O que você está procurando hoje?

Como funciona o Quero Bolsa? Veja como conseguir uma bolsa de estudos

Nossa avaliação do produto:

4.50 / 5
Educando-entrevista
Educando Seu Bolso
Como funciona o Quero Bolsa? Veja como conseguir uma bolsa de estudos
Loading
/

Você concluiu o ensino médio e está se preparando para o vestibular? Ou então, você já está no mercado de trabalho, mas gostaria de fazer uma especialização, ou mesmo mudar de carreira? Passar por esses momentos pode ser complicado, especialmente se você tiver que arcar com as mensalidades, seja da faculdade ou de um curso.  Mas, já pensou se você pudesse contar com uma bolsa de estudos para te ajudar nesse processo? 

Essa é a proposta do Quero Bolsa, o terceiro maior site de educação do Brasil, e o maior site de bolsas de estudo para ensino superior da América Latina. Além das bolsas para a faculdade, o programa ainda oferece descontos para ensino técnico, cursos de idiomas e muito mais. 

Para descobrir como o Quero Bolsa funciona, se é preciso pagar algo para o programa e se ele vale a pena, continue a leitura!

O que é o Quero Bolsa? 

quero bolsa

O Quero Bolsa é uma plataforma que reúne bolsas de estudos de instituições de ensino de todo o Brasil. Você consegue encontrar bolsas para escolas, cursos de graduação, pós-graduação, técnico, idiomas e muito mais.

É importante ressaltar que o serviço prestado pelo site não é de financiamento. Isso significa que ao final do curso você não precisará pagar nada. O que você consegue pelo site é uma bolsa de estudos que reduz o valor das mensalidades pagas à instituição. Ou seja, o site oferece descontos no seu curso.

Quais os tipos de bolsas disponíveis no Quero Bolsa? 

No Quero Bolsa, você pode encontrar diversos tipos de bolsas de estudo, algumas delas são: 

  • Bolsas para graduação: descontos em cursos de graduação em diversas áreas, tanto em instituições de ensino presenciais quanto a distância (EAD).
  • Bolsas para pós-graduação: ofertas para quem deseja continuar os estudos após a graduação, incluindo especializações, MBAs, mestrados e doutorados.
  • Bolsas para cursos técnicos: opções para cursos técnicos em várias áreas, proporcionando uma formação mais rápida e focada no mercado de trabalho.
  • Bolsas para cursos de idiomas: descontos em cursos de idiomas, abrangendo diferentes línguas e níveis de proficiência.
  • Bolsas para cursos livres: ofertas para cursos de curta duração em diversas áreas, como desenvolvimento pessoal, habilidades profissionais, entre outros.

Como funciona o Quero Bolsa?

O processo para conseguir sua bolsa é simples e você não precisa comprovar renda. Basta escolher o curso que você deseja, a cidade, a faculdade que te atende melhor e a modalidade de ensino (presencial ou à distância). 

Depois de encontrar a bolsa ideal para você, você paga um valor de pré-matrícula e faz o vestibular ou processo seletivo para ingressar na faculdade.

Quais são os critérios para conseguir uma bolsa? 

Se você está pensando em começar um curso superior e quer saber se pode conseguir uma bolsa de estudos, aqui vão algumas informações importantes. A bolsa do Quero Bolsa é para quem vai começar um curso do zero e está pronto para entrar no ensino superior, técnico ou de idiomas. 

Além disso, podem ter critérios específicos dependendo da bolsa escolhida. Alguns deles são: critério acadêmico de bom desempenho e comprovação de baixa renda. 

E quem não pode participar do Quero Bolsa?

Se você está pensando em usar o Quero Bolsa, é importante saber quem não pode participar do programa. Primeiramente, se você já começou um curso em uma faculdade sem usar o Quero Bolsa para obter um desconto, infelizmente, você não poderá usar o programa para esse curso específico. 

Além disso, se você já teve algum vínculo com a faculdade onde deseja usar o Quero Bolsa, como uma matrícula anterior ou um curso trancado, você também não será elegível para participar do programa para essa instituição.

Existem algumas exceções para estudantes que frequentaram faculdades como Unopar, Pitágoras, Anhanguera, Unic, Fama – Macapá ou Unime. Se você estudou em alguma dessas instituições e deseja começar um novo curso, você pode usar o Quero Bolsa. No entanto, tenha em mente que as matérias que você já cursou anteriormente não serão contabilizadas para o novo curso.

Para aqueles que já completaram uma graduação, é possível conseguir uma bolsa para um novo curso, desde que não seja na mesma instituição onde se formou, exceto nas faculdades mencionadas acima.

 E lembre-se, se você obteve uma bolsa pelo Quero Bolsa, mas depois trancou, cancelou ou desistiu do curso, essa bolsa não será mais válida. 

É preciso pagar para usar o Quero Bolsa?

Sim, é necessário pagar para usar o Quero Bolsa. Ao escolher uma bolsa de estudos pelo programa, você geralmente precisa pagar uma taxa de pré-matrícula para garantir o desconto oferecido. Esta taxa é um pagamento único que assegura a sua vaga com o desconto na instituição de ensino escolhida.

Além disso, em alguns casos, pode haver taxas de renovação para manter o desconto da bolsa ao longo do curso. 

Portanto, enquanto o Quero Bolsa oferece descontos significativos nas mensalidades, há custos iniciais e, possivelmente, contínuos associados à manutenção desses descontos.

Como conseguir uma bolsa com o Quero Bolsa? 

Conseguir uma bolsa de estudos pelo Quero Bolsa é um processo simples e direto, basta seguir os passos abaixo: 

  1. Pesquise as opções de bolsas: acesse o site do Quero Bolsa e explore as diversas opções de bolsas disponíveis. Você pode filtrar as bolsas por curso, instituição de ensino, cidade ou até mesmo pelo percentual de desconto que deseja.
  1. Escolha a bolsa ideal: depois de encontrar a bolsa que se encaixa nas suas necessidades, verifique todos os detalhes, como valor do desconto, taxa de renovação (se houver) e requisitos específicos da bolsa.
  1. Faça a pré-matrícula: uma vez que você escolheu a bolsa, o próximo passo é fazer a pré-matrícula por meio do site. Isso pode envolver o pagamento de uma taxa única, que garante o seu desconto.
  1. Complete o processo na instituição de ensino: após a pré-matrícula no Quero Bolsa, você deve completar o processo de matrícula na instituição de ensino escolhida pelo site da instituição. Lembre-se de levar a confirmação da pré-matrícula do Quero Bolsa.
  1. Renove a bolsa se necessário: para algumas bolsas, pode ser necessário renovar o desconto periodicamente. Fique atento às regras da sua bolsa específica para garantir que o desconto continue válido.

O Quero Bolsa é confiável? 

Sim, o programa Quero Bolsa é confiável. Além de ser uma iniciativa com boa reputação no mercado, ele é reconhecido por ajudar estudantes a encontrar bolsas de estudo que se encaixam em seus perfis e necessidades.

Ainda, o programa tem parcerias com diversas instituições de ensino, o que demonstra sua legitimidade e confiabilidade. Em relação à transparência, vimos que ele é transparente em relação às condições das bolsas oferecidas, incluindo informações sobre taxas, requisitos e processo de renovação, quando aplicável. 

Quero Bolsa no Reclame Aqui 

O Reclame Aqui é uma plataforma na qual usuários de um produto ou serviço avaliam a qualidade daquilo que é oferecido por diversas empresas. Sendo assim, trouxemos aqui a avaliação do Quero Bolsa no site: 

Fonte: site do Reclame Aqui

Esses dados nos mostram que o programa Quero Bolsa possui uma avaliação ótima no Reclame Aqui, 8,6/10. Além disso, mais de 70% dos clientes que usaram a plataforma voltariam a fazer negócio com o programa.  

 Existem alternativas ao Quero Bolsa? 

Sim, existem várias alternativas ao Quero Bolsa para quem está buscando bolsas de estudo ou descontos em cursos superiores. Algumas dessas alternativas incluem:

  • Educa Mais Brasil: oferece bolsas de estudo para diversos níveis de educação, incluindo graduação, pós-graduação, cursos técnicos, idiomas, entre outros.
  • Prouni (Programa Universidade para Todos): um programa do governo federal que oferece bolsas de estudo integrais e parciais em instituições privadas de ensino superior, com base no desempenho no ENEM e critérios socioeconômicos.
  • Fundação Estudar: oferece bolsas de estudo e uma rede de apoio para estudantes brasileiros, incluindo programas de liderança e desenvolvimento profissional.
  • Santander Universidades: oferece bolsas de estudo e programas de intercâmbio em parceria com diversas universidades ao redor do mundo.
  • Bolsas de estudo oferecidas diretamente pelas instituições de ensino: muitas universidades e faculdades oferecem seus próprios programas de bolsas de estudo, com critérios e processos de seleção específicos.

Cada uma dessas alternativas tem seus próprios critérios, processos de seleção e tipos de benefícios oferecidos. É importante pesquisar e entender cada opção para encontrar a que melhor se adequa às suas necessidades e objetivos educacionais.

Além disso, não poderíamos deixar o SISU (Sistema de Seleção Unificada) de fora dessa história. Embora não ofereça bolsas, o Sisu é uma forma de ingressar em universidades públicas com a nota do ENEM, o que pode ser uma alternativa para quem busca educação superior gratuita.

Também do governo federal, o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil) oferece financiamento a estudantes em cursos superiores de instituições privadas, o que pode ser uma alternativa para quem deseja ingressar nesses lugares. 

Escolha da faculdade: o que levar em conta? Veja dicas da Quero Bolsa

Agora que você já entendeu como o Quero Bolsa funciona, pode estar se perguntando qual faculdade escolher. Então, para te ajudar nessa escolha, conversamos com  Flávio Rabelo, diretor de produtos e serviços financeiros do programa. Veja as dicas: 

A primeira coisa a se fazer para analisar instituições de ensino é uma distinção básica entre faculdades públicas e privadas. Geralmente, quando uma pessoa consegue acesso a uma faculdade pública e uma particular, ela dá preferência à pública.

As maiores dúvidas ocorrem quando se precisa escolher entre diversas opções de faculdades particulares.

Nessa hora o Quero Bolsa pode te ajudar, mostrando opções de faculdade de acordo com a localidade que você deseja, a faixa de preço e a modalidade (curso presencial ou à distância).

Além disso, alguns critérios são muito importantes na hora de escolher.. Eles são analisados pela maioria das pessoas, e são os seguintes:

  1. Preço: 

O preço geralmente é a principal variável que as pessoas analisam para escolher um curso de graduação. Um sinal disso é que a inadimplência nas faculdades particulares é muito alta, e a falta de dinheiro faz com que muitas pessoas tranquem matrícula, ou até mesmo desistam do seu curso.

  1. Localização:

Outro fator importante a se observar na faculdade que você deseja é a proximidade do lugar onde você mora. Quem mora em grandes centros urbanos certamente tem mais opções de instituições de ensino para escolher, já que a concorrência nesses lugares é maior.

Já para as pessoas que moram em cidades menores, onde às vezes há somente uma faculdade, pode valer a pena procurar instituições em outras cidades. Entretanto, se você fizer essa escolha, lembre-se de que ela traz custos adicionais e exige planejamento.

  1. Estrutura:

Esse fator deve ser observado principalmente quando falamos sobre alguns cursos específicos, que demandam mais estrutura que outros.

Se seu curso exige aulas em laboratórios ou com algum tipo de material específico, considere a estrutura que a faculdade oferece na hora de fazer sua escolha. Caso seu curso seja mais teórico, essa variável não tem um peso tão grande na sua escolha.

  1. Corpo docente:

Um ponto muito importante a se analisar é o corpo docente da faculdade que você procura, ou seja, os professores.

A Quero Bolsa também pode te ajudar a analisar esse quesito, pois você consegue ver a avaliação dos alunos que já estudaram ou estudam em determinada faculdade, acessando a instituição pelo site do programa. Grande parte dos comentários refere-se ao corpo docente da instituição.

  1. Empregabilidade:

A empregabilidade é um fator crucial na escolha de um curso é uma instituição de ensino. Ou seja, considere as perspectivas de carreira e as oportunidades de emprego que um curso específico pode oferecer após a formatura. 

Para isso, veja a taxa de empregabilidade dos ex-alunos da instituição, especialmente na sua área de interesse. Além disso, avalie se a faculdade oferece serviços de apoio à carreira, como estágios, feiras de emprego, e parcerias com empresas.

Outro aspecto a considerar é a reputação da instituição no mercado de trabalho. Algumas faculdades são mais reconhecidas em certas áreas, o que pode influenciar suas chances de conseguir um bom emprego no futuro. A Quero Bolsa pode ajudar nesse aspecto, fornecendo informações sobre a colocação de ex-alunos no mercado de trabalho e parcerias da instituição com empresas e organizações.

Lembre-se, a escolha de uma faculdade e um curso deve alinhar-se não apenas com suas paixões e interesses, mas também com considerações práticas sobre onde essa educação pode levá-lo profissionalmente.

 Financeiramente, vale a pena fazer faculdade? 

O investimento a se fazer em uma graduação é alto, e faz com que muitas pessoas desistam desse plano. Entretanto, é fundamental pensar que esse investimento possivelmente trará um retorno financeiro no futuro.

Segundo Flávio, do Quero Bolsa, uma pessoa que já tem uma carreira em determinada área e decide fazer um curso para aprimorar seu trabalho tem um incremento na renda de cerca de 50%.

Exemplo: Maria Júlia trabalha na área de marketing, mas não tem ensino superior. Caso ela decida fazer uma faculdade na área de publicidade ou marketing, é provável que consiga uma colocação de maior retorno financeiro do que tinha antes.

Assim, se antes ela ganhava 2000 reais, é provável que depois do curso ela seja contratada com um incremento de 50% no seu salário, ou seja, passará a ganhar 3000 reais.

Como calcular o retorno do investimento na educação?

Para saber se o investimento nos seus estudos trará um retorno financeiro, você precisa comparar o que recebe hoje com o que possivelmente receberá tendo um curso.

Evidentemente não é possível prever com exatidão qual vai ser seu salário futuramente. Entretanto, você pode pesquisar qual é a média de salário na profissão que deseja seguir e usar esse valor como base. Você usa, então, o seguinte raciocínio para observar o retorno do seu investimento:

  1. Quanto vou investir na minha graduação? Se for, por exemplo, 600 reais por mês, durante 4 anos, o investimento total é 28.800 reais(12 mensalidades por ano, multiplicadas por 4 anos);
  2. Qual a diferença entre o que recebo hoje e a média salarial do meu futuro emprego? Se recebo hoje 1.200 reais e a média inicial de salário do profissional que desejo me tornar é 2.000 reais, vou receber 800 reais a mais do que hoje;
  3. Quanto tempo eu demoro para conseguir “de volta” o dinheiro que investi em minha graduação? Ou seja, somando todos os meses em que vou ganhar 800 reais a mais, quanto tempo demoro para recuperar os 28.800 investidos? Nesse caso, eu demoro 30 meses (28.800/800=36), o equivalente a 3 anos.

Vale a pena fazer um curso superior?

Ao fazer esses cálculos, podemos chegar à conclusão de que, apesar de um investimento em curso superior ser alto, ele traz, sim, retornos financeiros. Segundo números abordados pela Quero Bolsa, a média de meses que alguém demora para pagar seus investimentos é de 12 a 36 meses.

Conclusão: vale a pena usar o Quero Bolsa? 

Finalmente, depois de analisar todas as informações sobre o Quero Bolsa, podemos concluir que ele é uma opção valiosa para quem busca acessibilidade financeira na educação, seja ela superior, para ensino técnico, especialização ou cursos. 

O programa se destaca por oferecer várias bolsas de estudo em diferentes áreas e níveis educacionais, desde graduação até cursos livres e de idiomas. Além disso, a plataforma é transparente quanto às taxas e processos de renovação das bolsas, o que facilita o planejamento financeiro dos estudantes.

Mas, ao considerar se o Quero Bolsa vale a pena, é importante levar em conta alguns pontos práticos:

  • Pense sobre suas necessidades e objetivos, qual o curso que você deseja fazer? A localização? E a modalidade de ensino? 
  • Considere as restrições: lembre-se de que o Quero Bolsa tem restrições para quem já está matriculado ou tem vínculos anteriores com a instituição de ensino. Verifique se você se enquadra nos critérios para participar do programa.
  • Analise o custo-benefício: embora haja uma taxa de pré-matrícula e, em alguns casos, taxas de renovação, avalie o desconto oferecido e como isso impacta no custo total do curso. Muitas vezes, o desconto proporcionado pode significar uma grande economia a longo prazo.

Além disso, não deixe de explorar outras alternativas, como Educa Mais Brasil, Prouni, FIES, entre outros. Como mencionado, o investimento em educação superior pode trazer retornos significativos em termos de oportunidades de carreira e aumento salarial!

E por falar em economia e comparação de preços, nós, do Educando Seu Bolso, podemos te ajudar! Caso você esteja buscando um empréstimo, confira nosso Simulador de Empréstimo. É uma ferramenta gratuita que compara diferentes instituições de crédito e te ajuda a economizar dinheiro.

Tem alguma dúvida ou sugestão? É só deixar nos comentários!

Também achamos que você vai gostar:

Avaliação Educando seu Bolso
Nossa avaliação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *