Comprar ou alugar: a questão da valorização dos imóveis

Comprar ou alugar: a questão da valorização dos imóveis

Já falamos muito sobre imóveis aqui no blog, inclusive há alguns meses afirmei em uma inserção do programa Educando seu Bolso na rádio 102,9FM que alugar é mais vantajoso do que financiar a compra de um imóvel. A Raquel escutou o programa e deixou o seguinte comentário: “Oi, Frederico, obrigada pelo post. Gostaria de saber como fica essa conta quando levamos em conta a valorização do imóvel. Obrigada!”

Respondi rapidamente: “Sim, Raquel, a valorização imobiliária (se houver) conta a favor da compra do imóvel e contra o aluguel. Minha opinião sobre o potencial desta valorização é que ele é bem limitado. Nas próximas semanas vou tentar elaborar um post sobre isto. Fique atenta!”

Hoje vou cumprir minha promessa. Lá vai:

Um imóvel de R$ 500 mil financiado em 30 anos hoje gera uma prestação que carrega juros embutidos de quase uns R$ 5 mil – use o nosso comparador para verificar a diferença de taxas cobradas pelos bancos – contra um aluguel de aproximadamente R$ 2 mil – veja a relação entre o valor do aluguel e o valor do imóvel aqui.

Bom, se não houver valorização imobiliária, uma pessoa, ao alugar, economiza aproximadamente a diferença entre os dois valores acima e pronto: R$ 3 mil a menos de despesa por mês.  Mas, como a Raquel pediu, vamos colocar na conta a expectativa de aumento no valor do imóvel, a pergunta fica assim: Quanto um imóvel teria que valorizar nos próximos cinco anos para compensar esta diferença que pago a mais quando escolho a compra do imóvel financiada (mais cara) ao invés do aluguel (mais barato)?

Didaticamente, temos o “Zói”, que alugou, e o “Zorêia” que financiou a compra. O “Zói” reaplica mensalmente a economia de R$ 3 mil a 1% ao mês. Ao final dos cinco anos, ele terá no banco (ou na cooperativa) R$ 247 mil, entre principal e juros. Para empatar com ele, o imóvel do “Zorêia”, que comprou financiado, deveria estar valendo R$ 747 mil (R$ 500 mil iniciais + os R$ 247 mil). Isto significa que, durante esses cinco anos, o imóvel deverá ter se valorizado em aproximadamente 8,4% ao ano. Ou seja, uns 2% acima da inflação.

No passado, especialmente até o início de 2013, essa valorização aconteceu. Isso inclusive levou muita gente a investir em imóveis. Porém, de lá para cá já se vão quase dois anos em que isso não acontece mais, segundo pesquisa divulgada pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e pelo portal ZAP Imóveis.

O aumento de preços dos imóveis quando ocorre é inferior a inflação. Lembro ainda que este indicador de valorização imobiliária (Fipezap) é calculado com base nos preços anunciados. Ou seja, os descontos que vêm sendo cada vez mais praticados não entram nesta conta. Caso fossem, números negativos já seriam comuns há tempos.

Bom, era isso. Espero que tenha ajudado a Raquel e aos demais. Se ainda ficou alguma dúvida, escreva pra nós que trato aqui na próxima segunda-feira.

Autor

Frederico Torres
Profissional do mercado financeiro há 20 anos e interessado em como fazer o $$$ parte de nossa vida de forma mais saudável.

2 comments

  • Boa tarde
    Preciso de uma ajudinha, por favor
    Tenho um ap de 2q e preciso trocar por um de 4q.
    MInha duvida seria: devo vender o meu e financiar os 350 mil restantes? Ou alugar o meu e com isso alugar o 4q que desejo?
    Obrigada.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Olá, Patricia! Agradecemos seu contato e por confiar na nossa opinião.
      Sua pergunta é muito importante, por isso ela virou tema hoje da nossa seção O GERENTE RESPONDE. Confira aqui no blog.
      Esperamos colaborar na sua reflexão. Se quiser falar mais, dar mais detalhes sobre sua situação, entre em contato novamente, será novamente um prazer!
      Abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *