Previdência privada, VGBL e PGBL: entenda o básico

Previdência privada, VGBL e PGBL: entenda o básico. Aprenda a escolher entre PGBL e VGBL, tributação e taxas de administração e carregamento.

Como sempre, fim de ano a previdência entra na pauta do dia. Afinal, o prazo para vencimento do prazo para abatimento no acerto de contas com o Imposto de Renda do ano seguinte é o dia 20 de dezembro.

Para o caso dos funcionários da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, este fim de ano é particularmente crítico, pois o Governo do Estado extinguiu um dos fundos de previdência, deixando muitos deles perdidos, como foi o caso da minha irmã.

Tive, então, a oportunidade de discutir com ela o funcionamento dos planos de previdência privada, as diferenças entre PGBL e VGBL (aliás, quanta criatividade para criar siglas!), tabelas progressiva e regressiva, entre outros aspectos.

Previdência privada, VGBL e PGBL

Para quem não sabe, previdência privada é um complemento à previdência oficial (INSS) que, como temos acompanhado, paga cada vez menos aos contribuintes: a média dos vencimentos hoje não chega a R$ 1.000,00. A previdência privada tornou-se, então, importante alternativa para complementação de renda na hora da aposentadoria.

O problema agora é escolher qual o melhor plano para você. Em vez de tentar explicar o que significa cada coisa, vou tentar dar uma “receita de bolo” que funciona para a maioria das pessoas: se você faz a declaração completa do Imposto de Renda e sua previdência privada é de até 12% dos seus rendimentos, faça uma previdência no formato PGBL.

E o Imposto de Renda?

Caso faça a declaração simplificada, e para valores superiores a 12%, o melhor é o VGBL. Note: se você for contribuir com mais de 12%, mas faz declaração completa de Imposto de Renda, faça um PGBL de 12% do seu rendimento e um VGBL para o restante.

Com relação à tabela regressiva ou progressiva, a regressiva vale a pena para quem pretende ter renda após a aposentadoria ou, pelo menos, deixar o dinheiro acumulando por 8 anos ou mais. Se você pretende acumular para sacar daqui a, digamos, 3 anos, opte pela tabela progressiva.

E as taxas cobradas?

Por fim, ao escolher seu plano de previdência, observe as taxas de administração, carregamento, dentre outras: taxas altas corroem seu dinheiro. Até a próxima.

(Publicado também em http://dinheirama.com/blog/2013/12/13/previdencia-privada-vgbl-pgbl/)

Autor

Daniel Meinberg
Autor do livro “O Melhor Investimento pra Você – Princípios de Educação Financeira”, editora AR, 2015, que trata de forma clara para o leigo sobre diversos produtos focados em investimentos. Ministrou palestras sobre educação financeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *