O Gerente responde: A melhor máquina de cartão.

Olá, minha irmã tem uma lojinha de roupas (feira), e gostaria de colocar uma máquina de cartões para evitar compras “fiado”. Por outro lado, ela não tem ainda faturamento, para saber quanto venderá ao mês, e sobre a questão de taxas sobre venda crédito/débito, etc. A princípio ela pensou na Moderninha, pois com um ano será dela, sem aluguel, mas tem dúvidas sobre as taxas sobre vendas, sabendo que a maioria dos clientes comprará no crédito. Ela deve repassar essa taxas para o cliente, aumentar o valor dos produtos? O que será mais vantajoso de fato? Qual é a melhor máquina de cartão para o caso dela? Contamos com vossa opinião.

Att,
Rose

 

Olá, Rose.

Veja bem, de fato, se ela não tem uma estimativa de faturamento, está iniciando, não creio que seja ideal se comprometer com um custo fixo alto, como o aluguel mensal da maquininha. Aliás, este é um dos principais argumentos utilizados no marketing de maquininhas como a Moderninha da PagSeguro.

Além desta, há outras opções onde, ao invés do aluguel, se paga um valor menor até para adquirir a maquininha. Payleven, Izettle, Sumup, PaggCerto, Moviu, FazCrescer, Mercado Pago e por aí vai. Provavelmente, com um faturamento ainda baixo, a melhor máquina de cartão para ela deve ser uma destas.

Mas como escolher a melhor máquina de cartão?

Fácil. Lançamos o Comparador de Máquinas de Cartão. Lá, você vai encontrar Payleven, Maquinão e Izettle Lite, Sumup, as MercadoPago Point H e Point Mini, Pago, ContaMobi, Vero, e outras variações da PagSeguro, como a Minizinha, Moderninha e Moderninha Pro, além de outras opções da Rede e da Cielo, como Cielo Mobile e a Smart Rede. Agora, com apenas um clique você fica sabendo qual é a melhor máquina de cartão para o seu negócio.

Recomendo que o acesse, mesmo com um faturamento hipotético, para ver mais informações sobre cada uma das opções. Até por que elas têm várias diferenças na maneira de usar. Obviamente não é só custo. Pesquise os sites das empresas e de reclamações para saber sobre disponibilidade do sistema, custos de  manutenção, qualidade de atendimento ao cliente, por exemplo, antes de adquirir.

Você tem razão de novo, quanto ao fato de a maquininha diminuir o risco de calote. Em tempos tão difíceis, reduzir o risco de não receber pode fazer toda a diferença.

Sobre o preço que ela deve praticar, seria justo oferecer um desconto no pagamento à vista em dinheiro. É que nesta forma de pagamento ela não arcará com os custos associados ao recebimento em cartão de crédito. Mas a legislação ainda não permite isto, embora muitos estabelecimentos façam.

Além de usar o nosso comparador para ter ideia de tamanho que estes custos podem ter, peço que veja o post do leitor em https://educandoseubolso.blog.br/2016/03/21/post-do-leitor-antecipacao-de-recebiveis-por-vendas-via-cartao-de-credito/ que trata também do assunto.

Grande abraço e obrigado pela confiança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *