Jovens, riscos e sucesso financeiro

Jovens, riscos e sucesso financeiro

Em um post recente no blog, meu amigo Daniel Loureiro escrevia sobre as alternativas para se “tornar um milionário”. Sem patrimônio prévio ou herança, ele sabidamente concentrava esforços em duas iniciativas básicas: gerar renda e poupar parte desta renda. O texto focava nas alternativas de poupança da renda, de maneira a realizar seu sonho por volta dos 40 anos. Quanto mais cedo se começasse, com o tempo sempre jogando a favor, menos se teria que poupar para fazer seu primeiro milhão, ou até, mantendo alta capacidade de poupança, poderia fazê-lo mais cedo.

Notícias recentes, como a lista da Forbes, dos homens mais ricos do mundo, ou do site de negócios Business Insider, relacionando frequência de riqueza e idade, me fizeram pensar sobre o outro ponto do esforço, a geração de renda.

A Revista Forbes faz esta constatação: há muitos jovens na lista, como os líderes digitais Jeff Bezos, da Amazon ou Mark Zuckerberg, do Facebook. E outros, já mais idosos, mas que se tornaram ricos ainda jovens, como o próprio Bill Gates, da Microsoft. E a revista eletrônica chega a dizer, com base em um estudo de pesquisadores do Banco Central norte-americano (Federal Reserve), que “se você não ficou rico até os 45 anos, talvez você deva desistir”.

O que explica tal constatação? De certa forma, há algum contrassenso com a ideia do tempo jogando a favor. Ou seja, posso fazer “meu milhão” em qualquer idade, mesmo mais velho. Claro que isto pode acontecer! No entanto, quando pensamos na geração de renda, a chance de você ter uma ideia criativa, com grande sucesso, é tanto maior quanto mais jovem. Ou, por exemplo, de estabelecer um empreendimento de sucesso.

O que está por trás aqui é justamente a maior disposição dos jovens em assumir riscos, aceitando ou enfrentando desafios. Isto fica muito evidente com os bilionários da indústria de tecnologia e suas criações. Se os projetos não obtêm sucesso, o tombo financeiro geralmente não é tão grande. E mesmo que haja uma perda financeira significativa, a chance de recuperação ainda é boa. Sou jovem e o tempo novamente joga a favor.

Por outro lado, quanto mais a idade avança, mais conservadora tende a ser tornar a pessoa. Normalmente, do ponto de vista financeiro, sua carreira já entrou em “voo de cruzeiro”, já se estabilizou. Não é hora mais para grandes aventuras e riscos. Há mais compromissos. A família já cresceu. Filhos na escola.

Conclusão: se o tempo sempre joga a favor para ser um milionário, aproveite enquanto você é jovem. Seja disciplinado e poupe, mas também não deixe de se arriscar um pouquinho. Quem sabe você não se torne um milionário muito antes dos 40.

Autor

Leandro Novais
Leandro Novais é professor adjunto de Direito Econômico na UFMG. Em seu espaço, pretende aliar um pouco de direito, inovação e economia, além de uma pitada de economia comportamental, para ajudar o leitor na sua compreensão econômica e nas suas escolhas financeiras. Seu lema: "o mundo a partir das escolhas de cada um". Escreve semanalmente, às segundas-feiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *