O que você está procurando hoje?

Dado é o novo petróleo, para o bem e para o mal!

Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Apple Podcasts
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Spotify
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Google Podcasts
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Castbox
Educando Seu Bolso
Educando Seu Bolso
Dado é o novo petróleo, para o bem e para o mal!







/

“O dado é o novo petróleo, tanto para o bem, quanto para o mal” Essa foi uma das frases ditas pelo nosso entrevistado no podcast de hoje, isso porque falamos sobre atualidades do mercado financeiro, como o Open Banking e o Open Finance!

O convidado de hoje é o Bruno Diniz, especialista em inovações do mercado financeiro. Além disso, o Bruno tem uma consultoria focada no mercado financeiro, dá aula nos cursos de MBA da USP, dirige uma associação britânica focada em Open Banking e é autor de dois livros, são eles:

  • O fenômeno fintech;
  • A nova lógica financeira.

Então, se você quer ficar por dentro do que está rolando no mercado financeiro, descobrir o que ainda está por vir e entender porque os dados são o novo petróleo, não perca esse episódio!

Você pode escutá-lo em qualquer um dos players acima, assistir a gravação pelo nosso canal do Youtube ou, se preferir, continue a leitura!

 

Antes de começar, vamos recapitular

De acordo com Bruno, durante muito tempo o mercado financeiro brasileiro ficou restrito às grandes instituições financeiras, aos bancões. Hoje, essas instituições ainda dominam a maior fatia do bolo, porém, desde meados de 2010, a concorrência desse mercado vem aumentando.

Mas o que aconteceu em 2010?

Em 2010 ocorreu a quebra do duopólio das maquininhas. Em outras palavras, até 2010 só existiam duas opções de maquininhas, são elas:

  • a VisaNet (atual Cielo), que aceitava cartões Visa;
  • a RedeCard (atual Rede), que aceitava cartões Mastercard.

Então, o que se tinha era um mercado extremamente monopolizado por essas empresas.

Com a ruptura desse duopólio, começaram a surgir novas opções de maquininhas, como Getnet, PagSeguro e, consequentemente, a competitividade do mercado aumentou.

Ou seja, as tradicionais VisaNet e RedeCard se viram ameaçadas com as novas opções que surgiram no mercado de maquininhas mais democráticas, que não precisavam de aluguel, a preços mais acessíveis…

E quem sai ganhando com isso? Os micro, pequenos e até grandes comerciantes brasileiros que passaram a ter mais opções de escolha de maquininha de cartão, com preços e condições melhores!

Ranking melhores maquininhas segundo Educando seu Bolso

Posição Maquininha Saiba Mais
1 Moderninha Pro
Moderninha Pro 64% OFF
64% OFF
2 SumUp TOTAL
SumUp TOTAL 5% OFF
5% OFF
3 T3 Básico
T3 Básico 80% OFF
80% OFF
4 Superget #RENOVA
Superget #RENOVA
5 SumUp ON
SumUp ON 8% OFF
8% OFF
6 Minizinha Chip 2
Minizinha Chip 2 75% OFF
75% OFF
7 Point Pro
Point Pro 74% OFF
74% OFF
8 T2 +
T2 + 62% OFF
62% OFF
9 Cielo Flash | Compra
Cielo Flash | Compra 34% OFF
34% OFF
10 SafraPay Máquina Móvel 3G
SafraPay Máquina Móvel 3G

 

E não paramos por aí…

Em 2013 tivemos a implementação dos arranjos de pagamento, que são um conjunto de regras e processos que tornam possível a realização de serviços financeiros, como saques, transferências, emissão de cartões de crédito e débito, entre outras soluções de pagamento.

Além disso, ocorreu a regulamentação dos aplicativos de crowdfunding, ou financiamento colaborativo, que permitiu que startups conseguissem arrecadar dinheiro e tirar a ideia do papel, sem que os colaboradores tivessem que investir grandes quantias.

Sendo assim, nesse meio termo, tivemos o nascimento do Nubank e de outras fintechs.

Ranking melhores contas digitais segundo Educando seu Bolso

Posição Instituição Nota Post
1 Banco Inter Banco Inter
4.7
Confira!Confira!
2 NuConta NuConta
4.3
Confira!Confira!
3 C6 Bank C6 Bank
4.3
Confira!Confira!
4 Original ilimitado Original ilimitado
4.3
Confira!Confira!
5 BS2 BS2
4.3
Confira!Confira!
6 Next Next
4.1
Confira!Confira!
7 Neon Neon
4.0
Confira!Confira!
8 Pagbank Pagbank
3.7
Confira!Confira!
9 Super Digital Santander Super Digital Santander
3.7
Confira!Confira!
10 Agibank Agibank
3.6
Confira!Confira!

 

Empréstimos online

Com a criação da sociedade de crédito direto e a sociedade de crédito entre pessoas, pelo Banco Central, tivemos o surgimento do empréstimo online.

Melhor dizendo, para conseguir um empréstimo, não era mais necessário ir de banco em banco para encontrar a melhor oferta de crédito já que tudo isso passou a ser disponibilizado de forma online.

Crédito Pessoal
PosiçãoInstituiçãoModalidadeCET(ao Mês)Interessado?
1
GERU
Crédito Pessoal4.20%
2
Ibi Digital
Crédito Pessoal5.99%
3
Lendico
Crédito Pessoal5.99%
4
Credisfera
Crédito Pessoal6.35%
5
Just.
Crédito Pessoal6.35%
Consignado
PosiçãoInstituiçãoModalidadeCET(ao Mês)Interessado?
1
bxblue
Consignado - INSS1.99%
2
bxblue
Consignado - Público1.99%
3
Creditas
Consignado - Privado2.73%
Negativados
PosiçãoInstituiçãoModalidadeCET(ao Mês)Interessado?
1
Livre.digital
Crédito Pessoal9.79%
2
Ferratum
Crédito Pessoal13.10%
3
Moneyman
Crédito Pessoal13.57%
4
Unobank
Crédito Pessoal16.85%
5
Simplic
Crédito Pessoal22.45%
Empréstimo
PosiçãoInstituiçãoModalidadeCET(ao Mês)Interessado?
1
Creditas
Empréstimo com Imóvel em garantia0.75%
2
Bcredi
Empréstimo com Imóvel em garantia1.31%
3
Tutu Digital
Peer-To-Peer PJ2.80%
4
Banco Original
Capital de Giro - Até 1 ano2.89%
5
Nexoos
Peer-To-Peer PJ3.92%
6
IOUU.
Peer-To-Peer PJ4.40%

 

A decolagem de 2020

Mais recentemente, em 2020, tivemos duas grandes implementações:

  • A regulamentação do Open Banking, que empodera os cidadãos sobre seus dados e permite que eles os compartilhem com outros bancos, fintechs… Ou seja, aumenta a possibilidade de uma pessoa encontrar melhores soluções e produtos financeiros;
  • E o Pix, que já está amplamente disseminado entre os brasileiros e que ainda terá novas funcionalidades;

 

Mercado financeiro: Open Finance e Open Banking

Benefícios do Open Banking no mercado financeiro

Confira os benefícios do Open Banking no mercado financeiro!

Como foi dito, o Open Banking é o compartilhamento de dados e informações relacionadas a serviços bancários tradicionais. Já o Open Finance, engloba o Open Banking e oferece também serviços como previdência e seguros.

Entretanto, diferentemente do Pix, que tem como função apenas mover dinheiro, o Open Finance é uma estrutura que permite que novas soluções sejam criadas.

Não entendeu? Vou explicar melhor

Bruno usa como exemplo a internet que, quando surgiu, era compreendida apenas como um portal em que era possível fazer buscas e utilizar o e-mail.

Porém, hoje, sabemos que a internet vai muito além disso, pois ela é apenas uma estrutura para que outros produtos, serviços e ferramentas possam ser criados a partir dela.

E o Open Finance funciona de forma similar. Ou seja, a base da estrutura é a possibilidade da troca de dados e, em cima disso, será possível, por exemplo:

  • comandar sua vida financeira a partir de um aplicativo que não necessariamente é o aplicativo do seu banco;
  • ter acesso a taxas mais baixas através de comparativos de taxas;
  • receber ofertas mais personalizadas, visto que outros bancos e fintechs terão acesso a dados da sua vida financeira, não apenas aquele a quem você é fiel a mais de 10 anos;
  • controlar toda a gestão da sua empresa através de um único painel de ERP (sistema de gestão interna), desde realizar os pagamentos até solicitar empréstimos.

Por fim, eu aposto que você não sabe exatamente como funciona a internet por trás dos panos, entretanto, você não deixa de usufruir dos benefícios que ela te proporciona! Logo, com o Open Banking ou Open Finance será a mesma coisa!

 

Referenciais do Open Banking no mundo

No Reino Unido o Open Banking já está no ar desde 2018 e uma das coisas que motivaram a adoção desse sistema foi justamente a concentração bancária que o bloco apresentava.

Então, para trazer um exemplo real e atual de como essa estrutura pode ajudar a população, podemos falar sobre a pandemia da Covid 19.

Durante a pandemia, sabemos que o lockdown afetou uma série de empresas e, tentando minimizar os impactos, o governo disponibilizou um auxílio a elas.

Obviamente que, para ter acesso ao auxílio, era preciso comprovar que você realmente estava elegível. Sendo assim, graças ao Open Banking, bastava que as empresas compartilhassem seus dados para que conseguissem comprovar sua elegibilidade.

O caso contrário

Já nos Estados Unidos, onde o Open Banking ainda não está implementado, o que ocorreu foi o contrário.

Enquanto o Reino Unido apresentava um caso de sucesso, com a rápida confirmação de quem deveria ou não receber o auxílio, nos Estados Unidos ocorreram muitas fraudes relacionadas a distribuição desse dinheiro.

Por exemplo, tiveram grandes empresas, listadas na bolsa de valores, que entraram com pedido de um auxílio que era destinado apenas a empresas de pequeno e médio porte.

O que aconteceu foi que como a verificação de quem deveria ou não receber o auxílio não ocorreu de forma eficiente como no Reino Unido, algumas empresas que não se encaixavam nas regras do benefício acabaram sendo beneficiadas e tiveram que devolver os valores recebidos.

Quer ser Microempreendedor Individual? Esse texto é pra você!

 

Chegou a hora de compartilhar seus dados e ter benefícios

Quantas vezes você não compartilhou seus dados pessoais mesmo sem saber? Aceitou os termos de utilização de um app e não leu as condições?

Pois bem, é comum ter um pé atrás quando se fala em compartilhamento de dados.

Entretanto, é preciso ter em mente que, no caso do Open Banking, ao compartilhar seus dados, você estará abrindo novas portas e oportunidades para que você tenha acesso a produtos, serviços e condições cada vez mais atrativas.

Ou seja, no Open Banking, a partir do compartilhamento dos seus dados, você terá, por exemplo, ofertas de crédito mais personalizadas ou financiamentos com taxas mais atrativas.

E, já no Open Finance, que está um degrau acima do Open Banking, você poderá ter melhores ofertas de planos de previdência, de seguro de vida, de carro, de residência…

Ainda, é importante lembrar que o Open Banking é totalmente regularizado pelo Banco Central do Brasil e pela LGPD, Lei Geral de Proteção de Dados, que normaliza a coleta e o uso dos dados pelas empresas.

“O dado é o novo petróleo, tanto para o bem, quanto para o mal”

De acordo com Bruno, estão dizendo que o dado é o novo petróleo, tanto para o bem, quanto para o mal.

Essa comparação tem sido feita pois, assim como o petróleo, quando os dados são utilizados corretamente, eles são capazes de gerar benefícios.

Em contrapartida, quando os dados são utilizados com má fé, é um desastre, assim como quando acontecem vazamentos de petróleo no mar, por exemplo.

Saiba o que é segurança digital e veja como se proteger!

 

Para as contas e carteiras digitais o céu é o limite!

Se você tem uma conta digital ou usa uma carteira digital você, provavelmente, já se perguntou qual é o limite para esse pessoal, certo? Isso porque a cada semana são incluídos novos produtos e serviços que fica até difícil estar em dia com todas as novidades.

Isto é, não se encontra mais uma conta ou carteira digital que ofereça apenas os serviços básicos de pagamentos e cartões, por exemplo. Pois está se tornando cada vez mais comum que essas empresas ofereçam produtos e serviços bancários e, também, não bancários.

Inter, Nubank, PicPay, Mercado Pago, C6, Magalu… Já parou para pensar na infinidade de soluções oferecidas por essas empresas? Pois é!

Então, as empresas do mercado financeiro estão tentando rechear suas contas e aplicativos para que seus clientes consigam fazer tudo lá dentro, pagamentos, transferências, seguros, previdência, investimento, compras, empréstimos, viagens…

Usando uma frase dita pelo Bruno: “as linhas que separam o que é financeiro do não financeiro estão ficando cada vez mais cinzentas”.

Em outras palavras, agora é comum você encontrar, por exemplo, soluções financeiras no app da Magalu, que é uma empresa de varejo, e também conseguir fazer compras pelo app do Inter, que foi criado como um banco.

 

Dicas do Bruno para aproveitar as atualidades do mercado financeiro

1) Mantenha a cabeça aberta

De acordo com Bruno, já é possível acompanhar uma aceleração da utilização dos serviços financeiros digitais.

Ainda, é possível dizer que a pandemia da Covid 19 foi uma oportunidade das pessoas começarem a utilizar os serviços digitais, devido às regras de isolamento social e também pela necessidade de receber o auxílio emergencial através do Caixa Tem.

Para exemplificar, o Brasil tem mais de 210 milhões de pessoas e foram abertas mais de 100 milhões de contas no Caixa Tem.

Logo, sem dúvidas, essa foi uma oportunidade das pessoas se familiarizarem com os serviços financeiros digitais e em seguida, poder continuar se aventurando nesse mar de opções.

Então, é importante continuar atento às novas funcionalidades. Procure se manter atualizado e faça testes! Só assim você irá descobrir se a conta que você tem hoje, por exemplo, é a que mais pode te auxiliar no dia a dia.

2) Saia da sua zona de conforto

Muitas vezes você está insatisfeito com o serviço que é prestado pelo banco ou instituição que você tem conta mas mesmo assim continua lá. Não faça isso!

Existem muitas opções no mercado financeiro que podem te atender e você não deve ficar refém de nenhuma instituição, então, não deixe de buscar e encontrar a que vai te atender melhor, resolver seus problemas e te oferecer boas condições!

Para fechar, o Bruno citou uma estatística do Reino Unido que mostra que as pessoas ficam em média 11 anos casadas e em média 15 anos com a mesma instituição financeira. Onde já se viu? Relacionamento com banco não é casamento!

Gostou do post? Não se esqueça que antes de cair de cabeça nas novidades do mercado financeiro é importante manter as contas organizadas e em dia, então conheça nosso Curso Jornada Para o Equilíbrio Financeiro!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *