QR Code, NFC e métodos digitais: conheça o novos meios de pagamento

Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Apple Podcasts
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Spotify
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Google Podcasts
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Castbox

A cada dia estamos mais próximos de abandonarmos nossos cartões de crédito. Mas calma, você não vai ter que sair por aí com uma bolsa cheia de notas e moedas… A solução da vez são os pagamentos digitais: QR Code, NFC e outras tecnologias estão chegando com tudo, e você não precisa de mais nada, além do seu smartphone. Isso mesmo! O seu celular está ganhando ainda mais funções, que podem trazer ainda mais praticidade para sua vida.

Seja através da câmera, ou simplesmente por aproximação, os pagamentos e transferências já podem ser efetuados sem a necessidade de um cartão. Além disso, não há mais necessidade de ficar entrando sempre na sua conta, digitando sua senha e etc. E isso não se limita somente a pagamentos… Também é possível fazer cobranças se utilizando dessas tecnologias. Basta gerar um código, e enviar ao pagador. Pronto! Você recebe o dinheiro instantaneamente em sua conta, sem a cobrança de quaisquer taxas.

O futuro está aí, e devemos nos adaptar aos novos modos de pagar as contas. Sabia que em 2017, na China, mais de 60% das compras foram pagas digitalmente? Nas grandes cidades do país, garçons já utilizam os Códigos QR nos aventais, assim fica muito mais fácil e prático receber gorjetas, tanto para o garçom, quanto para o cliente. O mesmo acontece com os artistas de rua que recebem transferências digitais no lugar de moedas.

É muito importante estar por dentro dessas novidades para não perder nada, por isso neste post você vai conhecer mais sobre QR Code, NFC e aprender a utilizá-los para pagamentos e cobranças. Então prepare seu celular, e venha descobrir na prática como tudo isso funciona!

QR Code? O que é isso?

O QR Code, ou Código QR, é um código bidimensional, que, ao ser escaneado, se transforma em texto. Esse texto geralmente é um URL, ou seja, um link de alguma página para qual você será redirecionado. É como um pequeno código de  barras, mas em formato quadricular. Você já deve ter visto um desses por aí em revistas, jornais, panfletos, pontos de ônibus, internet e, principalmente, em anúncios. Através desse quadradinho com vários risquinhos é possível acessar páginas, entrar em grupos e efetuar pagamentos. Para poder reconhecer o código é preciso que a câmera de seu celular, com auxílio de um leitor (caso a câmera não faça a leitura sozinha), seja apontada para o QR Code.

Os códigos QR vêm ganhando cada vez mais espaço entre os meios de pagamento. Em aplicativos do Mercado Pago, Interpag (Banco Inter), PicPay ou Nubank, por exemplo, eles já são utilizados de diversas maneiras. Nesses apps, inclusive, são disponibilizados pagamentos e transferências com o QR Code, tornando-as tarefas mais práticas. Assim, caso você precise receber um pagamento, basta preencher o valor e pronto! É gerado o seu código, para ser enviado ao pagador. Quem recebe o código QR faz a leitura, valida com algum tipo de senha e pronto novamente. Transferida a grana…

As transações feitas por meio desse método fogem do Sistema de Pagamentos Brasileiro, o SPB. Esse é o modo tradicional de se fazer transferências de recursos financeiros, e diz respeito aos TEDs, DOCs e boletos, por exemplo.

Já é possível que você vá até a padaria e se depare com um QR Code no caixa. Então, ao invés de pegar sua carteira, entregar seu cartão e digitar a senha, você pode simplesmente apontar a câmera de seu celular para o Código QR, apertar alguns botões e apresentar o comprovante ao caixa.

Leitores de QR Code

Caso sua câmera não leia automaticamente o QR Code, não se assuste, existem ferramentas que podem te ajudar. Além dos próprios aplicativos de empresas financeiras, como Interpag, Mercado Pago, PicPay e Nubank, que escaneam o QR Code para pagamento de contas, por exemplo, ainda existem outros apps que te ajudam a ler os Códigos QR para acessar outras páginas. Confira algumas das opções de leitores de QR Code:

Android e IOS

  • i-nigma QR
  • QR Code Reader by Scan
  • Kaspersky
  • Quick Scan
  • QR Reader for iPhone/Andriod
  • ShopSavvy

Faça o teste agora mesmo

Escaneie o QR Code abaixo para testar seu leitor! É só ligar o seu celular conectado à internet, apontar a câmera como se fosse tirar uma foto e esperar aparecer uma mensagem na tela. Assim que você clicar na mensagem,  será redirecionado para nosso canal no YouTube.

QR Code, Interpag, NFC, Mercado Pago,pagamento digital, Pic Pay, contas digitais, Nubank, pagamento virtual, Banco Central

 

Pagando e gerando o QR Code

Pagamento

  • Abra o aplicativo do seu banco
  • Acesse a aba de pagamentos
  • Clique em “Pagar com QR Code”
  • Aponte sua câmera para o código
  • Preencha dados como “valor”, se necessário
Cobrança

  • Abra o aplicativo do seu banco
  • Acesse a aba de cobranças
  • Clique em “Cobrar com QR Code”
  • Caso necessário, preencha o valor
  • Compartilhe com o cobrador

Tutorial nos aplicativos

Confira nossos tutoriais para as 4 empresas já citadas no post: Interpag, Mercado Pago, Nubank e PicPay. Primeiro colocamos os tutoriais de pagamento e, logo depois, você vai encontrar como realizar uma cobrança usando cada um dos aplicativos disponibilizados por essas empresas.

Interpag

 

Mercado Pago

 

Nubank

 

PicPay

 

E o NFC?

Near Field Communication, ou simplesmente NFC, é uma tecnologia sem fio que permite a troca de informações entre dispositivos que estejam próximos um do outro. Pode ser utilizada nas chaves de veículos, estacionamentos e até em pagamentos, por exemplo. A sua funcionalidade é muito parecida com a do QR Code, no entanto, o NFC nem sequer usa a câmera do aparelho. É super simples: só aproximar seu celular de outro aparelho, como uma máquina de cartão, e efetuar o pagamento, sem mais nenhuma outra informação. Desse jeito você pode sair de casa despreocupado, sem ter que levar vários cartões de crédito na carteira.

Mas, antes de tudo, é necessário configurar seu celular e instalar algum aplicativo para usar essa tecnologia. Depois disso é só cadastrar os cartões que deseja utilizar através do app e solicitar a liberação no banco. Logo, na hora do pagamento, você pode autorizá-lo através da senha, impressão digital ou reconhecimento facial.

Por exemplo, você baixa um aplicativo como o Apple Pay ou Samsung Pay e cadastra seus cartões de crédito. Quando você for a uma loja, na hora de realizar o pagamento basta aproximar o seu telefone de uma maquininha com a tecnologia NFC. Para confirmar o pagamento, você utiliza sua senha ou o leitor de digital, e pronto! Tudo isso sem precisar encostar no seu cartão de crédito.

São 3 os aplicativos de pagamento mais conhecidos e seguros que suportam essa tecnologia, todos gratuitos.

Aplicativos NFC

Samsung Pay

Prós

  • Pode ser usado em maquininhas com NFC ou  MST (tarja magnética)
  • Aceita cartões de muitos bancos
Contras

  • Disponível apenas para alguns aparelhos Samsung
  • Mais lento que os outros apps

Apple Pay

Prós

  • Permite desbloqueio por reconhecimento facial
  • Mais rápido que os outros apps
Contras

  • Disponível apenas para alguns aparelhos Apple
  • Aceita cartões de pouquíssimos bancos
  • Pode ser usado apenas em maquininhas com NFC

Google Pay

Prós

  • Disponível para celulares com sistema operacional Android e IOs
  • Possui ofertas exclusivas
 Contras

  • Pode ser usado somente em maquininhas com NFC
  • Aceita cartões de poucos bancos

Vale lembrar que que a disponibilidade desses aplicativos depende da versão do sistema operacional de seu aparelho: dispositivos mais antigos podem não suportar o NFC. Além disso, não se esqueça de verificar se seu banco e cartões são aceitos nesses apps, ok?

Comércio em evolução

De acordo com o Mercado Pago, o QR Code está se tornando cada vez mais popular. Assim, mais de 50 mil estabelecimentos no Brasil já aproveitam o Código QR. Mas qual a vantagem em oferecê-lo?

Além da praticidade, também há um benefício financeiro para aqueles que adotam o QR Code. O custo envolvido nessa forma de pagamento costuma ser muito inferior a outros, como máquinas de cartão. Isso porque as maquininhas costumam cobrar taxas para crédito e débito, além do tempo necessário para recebimento do dinheiro. Também, o dinheiro através do código sai da conta do comprador e, imediatamente, cai na conta do lojista. Por isso, é possível que o lojista ofereça um desconto ao consumidor, caso realize o pagamento pelo QR Code. Você quer economizar em custos com maquininhas? Use o nosso simulador de maquininhas, saiba se está pagando mais caro do que poderia e qual é a melhor opção para o seu perfil.

Vale ressaltar que o dinheiro não fica preso a nenhum destes apps e é possível utilizá-lo para qualquer finalidade. Ou seja, se você gerou um QR Code pelo Mercado Pago, PicPay, Interpag ou Nubank, por exemplo, o recurso que você irá receber pode ser sacado, transferido ou utilizado para pagamentos externos… Também é possível transferir esse dinheiro para a conta corrente de um banco de sua preferência.

Banco Central e novas tecnologias

O Banco Central está com um novo projeto que incentiva os pagamentos instantâneos. Um grupo de trabalho, composto por mais de 100 instituições financeiras, é responsável por criar uma infraestrutura de micropagamentos eletrônicos. Com isso, busca-se padronizar os QR Codes, de modo a não exigir que o lojista e o consumidor tenham o mesmo aplicativo. Ou seja, todo o processo se torna independente do banco em que cada pessoa tem uma conta corrente.

Recentemente o Banco Central classificou o Mercado Pago como sendo uma instituição financeira. Sabe o que isso quer dizer? Você que recebe salário em outros bancos, pode agora solicitar portabilidade para a fintech do Mercado Livre. Isso é uma ótima solução para quem está cansado de pagar tarifas. Você quer economizar em tarifas bancárias, use o nosso simulador de contas digitais e saiba o quanto está desperdiçando e qual é a melhor opção para o seu perfil.

Além disso, a partir de 2019, seu dinheiro parado na conta te dará algum retorno. Isso porque o Banco Central exige das instituições de pagamento autorizadas, que elas apliquem seu caixa em títulos públicos federais. Assim, caso alguma dessas empresas chegue um dia a quebrar, os recursos de seus clientes estarão aplicados em títulos como Tesouro Direto, por exemplo, minimizando o prejuízo dos correntistas e garantindo que todos sejam ressarcidos. Por falar nisto, quer saber se o seu dinheiro está bem aplicado? Consulte o nosso simulador de investimento! Tenho certeza que você irá encontrar melhores opções de aplicações financeiras.

O dinheiro físico será extinto?

Tudo isso significa que o dinheiro físico está próximo de sua extinção? Não é bem assim… Ainda vai demorar para que o dinheiro desapareça do nosso dia a dia. É possível, inclusive, que os cartões de crédito sumam antes do papel moeda. Isso porque os pagamentos digitais como NFC, aplicativos e o próprio QR Code substituem o plástico. Substituir totalmente o dinheiro em espécie requer uma maior transformação de comportamento, educação e tecnologia, mais ou menos o contrário do que acontece com os celulares. Esses aparelhos estão na mão de quase todos os brasileiros, e estão mais acessíveis a cada dia. Assim, é mais fácil adotar algum desses aplicativos e abandonar os velhos métodos.

Se adaptando às mudanças…

Existem várias apps que oferecem essas opções de transações digitais. O PicPay, por exemplo, permite a criação de “vaquinhas”, onde várias pessoas conseguem juntar dinheiro de forma organizada, com listas para ter controle de quem já pagou. Uma festa no valor de 2000 reais, por exemplo, que será dividida entre 20 amigos, pode ser facilmente realizada.: basta criar um QR Code para uma transferência de 100 reais, e enviá-lo em grupo de Whatsapp com esses amigos. Assim, o dinheiro estará disponível de imediato, e o app apresentará uma relação daqueles que já enviaram sua parcela.

E as aplicações ainda vão além! Em alguns países existem supermercados onde os caixas estão sendo extintos. Mas como assim? Nesses supermercados já não existem mais uma figura do operador de caixa. Logo, os próprios clientes passam suas compras no leitor de barras, as embalam e efetuam o pagamento. Isso tem se tornado cada vez mais comum, e a caminho de se tornar realidade também no Brasil. Mas será que isso seria bem aceito por aqui?

Ainda são muitas pessoas que apresentam resistência ao uso da tecnologia, como acontece com os idosos, por exemplo, mas o importante é correr atrás e aprender, mesmo que exija um certo esforço… Soluções digitais como essas estão cada vez mais presentes em nossa rotina e a nosso favor, lembra do que aconteceu com o WhatsApp? O público mais velho rejeitou no começo, mas, com o tempo, acabou acolhendo.

Acredito que esse projeto de pagamentos instantâneos seja um grande avanço, principalmente porque os processos se tornarão mais práticos. Provavelmente os preços serão mais baratos para quem quiser utilizar dessa modernidade?

Mas cuidado! Só escaneie Códigos QR de estabelecimentos e pessoas confiáveis, pois você pode acabar entrando em páginas indesejáveis. Ou pior, você pode acabar fazendo pagamentos acidentalmente e perdendo dinheiro.

Prós e Contras dos pagamentos digitais

Prós

  • Praticidade para o consumidor e para o lojista
  • Evita taxas cobradas pelas maquininhas de cartão
  • Esquecer os cartões em casa não será mais um problema, mas sim uma opção
  • Podem ser rentáveis e não possuem custo
  • Tempo de resposta muito rápido
Contras

  • Dependência da bateria do celular e da rede de dados
  • Ainda não é muito popular no Brasil
  • Os códigos ainda não são unificados (ex: PicPay não aceita QR Code do Interpag)
  • Pode ser utilizado de modo indevido, veiculando vírus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *