Se você quer saber a melhor opção entre amortizar no prazo, na parcela ou investir seu dinheiro, descubra a melhor opção no nosso Relatório de Amortização

Financiamento de carro: não compre seu carro antes de ler isso

Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Apple Podcasts
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Spotify
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Google Podcasts
Assinar Podcast Educando Seu Bolso no Castbox

Para uma grande parcela dos brasileiros comprar um carro, moto ou outro veículo é um sonho. Mas ter o valor integral do veículo e pagá-lo à vista é algo cada vez mais raro. Juntar dezenas de milhares de reais pode demorar muitos anos, ou ser impossível, para boa parte dos brasileiros. Para conseguir atender esta parcela da população, o mercado teve que se adaptar e oferecer opções que sejam economicamente viáveis, ou pelo menos, mais realistas.  Só para que você tenha uma ideia, aproximadamente 2 em cada 3 das pessoas que compram um veículo não possuem a quantia necessária, e usam de financiamento de carro, consórcio ou leasing para complementar o valor.

 

O que é um financiamento de carro?

Mas afinal de contas, o que é um financiamento de veículo? Financiar carro é uma forma de adquirir um carro pagando em parcelas. Ou seja, não é preciso ter o valor total do veículo de uma vez só. Ao invés disso, você pode dividir o valor do automóvel de acordo com o número de parcelas mais conveniente para o seu bolso. E o que é mais prático: pode sair com o carro da concessionária sem que seja preciso pagar por ele integralmente.

Entretanto, para ter certeza que você está escolhendo a melhor opção possível, é muito importante que pesquise bem antes de fechar negócio. Nós sabemos que existem muitas opções no mercado, e muitos detalhes que podem trazer insegurança na hora de escolher o financiamento. Se esse é o seu caso, não se preocupe, nós vamos te ajudar a tomar a melhor decisão possível.

financiamento de veículo, financiar carro barato, financiar carro, leasing, consórcio, santander financiamento de veículo, calcular financiamento de veículo, simular financiamento de veículo

Como funciona o financiamento de carro?

O financiamento de carro é chamado de crédito direto ao consumidor (ou CDC). Este tipo de crédito te possibilita sair com o carro da concessionária quase que imediatamente. Nesse financiamento, você faz um empréstimo com o banco e  seu pedido de financiamento será analisado pela financeira ou banco. Depois de aceito o seu requerimento de financiamento, você receberá o dinheiro para comprar seu carro.

Para contratar, você normalmente paga uma entrada à vista. É possível, em algumas situações, conseguir contratar um financiamento de carro sem entrada, mas ele é bem mais raro de se ver. O restante do valor é dividido em parcelas (o máximo costuma ser 60 meses). Neste caso, o automóvel fica no seu nome, mas fica alienado ao banco. O que significa que o carro está fazendo o papel de garantia nesse negócio e caso você não arque com a dívida, o banco poderá tomar o automóvel. Essa situação muda quando todas as parcelas são pagas: o carro passa a ser completamente seu, sem que o banco possa tirá-lo de você.

 

O consórcio e o leasing funcionam da mesma forma que o financiamento tradicional?

O Leasing funciona como um tipo de aluguel em que você paga todo mês uma quantia para poder utilizar o veículo. Nesse caso, o veículo fica no nome do banco e o carro não será seu até o fim do contrato. Mas você arcará com todas as suas despesas, como multas, IPVA, seguro DPVAT, e etc. Entretanto, ao final do acordo, com o pagamento de todas as parcelas, você tem a opção de comprar o veículo, devolvê-lo ou renovar o acordo.

No Consórcio se reúnem grupos de pessoas que querem o mesmo bem. Nesse caso, um automóvel. O consórcio se baseia na união de pessoas que contribuem mensalmente para a formação de uma poupança comum. E todo mês uma ou duas pessoas são contempladas com uma carta de crédito que irá ser usada para a compra do seu veículo. Geralmente uma pessoa é contemplada por sorteio e outra por lance. No caso do lance, quem oferecer maior valor pela carta de crédito leva a carta de crédito, e no sorteio todos participam.

Mas apesar de não possuir taxa de juros, o consórcio possui outros custos como: taxa de administração, fundo de reserva, algum seguro. Esses custos podem ser tão grandes quanto a taxa de juros de um financiamento comum. Outro ponto importante é que no consórcio você não terá garantia de que vai pegar o veículo logo de cara. Pois você precisa ou ser sorteado, ou ter dinheiro para dar de lance e ser contemplado.

 

Entenda o que são as taxas de juros

Você já deve imaginar que pagar à vista é mais barato. E realmente é. Se você for até a concessionária e escolher um carro de R$55.000,00 você pagará os R$55.000,00 e pode até ganhar um desconto! Porém, caso você decida fazer um financiamento de carro, os mesmo R$55.000,00 em 12 meses, ao final do financiamento se tornarão (dependendo da instituição) em média R$62.000,00, como você pode ver no nosso simulador. Mas, se você não tiver essa opção, o jeito é procurar as melhores taxas de juros. Elas variam de acordo com o banco, o número de parcelas do financiamento, o score do cliente, o ano do carro que será financiado, entre outros motivos. Ou seja, inúmeros fatores influenciam no preço final do seu financiamento.

As taxas de juros são mais baixas para entradas maiores e número de parcelas menores, podendo até chegar à “taxa zero” dependendo da instituição responsável pelo financiamento de carro. Digo taxa zero, entre aspas, pois geralmente algumas taxas já estão embutidas no valor do carro. Por esse motivo você consegue aquele desconto à vista no valor integral.

Assim, se seu score for alto, ou seja, se for considerado bom pagador, as taxas de juros serão mais baixas. Isso acontece porque o banco entende que esse cliente tem menos chances de ficar inadimplente, dar o calote.  Inclusive, se você não sabe qual é seu score, pode descobrir clicando aqui!

 

Cuidado com as condições do financiamento de carro

Imagine que você, em um almoço de família, conversando sobre financiamento de carro escutou as seguintes histórias:

Marina, sua irmã, queria trocar de carro, comprar um modelo mais novo e mais confortável.  Por isso ela vendeu o antigo carro para dar uma boa entrada em um carro novo. Com 38% de entrada, e parcelando o restante em 36 meses, ela conseguiu uma taxa de 2,09% ao mês no banco Santander.

Já o seu irmão, José, vai presentear seu sobrinho com um carro. O carro não é 0km, e já tem 4 anos de fabricação. José pagou os mesmo 38% de entrada e 36 meses de parcela, ele financiou por uma taxa de 2,27% ao mês no mesmo banco.

financiamento de veículo, financiamento de carro, simular financiamento de carro, santander financiamento de veículo, bradesco financiamento de veículo, financiar carro

Fazendo o financiamento de carrno mesmo banco, só a diferença entre as idades dos automóveis já alterou as taxas. Se a diferença for além do ano de fabricação do veículo, como porcentagem da entrada, ou número de parcelas, as taxas serão cada vez mais distantes.  

Pensando em financiar um carro, você foi ao seu banco, que hipoteticamente é o mesmo dos seus irmãos, cotar um financiamento de carro. A entrada era o dinheiro que você tinha economizado, que correspondia a 20% do valor total do carro: R$50.000. A única dúvida que você tinha era em relação à duração do seu financiamento que seria em 36 ou em 48 meses. Seu gerente te passou as taxas, e para a duração de 36 meses, os juros foram de 2,45% ao mês, ao passo que as prestações em 48 meses tinham juros de 2,53% ao mês.

financiamento de carro, financiar carro, financiamento de veículo, simular financiamento, bradesco financiamento, santander financiamento, calculadora de financiamento de veículo

Deu para perceber a mudança de taxa? Quando os fatores de contratação mudam, a taxa de juros também se modifica.

 

O número de parcelas interfere no valor das prestações

O menor prazo de financiamento gera uma menor taxa de juros, mas também implica em valores mais altos das parcelas. Quanto menos tempo pagando, maior será o valor pago por mês. Ou seja, se optar por esse tipo de financiamento, você compromete uma porcentagem maior da sua renda. E, ao adquirir um carro, uma série de outras despesas serão criadas, como: seguro, combustível, manutenção, entre outros. Então é necessário contar com essas despesas antes de decidir quanto pode desembolsar mensalmente em cada parcela.

 

O que você paga além dos juros?

Não é apenas a taxa de juros que faz a parcela do seu financiamento ficar mais alta. Além das taxas de juros nominais do banco, aquelas anunciadas nas propagandas, existem outras cinco. São elas: Gravame, Taxa de Cadastro, Seguro Proteção Financeira (SPF), além de dois tipos de IOF.

 

  • IOF

Na hora de financiar um carro, existem dois tipos de Imposto de Operações Financeiras  (IOF). A primeira taxa é cobrada uma única vez e é de 0,38% sobre o valor financiado. A outra é de 3% e é cobrada ao ano. O imposto é recebido pelo banco, que direciona a quantia para o governo.

 

  • TAC

A Taxa de Abertura de Crédito (TAC), que também é conhecida como Taxa de Cadastro, é um valor definido pelo próprio banco. A instituição cobra para avaliar se existe alguma restrição de crédito para o futuro proprietário. É permitida por lei, não tem limitação de valor, mas existe banco que não cobra. Não é comum, o ideal é que você fique atento e peça o abono dessa taxa.

 

  • Gravame

O Gravame é o registro do financiamento no Detran de cada estado, serve para dizer que o veículo está alienado e o seu valor é incorporado nas taxas de juros. O documento garante que o veículo não seja vendido como se já estivesse pago. Para retirar esse registro é preciso pagar todas as parcelas do financiamento.

 

  • SPF (seguro proteção financeira)

Também conhecido como seguro prestamista. Garante que o proprietário não tenha o carro apreendido caso não possa arcar com as parcelas. No caso de perda de emprego, o seguro cobre algumas prestações que devem ser devolvidas depois que o segurado se recoloca no mercado. Mas esse seguro é necessário? Para que essa taxa seja cobrada, o consumidor tem que aceitar pagá-la. Não é obrigatório, mas o banco pode não conceder o crédito caso você não pague o SPF. Com 14 milhões de desempregados no Brasil, os bancos costumam exigir o seguro para aprovar o financiamento.

 

  • CET

Assim, TAC, Gravame, SPF e taxa de juros formam o CET (custo efetivo total). Como o nome já diz, o CET é todo o custo que está envolvido com a compra do carro. Quando você faz um financiamento costuma ser informado qual será o CET, que é a taxa de juros acrescida de todas as tarifas.  

financiamento de veículo, simular financiamento, bradesco financiamento, santander financiamento, calculadora de financiamento de veículos

 

Nessa simulação, o comprador deu R$15.000,00 de entrada e o restante foi financiado. O valor solicitado de financiamento foi de R$35.000,00. Mas o valor financiado foi de R$35.000 acrescido de tarifa de cadastro, tarifa de avaliação de bens, registro de contrato e IOF totalizando R$37.494,04.

Então o Custo Efetivo Total nesse financiamento será de 2,64% ao mês.

 

Eu posso fazer um financiamento de carro?

Para você contratar o CDC (crédito direto ao consumidor), é preciso ter entre 18 e 70 anos e não ter o nome negativado. Mesmo se seu nome estiver limpo, pode ser que as instituições financeiras não aceitem o seu pedido de financiamento dependendo do seu score.

A aprovação do seu financiamento também varia de acordo com o veículo escolhido. Por exemplo, um carro 0km tem mais chances de ser aprovado do que um carro usado. Dificilmente você encontrará alguma empresa que faça financiamentos para carros com mais de 20 anos de fabricação.

Além disso, sua renda também conta nessa hora. Pois, geralmente, o valor de cada parcela não pode ultrapassar 30% do seu orçamento mensal.

 

Onde eu posso financiar carro?

Inúmeros bancos e financeiras fazem esse tipo de financiamento. Você pode recorrer aos bancos tradicionais, como Bradesco, Santander, Banco do Brasil, Itaú, Caixa Econômica, dentre outros. Mas as montadoras também possuem seus próprios bancos como o Banco da Volkswagen, Banco Renault , Banco Toyota. O que quer dizer que você consegue fazer seu financiamento de carro na mesma concessionária em que for comprar seu carro.

Se você quer financiar um carro, mas não sabe se cabe no seu orçamento, confira nosso simulador de financiamento de carro. Por lá você pode conferir as taxas que existem no mercado, e qual delas melhor cabe no seu bolso. Ter uma noção dos valores cobrados é um ótimo primeiro passo para que você saiba se o financiamento de carro realmente é viável. Afinal de contas, financiar carro tem que te trazer comodidade, e não atrapalhar sua vida financeira, não é mesmo?

4 comentários

  • Boa noite Letícia.
    Fiz uma simulação no sítio do Santander de um veículo/2016. No valor de 35.990,00.
    Com entrada de 10.000,00 as parcelas ficaram em 60x de 690,00.
    Mais na hora de fechar negócio com a loja o Banco informou que com a entrada de 10.000,00 as parcelas ficariam em 60x de 764,00.
    Isso é normal? E legal?

    Responder
    • Leticia Vilela

      Oi Adão, tudo bem?
      A simulação não representa uma proposta, ou seja, eles podem fazer isso sim.
      As taxas variam de pessoa para pessoa, e a simulação usa uma taxa média para calcular o valor do financiamento. Diversos motivos podem fazer com que o valor da parcela mude, como o seu score, por exemplo.
      No nosso simulador você pode comparar os valores do Santander com valores de outros bancos e financeiras.
      Se tiver outra dúvida é só mandar aqui!
      Leticia Vilela – Equipe Educando seu Bolso

      Responder
    • Leticia Vilela

      Oi Gabriel!

      Fico feliz que tenha gostado do conteúdo. Fique à vontade para recomendar o Educando seu Bolso!
      Se tiver qualquer dúvida, estamos dispostos a ajudar.

      Leticia Vilela – Equipe Educando seu Bolso

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *