunto com meu esposo. Procurei a caixa para usar meu FGTS no saldo devedor o gerente se negou a fazer dizendo que meu contrato não permite que use meu FGTS, porque na época que compramos o imóvel, não éramos casados no civil ou seja minha união estável não permitia que eu usasse meu fgts??

    Poderia me auxiliar, nao sei o que fazer, pois só posso fazer nessa agencia na qual tenho a conta e o financiamento.

    Obrigada.
    Cristiane

    Responder
  • Boa tarde Ewerton! Parabéns pelo site!!

    Estou ajudando meu pai a reorganizar seus financiamentos/empréstimos, e hoje temos:

    – Financiamento Imobiliário Sistema SAC
    Valor Contratado R$ 99.000,00
    Parcelas 180
    Amortização mensal R$ 550,00
    Taxa 2,177% a.m. (identifiquei através de planilhas na internet, o banco informa que seria 21,4124% a.a.)
    Valor atual da dívida R$ 93.500,00
    Parcelas pagas 10
    Vlr próxima parcela 2.585,93 (04/2016)
    OBS: o imóvel está a venda, esperamos que a venda se concretize em no máximo 2 anos.

    – Financiamento Construcard – Price
    Valor Contratado R$ 63.210,73
    Parcelas a pagar 25 (total contratado 54)
    taxa 1,8% (informado pelo banco 1,69% + TR)
    Vlr próxima parcela 1.917,04 (04/2016)
    Valor para amortização 04/2016 R$ 40.483,40

    – Consignado – Price
    Vlr Contratado R$ 33.582,79
    Parcelas 72
    taxa 2,421% a.m.
    Prestação 989,82
    Prestações pagas – 2
    Vlr para amortização R$ 34.578,00 (04/2016)

    Possuo disponível R$ 40.000 para quitação de algum desses financiamentos/empréstimos, e até o final de abril/maio possuiremos mais R$ 32.000,00 em média (com venda de um veículo).
    O ideal é que a prestação mensal paga não ultrapasse os R$ 3.000,00. Minha dúvida é:

    – Amortizo o saldo do financiamento imobiliário e mantenho o prazo de 170 meses;
    – Amortizo o saldo do financiamento imobiliário e diminuo o prazo;
    – Quito o construcard e o consignado;
    – Quito o consignado e amortizo o financiamento imobiliário.

    Estou perdida como usarei o valor e qual a melhor opção! Agradeço desde já.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Juliana, obrigado pela sua mensagem, e parabéns por estar ajudando seu pai!

      O ideal seria jogar em uma planilha todas essas dívidas, lado a lado, e mês a mês, para ver o impacto de cada opção de amortização no saldo geral (já que há, misturadas, dívidas Price e SAC). Mas esse seria um cálculo trabalhoso, trabalho para um consultor.

      Posso dizer em breves palavras o que me parece mais lógico.

      No seu lugar eu preferiria, primeiro, pagar a dívida mais cara: a do consignado. Além do efeito mais lógico (tapar o buraco mais largo), ainda teria um ganho psicológico: iria liquidar uma dívida, é um desconto a menos, um credor a menos.

      Sobrariam pouco mais de R$ 5 mil. Pela lógica, o próximo alvo seria o financiamento imobiliário. Mas, Ju, eu achei tão caro esse financiamento! Creio que ele não seja pelo SFH, por isso não vou arriscar dizer qual seria o efeito da amortização, como normalmente faço aqui.

      O que posso arriscar dizer é que, em princípio, eu preferiria amortizar diminuindo o valor da prestação, para dar uma folga no orçamento e melhorar a capacidade de poupança. Mas para isso eu precisaria saber as cláusulas de amortização desse contrato (se realmente não for pelo SFH).

      Bem, isso liquidaria os R$ 40 mil. Quanto aos outros R$ 32 mil, em princípio eu seguiria a mesma lógica, pagar a dívida mais cara primeiro. Mas precisaria saber melhor as condições de amortização no imobiliário e no Construcard.

      Espero ter ajudado. Continuamos à disposição. Abraço!

      Responder
  • Bom dia Sr. Werton!! Inicialmente, gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa em ajudar as pessoas tão dedicadamente, acredito que com isso o senhor está ajudando a melhorar a economia do nosso país, obrigado!!

    O meu caso é o seguinte:
    Para obter minha primeira casa própria, paguei parte da casa a vista e fiz um financiamento em 06/2014 de 180.000 reais, este financiamento foi efetuado pelo Banco do Brasil.
    -As prestações foram divididas em 360X;
    -Atualmente pago cerca de 1800 reais ao mês;
    -Amortização de apenas 501,38;
    -CET de 10,43% ao ano;

    Bem, vou receber 50 mil de uma herança familiar, como já tenho 10 mil em uma poupança no banco do brasil, gostaria de saber qual seria na sua opinião o melhor destino para este dinheiro.
    Devo depositar na poupança?
    Fazer alguma outra aplicação?
    Devo pagar o financiamento logo e amortizar as parcelas? Ou devo reduzir a quantidade das parcelas?

    Obs: Sou uma pessoa bem organizada com dinheiro e consigo pagar as parcelas todo mês sem problemas.

    Abraço!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Maria, obrigado pela sua mensagem, e parabéns pelo cuidado com suas finanças!

      Desde já vamos descartar a primeira opção, depositar na Caderneta de Poupança. Ela rende apenas 6% ao ano, mais TR. Isso é menos que o CET do seu financiamento.

      Com R$ 50 mil você consegue encontrar boas aplicações, como Tesouro Direto, ou mesmo CDB, LCI e LCA (especialmente de bancos médios, que pagam melhor), que são protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito – FGC. Se encontrar algum com rendimento bruto superior a 12,5% ao ano (o que não é difícil, é só procurar direitinho), e mantiver o dinheiro por pelo menos 2 anos, você já estará recebendo mais que esse CET de 10,43%.

      Mas é importante lembrar que o CET vai subindo lentamente ao longo do financiamento (escrevi sobre isso no blog: https://educandoseubolso.blog.br/2015/11/25/afinal-o-que-e-custo-efetivo-total/).

      Portanto, é importante acompanhar os rendimentos da aplicação e recalcular esse CET periodicamente, para reavaliar essa estratégia. Se o CET ficar mais alto que o rendimento líquido da aplicação, será hora de amortizar.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, boa noite.

    Tenho um apartamento financiando com um saldo de R$ 121k. Por 35 anos. Meu planejamento é quitar antes desse prazo, sem dúvidas.Tenho 30k para amortizar, minha dúvida é: melhor eu amortizar diminuindo o valor das parcelas ou o saldo do financiamento?
    Obrigado

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Willian, obrigado pela sua mensagem.

      Você não me falou a taxa de juros, nem quantas prestações faltam. Portanto, não consigo te dizer qual seria sua economia na amortização diminuindo o valor da prestação, nem em quantos meses diminuiria o financiamento, no caso da amortização por prazo.

      Mas já adianto a mesma coisa que falei para outro leitor (vou praticamente copiar):

      Para dizer o que compensa mais seria necessário levar em conta outros fatores. Sua capacidade de poupança, sua condição de acumular mais FGTS para uma nova amortização extraordinária daqui a 2 anos, a condição atual do seu orçamento, entre outros.

      Por exemplo, se você for gastar o valor economizado, caso diminua o valor das prestações, posso dizer que essa opção sai mais cara, em relação a diminuir o prazo. Mas se você tiver a condição de poupar para amortizações futuras, a coisa pode mudar de figura. Um bom consultor poderia levantar todos esses dados, traçar seu perfil, fazer as projeções de cenários futuros e te propor opções de estratégia.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton!
    Tenho um financiamento no minha casa minha vida. Estou pagando pelo Sistema SAC (parcelas vão diminuindo).
    Taxa de juros 5,5% + TR;
    Restam 336 parcelas de 360 vezes;
    Valor da divida: R$92.000,00 atual

    Tenho R$10.000,00 de FGTS, será que vale a pena abater no montante ou antecipar as ultimas parcelas?

    Desde já agradeço o retorno.

    Att.
    Thiago

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Thiago, obrigado pela sua mensagem!

      Estimei que o saldo inicial do financiamento fosse R$ 96 mil. Com isso, sua prestação estaria em torno de R$ 720. Se eu estiver errado, pode me corrigir.

      Partindo desses dados, a amortização diminuindo o valor da prestação gera uma economia de cerca de R$ 70 no primeiro mês. E a amortização diminuindo o prazo diminui cerca de 80 meses.

      Para dizer o que compensa mais seria necessário levar em conta outros fatores. Sua capacidade de poupança, sua condição de acumular mais FGTS para uma nova amortização extraordinária daqui a 2 anos, a condição atual do seu orçamento, entre outros.

      Por exemplo, se você for gastar esses R$ 70, caso diminua o valor das prestações, posso dizer que essa opção sai mais cara, em relação a diminuir o prazo. Mas se você tiver a condição de poupar para amortizações futuras, a coisa pode mudar de figura. Um bom consultor poderia levantar todos esses dados, traçar seu perfil, fazer as projeções de cenários futuros e te propor opções de estratégia.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton,

    Estou encantada com sua dedicação em ajudar a todos. Parabéns pela sua iniciativa.
    Tenho um financiamento pela caixa e estou com um valor de 12.000,00 em maos e gostaria de saber o que seria melhor abater nas prestações ou diminuir o prazo do financiamento. Segui os dados
    Valor da operação: 69.800,00
    Inicio do financiamento 10/08/2010
    SAC
    Taxa anual de juros 4,5 nominal e 4,5941 efetiva
    Financiamento em 300 meses
    Agora no dia 10/04/2016 estarei pagando a prestação numero 69 sendo o valor de 451,98 saldo devedor 53.745,77. Desde já muito obrigada

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Pompeia, obrigado pela sua mensagem!

      Quando você fala que tem R$ 12 mil “em mãos”, eu entendo que é um dinheiro livre, isto é, não é FGTS, certo?

      Nesse caso, no seu lugar, eu preferiria NÃO fazer a amortização. Eu preferiria procurar uma boa aplicação, segura e líquida (CDB, LCI, LCA) e aproveitaria o momento de juros altos na economia. Se, no futuro, os juros caírem, aí sim, eu faria uma amortização.

      Mas, se você quiser saber o impacto de uma amortização, eu te falo, usando a calculadora que o Educando Seu Bolso vai disponibilizar em breve. Mas antes me confirme uma coisa: o valor financiado é esse mesmo? Não seria algo em torno de R$ 66 mil?

      Se for isso, a amortização de R$ 12 mil provocaria uma redução de cerca de 75 meses no prazo, ou de cerca de R$ 90 na prestação.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, boa tarde! Parabéns pelo site e principalmente pelas ótimas explicações! Vamos a minha situação:

    Em 27 de março de 2009 eu comprei um apartamento financiado. Atualmente (abril/2016) ele tem as seguintes situações:
    Valor do apartamento: R$ 60 mil
    Valor financiado: R$ 60 mil
    Prazo total financiamento: 181 meses (Em 2013 eu fiz uma amortização de R$ 2.000,00 nas ultimas parcelas, então 181 equivale ao prazo real hoje)
    Custo efetivo total: 5,96% a.a
    Taxa de juros contratual: 5%
    Índice de Reajuste prestação no mês: 1,01920
    Índice Reajuste saldo devedor do mês: 1,00216
    Prestação: 39
    Valor da prestação: R$456,78
    Saldo devedor teórico em 27/04/16: R$ 38.842,00
    Juros/Correção do mês: R$ 162,98
    Amortização do mês R$ 272,92

    Em 2014 eu casei e em 18/08/2014 compramos um outro apartamento. Que tem as seguintes condições:
    Valor do apartamento: R$ 197.000,00
    Valor Financiamento: R$ 175.500,00
    Prazo total do financiamento: 420 meses
    Custo efetivo total: 9,15% a.a
    Taxa de juros contratual: 8,7873
    Índice de Reajuste prestação no mês: 0
    Índice Reajuste saldo devedor do mês: 1,00137
    Prazo de financiamento atual: 420 meses
    Prestação: 20
    Valor da prestação: R$ 1.597,65
    Saldo devedor teórico em 18/04/16: R$ 171.798,23
    Juros/Correção do mês: 1.108,08
    Amortização do mês R$ 423,61

    O primeiro apartamento descrito é bancado somente por mim. Atualmente ele está alugado e me da um gasto mensal ainda de R$130,00.

    Nossos salários banca todos os gastos, mas está ficando apertado e a sobra total fica em R$ 500,00 por mês apenas.

    Nós já estamos reavaliando alguns gastos pessoais para termos uma maior sobra, mas não será muito. Então, eu gostaria de avaliar a possibilidade de amortização do financiamento. Eu pensei em amortizar para reduzir o valor da parcela atual, já que sinto que precisamos reduzir despesas.

    Juntos, eu e meu marido temos R$ 40 mil reais na poupança. Metade de cada um. Esse dinheiro está reservado, inicialmente, para bancarmos viagens, uma pequena obra no apartamento atual (acredito que no máximo R$ 15.000,00) e despesas extras. Não gostamos da ideia de ficar descapitalizado.

    O que você nos aconselha a fazer: Vale a pena amortizar agora? Se sim, qual dos dois apartamentos? Como podemos pensar num melhor gasto/investimento financeiro a longo prazo?

    Obrigada pela atenção!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Juliana, obrigado pela sua mensagem, e parabéns pelas suas conquistas e pelo cuidado que vocês têm com elas.

      Muito interessante sua questão, acho que eu ainda não havia analisado aqui dois financiamentos para a mesma pessoa.

      Lancei as informações na calculadora que o Educando Seu Bolso está quase tirando do forno, para oferecer aos leitores.

      Se você fizer uma amortização de R$ 20 mil no primeiro financiamento, vai ter uma diminuição de cerca de R$ 220. Se optar por amortizar o segundo, vai ter uma diminuição de cerca de R$ 170.

      Portanto, se a ideia é amortizar um dos financiamentos, no seu lugar eu escolheria o primeiro.

      Eu poderia parar por aqui, acho que é uma solução simples e bastante razoável. Mas eu não posso deixar de citar uma possibilidade que me ocorre, mas que dependeria de fazer cálculos um pouco complexos: NÃO amortizar. Investir esses R$ 20 mil em alguma aplicação segura, rentável e líquida e ter a disciplina de sacar dela, mensalmente, só os R$ 220. Dependendo da taxa de rendimento que você encontrar, pode ser que compense mais.

      Mas, como eu te falei, dependeria de fazer cálculos, levando em conta todos os fatores, desenhando os cenários de cada possibilidade.

      Te peço desculpas se confundi ainda mais sua cabeça. Mas eu não podia deixar de falar. Até para não cair em contradição, afinal, em vários comentários eu aconselhei os mutuários do Minha Casa, Minha Vida a não amortizarem, e aproveitarem as taxas altas do mercado. Mas o seu caso tem umas características pouco comuns, e por isso a amortização é vantajosa a ponto de competir com o mercado.

      Olha, Ju, para resumir e concluir: na minha opinião, a amortização, no seu caso específico, é um bom negócio. Afinal, você vai “investir” R$ 20 mil e lucrar mais de 1% no primeiro mês. E vai atender a uma necessidade sua de dar uma folguinha no seu orçamento, de um jeito bem descomplicado. Mas PODE SER que, se você investir esse dinheiro e tiver disciplina com seu investimento, você consiga um negócio melhor. Entende? Já tá bom, mas pode melhorar, rs. Mas para ver se melhora, seria necessário um consultor.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton,

    Tenho um financiamento imobiliário, cujo saldo devedor está, atualmente, em R$ 58.148,47. Tenho R$ 8.024,00 depositados no FGTS. Pretendo utilizar esses recursos para amortizar o meu prazo de financiamento. Você acha que esse procedimento vantajoso? Obrigado e aguardo. Antonio Rocha

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Antônio, obrigado pela sua mensagem!

      Utilizar o FGTS para amortizar o financiamento geralmente é financeiramente vantajoso, sim, pois o FGTS rende apenas 3% ao ano, mais TR, e as taxas dos financiamentos são maiores que isso. Apenas recomendo a atenção ao fato de o FGTS ser uma reserva para emergências, como perda de emprego ou doença grave. Mas, se tomarmos apenas o lado financeiro, é vantajoso, sim.

      Quanto à decisão de amortizar diminuindo o prazo ou o valor da prestação, aí já é outra história. Para saber o que é mais vantajoso é necessário levar em conta o seu perfil e realizar cálculos mais complexos. Um bom consultor poderia te ajudar a tomar essa decisão. Ele conversaria com você, traçaria seu perfil de poupador/investidor, faria essas projeções de cenário futuro (diminuir prazo ou prestação) e te apresentaria opções de estratégia. Abraço!

      Responder
  • Ewerton, bom dia! Meu caso é um pouco diferente, tenho um consórcio e gostaria de usar o FGTS para amortizar ou reduzir as prestações, mais estou na dúvida de qual modalidade seria mais interessante, você pode me ajudar?
    Foi efetuado lance embutido e 15/10/2010 no total de R$ 36.564,50 e recebemos o mesmo valor para utilizar no imóvel.
    Carta de Crédito: 73.129,00
    Valor Corrigido do bem: 74.785,97
    Valores a pagar:
    Fundo comum: 35.546,73
    Taxa de administração: 8.783,61
    Fundo de reserva: 1.062,49
    Seguro: 19,37
    Outros: 214,28

    Muito obrigada!

    Responder
      • Frederico Torres

        Boa noite Luciana,

        Me desculpe a demora em respondê-la. Sua situação é mesmo específica. Fui pesquisá-la, não encontrei resposta rápida e acabei me esquecendo. Me desculpe mesmo.

        O pior é que mesmo após consultar alguns consórcios não consegui formular um caso padrão. Parece que depende das condições contratuais de cada plano. A eliminação do custo com o seguro é, por exemplo, um item importante e depende de previsão contratual.

        Peço, portanto, que você simule junto à Administradora do seu plano as 3 possibilidades: 1) Pagamento de Parte da prestação; 2) Amortização para redução da prestação; e 3) Amortização para redução do prazo.

        Nos envie os resultados e aí sim, terei melhor base para fazer as contas pra você.

        Agradeço pela compreensão, Frederico

        Responder
  • Boa Tarde
    Vale a pena amortizar o financiamento imobiliário usando recursos do FGTS? Como sei qual será o valor real de descontos que terei amortizando as ultimas prestações?
    Tenho saldo disponível no FGTS no valor de R$ 10.200,00 a condição atual de meu financiamento é:
    Caixa econômica Valor financiado R$ 100.000,00 Tx juros 5,5% + tr, prazo 300 meses, prestações pagas 58 e Saldo devedor R$ 85.996,49. Valor da prestação hj com seguro está em R$ 774,00.
    Quanto realmente cairá entre prestações , taxas, seguros, etc.?
    Desde já agradeço.
    Obrigada
    Nadjane Vieira

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Nadjane, obrigado pela sua mensagem.

      Quando você faz uma amortização (seja diminuindo o prazo ou o valor das prestações), será subtraído do saldo devedor o valor que você amortizou. Portanto, no seu caso, se o saldo devedor atual é de R$ 86 mil, e você amortizar R$ 10.200, o saldo irá para R$ 75800.

      Apesar da taxa de juros do seu financiamento ser relativamente baixa, o rendimento do FGTS é mais baixo ainda, por isso eu acho financeiramente vantajoso amortizar (apenas recomendo atenção para o fato de o FGTS ser uma reserva de segurança para emergências como perda de emprego ou doença grave).

      Lancei os dados que você informou na calculadora que o Educando Seu Bolso vai disponibilizar gratuitamente aos leitores em breve. Você não informou todos os dados necessários, por isso precisei estimar alguns. Pela minha estimativa, se a amortização for pelo prazo, este cairá algo entre 50 e 55 meses. Se for pela prestação, esta cairá cerca de R4 80. São valores aproximados, ok?

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, comprei um imóvel e tenho um saldo devedor de R$ 350.000,00. Estou vendendo outro imóvel e ainda não vendi. Gostaria de saber qual a melhor opção fazer o financiamento dos 350.000,00 agora com taxa de 10,5% aa em 360 meses ou 420 meses e quando vender meu imóvel abater 100.000,00 do financiamento para abaixar as parcelas desde o início ou a outra opção seria aguardar a venda do meu imóvel e fazer o financiamento de 250.000,00 na mesma taxa. A construtora reajusta meu saldo devedor a cada mês pelo IGP-DI + taxa de 12 aa. Estou nessa dúvida e agradeço pela sua ajuda.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Luciano, obrigado pela sua mensagem!

      Pelo que entendi, o saldo devedor do seu imóvel tem uma taxa de reajuste relativamente alta.

      Sendo assim, se eu estivesse no seu lugar, preferiria contratar o financiamento rapidamente, para sair dessa taxa e entrar logo no SFH. Depois que vendesse o imóvel eu estudaria as possibilidades de fazer uma amortização extraordinária.

      Abraço!

      Responder
  • Bom dia, Ewerton. Antes de tudo, seu blog é muito interessante – parabéns pela iniciativa!
    Tenho uma dúvida e gostaria da sua opinião: tenho um saldo devedor de 289.487,00 com taxa efetiva de 10.1% e 410 parcelas restantes.
    Minha parcela é de 3000,62 com a seguinte composição: 2113,86 de juros, 153,98 de seguro, 25,00 de taxa e 707,78 de amortização.
    Mas em todos os meses vem sendo acrescido um item que a maioria dos bancos não cita na hora da simulação: a indesejada TR! No mês de março, por exemplo, foi calculado somente de TR 447,37 , fazendo com que a amortização mensal de 707,78 fique praticamente nula.
    Fiz uma amortização extra em dezembro, e daqui pra frente decidi que vou fazer amortizações extras todos os meses. Acredito que a taxa de juros do financiamento seja maior que quase todas as aplicações que eu possa investir, correto? Na sua opinião, é uma boa estratégia?
    E o que seria melhor? Amortizar o prazo ou o valor da parcela? Vi em alguns posts que amortizar o prazo é mais vantajoso porque paga-se menos juros no financiamento, mas nesta opção o valor das parcelas também será reduzido, pelo fato dos juros ficarem menores? Para mim seria interessante abaixar um pouco o valor das parcelas.
    Muito obrigado e abraço.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Grande João Pedro, obrigado pela sua mensagem!

      Realmente, essa taxa de 10,1% é bastante alta. O Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento é mais alto que grande parte das aplicações, o que torna a amortização um bom negócio.

      Amortizar diminuindo o prazo tem essa vantagem de te deixar menos tempo exposto a juros, TR, e outros custos do financiamento. Mas amortizar diminuindo a prestação tem a vantagem de liberar mais dinheiro para aplicações, ou dar uma folga no orçamento. Como você disse que “seria interessante abaixar um pouco o valor das parcelas”, creio que essa seja uma boa opção.

      Amortizar diminuindo o prazo não diminui o valor da prestação. Faz todo o sentido isso que você falou: os juros ficam menores. Porém, o que acontece é que a amortização mensal fica maior. E esse aumento na amortização ajuda a amenizar aquele efeito perverso da TR, que você citou.

      Veja bem o que aconteceu em março: sua amortização foi de R$ 707, mas a TR “devolveu” R$ 447 para o saldo devedor. Com isso o saldo devedor caiu apenas R$ 260. Quando você faz uma amortização extraordinária diminuindo o prazo, seu orçamento não é aliviado, mas pelo menos a amortização mensal aumenta um pouco, o que ameniza o efeito da TR.

      É uma situação de “cobertor curto”. Por um lado, você pode diminuir a prestação para aliviar o orçamento. Por outro, pode diminuir o prazo para aliviar o saldo devedor.

      O que compensa mais, entre as duas, é difícil dizer. Seriam necessárias mais informações, para fazer cálculos mais complexos, coisa que um bom consultor poderia fazer. Mas, já que sua taxa de juros é de 10,1%, me parece uma boa opção fazer amortizações sempre que possível.

      Espero ter ajudado. Senão, entre em contato novamente. Abraço!

      Responder
  • Boa noite Ewerton! Tudo bem?
    Primeiro gostaria de te parabenizar, e MUITO, pelo trabalho!
    Incrível a sua dedicação, ajudando a todos com tanta paciência e riqueza em detalhes!
    Parabéns mesmo!!

    Encontrei esse post quando já estava perdendo a esperança e encontrar uma resposta para a minha dúvida, mas acho que você pode me dar uma luz (mesmo não sendo exatamente sobre o tópico deste post)!

    Estou fechando a compra de um imóvel de R$ 335mil da seguinte forma:
    – Entrada: R$ 112mil
    – Financiamento: R$ 223mil
    – Tx juros mensal: 0,6317% (Pró Cotista – Caixa)

    Considerando que posso arcar com uma parcela inicial em torno de R$ 2.100, as minhas dúvidas são:

    – Opto pela tabela SAC em um prazo de 360 meses ou PRICE em 180 meses?
    – Ao longo do financiamento, posso utilizar meu saldo FGTS/investimentos para amortizar na PRICE tbm? Funciona da mesma forma que na SAC?

    Utilizei alguns simuladores que achei na internet e a opção PRICE em 190 meses me pareceu muito mais vantajosa pois quitaria o imóvel em metade do tempo e, consequentemente, o valor total gasto seria bem menor.
    Mas estou muito na duvida pq todos que conheço me indicam a SAC, só não sabe justificar o pq exatamente.
    E pesquisando na internet tbm dizem q essa é a melhor opção, mas as simulações consideram sempre o mesmo prazo de financiamento, o que não é o meu caso…

    Obrigada pela atenção!
    Um abraço!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Ei, Tânia, obrigado pela mensagem e pelos elogios!

      Muito interessante seu caso. Vamos lá. Fiz duas simulações, com SAC e Price. Saldo inicial de R$ 223 mil, taxa de juros mensal de 0,6317%, desconsiderando a existência de seguros e taxa de administração. SAC em 360 meses, Price em 180 meses.

      Pelo SAC, a prestação começa em R$ 2028 e vai caindo pouco menos de R$ 4 a cada mês. Pela Price, prestações constantes de R$ 2077.

      Se você somar as 360 prestações do SAC, dá mais de R$ 477 mil. Se somar as 180 da Price, dá menos de R$ 394 mil.

      “Nossa, então é CLARO que compensa mais a Price”, alguém dirá. Se você olhar apenas para o financiamento, se limitar a fazer o pagamento mensal da prestação, e gastar o restante do seu salário com outras coisas, sem dúvida a Price é mais vantajosa. Afinal, quando chegar à prestação 180, você terá quitado seu financiamento, enquanto pelo SAC você ainda terá mais 180 prestações pela frente, com um saldo devedor de mais de R$ 110 mil.

      MAS…

      … não se esqueça de que o SAC tem prestações menores desde o início, e que vão ficando menores a cada mês. E se você poupar todo mês esse valor que paga a menos na prestação? Pode ser que, ao final dos 180 meses, tenha aplicado um valor maior que o saldo devedor do financiamento. E aí o SAC seria mais vantajoso.

      Para saber se compensaria ou não, seria necessário levar em conta vários fatores: os outros custos do financiamento (seguros e taxa de administração), a taxa de rendimento a que você aplicaria o dinheiro economizado, sua capacidade e disciplina para poupar, seu FGTS para fazer amortizações, a TR estimada para o futuro (que vai corrigir seu saldo devedor), entre outros fatores.

      São tantos fatores que eu não tenho condição de te dar uma sugestão. Um bom consultor poderia levantar todas essas informações, traçar seu perfil de investidora e te apresentar opções de estratégias.

      Respondendo às suas perguntas:

      “Posso utilizar meu saldo FGTS/investimentos para amortizar na PRICE tbm?”. Sim, pode, a lógica do cálculo é a mesma: a amortização diminui o saldo devedor, a taxa de juros é a mesma, e você escolhe se diminuirá a prestação ou o prazo.

      “Todos que conheço me indicam o SAC, só não sabem justificar o porquê exatamente”. Somando os valores pagos nos dois sistemas, o SAC é menos oneroso. A vantagem da Price é que a prestação inicial é menor, e por isso as pessoas com orçamento mais apertado só conseguem ENTRAR no financiamento por este sistema.

      Tânia, conto com sua compreensão por não querer arriscar uma sugestão. Seria leviano da minha parte sugerir algo sem ter as informações completas para fazer os cálculos (que são complexos). O que pude fazer é te mostrar duas formas diferentes de pensar e agir, e te explicar a lógica por trás delas.

      Espero ter ajudado, e continuo à disposição. Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton,
    Gostaria de uma opinião sua. Tenho um financiamento com um saldo de Total a Pagar: R$ 270.374,02, taxa efetiva 9,9%, prazo que falta 355 meses, valor da parcela atual R$ 2.970,00, tabela SAC. Tenho R$ 70mil para fazer a amortização. Gostaria de saber se compensa amortizar no prazo ou no saldo devedor. Ou ainda se é mais vantagem aplicar esse valor e utilizar para uma quitação posterior do imóvel.
    Quanto a parcela atual, consigo pagar, gostaria de saber em qual das opções pago menos juros e é mais aconselhável de fazer.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado(a) HL, obrigado pela sua mensagem.

      Essa taxa de juros sua não é baixa. Para saber exatamente o Custo Efetivo Total – CET atual do seu financiamento seriam necessários cálculos mais complexos, com mais informações além das que você passou. Mas ele deve estar no mínimo equivalente ao rendimento líquido das boas aplicações que se encontra por aí. Quando o CET é superior ao rendimento líquido da aplicação, é financeiramente vantajoso amortizar o financiamento.

      É difícil dizer se, no seu caso, compensa mais amortizar diminuindo o prazo ou o valor da prestação. Essa é uma decisão que deve levar em conta o seu perfil pessoal, sua disciplina para manter dinheiro aplicado, sua capacidade de poupar visando novas amortizações no futuro, entre outras coisas. Um bom consultor poderia levantar suas informações, calcular o CET do investimento, traçar seu perfil e propor opções de estratégia.

      Mas posso adiantar o principal, usando a calculadora que o Educando Seu Bolso vai publicar em breve, e as informações que você passou (eu precisaria de mais algumas para uma resposta exata, mas com as que você trouxe eu consigo uma razoável).

      Se optar por diminuir o prazo, ele cairá de 355 para algo em torno de 155. Se optar por diminuir o valor, ele cairá dos atuais quase R$ 3 mil para algo em torno de R$ 2.250.

      Eu normalmente prefiro amortizar diminuindo a prestação e poupando mensalmente o valor economizado. Em um cenário de juros altos, é uma boa forma de juntar mais dinheiro para fazer uma nova amortização no futuro. Mas, claro, depende de disciplina para poupar.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton. Parabéns pelo site!

    Minha situação é a seguinte: comprei um apartamento pela construtora que está pronto. Paguei 30% de entrada. A construtora deu um prazo de 14 meses para que eu dê entrada no financiamento do restante do valor do apartamento com o banco. Porém esses 70% que faltam será ajustado pelo IGPM. O que seria melhor eu fazer: me esforçar e entrar o quanto antes no financiamento, dado que o IGPM está meio alto; ou ir abatendo o saldo devedor com a construtora e entrar no financiamento daqui 14 meses.

    Muito obrigado pela sua disposição.
    Abraços.
    João.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado João, obrigado pela sua mensagem!

      Eu já vi construtoras apresentarem cláusulas de correção de saldo mais severas que a sua (por exemplo, IGPM mais x% ao mês). Mas, como você disse, só o IGPM está alto o suficiente para incomodar. Em fevereiro, o acumulado dos 12 meses anteriores superou os 12%.

      Se estivesse no seu lugar, eu preferiria me esforçar para entrar logo no financiamento, que normalmente tem juros menores que isso.

      Mas se decidir fazer isso, pesquise bem, tente negociar, não faça um mau negócio por conta da pressa.

      Abater o saldo devedor com a construtora equivale a aplicar em um investimento com rendimento líquido igual ao IGPM. Ou seja, possivelmente compense, já que não é tão fácil conseguir um rendimento assim para baixos valores e prazos. Mas o que eu acho melhor mesmo é tentar achar um financiamento com uma taxa mais baixa.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite, Ewerton

    Com o seu conhecimento gostaria de uma orientação no meu caso.

    Bom dia, Ewerton
    Tenho um AP financiada pelo Minha Casa Minha Vida em 300 meses sendo que estou na prestação 39 no valor de R$ 438,27, taxas de juros contratual 4,50%; saldo devedor de R$ 57.001,99; juros do mês: R$214,57 e amortização:R$ 214,95 reais.
    Hoje tenho um recurso de R$ 30.000,00 que se valer apena eu amortizava ou penso em aplicar no CDB.
    O que você acha, no seu ponto de vista qual seria a melhor opção?
    Obrigada!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Oi, Monyka, obrigado pela sua mensagem!

      O programa Minha Casa, Minha Vida tem taxas relativamente baixas, portanto o Custo Efetivo Total – CET do seu financiamento deve estar inferior a 6% ao ano. Você consegue aplicar em um bom CDB com taxas bastante superiores a isso.

      No seu lugar, eu aproveitaria os juros altos para deixar esses R$ 30 mil bem aplicados, e iria pagando meu financiamento. É uma estratégia que requer disciplina para não gastar o dinheiro e ir cuidando da aplicação, mas financeiramente eu acho mais vantajoso.

      Abraço!

      Responder
  • Olá, Ewerton, parabéns pelo site e obrigada pela disponibilidade!

    Estou com uma séria dúvida: o valor do imóvel que pretendo comprar é R$ 277 mil. Gostaria de dar entrada no valor de R$ 200 mil e financiar R$ 77 mil (em 180 meses). No banco A, é possível financiar esse valor, porém o CET está em 13,77%. Já no banco B, o CET está um pouco menor (11,7%), mas o mínimo que financia é R$ 100 mil. O que vale mais a pena: financiar no banco A somente o valor que eu preciso, mas com um CET mais alto, ou no banco B, com CET menor, e amortizar a diferença (R$ 23 mil) logo no início?

    Muito obrigada desde já!

    Vanessa.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Vanessa, obrigado pela sua mensagem!

      Eu preferiria a opção B, começar o financiamento com o valor mínimo exigido pelo banco e, logo em seguida, fazer a amortização até chegar ao valor pretendido. Na prática, isso equivaleria a começar o financiamento em R$ 77 mil.

      Como eu não conheço as regras de todos os bancos, só recomendo que você verifique se pode fazer isso, ou se o banco exige algum prazo de carência para as amortizações extraordinárias.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton Boa noite ! Primeiramente parabéns pela presteza e ajuda !

    Tenho uma duvida, caso eu compre um imovel é pegue financiamento de R$ 100mil e logo em seguida eu consiga R$ 50mil para realizar a amortização do meu financiamento, caso eu faça a opção de redução das parcelas, qual será o valor das parcelas que sobraram ? Serão menores uma vez que o saldo devedor reduziu ? Pretendo fazer o parcelamento em 96 meses e a redução para 48 parcelas.
    Abraço
    Rafael

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Rafael, obrigado pela sua presença.

      Vamos lá, fiz uma simulação. Suponhamos que você tivesse feito o financiamento de R$ 100 mil, em 96 meses, em 1º de janeiro de 2016. Taxa de juros de 0,75% ao mês, seguros e taxa de administração de R$ 75 mensais.

      Sua prestação em março seria de cerca de R$ 1860. Se amortizasse R$ 50 mil, ela cairia para R$ 950, mantendo o prazo. Ou o prazo cairia para 33 meses, mantendo a prestação.

      Esses cálculos poderão ser feitos em breve, pelo próprio leitor, na calculadora que o Educando Seu Bolso vai lançar. Aguarde.

      Abraço!

      Responder
  • Olá ewerton,
    Primeiramente Parabéns pelo site e por ajudar tantas pessoas a esclarecer as dúvidas com relação a casa própria.

    Tenho um financiamento imobiliário de 420 meses. Já paguei 24. A taxa de juros é de 8.78%. O saldo devedor é de 240 mil. Tenho cerca de 9 mil reais de FGTS para amortizar. E pretendo diminuir o número de parcelas pq é um financiamento muito longo. A amortização está em R$ 595.96 por mês. E os juros da última parcela foram de R$ 1555.55. Totalizando R$ 2237.11 no último mês. O índice de reajuste é de 1.0018.
    Eu conseguiria diminuir aproximadamente qtas parcelas com meu FGTS? E será que reduziria um pouco as prestações tb? Ou elas se manterão? Outra dúvida que tenho é se o valor da amortização mensal das parcelas aumenta com essa amortizacão pelo FGTS?
    Ficarei extremamente grato por me esclarecer essas dúvidas.
    Abraços.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Carlos, obrigado pela sua mensagem.

      Lancei os dados na nossa calculadora, ficaram um pouco diferentes. Eu precisaria saber o saldo inicial, a data da primeira prestação, e se essa taxa de juros é nominal ou efetiva. Mas vamos lá.

      Com essa amortização, o prazo diminuiria em cerca de 50 meses. As prestações seriam mantidas praticamente no mesmo valor. Se você optar por diminuir as prestações, o prazo é que permaneceria o mesmo.

      Esse valor é aproximado, certo, Carlos? Como eu te disse, precisaria dos dados exatos para uma resposta também mais exata. Mas é algo próximo a isso.

      Aí você me pergunta: “o valor da amortização mensal das parcelas aumenta com essa amortização?”. Excelente pergunta! Aumentaria sim. E isso é importante em financiamentos longos, para que seu saldo devedor caia um pouco mais rápido.

      Abraço!

      Responder
  • boa tarde, tenho 90 mil reais de financiamento bancário CEF. SAC , minha taxa de juros é 4,5% minha casa e minha vida… são 300 meses prazo total, minha prestação é de 648 reais e juros do mês 338 reais , amortização de 310 reais. .Paguei 12 meses, tive problema e fiz o refinanciamento e voltou praticamente praticamente o mesmo valor. Agora está em 89.800 reais.
    A minha dúvida é vou vender meu carro que vale 40 mil reais e quero diminuir o valor da prestação. Mesmo eu diminuindo o valor das parcelas meu saldo total será de 89.800, menos 40 mil reais do meu carro . Ficaria 49.800 reais de financiamento ? Não entendo, pq existe diferença no valor em amorzitar o saldo de trás p frente ou diminuir o valor da prestação.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Fernando, obrigado pela sua mensagem.

      Sim, quando você amortiza, o saldo passa a ser o saldo antigo menos o valor amortizado. Então seria isso, R$ 89.800 – R$40.000 = R$ 49.800.

      E aí você vai optar por manter o prazo e diminuir o valor da prestação, ou manter o valor da prestação e diminuir o prazo.

      Eu confesso que não entendi bem as condições em que você fez o refinanciamento. O que a Caixa tem chamado de “refinanciamento” é o chamado Crédito Imóvel Próprio Caixa, que é simplesmente um empréstimo cuja garantia é o imóvel. Não sei se foi isso que você fez. Se quiser e puder, por favor entre em contato novamente, explicando seu caso.

      Para te dizer em quanto sua prestação cairia, eu precisaria entender melhor sua operação. Em condições normais seria algo em torno de R$ 280.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite!

    Comprei um terreno no valor de R$56.306,00 deu entrada de R$16.406,00 isso foi em 2011 a parcelas se iniciaram em 332,50 já paguei 60 prestações hoje elas estão em R$888,00 está certo isso? Obrigado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Glauco, obrigado pela sua mensagem.

      Nossa! Aumentou muito! Para te dar uma opinião consistente, eu precisaria de mais informações. Especialmente as cláusulas de reajuste, de amortização mensal e o saldo devedor.

      Se puder e quiser entre em contato novamente. Abraço!

      Responder
  • Muito bacana esse espaço que você criou Ewerton. Muitas dúvidas esclarecidas e muitas informações importantes e espero que você possa me ajudar também, pois gostaria de utilizar o FGTS que possuo (2 anos – aproximadamente uns 7 mil reais) para amortizar meu financiamento imobiliário agora e depois ir amortizando a cada 2 anos pelo FGTS.
    Tenho um financiamento de 65.000,00 – prazo de 299 meses – SAC
    Taxa nominal – 8,566 % ao a.a. e Efetiva – 8,90.% a.a.
    pagos 66 parcelas – indice de reajuste – TR – 0,137100%
    Saldo devedor – 53.497,07
    Capital – 217,38 – Juros – 362,02
    Seguro – 31,29
    correção – 10,58
    valor parcial da prestação – 621,27
    Pago em media na data do vencimento no mês = 675,00

    Qual seria melhor ? amortizar o saldo devedor antecipando as últimas parcelas ? ou diminuir o valor das parcelas ?

    fico no aguardo

    obrigado

    e muito sucesso no seu Blog. Muito recomendado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Sílvio, obrigado pela sua mensagem e pelos elogios.

      No seu lugar, eu preferiria fazer as amortizações diminuindo o valor da prestação, e pouparia mensalmente o valor economizado.

      Essa estratégia requer a disciplina de poupar todo o valor economizado, todos os meses. E é vantajosa enquanto os juros das aplicações permanecerem altos.

      Abraço!

      Responder
      • Ewerton, o elogio ao seu blog nada mais que um reconhecimento dos seus méritos por ajudar a tantas pessoas que como eu, leigas para a melhor utilizacao dos investimentos.Poderia me dizer qual seria o valor das parcelas aproximadante, se eu usasse o FGTS ? obrigado.

        Responder
        • Ewerton Veloso

          Sílvio, obrigado pelo retorno, e novamente pelos elogios!

          Seu saldo devedor era de pouco mais de R$ 53 mil, a prestação é de R$ 675, faltando 233 prestações, e você tem R$ 7 mil para amortizar, certo? Nesse caso sua prestação não cairia muito, ficaria pouco abaixo de R$ 600. Isto porque o prazo ainda é um pouco longo.

          Mas, veja bem, se você investir mensalmente o valor economizado a 0,7% líquidos, em 2 anos terá pouco mais de R$ 2 mil. Se, então, tiver mais R$ 7 mil de FGTS, poderá fazer nova amortização, e sua prestação cairá mais cerca de R$ 100. E assim vai.

          É o que EU faria no seu lugar.

          Abraço!

          Responder
  • Professor,

    Irei financiar um.imovel no valor de 270 mil darei de entrada 100 mil..pretendo liquidar o imovel em 10 anos.

    Eh maisninteressante eu optar pela Sac ou pela Price?

    Obrigado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Gabriel, obrigado pela sua mensagem.

      Preciso de mais informações para te dar uma boa resposta. A taxa de juros (nominal ou efetiva), o prazo (vai ser em 10 anos, ou em um prazo maior, para quitar em 10 anos), o seguro, a taxa de administração.

      Fiz uma simulação. Valor de R$ 170 mil, juros mensais de 0,6%, por 300 meses, sem incluir TR, seguro e taxa de administração. Depois comparei o quanto você pagaria de prestação na SAC como que pagaria na Price. E considerei que, caso optasse pela Price, iria aplicar, mensalmente, à taxa de 0,8%, o valor que pagar a menos na prestação.

      Nessas condições, compensa optar pela Price.

      Mas, repito: foi um cálculo muito abstrato. Eu precisei inventar muitos dados. Para uma resposta confiável, eu sugiro procurar um consultor, que levantaria todos esses dados, além do seu perfil pessoal de poupador, traçaria os cenários e proporia estratégias. Abraço!

      Responder
  • Boa tarde, Sr. Ewerton!
    Tudo bem? Por favor, poderias me ajudar?
    Tenho um imóvel financiado em 240 (faltam uns 200 ainda) meses a taxa de 8,9% com prestação de R$1150,00 e saldo devedor de R$101.000,00. Tenho um valor de 35.000,00 de FGTS e consigo além disso, juntar o valor total para quitá-lo. Porém, não sei se é a melhor opção. A parcela hoje não me pesa. O que quero é acabar de pagar o quanto antes, de preferência usando ao máximo o FGTS, já que após quitá-lo não poderei utilizar mais o FGTS (correto?). A intenção era se ver livre dessa dívida em no máximo 3 anos. O que você acha melhor?
    – Quitar ele logo agora juntando tudo o que posso?
    – Utilizar apenas os 35 mil do FGTS e amortizar a dívida do saldo devedor (final das parcelas)?
    – Utilizar apenas os 35 mil do FGTS e reduzir o valor das parcelas e aplicar a diferença? Se eu optar por essa opção, conseguiria quitar dentro da minha estimativa?
    Agradeço desde já a sua atenção e parabéns pelo belo trabalho!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Liana, obrigado pela sua mensagem.

      Para te dar uma resposta, eu preciso de informações mais precisas. O valor inicial do financiamento, a data de início, os valores de seguro e taxa de administração. E me diga se esses 8,9% são taxa nominal ou efetiva.

      Com isso eu vou poder responder pelo menos à primeira pergunta. As outras duas talvez careçam de um estudo mais profundo, que um bom consultor poderia fazer. Ele vai traçar o seu perfil pessoal, calcular os possíveis cenários e te apresentar estratégias.

      Mas te peço que me informe os dados que eu falei. Dependendo da situação, a primeira pergunta já elimina as outras, o que resolve sua dúvida. Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton;

    comprei um imóvel no valor de 200mil reais, financiei 138mil no sistema PRICE na CEF sendo Minha Casa Minha Vida com taxa de juros de 6,68 a.a parcelas fixas de 900 reais. Gostaria de saber qual a melhor forma de quitar meu imóvel antecipado,usar o FGTS de dois em dois anos para amortizar a divida reduzindo o valor das parcelas ou reduzindo o prazo? Além disso vou aplicar R$1.000,00 mensais em um fundo de investimento de baixo risco devo utilizar esse dinheiro de quanto em quanto tempo para amortizar a divida? ou devo guardar até ter o valor total para quitar o imovel?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Marthius, obrigado pela sua mensagem!

      Eu confesso que não sou tão especialista em amortização pelo sistema Price. Em breve teremos mais condições de atender com a mesma qualidade como fazemos no SAC.

      Além disso, eu precisaria que você me informasse os outros custos envolvidos no seu financiamento (seguros, taxas, custo de manutenção de conta). Mas, já que sua taxa de juros é relativamente baixa, posso responder às suas perguntas específicas com alguma segurança.

      Já que a taxa é inferior a 7% ao ano, estimo que o Custo Efetivo Total – CET seja inferior a 8% (atenção, é apenas uma estimativa). Creio que, no seu lugar, eu preferiria amortizar diminuindo o valor das prestações e usaria a economia mensal da amortização para aumentar o valor aplicado por mês. E, pelo menos durante um tempo, procuraria manter o dinheiro aplicado, aproveitando as boas taxas de rendimento das aplicações.

      A pergunta, então, seria: por quanto tempo compensaria manter o dinheiro aplicado? Enquanto o rendimento das aplicações for razoavelmente superior ao CET do financiamento. Esse CET precisaria ser periodicamente calculado – lembrando que o CET vai aumentando aos poucos, à medida que o tempo passa. Um bom consultor poderia calcular esse CET, e poderia dizer por quanto tempo essa operação seria financeiramente vantajosa.

      Abraço!

      Responder
  • Nao concordo com amortizar de traz pra frente. Se a pessoa for disciplinada ela pode amortizar abatendo no valor das prestações. Com este valor que “sobra” da diferença da prestação antiga versus nova pode juntar a cada 6 meses e abaixar mais ainda o valor das prestações e por aí vai.

    Executando este exercício onde o valor disponível para a primeira amortização é de +- 50% do saldo devedor a pessoa quita um financiamento pelo menos 100 meses antes que quitaria se amortizasse de tras pra frente especialmente se a pessoa nao tem como juntar mais dinheiro pra quitar antes e vai ficar presa naquele terrorismo de ter que pagar uma quantia alta por mês.

    Isto sem contar o FGTS que pode ser utilizado de 2 em 2 anos e potencializa ainda mais o abatimento e por sua vez a capacidade de juntar dinheiro dos disciplinados. Obviamente o FGTS pode ser usado também pra quitar de tras pra frente. Mas nao importa o cálculo que faço,, com inflação,, sem inflação…. reduzir o valor da prestação pra mim sera sempre a melhor opção.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Leo, obrigado pela sua mensagem!

      Em tese, eu concordo com você. Se a pessoa tiver a disciplina para poupar, a opção de diminuir o valor das prestações e aplicar o valor economizado e fazer novas amortizações, é uma estratégia boa.

      É claro que há muitas variáveis (prazo, juros, outros custos, comportamento pessoal). Em algumas situações pode ser adequado diminuir o prazo. Mas, em tese, eu concordo com seu raciocínio. Abraço!

      Responder
  • Bom dia!!, meu genro tem um imóvel quitado em seu nome e outro financiado, ele quer usar o FGTS para quitar o financiado e não está conseguindo por ter outro imóvel quitado em seu nome. O que fazer nesse caso Dr Ewerton?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Maria, obrigado pela sua mensagem!

      Mas creio que, infelizmente, não há muito que ser feito… O “Manual do FGTS – Utilização na Moradia Própria” é bastante claro:

      “CAPÍTULO III – AMORTIZAÇÃO OU LIQUIDAÇÃO DE SALDO DEVEDOR DE FINANCIAMENTO

      17 REQUISITOS DO TRABALHADOR

      17.2 O trabalhador deve ser titular ou coobrigado do contrato a ser amortizado ou liquidado e atender aos seguintes requisitos na data da aquisição do imóvel, conforme período de vigência do SFH:

      b) Não ser proprietário, possuidor, promitente comprador, usufrutuário ou cessionário de outro imóvel residencial, concluído ou em construção, localizado no mesmo município do exercício de sua ocupação laboral principal ou de sua residência, incluindo os municípios limítrofes ou os municípios integrantes da mesma Região Metropolitana.”

      Eu não sou especialista em normas e procedimentos (meu negócio é mais a estratégia financeira). Talvez alguém possa te sugerir algo. Eu, sinceramente, não sei se é possível, o manual me parece bastante claro. Boa sorte. Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton. Parabéns pelo site. Se puderes me ajudar. Vou começar a pagar um financiamento pela cef. Juros de 4,5% a.a., indicice de reajuste do saldo devedor aproximadamente 1,02% a.m., valor financiado R$62.500,00. Tenho condições de quitá-lo mas o dinheiro na selic rende quase o triplo. Posso pagar as parcelas sem aperto no orçamento. Devo amortizar usando o FGTS diminuindo o tempo do financiamento ou diminuindo o valor das parcelas, para utilizar o máximo possível meu FGTS? Obrigado.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Vinícius, obrigado pela sua mensagem e parabéns pela boa noção de uso do seu dinheiro!

      Você não me deu algumas informações importantes para que eu te dê a resposta, como o prazo do financiamento e o valor que você tem no FGTS.

      Falando em tese, então, no seu lugar eu não optaria por diminuir o prazo, já que haveria a possibilidade de quitar a qualquer tempo. Eu optaria por diminuir o valor das prestações, ou mesmo a modalidade de Pagamento de Parte das Prestações – PPP.

      Não sei se você conhece essa modalidade PPP. Ela permite o uso do FGTS para pagar até 80% do valor das 12 próximas prestações. Pode ser uma boa opção para você. Seriam necessários cálculos mais profundos para ver se compensa mais do que diminuir o valor da prestação. Um bom consultor poderia fazer esse cálculo para você.

      Em resumo, então, no seu lugar eu descartaria a redução de prazo e certamente investiria o FGTS no financiamento, aplicando mensalmente o valor que conseguisse economizar. Restaria escolher entre a amortização e o PPP.

      Abraço!

      Responder
  • Olá, Ewerton! Cara, encontrei seu blog hoje e achei incrível – parabéns.
    Vamos à minha dúvida: tenho um apartamento financiado pela CEF, acredito que no sistema SAC (é aquele que a parcela vai diminuindo). Fui ao banco e eles me ofereceram 3 opções: o PPP, que diminui a parcela em 80% por um ano, a amortização diluída entre todas as parcelas devedoras, ou a amortização das últimas parcelas.

    Pago hoje R$680 por mês e minha dívida no momento é de cerca de R$60 mil e o financiamento tem mais 19 anos pela frente. O valor que a minha mulher tem de FGTS é de R$21 mil. Segundo a conta da Caixa, o prazo de 19 anos cairia para 8 anos.

    Preciso da sua ajuda: o melhor seria diminuir o valor mensal da parcela ou quitar as últimas, passando de 19 anos para 8 a minha dívida total?

    Grande abraço.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Junior, obrigado pela sua mensagem!

      Fiz uma projeção usando a calculadora que o Educando Seu Bolso vai publicar em breve. Você não me informou os dados exatos, por isso fiz uma estimativa. Lancei um saldo devedor de R$ 60 mil em 01/02/16, prazo de 230 meses, taxa de juros de 0,7% ao mês e R$ 25 de taxa de administração. Nesses termos, se amortizasse diminuindo o prazo, este realmente cairia para cerca de 8 anos. Se optasse por diminuir a prestação, esta cairia cerca de R$ 230.

      Se você aplicar esses R$ 230 mensalmente, à taxa líquida de 0,7% ao mês, possivelmente conseguiria acumular o valor suficiente para quitar a dívida em cerca de 8 anos também.

      O que é melhor vai depender do seu perfil.

      Se eu estivesse no seu lugar, e tivesse a expectativa de receber FGTS para, daqui a 2 anos, fazer nova amortização, eu preferiria amortizar diminuindo a prestação. Mas sabendo que esta opção, para ser financeiramente vantajosa, requer DISCIPLINA não apenas para poupar mensalmente o valor economizado, mas também para resistir à tentação de gastar a poupança.

      Eu acho mais recomendável amortizar diminuindo o prazo quando não há a perspectiva forte de fazer novas amortizações no futuro, ou quando não se quer trabalho e a disciplina para manter uma poupança.

      Abraço!

      Responder
      • Metendo o bedelho aqui… acho excelentes suas ponderações! Mesmo quando a pessoa não está avaliando a possibilidade de lucrar com essa situação, você mostra que é possível!

        Eu acho que a decisão principal passa pela tua constatação: “Se eu estivesse no seu lugar, e tivesse a expectativa de receber FGTS para, daqui a 2 anos, fazer nova amortização, eu preferiria amortizar diminuindo a prestação.”

        Em geral, as pessoas querem se livrar da dívida, mas não veem a oportunidade que têm de usar um dinheiro parado pelo maior tempo possível!

        Um abraço!

        Responder
  • Olá, Ewerton.

    Em primeiro lugar, parabéns pelo conteúdo do site. Não encontrei nada na Internet que chegasse perto da qualidade e profundidade com que abordou o tema de amortização do financiamento da casa própria.

    Em dois meses, fará 2 anos que utilizei meu FGTS para dar entrada no meu imóvel financiado junto ao BB. Terei algo em torno de R$ 60 mil para amortização. Meu saldo devedor atual é de aproximadamente R$ 430 mil, e a taxa final é de 8,3% a.a. + TR.

    Com o uso do FGTS próximo, mais minha poupança, eu teria o valor necessário para quitar o financiamento. Mas hoje, com as atuais condições da economia e a atratividade dos títulos públicos, e até alguns privados, como CDBs e LCIs/LCAs de bancos médios, fica claro que não faz o menor sentido quitar o financiamento, já que de fato estou em uma situação de spread positivo (capto mais barato que aplico).

    Até aí, tudo bem. Mas o uso do FGTS me permite reduzir número de parcelas, o valor delas ou abater 80% mensalmente, por 12 meses. E é aí que surge a dúvida, entre a 2ª e 3ª opções.

    No atual cenário, supondo que eu consiga um rendimento líquido de 14% a.a., me parece mais interessante usar o FGTS para abater 80% das parcelas e aplicar a diferença na taxa acima. Mas não consigo traduzir essa vantagem em números. Além do mais, no meu caso, mesmo abatendo 80% das parcelas por 12 meses (aprox R$ 3.600 mensais, ou R$ 43.200 ano), ainda sobrariam quase R$ 20 mil no Fundo. Você sabe dizer se posso utilizar esse “residual” para abater o saldo devedor ao mesmo tempo? Ou esse dinheiro ficará parado rendendo míseros 3% a.a.?? Essa informação também impactará na análise.

    Como informações adicionais: valor atual da parcela: R$ 4600. Prazo para final do contrato: R$ 277 meses.

    Ficarei muito grato se puder me ajudar nessa decisão!

    Abraços e, novamente, parabéns pelo conteúdo e disponibilidade em auxiliar as pessoas.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Thiago, obrigado pela sua mensagem. Gostei muito dela. Percebe-se que você entende bastante de investimentos.

      O Manual do FGTS, a meu ver, é um pouco impreciso. Ele diz que “Para utilização do FGTS em amortização ou liquidação de saldo devedor de financiamento, o interstício mínimo é de 02 anos, contados a partir da data da última amortização”, e para o pagamento de parte das prestações, ele diz que “ao término do prazo de utilização, poderá ser iniciada nova utilização”. Não é mencionada claramente a possibilidade de utilizar as duas modalidades ao mesmo tempo, ou em sequência. Vi em sites não oficiais que é possível, mas sugiro que cheque a informação com seu gerente do BB.

      Quanto à decisão em si, a questão é traçar com detalhes os dois cenários possíveis. Em um, você gasta parte do FGTS (sobrando outra parte), tem uma diferença grande na prestação e uma queda modesta no saldo devedor. No outro, você gasta todo o FGTS, tem uma diferença moderada na prestação e uma queda grande no saldo devedor.

      O cálculo é um pouco complexo. Um bom consultor poderia te ajudar. Ele levantaria todos os dados do financiamento (valores edatas), e assim poderia estimar com boa precisão os próximos eventos, traçar com detalhes os dois cenários e propor estratégias. Muitas vezes a consultoria é um investimento que o cliente recupera imediatamente e lucra logo a seguir, ao tomar uma decisão bem estudada.

      Mas eu posso adiantar algumas informações sobre o segundo cenário. Fiz uma simulação utilizando a calculadora que o Educando Seu Bolso vai publicar em breve. Lancei um saldo devedor de R$ 430 mil em 01/02/16, prazo de 277 meses, taxa de juros de 0,7% ao mês e R$ 125 de seguro e taxa de administração. Nesses termos, uma amortização de R$ 60 mil provocaria uma redução de cerca de R$ 500 na prestação (e, naturalmente, R$ 60 mil no saldo devedor).

      Espero ter ajudado. Se quiser, entre em contato novamente. Abraço!

      Responder
      • Obrigado pela resposta! Agradeço sobretudo o segundo parágrafo, pois me deu uma luz que eu não fazia ideia – a possibilidade de “ao término do prazo de utilização, poderá ser iniciada nova utilização”. Vou ver se isso procede.

        Pois é, vi que a questão é complexa mesmo. Faz ideia de quanto um consultor me cobraria pra fazer essa conta? Indica alguém?

        Se preferir, pode me responder por email.

        Um abraço!

        Responder
  • Boa noite, estou fazendo um financiamento imobiliário pelo Banco do Brasil de 180.000,00.
    E estou com na dúvida se pelo SAC ou PRINCE
    Essa dúvida se deve ao fato de eu querer quitar o quanto antes esse financiamento, haja vista que receberei em torno de 15.000,00 por ano de participação nos lucros Mais economias mensais.
    Pois então, para quem irá quitar o financiamento o mais rápido possível qual o melhor SAC ou PRINCE?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Anderson, obrigado pela sua mensagem!

      Fiz uma simulação rápida aqui, com as seguintes condições: Financiamento de R$ 180 mil, a 0,7% de juros ao mês, por 360 meses. E programei amortizações extraordinárias anuais de R$ 15 mil a partir da 13ª prestação (ou seja, daqui a um ano). Pelo sistema SAC, considerei que as amortizações extraordinárias diminuem o valor da prestação, e pelo Price considerei que o valor da prestação é mantido (aumentando o valor amortizado a cada mês). Não levei em conta taxas de administração, seguros e atualização pela TR.

      Nessas condições, a 8ª amortização extraordinária aconteceria na prestação 97. Após essa amortização, o saldo devedor seria de R$ 11500 pelo sistema SAC, e de R$ 795 pelo sistema Price. Alguém pode pensar: quer dizer que compensa mais o sistema Price, certo? Errado.

      Pelo sistema SAC, até a prestação 97, terão sido desembolsados pouco mais de R$ 119mil nas prestações. Pelo sistema Price, terão sido desembolsados mais de R$ 133 mil. Ou seja, se a pessoativer o orçamento equilibrado e a disciplina para poupar, o sistema SAC é financeiramente mais vantajoso. Mas se ela não consegue poupar espontaneamente e precisa de um boleto caro vencendo todo mês, para que ela não gaste todo seu dinheiro, o sistema Price vai ser mais seguro.

      Veja bem que eu tracei um cenário em condições bem específicas, e possivelmente diferentes das suas. Esse é um cálculo complexo e os cenários variam de acordo com as condições. Um bom consultor poderia te ajudar, ele levantaria seus dados, traçaria seu perfil, desenharia cenários (inclusive com as duas formas de amortização) e proporia estratégias.

      Abraço!

      Responder
  • Boa noite, gostaria de saber se posso fazer o abatimento da prestação da minha casa com dinheiro que tenho guardado na poupança da caixa, haja vista que o meu financiamento é feito pelo mesmo banco.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Felipe, obrigado pela sua mensagem.

      O fato de a poupança ser no mesmo banco não impede a amortização extraordinária. Alguns bancos exigem que você mantenha algum relacionamento, em troca de uma taxa de juros menor. O meu, por exemplo, exigiu que eu fizesse um cartão de crédito. Não sei se a Caixa propôs que você mantivesse saldo em poupança, como forma de relacionamento. Se não, você pode usar os recursos para fazer sua amortização.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde, tenho 10 mil reis disponível quero fazer um investimento a longo prazo (240 meses), qual seria meu saldo no fim dessa prazo? e se compensa fazer este investimento? e qual a melhor opção de investimento? pelo que ja pesquisei o tesouro direto é a que tem menos risco, quase zero melhor dizendo, mais vale a pena correr algum risco visando um melhor rendimento?

    Responder
    • Fabrício Ferreira

      Boa noite Dinailton,

      Suas dúvidas serão respondidas em post do Gerente Responde sobre alternativas de investimento que será publicado amanhã.

      Abraços,

      Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Dinailton.

      Suas dúvidas serão respondidas em um post “O Gerente Responde” sobre alternativas de investimento, que será publicado nesta sexta feira, dia 19/02.

      Abraços!

      Responder
  • Olá Ewerton boa tarde,

    Por gentileza, poderia dar a sua opinião sobre algumas dúvidas que tenho referente ao meu financiamento (CEF), segue os dados:

    Taxa de Juros Contratual: 8,51
    Reajuste de prest. mês 0,000000
    Indice reajuste saldo devedor mês 1,00092
    Parc. pagas = 11
    Prazo de financ. = 420
    Amortização mês = R$ 397,61
    Juros/Correção Mês = 1161,57
    Parcela do mês = R$ 1617,86 (1559,18 prestação + 33,54 Seguro + 25 taxa adm)
    Saldo Devedor: R$ 163.395,10

    1º Dúvida:

    Minha situação em 31/12/2015:
    Amortização 3.307,87
    Juros/Correção Monetária 13.801,91
    Seguros 344,33
    Taxas + FCVS 300,00
    Mora 0,00
    Multa 0,00
    Diferença Teórico/Pago 280,93
    Total Pago (Ref. Pagto Prest. Mensais) 17.473,18
    Total Pago pelo Mutuário 17.473,18
    Total Pago no Exercício (Mutuário) 17.473,18
    Dívida em 31/12/2015 164.037,19

    Porque minha amortização foi tão baixa? Somente R$ 540,64 para o período 31/12/2015.
    Já para os 3 meses (Jan, Fev e Mar) desse ano foi amortizado R$ 642,09 resultando o saldo devedor atual de R$ 163.395,10
    O valor de R$13.801,91 de juros é pelo fato do meu prazo de financiamento ser de 420 meses?

    2º Dúvida:
    Tenho 15 mil para amortizar, em sua opinião eu deveria utiliza-lo para amortizar por prazo ou prestação?

    3º Dúvida:
    Prazo: É apontado o montante para amortização nas últimas parcelas do contrato, com dispensa de juros, parcela de seguro e taxa de administração, com consequente redução do prazo. Prestação: É apontado o montante para amortização entre todas as parcelas a vencer do contrato, diminuindo o valor da parcela. Isso é verídico?

    4º Dúvida:
    Posso solicitar o cancelamento do seguro e taxa adm ?

    5º Dúvida:
    Como funciona exatamente o cálculo do financiamento imobiliário?

    Desde já, muito agradecido pela a atenção que tem tido com os questionamentos.

    Muito Obrigado,
    Weverton

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Meu quase xará Weverton, obrigado pela mensagem.

      Joguei na minha planilha os dados que você informou, mas não entendi muito bem, algo não encaixou. Faltaram alguns dados importantes, como o valor e a data iniciais do financiamento. Mas acho que dá para te responder. Vamos lá.

      Dúvida 1:

      A amortização real é mais baixa do que a soma dos valores que você amortizou a cada mês, porque existe a correção mensal do saldo devedor pela TR. É como se você tirasse o valor com uma colher de sopa e a TR devolvesse parte dele com uma colher de sobremesa.

      Dúvida 2:

      É muito difícil eu te dar a opinião sobre o que você deveria fazer, porque o que vai ser melhor para você depende de outros fatores. Por exemplo, sua capacidade de poupança, sua condição de realizar novas amortizações no futuro, a situação do seu orçamento, entre outros.

      O que eu posso fazer é te informar quanto sua prestação ou o seu prazo iriam cair, com uma amortização de R$ 15 mil. E para ter dar a resposta exata eu precisaria dos dados de que falei acima: valor inicial e data inicial do financiamento. Pela estimativa aproximada que eu fiz, posso dizer que o prazo cairia em cerca de 110 prestações, ou a prestação cairia em cerca de R$ 130. Mas, como eu disse, são valores estimados, já que não tenho as informações completas.

      E, repito, o que seria melhor dependeria da sua situação. Um consultor poderia conversar com você, obter os dados, fazer cálculos, traçar cenários e te propor estratégias. Uma boa consultoria é um investimento que vale a pena, na minha opinião.

      Dúvida 3:

      Na prática isso é verídico, sim, mas a lógica não é bem essa. A amortização extraordinária consiste em você subtrair, do saldo devedor, o valor amortizado. E, então, recalcular o financiamento, com base na mesma taxa de juros, e diminuindo o prazo (mantendo a prestação) ou diminuir a prestação (mantendo o prazo). Na prática é isso que você falou: a amortização pelo prazo elimina as últimas prestações (e, consequentemente, seguro e taxas) e a amortização pela prestação diminui o valor pago mensalmente daqui para a frente.

      Dúvida 4:

      Não. Os bancos são autorizados a cobrar taxa de administração e exigem que você tenha um seguro.

      Dúvida 5:

      É um cálculo um pouco complexo para explicar aqui. Basicamente, a partir do saldo devedor são calculados os juros e a amortização, que você paga mensalmente (junto da taxa de administração e do seguro). Então o banco abate do saldo devedor a amortização, corrige o saldo pela TR (conforme expliquei na dúvida 1) e obtém um novo saldo devedor, um pouco mais baixo. Sobre esse novo saldo são calculados novamente os juros do mês seguinte, que você vai pagar junto com a amortização, as taxas etc, e assim por diante. Por isso os juros caem um pouco a cada mês.

      Abraço!

      Responder
  • Olá Ewerton boa tarde,

    POr gentileza, poderia me dar sua opinião sobre uma dúvida de financiamento (CEF), com os seguintes dados:

    Taxa de Juros Contratual: 6,00
    Reajuste de prest. mês 0,000000
    Indice reajuste saldo devedor mês 1,00095
    Parc. pagas = 21
    Prazo de financ. = 300
    Amortização mês = R$ 273,98
    Juros/Correção Mês = 390,13
    Parcela do mês = R$ 677,65 (664,11 + 13,54 FGHAB)

    Saldo Devedor: R$ 77.753,02

    Aí vem a dúvida, tenho um saldo aproximado de 15mil de FGTS, na sua opinião eu deveria utiliza-lo para amortizar o financiamento pagando as últimas parcelas ou opto para aquela redução de prestação (anual por exemplo reduzindo as parcelas dos próximos 12 meses) e o valor que sobrar de diferença das prestações aplico numa renda fixa (CDB / LCI)… Sou disciplinado quanto ao valor que sobraria ao aplicar ele como se estivesse pagando a prestação propriamente dita, mas sinceramente eu não sei se vale mais a pena pagar as últimas ou reduzir as parcelas investindo a diferença.

    Desde já agradeço sua prestatividade de sempre em me responder, Abraço!

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado André, obrigado pela sua mensagem.

      Se você optar por amortizar diminuindo o prazo, este cairia cerca de 100 parcelas. Isto é, faltariam pouco menos de 15 anos para a quitação. Caso opte por diminuir o valor da prestação, esta cairia em pouco mais de R$ 120.

      Se você aplicar mensalmente esta diferença a 0,7% ao mês, e a TR mensal ficar em 0,2%, você também demoraria um pouco menos de 15 anos para acumular, na aplicação, o valor suficiente para quitar a dívida.

      Ou seja, os dois cenários são parecidos. Mas, lembre-se: estou levando em conta que esta será sua única amortização, que você é disciplinado para poupar, e que a taxa de rendimento seria de 0,7% e a TR, de 0,2%.

      E há outras variáveis para entrar na história. Por exemplo, se você tiver capacidade de poupar além desse valor (ou se novamente acumular saldo no FGTS), poderá fazer novas amortizações antes disso, e aí os cenários mudam.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, bom dia!
    tenho um financiamento pela banco do brasil (minha casa minha vida), sistema é o price
    e as parcelas ficou de 318,03 fixas em 30 anos e o valor do financiamento é de 59.240,00
    e o é 5 por cento ao ano eu acho e tenho 5.000 mil e prefiro usar esse dinheiro para diminuir o valor da parcela quantos ficaria a parcelas tem como fazer esse calculo pra mim por favor agradeço pela ajuda

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Célijo, obrigado pela sua mensagem.

      Eu confesso que não domino totalmente as regras de amortização extraordinária pelo sistema Price. Posso fazer os cálculos levando em conta a mesma lógica que rege o sistema SAC: a amortização é abatida do saldo devedor, e o financiamento é recalculado, com base na mesma taxa e prazo (já que você pretende diminuir a prestação, não o prazo).

      No seu caso, o saldo devedor passaria para R$ 54.240. Um financiamento desse valor, em 360 meses, à mesma taxa (0,4167% ao mês), geraria uma prestação de R$ 291,19.

      Você não perguntou, mas eu vou falar. Se a regra for realmente essa, a economia será de menos de R$ 27, que representam 0,54% dos R$ 5 mil. É possível conseguir alguma aplicação líquida e segura, com rendimento mensal melhor que esse. Ou seja, no seu lugar, talvez eu preferisse aplicar o dinheiro, em vez de amortizar.

      Abraço!

      Responder
  • Ewerton, boa tarde!

    Por favor me tire uma dúvida eu tenho um financiamento (CEF) pelo plano minha casa minha vida, ou seja, tenho taxa reduzida de 4,5% ao ano c/ índice de reajuste de prest. mensal de 1,01795 e Indice reajuste saldo devedor mês 1,00131.
    Parc. pagas = 35
    Prazo de financ. = 240
    Amortização mês = R$ 303,32
    Parcela do mês = R$ 548,92
    Daí vem a grande questão eu tenho R$ 19 mil reais no FGTS, na sua opinião eu deveria utiliza-lo para amortizar o financiamento com redução das parcelas? ou devo preserva-lo?
    Aproveitando o ensejo aproveito pra te perguntar tenho 20 mil reais de recursos próprios vale a pena eu amortizar também ou devo aplica-lo em algum fundo?
    Obrigado!
    Anderson Rosário

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Anderson, obrigado pela sua mensagem.

      No seu lugar, eu certamente usaria o FGTS para amortizar. Possivelmente diminuiria o valor das prestações, aplicando a diferença para fazer uma nova amortização no futuro.

      Quanto aos recursos próprios, eu preferiria manter em uma aplicação líquida, segura e rentável, como um bom CDB ou uma LCA.

      Abraço!

      Responder
      • Ewerton, boa tarde!

        Muito obrigado pelas respostas, sem querer abusar tenho mais uma situação:
        Possuo um veiculo e vou vende-lo no valor de R$ 30 mil reais, vale a pena eu pegar essa grana (R$ 30 mil) + FGTS (R$ 19 mil) + os recursos próprios e fazer a liquidação do financiamento? Porém vou praticamente zerar meus recursos.
        Por outro lado vou ficar sem carro por um tempo até juntar grana para comprar outro, você acha viável? Ou continuo com o carro e tento ir poupando para amortizar futuramente? Obrigado!

        Responder
  • Boa tarde Ewerton,
    Primeiramente gostaria de dar o parbens pelo seu site.
    Gostararia de tirar uma duvida, estou comprando um apto de 190000,00 no programa minha casa minha vida, dei de entrada para construtora 102000,00 ainda nao fui chamada para comecar a pagar as prestacoes pela caixa, pretendo quitar a divida em menos de 5 anos.
    Sendo assim, poderia me dizer ql sistema de amortizacao e mais vantajoso? PRICE OU SAC?

    Obrigada

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Laís, obrigado pela sua mensagem!
      Eu normalmente prefiro o sistema SAC. No seu caso, porém, já que você pretende quitar a dívida em menos de 5 anos, não há muita diferença.
      Fiz uma simulação. No sistema SAC você vai pagar mais caro pelas prestações no início, mas o saldo devedor estará menor ao final de 5 anos. Caso opte pelo sistema Price e aplique todo mês o valor que paga a menos na prestação, ao final do período terá poupado valor equivalente à diferença a mais do saldo devedor. São situações parecidas, a diferença vai estar na sua capacidade de poupança.

      Espero ter ajudado. Abraço!

      Responder
  • Olá, a minha dúvida está também na questão “reduzir o prazo” x “reduzir a parcela”, mas mais especificamente em que parte da parcela eu estaria matando ao optar por reduzir o prazo. Vamos supor que em uma parcela de R$ 1000,00, R$800,00 são juros e R$200,00 são amortização. Ao pagar adiantado pro banco, solicitando que meu tempo seja reduzido, eu estaria:

    pagando várias parcelas sem juros,
    ou pagando várias parcelas adiantadas com juros?

    Se for a primeira opção, compensa. Mas se for a segunda, não. Me ajuda com isso?

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Paloma, obrigado pela sua mensagem! Ela vai ajudar a outros leitores, porque essa dúvida é muito comum.

      Na verdade, o raciocínio não é bem esse, mas é mais próximo da primeira opção, “pagando várias parcelas sem juros”. O que acontece é que o valor da amortização extraordinária é totalmente abatido do saldo devedor, e o financiamento é recalculado.

      Vamos imaginar que você tenha uma dívida de R$ 100 mil, em 400 meses, com taxa de 0,7% ao mês. Sua prestação teria R$ 250 de amortização mensal, mais R$ 700 de juros. Se fizer uma amortização de R$ 20 mil, seu saldo devedor cairá para R$ 80 mil. O financiamento será recalculado, e você optará por diminuir o prazo (que cairia para cerca de 205 meses) ou a prestação (que diminuiria um pouco menos de R$ 200).

      Abraço!

      Responder
  • Boa Noite Everton,

    Primeiro gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa e pelos esclarecimentos que vem prestando a todos.

    Em agosto-2014 fiz um financiamento pela Caixa, detalhado abaixo:

    valor: R$ 200 mil.
    prazo:360 meses
    tx contratual: 8,7873
    seguro: R$ 136,00
    tx adm: R$ 25,00
    Tabela: SAC

    Em dezembro-2015 o saldo devedor estava em R$ 194.785,90 – os juros-correção em R$ 1.294,77 e amortização do mes em 562,86

    Tenho 48 anos e minha esposa 44 anos

    Atualmente pago R$ 2.018,00 por mês e o valor pesa muito no orçamento, mas estou conseguindo pagar.

    Eu e minha esposa temos R$ 45 mil no FGTS (previsão) que vamos utilizar para amortizar a dívida em agosto-2016, porém estamos na dúvida, se devemos amortizar o saldo devedor ou o valor das parcelas.

    Tenho pressa em quitar a dívida, porém gostaria de baixar um pouco o valor das parcelas.

    O que devo fazer

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Marcos, obrigado pela sua mensagem!

      Rapaz, “o que devo fazer” é uma pergunta difícil. O que eu posso dizer é que, se fizer a amortização diminuindo o valor da prestação, a economia inicial será de cerca de R$ 430 mensais. Se diminuir o prazo, ele cairá para aproximadamente 170 meses.

      Se você conseguir poupar esses $430 mensalmente, aplicando-os a uma taxa de rendimento líquida de 0,7% ao mês, durante 2 anos, ao final do período terá cerca de R$ 9200. Se nesse período você conseguir acumular mais um saldo de FGTS, poderá fazer uma boa amortização, diminuindo o prazo.

      Por outro lado, você diz que quer baixar o valor das prestações. Corre o risco, então, de não poupar esses $430. Ao final dos 2 anos teria, então, apenas o FGTS. Sendo assim, se agora você optar por diminuir o prazo, forçando a si mesmo a “apertar o cinto” mais um tempo, ao final dos dois anos seu saldo devedor estará um pouco menor, e você poderá fazer uma amortização diminuindo o valor da prestação.

      Para mim é difícil opinar. Seria necessário conhecer melhor suas condições e perspectivas. Um bom consultor poderia te ouvir, traçar seu perfil, desenhar cenários e propor estratégias.

      Observe esses números que eu te passei, veja os dois cenários e pense no que seria mais adequado. Tanto em um quanto no outro, o esforço para poupar, visando uma nova amortização daqui a 2 anos é muito bem vindo.

      Espero ter ajudado. Abraço!

      Responder
  • Boa Tarde Everton,

    Tenho 1.000.000,00 ou uso para quitar um financiamento que estou na parcela 19/336.
    Amortização 3450,23, Juros 7568,99, Seguros 647,58, Tarifa de Serviço Administrativo de 25,00, TOTAL LANÇADO 11.691,80, Índice de correção aplicado 1,001899 e um SALDO DEVEDOR de 1.093.704,08 ou aplico no Tesouro Direto. O que você sugere? Essas prestações estam bem pesadas para mim no momento.
    Obrigada.
    Janete.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezada Janete, obrigado pela sua mensagem.

      A principal informação de que preciso para emitir uma opinião você não trouxe: a taxa de juros. Pelas outras informações, estimo que seja em torno de 8,5% ao ano.

      Se for isso, uma amortização extraordinária de R$ 500 mil proporcionaria uma queda de cerca de R$ 5 mil na prestação. Talvez seja uma boa opção, fazer uma amortização parcial para aliviar o orçamento e investir o restante.

      Mas é difícil opinar sem conhecer a situação como um todo. Os valores que você apresenta são muito altos. Seria necessário conhecer o seu perfil (imagino que sua renda seja alta), entender o quanto pesam as prestações no seu orçamento, saber direito a taxa de juros do financiamento. Um consultor poderia te ajudar muito, saber tudo isso que eu citei, além de outras informações, e te propor algumas opções de estratégia. Com esse valor que você tem, poderia encontrar ótimas taxas de aplicação em investimentos, mas seriam necessários alguns cuidados.

      Abraço!

      Responder
  • Boa tarde Ewerton, gostaria de saber qual a sua opinião sobre a minha situação.
    Tenho um financiamento habitacional com saldo devedor de R$ 92.159,99, uma parcela de R$ 933,85, juros de 8,5% e prazo de 420 parcelas com 18 já pagas. Possuo R$ 15.000,00 no FGTS e o restante necessário para a quitação na poupança.
    Devo somente amortizar com o FGTS, ou quitar todo o financiamento?

    Um forte abraço,

    Messias

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Messias, obrigado pela sua mensagem!

      A taxa de juros do seu financiamento é mais baixa do que você consegue em uma boa aplicação (mas não a poupança!). Nesse sentido, podemos pensar que compensa manter o dinheiro aplicado e ir pagando o financiamento. O problema é o prazo muito longo, 420 meses, que faz com que o saldo devedor caia muito lentamente, diante de uma TR cada vez mais alta.

      No seu lugar eu faria pelo menos uma amortização extraordinária diminuindo o prazo, para que as amortizações mensais ficassem maiores. Para saber o valor exato dessa amortização extraordinária, e o novo prazo, seriam necessários cálculos mais aprofundados. Um bom consultor poderia fazer esses cálculos e propor algumas estratégias.

      Abraço!

      Responder
  • estou financiando 340mil um imovel de 740mil – financiados pelo banco comtaxa de 11,2 – cet 17,4 por 226 meses
    se eu conseguir esse dinheiro vendendo um imovel pretendo quita-lo antes – qual seria a melhor opçao tabela price ou sac?

    grato

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado José Renato, obrigado pela sua mensagem! Achei bem interessante sua dúvida.

      Pela tabela SAC, as primeiras parcelas são mais caras, mas a amortização é maior, portanto o saldo devedor diminui mais rapidamente. Pela Price é o contrário, as primeiras parcelas são mais baixas, mas o saldo devedor cai mais lentamente.

      Suponhamos que a diferença na primeira parcela, entre as tabelas Price e SAC, seja de R$ 1 mil. Se você guardar mensalmente esse valor em uma aplicação com um bom rendimento, seu saldo na aplicação vai ser maior que a diferença entre os saldos devedores nas duas tabelas. Nesse caso, compensaria a tabela Price.

      Para saber qual seria esse “bom rendimento” que faria a Price compensar, seriam necessários cálculos mais aprofundados, que um consultor poderia fazer. Creio que, no seu caso – já que sua taxa de juros é de 11,2% –, seria algo entre 0,9% e1% líquidos (descontado o Imposto de Renda).

      A impressão que eu tenho é que, no seu lugar, EU optaria pela SAC. Não sei se eu conseguiria uma aplicação líquida, segura e tão rentável que compensasse essa manobra. Mas, repito, seriam necessários cálculos mais complexos para ter a resposta exata, até mesmo levando em conta seguros, taxa de administração, manutenção de conta etc.

      Abraço!

      Responder
  • Ola, agradeco seu trabalho, gostei bastante.

    Tenho uma Duvida:
    Possuo um financiamento (CEF) de R$ 75.000,00, 360 meses, juros CET 5,1%. Tenho R$ 7.000,00 de FGTS. É melhor eu adiantar o pagamento das ultimas parcelas ou cortar 80% do valor das primeiras? (nao tenho restricoes financeiras, objetivo unico é ter o menor custo posivel do financiamento total). Custo mensal fixo é de aproximadamente (media) R$ 36,00 (seguro + tarifa da conta corrente).

    Minha amortizacao é de R$ 208 reais por mes, entao R$ 7.000,00 dividido por 208 resulta em 33,5 meses. Portanto eliminaria os ultimos 33 meses do pagamento que teria que fazer correto?. Eliminar 80% das primeiras parcelas tem a desvantagem do custo fixo e juros. Procurei uma planilha para entender e fazer este calculo mas nao achei, alguma sugestao?

    Nao tenho interesse em pagar todo financiamento por enquanto, a SELIC a 14% a.a. rende quase 3x mais que o meu financiamento a 5,1%.

    Como o FGTS tem rendimento de 3 % a.a. nao compensa deixa-lo la e pagar uma taxa maior que essa de juros, sabe me dizer com que frequencia irei conseguir utilizar meu FGTS para amortizar meu financiamento? Minha ideia seria utilizar o FGTS a cada mes se possivel para amortizar meu financiamento.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Prezado Marcelo, obrigado pela sua mensagem. Demorei a responder porque estive em férias por algumas semanas.

      Dependendo do caso, usar o FGTS para pagar 80% da prestação pode ser vantajoso, porque “troca-se” mais rapidamente o valor preso no FGTS por um dinheiro livre. Em outras situações pode ser mais vantajoso amortizar o saldo devedor, diminuindo o valor da prestação mensal e investindo a diferença em alguma aplicação. Em alguns casos pode ser interessante amortizar diminuindo o prazo, para aumentar o valor das amortizações já embutidas na prestação.

      Para sugerir entre uma das duas opções seriam necessários cálculos mais detalhados. Para dar uma resposta rápida, creio que, no seu lugar, eu optaria pela segunda, amortizar o saldo devedor diminuindo a prestação. A diferença seria pouca (cerca de R$ 50 mensais), mas já é alguma coisa, e o que interessa mais, no caso, é a queda no saldo devedor.

      Esse seu cálculo da diminuição do prazo não está correto. Na verdade você conseguiria diminuir muito mais parcelas, algo em torno de 70 meses. Em breve estaremos lançando no blog uma planilha que vai fazer esses cálculos automaticamente (tanto a diferença na prestação como a diminuição do prazo).
      Parabéns pela sua noção das taxas de financiamento, Selic e FGTS. Seu raciocínio é perfeito! Não compensa deixar dinheiro parado no FGTS, mas também não compensa usar um dinheiro que pode render Selic para pagar um financiamento com taxa mais baixa. Você pude usar seu FGTS para amortizar a cada 2 anos.
      Abraço!

      Responder
  • Bom dia,

    Tenho 20.000 de FGTS, gostaria de amortizar meu financiamento, qual melhor opção descontar no valor da parcela mensal ou diminuir a quantidade parcelas?

    Saldo devedor R$123.000 taxa de juros 11.60% ao ano.
    Falta pagar 326 parcelas. Prestação atual R$1.298,78.

    Fiz uma simulação no site do banco Itau.
    Usando os 20.000 para diminuir o saldo diminuiu 93 parcelas.
    Usando os 20.000 para diminuir o valor da parcela ficaria de R$1.298 para R$1095,00.

    Qual vale mais a pena? Obrigado.