Energia solar: vale a pena investir nesse tipo de energia?

Energia solar no Brasil já é uma realidade? Você já pensou em instalar energia solar na sua casa? Já fez as contas para descobrir se é caro ou barato? Energia solar residencial compensa? Com a crescente busca por fontes de energia limpas e renováveis, também aumentou o interesse pela energia solar fotovoltaica e, consequentemente, seus preços estão menores… Mas será que vale a pena instalar os painéis na sua casa ou na sua empresa? E afinal de contas: agora é realmente uma boa hora para investir em energia solar?

 

energia solar, energia fotovoltaica, painel solar, painel fotovoltaica, energia solar fotovoltaica, economia doméstica, como economizar com energia solar, como economizar com energia fotovoltaica

 

Dá pra transformar toda a energia da casa em solar?

Se você tem interesse em instalar painéis fotovoltaicos na sua casa, temos uma boa notícia: é possível que toda a energia elétrica usada pela sua casa (ou pela sua empresa) seja solar. Esse tipo de implementação é até mais interessante para empresas, que costumam consumir ainda mais energia do que as residências. A energia solar fotovoltaica é uma boa opção até para pequenos negócios e pessoas que precisam de fontes informais para complementar a renda no fim do mês. Fazer doces ou marmitas para vender, por exemplo, costuma demandar aparelhos domésticos que consomem muito energia elétrica e, nesses casos, a energia solar pode significar economia.

 

O fato é que, devido a avanços tecnológicos e ganhos de escala, o preço de aparelhos fotovoltaicos (os painéis que captam energia do sol e transformam isso em energia doméstica), está em queda. Esses painéis já foram caríssimos, ainda não são tão baratos, mas já estão ao alcance de muitas pessoas. Pode ser que você esteja perdendo dinheiro por não investir em energia solar na sua casa.

 

Energia solar pode ser mais rentável do que aplicações financeiras

Se por um lado o custo de implantação de painéis solares diminuiu, por outro, a energia elétrica está mais cara.  Você já deve ter percebido que cada vez uma parcela maior dos gastos domésticos vão para conta de luz. Outro fator que precisa ser considerado é que a taxa de juros que seu dinheiro rende também caiu bastante.

 

E por que, afinal de contas, é tão importante considerar quanto seu dinheiro anda rendendo por aí? Bom, se você não aplicar na instalação de painéis fotovoltaicos pra substituir cobrança de luz tradicional, e economizar na conta, onde você deixará seu dinheiro? Provavelmente na poupança ou no maximo na renda fixa. Com esse tipo de investimento rendendo menos, fica mais rentável investir em painéis fotovoltaicos e reduzir a conta de luz.

 

Vamos considerar o exemplo de uma conta média de um consumidor residencial, aqui de Minas Gerais. Uma família (com 4 pessoas) de classe média com vários aparelhos domésticos, como televisões, videogames, home theater, máquinas de lavar e secar roupa, máquina de lavar louças, forninho elétrico, microondas, ventiladores ou até mesmo ar condicionado, consome mais ou menos 600 kw/h. Nessas condições, com preço médio da tarifa de R$0,83 por kw/h, em Minas Gerais, essa conta pode chegar a R$500. É importante considerar que esse valor também inclui outras tarifas, como a de iluminação pública, por exemplo. No caso dessa família, será que vale a pena usar energia solar?

 

Qual o custo para instalar energia solar?

Mas calma, antes de pensar em economia, é preciso investir dinheiro. No exemplo acima, é necessário investir pouco mais de R$20.000,00 para instalação dos painéis de energia fotovoltáica ou kit de energia solar.  Agora você deve estar pensando: “nossa, Fred, esse valor é muito alto, eu não tenho esse dinheiro!” Calma, tem saída pra tudo. Inclusive há linhas de crédito com incentivo governamental para o investimento nestes projetos. O BNDES por exemplo cobra juros baixos para financiar estes projetos.

 

Realmente, em primeiro lugar, é um investimento grande.  Mas no caso da família com a conta de R$500, por exemplo, o investimento se paga em alguns anos. Depois os painéis geram lucro, principalmente porque a duração dessa instalação é longa: com manutenção apropriada, chega a durar vinte anos! Ou seja, a grosso modo, essa conta se paga em 5 ou 6, anos. Os outros 10 anos ou mais que os painéis vão durar serão diretamente revertidos em economia na sua conta. Por alto, com os painéis solares a conta da família que citamos no nosso exemplo pode cair de R$500 para, em média, R$70,00.

 

Simule o custo da energia solar!

 

E se minha conta de luz for barata? Ainda vale a pena?

Abaixo desses R$70 não é possível diminuir muito o valor da conta, já que existem tarifas que continuarão sendo cobradas, como a de iluminação pública, por exemplo. Nesse caso, o chamado “retorno do investimento” se dará em média em 5 ou 6 anos, mas esse prazo pode ser um pouco menor, se o consumo for maior. Dessa forma, quanto mais cara for sua conta de luz, mais rápido esse investimento se paga.

 

Em alguns casos, esse retorno pode acontecer mais rápido: em até dois anos, por exemplo. Mas esse tipo de retorno rápido é comum para contas que giram em torno de R$1.500, R$2.000 reais, e que já não representam mais um consumo residencial padrão típico. Por outro lado, se a conta for barata demais também não adianta: não é o momento para investir em energia solar. Os painéis solares são uma opção interessante para consumos maiores do que R$300. Se sua conta é menor do que isso, a instalação de um projeto próprio de energia solar já não representa uma solução tão econômica.

 

Dá pra compartilhar energia solar?

Para quem não tem espaço para implementar os painéis em casa, uma boa opção é compartilhar a energia solar. Por exemplo, meu sogro mora em uma casa e tem um consumo de energia X. Já eu moro em apartamento e tenho um consumo de energia Y. A minha conta é de R$400 e a dele é de R$600. Será que realmente é preciso fazer dois investimentos em painéis solares? A solução para não pagar duas vezes é compartilhar a instalação de energia solar.

 

No casa do meu sogro existe uma grande área de telhado em que esses painéis podem ser instalados com uma incidência solar privilegiada. Ao redor não tem prédios ou árvores, realmente é bem iluminado quando bate sol. Nesse caso, podemos dividir a energia gerada de forma que eu também me beneficie do investimento feito na área dele: nossas duas contas podem ser abatidas pelo potencial de geração de energia elétrica que ele tem com sistema de captura de energia solar implantado na casa dele.

 

É possível dividir energia solar entre residências distantes?

Para dividir a energia solar gerada não é preciso que as duas casas sejam próximas. É mais uma questão de instalação de “setup” do sistema, e de a agência de energia elétrica que te atende entender que as duas casas estão conectadas. No fundo o que acontece é que essa instalação de energia solar fotovoltaica gera energia para a concessionária de energia elétrica (a CEMIG, aqui em Minas Gerais). A concessionária usa essa energia gerada e, em troca, dá créditos de energia. Por exemplo, supondo que na minha casa tenha sido gerado 1000kw através de energia fotovoltaica, não será cobrado nada de mim enquanto estiver usando até 1000kw. Se a energia for compartilhada, então é até 1000kw na minha casa e a do meu sogro, por exemplo.

 

Uma coisa interessante, porque a gente quando pensa nesse valor, é até um valor alto para uma conta de energia, mas as empresas têm investido muito nisso. Inclusive, aqui em Minas Gerais, tem aquelas fazendas solares, que são verdadeiros terrenos enormes só com essas placas solares. Assim, muitos hectares de painéis gerando energia solar convertida em energia elétrica e mantendo muitas empresas funcionando com economia gigantesca.

 

E as fazendas solares? Como funcionam?

Esse conceito é novo, mas também envolve compartilhamento. Até agora falamos da implementação de um sistema doméstico, contratando uma empresa que faz a instalação do projeto. A empresa providencia os painéis e outros equipamentos necessários para a instalação, e conecta essa rede à rede da concessionária de energia. Com a fazenda solar, não é preciso todo esse trabalho.

 

Fazendas solares são espaços amplos com painéis fotovoltaicos instalados, produzindo energia que será vendida para terceiros. É uma forma de investir em um conjunto de painéis que se encontra em outro lugar, através de créditos. As fazendas ficam em áreas ensolaradas praticamente o ano inteiro, igual às pás eólicas instaladas no Ceará, em praias de muito vento. Nessas localidades, a eficiência do sistema aumenta muito, tanto no caso da energia eólica quanto no caso da solar.

 

Para contratar os serviços dessas fazendas solares não é preciso instalar nada na sua casa. Se você mora em apartamento e não tem espaço, ou não conhece quem more em casa e possa compartilhar a produção de energia solar, as fazendas solares são uma boa opção. Também não é preciso fazer altos investimentos iniciais, e sua conta de energia elétrica pode reduzir até 30%. Não será preciso contratar ninguém para instalar nada no seu telhado. A manutenção e a responsabilidade por eventuais danos também são da empresa. Você tem menos risco, menos trabalho, mesmo que tenha menos retorno financeiro. A redução na conta não será tão expressiva quanto no exemplo da família que passaria de uma conta de R$500 para uma de R$70. Mas por outro lado, o trabalho e o investimento envolvido é bem menor.

 

E quem mora em apartamento?

Se você mora em prédio, não se preocupe, também é possível usufruir dos benefícios da energia solar morando em apartamento. Uma boa opção é instalar painéis fotovoltaicos e transformar toda a energia elétrica do prédio em energia solar fotovoltaica. É possível fazer a contratação das fazendas solares através do condomínio, que se enquadra como pessoa jurídica, inclusive porque algumas dessas fazendas não atendem pessoas físicas.

 

Outra opção é combinar com outros moradores e fazer uma instalação no condomínio. Assim é possível usar a energia gerada para área comum ou para os próprios moradores. Existem algumas soluções que podem fazer muita gente (que ainda não sabe disso) economizar na conta de luz.

 

Cuidado com os custos de manutenção

Supondo que você decida instalar painéis solares em casa (ou na empresa) e que sua conta tenha sido consideravelmente reduzida. E depois? O que acontece? Chegamos a falar aqui no blog um pouquinho mais sobre os custos da energia solar, fizemos até cotação com algumas empresas (salvo engano foram três), e o custo de manutenção não pode ser esquecido. Realmente, se acontecer uma chuva de granizo e os painéis se quebrarem, por exemplo, o problema é seu para consertar. Acumulação de sujeira, folha de árvore, poeira, tudo isso influencia na eficiência do painel. Então fique atento para o custo da manutenção! Veja se com o passar do tempo a energia solar ainda é uma boa opção…

 

Pelo que percebemos, fazendo orçamento com essas empresas, o custo da manutenção tem caído. Mas se você viveu uma experiência diferente, ou com outros custos, deixe nos comentários a sua opinião. Se for o caso, podemos ajustar ainda mais os cálculos que consideramos por aqui. É sempre importante ser preciso, não é verdade?

 

Tome sua decisão com sabedoria (e economia!)

A energia solar nas residências é uma forma alternativa de investimento financeiro. O investimento inicial pode ser alto, e os custos de manutenção também devem ser considerados. Esse tipo de investimento dará retorno a médio e longo prazo, mas a economia pode chegar a valores realmente expressivos.  

 

Antes de instalar os painéis na sua casa, saiba exatamente o custo gerado e se é o melhor investimento. Para saber qual investimento é o melhor no seu caso, uma boa opção é consultar nosso simulador de investimento. Você terá uma noção mais clara de quais são as opções que o mercado oferece para fazer seu dinheiro render. Afinal, decidir para onde vai seu dinheiro deve ser feito com sabedoria e muita economia!

10 comentários

  • Acredito que não vale a pena ainda. Explico e gostaria de saber a opinião de vcs. Um sistema para a minha casa custa em torno de $22.000,00 e que se paga em cerca de 7 anos. Ocorre que a rotina de manutenção ainda não está clara, o que pode ser um tiro no pé, pois vc se livra da conta da concessionária e arruma outra. Vou dar um exemplo, dentro das possíveis manutenções. Um inversor é um equipamento bem caro (-+6.000,00) e um dos melhores é da marca WEG. E esse equipamento, pelo o que soube, pode ter sua durabilidade de no máximo 10 anos, sendo mais comum cerca de 7 anos. Então se eu fizer um investimento de -+ $ 22.000,00 e ele se pagar em 7 anos, na sequência eu já tenho outro custo, A SUBSTITUIÇÃO do inversor (WEG). Ou seja, com o passar dos anos vc vai tendo custos e altos. Então, se um sistema desses, como dizem, tem durabilidade de uns 25 anos. Para o exemplo exemplificado aqui, eu passaria praticamente toda a vida útil do equipamento tendo que fazer manutenções, a algumas caras (microinversor) e sem falar o que pode vir que desconheço. Mas é fato, pois fiz um orçamento com uma empresa e o pessoal pelo menos foi honesto. Disse que esse inversor tem vida de até 10 anos e eu ainda ia está terminando de pagar e já tenho que promover novo gasto com o inversor, por exemplo. Será que vale a pena?

    Responder
    • Frederico Torres

      Me desculpe Leandro, mas sua dúvida escapa ao meu conhecimento. Precisei me socorrer da opinião de mais um especialista no setor, cuja resposta replico abaixo. Veja que, mesmo após suas considerações, ele continua defendendo a opção, apesar de alguma incerteza em relação a sua situação específica. Agradeço pela provocação e espero que vocês dois possam continuar a discussão, seja por aqui, seja através do contato pessoal dele, que incluí na resposta.

      Grande abraço e conte conosco para o que pudermos ajudar.

      =]

      ——-

      Caro Leandro Eber, digo que vale a pena sim, cada vez mais pessoas optam por economizar na conta de luz através da Energia Solar Fotovoltaica. O estado de Minas Gerais é o líder brasileiro no setor, com 54 mil sistemas conectados à rede. Segundo a ABGD (Associação Brasileira de Geração Distribuída), 72% das instalações conectadas no Brasil são residenciais.

      Atualmente, investimentos em sistema fotovoltaico residencial no montante financeiro que citou, em torno de R$22.000,00, podem obter o tempo de retorno próximo aos 5 anos. Este investimento se mostra altamente viável se comparado com todos os gastos com a conta de luz que você teria ao longo de 25 anos, considerando inclusive reajustes e bandeiras tarifárias amarelas e vermelhas. Também será notável a diferença em favor da energia solar, se comparar a rentabilidade do mesmo valor investido, com rendimentos de aplicações financeiras, tipo poupança, CDB e outras. As vantagens não param por aí, mais um fator importante a ser considerado é a valorização do seu imóvel para venda ou locação, mediante a instalação de um Sistema Solar Fotovoltaico.

      O Sistema Solar Fotovoltaico é de grande robustez e confiabilidade, tanto que é a fonte de energia dos satélites e estações espaciais. A vida útil pode ser maior que 30 anos. No entanto, o prazo de 25 anos refere-se à garantia de eficiência dos painéis, da qual garante que no 25º ano os painéis solares produzirão energia equivalente a 80% da capacidade inicial, devido aos desgastes naturais de utilização. Em média, a garantia para defeitos de fabricação dos painéis solares é de 10 a 12 anos. Já os inversores, possuem garantias de mercado que variam de 5 a 15 anos. A vida útil média de inversores string é de 10 anos e para microinversores pode chegar até 15 anos. Para sistemas residenciais, de maneira geral, as manutenções adicionais consistem basicamente na limpeza dos painéis e verificação dos componentes (quando aplicável).

      Para finalizar, é importante ressaltar que a energia solar fotovoltaica se trata de engenharia, no entanto é aconselhável buscar por empresas e profissionais devidamente qualificados, além de verificar os tipos de equipamentos ofertados, garantias e pós-venda, de maneira a estabelecer uma relação de confiança com a empresa que avalia investir o seu capital.

      Engº Carlos Henrique Silveira Lessa
      Diretor de Negócios
      SolarTech Engenharia
      http://www.solartech.eng.br
      +55 31 98499 0127

      Responder
  • Muito boa a matéria, estava interessado, fiz algumas cotações é quase comprei. Mas ao calcular melhor percebi que no meu caso não Valéria a pena, pois meu gasto mensal médio é cerca de 150 reais mensais. Também cheguei no cálculo de que Valéria a pena acima de 300 reais. Parabéns pelos esclarecimentos.

    Responder
    • Ewerton Veloso

      Adriano, obrigado pela sua mensagem!

      Que pena que, para o seu caso, ainda não compensa. Mas que ótimo que você pegou o espírito da coisa e que pudemos ajudá-lo a fazer os cálculos. Acredito que, com o passar do tempo, novas empresas entrarão no mercado, atendendo de formas mais variadas. Creio que no futuro a energia solar poderá vir a ser vantajosa para você. Abç!

      Responder
  • Mas as placas fotovoltaicas não geram a energia elétrica durante a noite. E o maior consumo é de noite, ainda mais pra pessoas que trabalham/estudam durante o dia. Então, à noite o consumo de energia será proveniente da rede. Não entendi como a energia fotovoltaica é mais econômica…

    Responder
    • Frederico Torres

      Bom dia Carol e obrigado por sua participação.

      Veja, a lógica é que ao usar as placas durante o dia, você gere um excedente que será transferido para a rede pública. A rede, por sua vez, devolverá para você à noite (quando seu uso é maior), entende?

      =]

      Responder
    • Daniel Meinberg

      Obrigado pela visita, Vanderlei.
      Empreender depende de uma série de variáveis, não é tão binário assim. Tem gente fazendo um bom trabalho e ganhando dinheiro. Outros não.
      Sua pergunta pode ser respondida através de um plano de negócios bem feitos que pode, inclusive apontar ajustes ou até mudanças de rumo necessárias.
      Espero ter ajudado.
      Atenciosamente
      Equipe Educando seu Bolso

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *