Empréstimo para empresa: como conseguir um na crise?

O empréstimo para empresa está presente na vida de grande parte dos micro e pequenos empreendedores do país. Especialmente em momentos de crise, como o que vivemos agora, essa demanda aumenta ainda mais.

Sabendo disso, trouxemos para nosso podcast da semana o Alessandro Chaves, Gerente da Unidade de Articulação para o Desenvolvimento Econômico do Sebrae Minas Gerais. Conversamos sobre empréstimos para empresas: onde buscar, o que fazer caso você não seja aprovado, qual valor é o ideal e muito mais. Falamos também sobre o PRONAMPE, a linha de crédito disponibilizada ao micro e pequeno empresário nesse momento de tantas incertezas. Todas essas informações estarão presentes aqui no nosso texto escrito. Entretanto, caso você prefira, pode acessá-las também em forma de áudio, ouvindo nosso podcast. 

Ir direto para:

O que fazer antes de contratar um empréstimo para empresa

Em momentos de crise, a demanda das empresas por crédito aumenta muito. Nesse cenário, muitos empreendedores tomam o primeiro crédito que lhes for liberado, o que pode ser ruim. Antes de buscar o recurso é fundamental que o empresário se prepare: compare diferentes instituições e suas taxas, prazos, períodos de carência etc. 

É bom também ter em mente que todo crédito rápido e fácil provavelmente vai ser mais caro. Um bom exemplo disso é que as duas modalidades de crédito em que a taxa média é mais alta são de fácil alcance: cheque especial e cartão de crédito. Ou seja, mesmo que lhe seja feita uma oferta de crédito que seja tentadora, busque compará-la com a de outras instituições.

Nós oferecemos gratuitamente uma ferramenta para que você encontre bancos e fintechs de confiança que forneçam crédito. Dezenas de milhares de pessoas já usaram a nossa ferramenta e puderam  economizar comparando os preços das diferentes instituições.

Simular empréstimo

 

Linhas de crédito para empresa na crise

PRONAMPE

PRONAMPE é a sigla para Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Ele é um programa do Governo Federal promovido em maio de 2020, que tem objetivo justamente de ofertar crédito às empresas nessa crise.

As micro e pequenas empresas que aderirem ao programa poderão utilizar o crédito para realizar investimentos em máquinas e equipamentos e em reformas, além de poderem destiná-lo também a despesas operacionais, como salário dos funcionários, pagamento de contas, compra de mercadorias etc.

O crédito ofertado por eles pode chegar a até 30% do faturamento da empresa no ano passado, e o prazo para pagamento é de até  36 meses. É um recurso relativamente barato, e que merece ser analisado pelo empresário que busca crédito. A taxa de juros desse empréstimo tem como limite o valor da taxa selic + 1,25% ao ano.

Onde contratar?

Você pode contratar crédito por esse programa nas instituições financeiras que aderirem a ele. Até a data de hoje (01/07/2020), apenas a Caixa Econômica Federal está habilitada a ofertar crédito nas diretrizes do programa, mas até a metade do mês de julho um número maior de instituições já farão parte do PRONAMPE.

Todas essas instituições seguirão as mesmas regras gerais do PRONAMPE, mas alguns detalhes podem mudar de uma para a outra. Uma das diferenças que existirão entre as instituições é a análise de crédito. Ou seja, mesmo que você não seja aprovado por uma, pode ser que seja aprovado por outra.

Outros exemplos de diferença são que a Caixa não ofertará o crédito a empresas que têm menos de 12 meses de faturamento. Já o BDMG empresta para empresas que têm menos de 12 meses, mas não empresta para a pequena empresa, apenas para a micro. O Banco do Brasil, por sua vez, ofertará crédito para todas as opções de empresa citadas acima, mas priorizará os clientes que já faziam parte da carteira do banco.

Ou seja, caso você esteja buscando recursos do PRONAMPE, compare as instituições ofertantes!

Sebrae

O Sebrae é uma entidade de apoio ao desenvolvimento de micro e pequenas empresas do país. Há mais de 25 anos ele promove ações para ajudar o empreendedor, e na crise atual não foi diferente.

O Sebrae, em parceria com a Caixa Econômica Federal, está ofertando uma linha de crédito para financiar o capital de giro das empresas. Essa linha de crédito é interessante, mas não é a mais barata do mercado. As taxas de juros, valor máximo emprestado e períodos de carência variam entre:

PorteValor máximo por CNPJCarência atéPrazo para pagamento após carênciaTaxas de juros
MEIR$12,5 mil9 meses24 meses1,59% a.m.
MER$75 mil12 meses30 meses1,39% a.m.
EPP
R$125 mil12 meses36 meses1,19% a.m.

Uma observação interessante a se fazer sobre essa linha é que ela está disponível também para o MEI (Microempreendedor Individual), diferentemente de outras que atendem apenas às micro e pequenas empresas. Além disso, é importante ressaltar também que essa linha não libera crédito a negativados.

Para contratar o crédito do Sebrae você deve seguir um passo a passo disponibilizado por eles. Os interessados nessa linha podem entrar no site e consultar se teriam algum limite aprovado ou não, sem nenhum compromisso, como forma de planejamento. A explicação sobre o empréstimo conta com texto e vídeo, tudo bem didático e simples. 

PESE-FOPAG

Essa é a sigla para Programa Emergencial de Suporte a Empregos, que funcionará por meio do crédito destinado à folha de pagamento. Esse programa é operacionalizado pelo BNDES com supervisão do Banco Central do Brasil, e funciona da seguinte maneira:

Todas as instituições financeiras do país poderão operar o PESE, com exceção das fintechs. O crédito liberado pelo programa deve ser direcionado exclusivamente para a folha de pagamentos da empresa pelo período de dois meses.

A taxa de juros desse empréstimo é de 3,75% ao ano, e o empreendedor terá até 30 meses para pagar pelo empréstimo e 6 meses de carência. As condições da linha são boas, e esse é um empréstimo barato. Entretanto, há um lado ruim: o valor concedido normalmente é baixo.

Por exemplo: uma empresa que tem 5 funcionários pode contrair o empréstimo num valor equivalente a 2 salários mínimos por funcionário num período de 2 meses. Ou seja: cerca de R$2.000 por funcionário, totalizando R$10.000, para os salários de 2 meses, o que dá, por fim, R$20.000.

Esse é um valor baixo, mas o empresário pode combinar essa linha de empréstimo a outras para possivelmente alcançar o valor que deseja.

É muito importante estar atento aos juros do seu empréstimo. Você saberia identificar se o juros alto está dentro do que é permitido ou se ele se enquadra como abusivo? E nestes casos, saberia o que fazer?

Atenção

É muito importante estar atento aos juros do seu empréstimo! Você saberia identificar se o juros alto está dentro do que é permitido ou se ele se enquadra como abusivo? E nestes casos, saberia o que fazer? Tire suas dúvidas aqui.

O que fazer quando você está negativado

É possível conseguir crédito quando se está negativado, mas essa é uma tarefa um pouco mais difícil. Não são todas as instituições financeiras que liberam esse tipo de crédito, e, quando o fazem, pode ser que a taxa de juros seja mais alta. 

Isso acontece porque o negativado, em algum momento de sua vida, não honrou com seus compromissos de pagamento. Então o risco de inadimplência é maior do que o de uma pessoa que sempre pagou suas dívidas em dia. Sendo assim, o banco cobra mais caro pelo risco. 

Entretanto, caso você já esteja nessa situação e precise de um empréstimo para empresa, aqui vão algumas informações:

Nível de negativação:

ao fazer a análise de crédito do cliente, os bancos observam o nível de negativação. Ou seja, não há uma só categoria “negativado” em que todos são inseridos. Se seu nível de negativação for baixo você pode conseguir um empréstimo com mais facilidade. 

Negativação da empresa ou dos sócios:

existem situações em que a empresa busca um empréstimo empresarial e é negada, mesmo que ela esteja em dia com suas obrigações. A análise cadastral das instituições financeiras também leva em conta a negativação do CPF dos sócios. Ou seja, é importante que o empreendedor cuide não só do CNPJ da empresa, mas também de seu CPF. Na nossa conversa com Alessandro, ele citou um exemplo interessante: o empréstimo a uma empresa havia sido negado pela negativação no CPF de um dos sócios. A saída encontrada nesse caso foi uma mudança no estatuto da empresa, de modo que o sócio negativado não impedisse mais a tomada do crédito.

Onde buscar crédito:

vale lembrar que nem sempre os bancos tradicionais oferecem as melhores opções de crédito ao micro e pequeno empreendedor, principalmente aos negativados. Segundo uma pesquisa feita pelo Sebrae nos meses de abril e maio de 2020, 36% dos empreendedores que buscaram empréstimos recorreram à Caixa Econômica Federal. Desses, apenas 6% foram aprovados. Por isso, separamos dois tipos de instituição financeira que você deve conhecer se está buscando um empréstimo empresarial: as cooperativas e as fintechs.

Cooperativas

Na contramão da tendência dos grandes bancos de negar crédito estão as cooperativas de crédito. Essas instituições oferecem serviços financeiros variados, e se tornaram grandes fornecedoras de empréstimo para empresas. Elas operam de uma forma parecida com a dos bancos, mas têm o diferencial de serem associações de pessoas, sem fins lucrativos.

Existem centenas de cooperativas de crédito no Brasil. A maioria delas, filiada a confederações de cooperativas, como Sicoob e Sicredi. Elas são instituições fiscalizadas pelo Banco Central e asseguradas por um fundo garantidor próprio, o FGCoop, Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito, o que as torna mais seguras.

Ou seja, caso você esteja procurando por crédito empresarial, considere como uma opção fazer parte de uma cooperativa!

Fintechs

As fintechs são instituições financeiras que usam da tecnologia para funcionarem. Elas geralmente não têm uma sede física que você possa ou precise visitar, e todas as suas operações são feitas pela internet. 

As fintechs são empresas também fiscalizadas pelo Banco Central, o que confere a elas mais segurança. Existem muitas instituições que oferecem empréstimos online confiáveis, mas é preciso atenção para não cair em armadilhas. 

Existem fintechs direcionadas a vários ramos, inclusive algumas especificamente fornecedoras de crédito.

O Educando seu Bolso oferece gratuitamente o Simulador de Empréstimo para que você encontre bancos e fintechs de confiança que forneçam crédito. Faça como dezenas de milhares de pessoas que usam a nossa ferramenta!

Simule empréstimo agora!

Alternativas e complementos ao empréstimo para empresa

Separamos aqui algumas dicas para o empreendedor que não teve seu empréstimo aprovado. Além disso, essas dicas servem também para aqueles que conseguiram com seu banco um valor para empréstimo, mas não o suficiente para suas necessidades. Nesse caso, ele pode contratar o empréstimo e conciliar essa ação com outras que podem ajudar no faturamento da empresa. Algumas delas são: 

Diminuir os gastos

É sempre importante lembrar que para se manter em períodos de crise é preciso ter dinheiro em caixa. Uma das maneiras de se fazer isso é, obviamente, tentar ganhar mais dinheiro. Outra maneira, muitas vezes esquecida, é gastar menos.

Vale lembrar que você precisa pagar pelo seu empréstimo. Em uma situação financeira difícil, ter um gasto a mais não é o ideal. Sendo assim, o empréstimo deve ser sempre sua última opção. Antes disso, é importante cortar todos os gastos não essenciais da sua empresa. Com isso, pode ser que você consiga alcançar o equilíbrio do seu caixa. 

Antecipar os recebíveis do cartão

A antecipação de recebíveis do cartão de crédito é também uma forma de empréstimo. Trata-se de você receber no presente o dinheiro de suas vendas no cartão, que receberia apenas no futuro. Ou seja, é uma operação com garantia para quem a concede.

Sendo assim, a antecipação é uma boa maneira de um empresário negativado ter crédito. Isso porque em um empréstimo de capital de giro, por exemplo, as instituições fazem análise cadastral para concedê-lo ou não. Enquanto isso, numa antecipação, a credenciadora não precisa fazer essa análise cadastral.

Entretanto, sabemos que a antecipação de recebíveis na maioria das vezes não é capaz de atingir o valor que o empreendedor deseja, principalmente nesse cenário de queda das atividades. Para quem se encontra nessa situação, sugerimos que faça uma combinação de linhas de crédito. Ou seja, antecipe as vendas que conseguir e só então busque outra linha de crédito à medida em que precisar.

Para saber mais sobre maquinhas de cartão de crédito recomendamos navegar pelos nossos diversos conteúdos sobre assunto, começando por esse que vai te surpreender!

Negociação com clientes

Se você é um trabalhador que cobra pelos seus serviços, uma boa ideia é negociar prazos com seus clientes. Por exemplo: um marceneiro que antes cobrava 100% do valor na entrega do produto pode tentar negociar com seus clientes que eles paguem 50% do valor antes da produção e 50% depois. 

Antecipar o recebimento dos clientes pode até mesmo te ajudar a conseguir um empréstimo com mais facilidade no futuro. Isso porque o dinheiro recebido pode ser usado para honrar com seus compromissos imediatos. Assim, você não atrasa seus pagamentos e não fica negativado, que é o principal motivo pelo qual muitas pessoas não conseguem ter acesso a crédito.

Cuidado com o estoque

Se suas vendas estão caindo, talvez não seja o momento ideal para fazer compras e ficar com um grande estoque parado. Lembre-se que estoque é dinheiro, e ter um estoque parado é como estar com seu dinheiro preso. 

Caso você já tenha um grande estoque e ainda não tenha terminado de pagá-lo, tente negociar condições melhores de pagamento com seus fornecedores. O aumento do prazo de pagamento de um fornecedor já pode fazer uma grande diferença.

Tentar aumentar a receita

O mercado está em constante mudança, e nesse momento vemos uma tendência crescer cada vez mais: a de compras online. Se o caixa da sua empresa não está da maneira que você deseja, pode ser que falte, da sua parte, uma adequação a esse novo modelo. Nesse momento vale a pena investir em mídias sociais, vendas digitais, sistemas de delivery, entre outros.

 

Vale a pena contratar um empréstimo para empresa?

Em alguns casos um empréstimo pode ser o melhor caminho para o empreendedor. É importante, porém, que cada um analise sua empresa individualmente para tomar a decisão. Além disso, vale lembrar que o empresário deve comparar instituições diferentes para só então tomar sua decisão. Só assim você consegue encontrar o empréstimo que terá menor Custo Efetivo Total (CET).

Para te ajudar nisso, indicamos mais uma vez o nosso Simulador de Empréstimo! Nele você preenche algumas informações básicas sobre o empréstimo que deseja e nós te mostramos preços e condições de diferentes bancos e financeiras. Vale a pena conferir!

Simular empréstimo

 

Por fim, caso você ainda tenha alguma dúvida sobre o assunto, basta deixar nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *