O que você está procurando hoje?

Lâmpada de LED: é ou não é uma boa ideia?

Banner_Localiza Meoo

Você já está sentindo na pele o aumento da conta de energia elétrica? Pois é, em 2015, até agora, o reajuste já acumula 35% em Minas Gerais. Altas semelhantes também vem acontecendo em outros estados. Os tempos de crise são bons para reavaliar os padrões e hábitos de consumo, os produtos que consumimos, para ver onde é que podemos enxugar os gastos. Uma possibilidade que volta e meia está sendo discutida por aí na mídia é a de substituir as já não tão novas lâmpadas fluorescentes pelas novíssimas lâmpadas de LED que têm aparecido por aí na praça.

 

Como calcular a economia de uma lâmpada de LED

Pois então, com a ajuda do meu amigo José Ronaldo Tavares Santos, engenheiro eletricista e professor universitário da área, fiz a conta pra ver se vale ou não a pena fazer essa troca. Nessa conta, assumi algumas hipóteses:

  • Comparei o consumo de uma lâmpada fluorescente com o de uma lâmpada de LED, ambas com o mesmo nível de luminosidade;
  • Considerei um uso diário de 4 horas;
  • A vida útil de uma lâmpada de LED é três vezes maior que a de uma lâmpada fluorescente;
  • O custo da energia é de R$0,80 por KWh

O objetivo final desse exercício é calcular e comparar o custo médio mensal de uma lâmpada, custo este que foi desmembrado em dois:

  • O valor gasto na compra das lâmpadas, transformado em gasto mensal considerando a vida útil de cada lâmpada; e
  • O gasto relacionado ao consumo de energia elétrica de cada uma delas.

Jornada para o equilíbrio financeiro

Cuidar da sua saúde financeira é essencial para ter uma boa qualidade de vida! Pensando nisso, o Educando seu Bolso lançou um curso para você que quer ter controle das suas finanças e ainda aprender conceitos novos sobre dívidas, crédito e investimentos. Nosso curso é direto e ideal para quem busca pelo equilíbrio financeiro e conta com:

  • Professores capacitados;
  • Apoio de profissionais do ramo, com mais de 20 anos experiência no mercado para tirar todas as suas dúvidas;
  • Uma trilha de aprendizado completa, para que você siga passo a passo as etapas e tenha do conhecimento mais básico ao avançado;
  • Aplicações práticas, em situações reais do cotidiano;
  • O investimento no curso é uma pechincha! Com um valor baixíssimo, você investe em sua independência financeira e economiza milhares de Reais no futuro;
  • Certificado ao final do curso de finanças pessoais!

Não perca essa oportunidade, faça agora sua inscrição! 

 

Lâmpada LED x lâmpada fluorescente

Então vamos lá: primeiramente, o uso da fluorescente por quatro horas diárias resultará numa vida útil de 3,5 anos; já a de LED demorará 10,5 anos. Logo, serão necessárias três fluorescentes pra durar o mesmo tempo que a lâmpada de LED e permitir a comparação.

As três lâmpadas fluorescentes custam R$21, e a de LED, R$ 31,05. Dividindo esses valores pela quantidade de meses de vida útil da de LED, estimamos o custo “mensal” da compra das lâmpadas fluorescentes em R$ 0,17, menor preço que os R$ 0,25 da lâmpada de LED.

Mas isso ainda não é suficiente para decidir: é preciso também ver se a tão famosa economia de energia da lâmpada de LED compensa o seu maior custo. A lâmpada fluorescente analisada consome 15W e a de LED, 8,5W. Fazendo as contas do consumo de energia elétrica considerando as 120 horas ligadas por mês, o gasto mensal com energia elétrica pelo uso da fluorescente é de R$ 1,44 enquanto o da de LED é de R$ 0,82.

Somando os dois (aquisição da lâmpada + custo da energia elétrica), o gasto mensal da lâmpada de LED será de R$1,06 ao longo dos 10,5 anos, menos que o da fluorescente, R$1,61. Assim, a economia com a lâmpada de LED será bem pequeninha, de R$ 0,55 em um mês, de R$ 6,60 em um ano e de R$ 67,95 no período total de vida útil, de 10,5 anos. Considerando a análise para, digamos, 10 lâmpadas, a economia anual seria de R$ 66, ainda pouco representativa pra justificar todo o trabalho de troca, a meu ver.

Fizemos a mesma análise com as outras duas lâmpadas, de maior luminosidade: a fluorescente de 23W de potência e a de LED, de 14W. Os resultados em termos de economia são bem parecidos, uma vantagem muito pequena da lâmpada de LED, resultando numa economia de apenas R$ 79,73 ao longo dos 10,5 anos.

 

Conclusão: vale a pena?

Em resumo: trocar as lâmpadas agora em busca de economia não me parece ser um negócio tããão bom assim quanto se tem dito por aí.

Atualização: em junho de 2016 nós publicamos um texto bacana, que traz dicas interessantes e uma tabela bastante completa sobre consumo de água e energia elétrica. Vale a pena conferir!

186 comentários

  • Acho que a vantagem, vai alem da economia de energia, com as de led, fica mais fácil usar com sistema solar..o problema é a queima..LEDs. São vagabundas

    Responder
    • Obrigado pela visita, Fábio.
      Sim, como o consumo é menor, o uso da lâmpada de led permite que se invista menos em paineis fotovoltaicos.
      Quanto à qualidade das lâmpadas… Bem, como em qualquer produto, existem melhores e piores, sem querer citar marcas. Agora, de fato, acho que concordamos em um ponto: elas ainda tem muito a melhorar.
      Atenciosamente
      Equipe Educando seu Bolso

      Responder
  • Outra coisa.
    Preciso de boa luminosidade pois costumo estudar à noite.
    Minhas lâmpadas econômicas são de equivalência de 100w
    Qual marca vocês recomendam?
    Se a tecnologia delas é mais rentável porque ainda são tão caras?

    Responder
    • Obrigado pela nova visita.
      Considerando que, como eu, já teve problema de qualidade com algumas lâmpadas, sugiro que seja de uma marca que ofereça bom prazo de garantia. E guarde a nota fiscal…
      Quanto ao custo, não posso afirmar com propriedade, mas acredito que esteja relacionado à relação de oferta x procura, retorno sobre investimento de desenvolvimento da tecnologia e o próprio custo de produção.
      Espero ter ajudado.
      Atenciosamente
      Equipe Educando seu Bolso

      Responder
  • Boa tarde!
    Li a conversa e apesar das explicações ainda quero entender sobre a confiabilidade e durabilidade das lâmpadas de led.
    Eu comprei umas em um supermercado para experimentar e não durou nem seis meses. Estou me sentindo enganado.

    Responder
    • Obrigado pela visita, José Geraldo
      Bom, isto pode acontecer. Depende de uma série de fatores, inclusive a questão da qualidade do produto e estabilidade da tensão. Mas confesso que me parece estranho. Em minha residência já troquei praticamente todas as lâmpadas para LED há mais de ano e tive problema com apenas 2. Infelizmente não guardei a nota fiscal para reclamar a garantia. Mesmo assim, é inegável a redução no consumo mensal de energia.
      Espero ter ajudado.
      Atenciosamente
      Equipe Educando seu Bolso

      Responder
  • Senhores! comprei 10 spot led de 3w chinês e por curiosidade pois achei a iluminação bem forte para apenas 3w, fui tentar aferir o consumo Real do produto e fiquei surpreso com o valor que achei o valor real de 21,59watts ! fiz o teste com um multimetro digital no modo de Ampere 10a em série com o spot ligado em uma extensão domestica, fiz o calculo da seguinte forma: achei o valor de 0,17a em 127 volts e multipliquei dando os 21,59. Está correta a medição? não deveira na teoria dar o valor de 3w ou aproximado da potencia do produto? não adiantaria então por spot led para substituir uma fluorecente compacta de 15w?

    Responder
    • Obrigado pela visita, Marco.
      Olha, se a iluminação está “coerente” com uma lâmpada de maior potência, é possível que apesar de vendida como 3 watts tenha uma potência realmente superior. Não acredito que seja tão grande, mas se o seu multímetro mediu uma corrente de 0,17 ampére, tem que considerar apenas a margem de erro do equipamento. Pode ser erro de precisão. Se estiver dentro da margem de erro, seu cálculo está correto (potência é o produto da corrente e da tensão). Reafirmo que parece um valor muito alto para um produto que especifica uma potência tão baixa.
      Com relação à sua conclusão, a comparação deve ser feita entre lâmpadas com mesmo grau de luminosidade (lux) ou, pelo menos, da mesma ordem de grandeza. Sugiro avaliar ainda se precisa de iluminação mais forte pois, caso negativo, trata-se de jogar dinheiro fora iluminando mais do que o necessário.
      Espero ter ajudado.
      Atenciosamente
      Equipe Educando seu Bolso

      Responder
  • Aqui em SP a eletropaulo fez um programa de trocas, levei minhas lâmpadas fluorescentes e incandescentes e recebi as LED gratuitamente. Neste sentido vai compensar, toda a casa tem LED, 8 lâmpadas no total. Mas se fosse comprar, provavelmente não compensaria.

    Responder
    • Como a economia não é tão grande certamente vale fazer a troca por led gradativamente! O que não pode e por exemplo vc ter 20 lâmpadas fluorescentes em perfeito funcionamento e trocar por 20 led! Certamente conforme a vida útil das fluorescentes forem acabando, podem ser substituídas por led, sem pressa!
      Caso a pessoa adquirir um imóvel novo que é meu caso, irei investir nas lâmpadas LED.

      Responder
      • Obrigado pela mensagem, Leandro.
        Realmente, esta pode ser uma boa estratégia.
        Fique à vontade para continuar participando conosco.
        Atenciosamente
        Equipe Educando seu Bolso

        Responder
  • Eu acho que nao se deve apenas falar nas lampadas led… visto estas estao inseridas num sistemas eletrico que se tiver problemas mesmo trocando as mais consumidoras de energia pelas leds… nosso consumo de energia manterá elevada e sem ter grande diminuiçao… entao sendo assim temos de ter em conta na constituiçao desde mesmo sistema materiais eficientes que trabalhando em conjunto conseguem atinguir o objectivo de todos nós …energia a baixo custo mantendo a nossa qualidade de vida…so que para isso acontecer temos que ter um plano ou de remodelaçao a curto prazo/longo ou que começe desde o inicio da contruçao do edificio…sempre de forma sustentavel, viavel e mantendo nossa qualidade de vida…

    Responder
    • Obrigado pela visita, Melo.
      Muito pertinentes suas colocações. As lâmpadas de led são componentes de um sistema muito mais complexo e (in)eficiente de geração, transmissão, distribuição e uso da energia elétrica. Entretanto, foi o elemento que estudamos e pudemos tratar com algum grau de certeza. Quem sabe posteriormente não tratemos outros componentes do sistema energético brasileiro…
      Fique à vontade para novas contribuições.
      Atenciosamente
      Equipe Educando seu Bolso.

      Responder
  • Acredito que a estimativa de tempo de vida das LEDs é muito otimista.
    A minha experiência com 3 marcas (e em torno de 120 lâmpadas) foi decepcionante. Verifiquei que a vida útil real é bem abaixo do que é informado pelo fabricante. Inclusive, em uma das compras (da marca Taschibra) mais do que metade das lâmpadas queimou antes da garantia de um ano, e voltaram a queimar depois de trocadas, enquanto que as fluorescentes que ali estavam antes duraram bem mais.
    Até não existir dados estatísticos da durabilidade das lâmpadas, acredito que qualquer análise seja superficial. Além disso, temos que avaliar outros fatores, como curva de luminosidade durante a vida útil e fator de potência; claro, que isso tudo em um ambiente que simule instalações reais e não em um laboratório com as condições ideais para uma boa durabilidade.

    Responder
  • Devemos lembrar que realmente se a gente pensar na economia de uma lampada a economia parece pequena porém um simples apartamento tem umas seis lampadas, agora vamos imaginar um andar inteiro, um bloco de apartamentos ou mesmo todo condomínio. Lembrando que em teoria quanto menos nos consumirmos energia a tendencia é diminuir o custo de KWh potencializando a economia de nossa conta individual.

    Responder
  • Muito boa sua análise. O led é econômico sim, mas esse milagre em sua conta de energia é uma inverdade. Não é do modo que as indústrias passam com suas propagandas maravilhosas. A difereça é pouco percebida e é necessario anos para se ver o resultado e obter o retorno do investimento, isso no âmbito residencial.

    Responder
    • Wemerson, para qualquer implementação e manutenção de uma novidade tecnológica há que se ter tempo para que os estudos comprovem a eficiência de tal tecnologia. No caso do LED também. Inicialmente é uma tecnologia mais econômica sim. Devemos acompanhar seu desempenho a longo prazo.

      Responder
    • Caro Fábio, veja a resposta do Othon de Carvalho ao seu comentário abaixo:
      ——–
      A durabilidade das lâmpadas de LED é influenciada não somente pela qualidade da energia ofertada, mas também pela qualidade da lâmpada e da instalação elétrica. Percebo na minha prática, em uma mesma instalação, recebendo a mesma energia, lâmpadas distintas terem durabilidades diferentes.

      Responder
  • Prezado Daniel Loureiro,
    Embora seu parecer seja favorável ao Led, e até levando em consideração a data da publicação (hoje a situação é bem diferente) vejo uma avaliação muito tímida. pois não somente devemos considerar a eficiência e durabilidade como posso citar pelo menos uma dezena de vantagens que a tecnologia Led trouxe aos usuários em relação a iluminação convencional, seja ela de qualquer tecnologia conhecida até hoje. Vamos sair do universo residencial e olharmos para grandes instalações, industriais ou comerciais, e veremos que além da economia de energia e sua vida útil temos:
    Redução dos custos de manutenção; não emite infra vermelho, não emite ultra violeta, consequentemente não desbota roupas ou obras de arte, não altera qualidade de alimentos (normalmente expostos em balcões frigoríficos em supermercados?, com uso de lentes o facho pode ser direcionado aumentando sua eficiência, dimerização sem variação de cores, controle de cores é dinâmico, graças ao seu tamanho o Led gera novos conceitos de iluminação, é resistente a impactos e vibrações, não tem materiais pesados como mercúrio nem gases tóxicos portanto não polui o meio ambiente no descarte. Falando em descarte, grandes empresas pagam para poder descartar lâmpadas de alta pressão, como fluorescentes, mercúrio, mistas, metálicas e sódio. No caso de leds, luminárias para uso industrial, as chamadas High Bays, possuem dissipadores de alumínio, normalmente pesadas, que ainda vão gerar receita ao invés de despesas.O Aproveitamento da luz é outro assunto considerável, pois pode ter 100% da luz emitida direcionada por lentes para onde se deseja, sem perdas pois o led é direcional enquanto todas as outras tecnologias distribuem sua luz em 360°. Poderia falar mais pois sei que se der uma repassada devo ter esquecido mais algumas vantagens. Gostaria de continuar mais preciso ir.

    Responder
    • Caro Luiz Antonio, veja abaixo a resposta do Othon de Carvalho, nosso especialista no assunto. Grande abraço e obrigado por compartilhar sua percepção. Peço, que podendo, nos ajude a divulgar o Educando Seu Bolso, ok?!

      =)

      ——–

      Realmente o LED está chegando com uma tecnologia incrível, que a cada dia evolui mais e mais. Isso traz muitas vantagens como você bem citou.

      Mas há que se ter parcimônia em sua avaliação, como em qualquer nova tecnologia. Estudos têm mostrado alguns efeitos indesejáveis da luz azul do LED, como por exemplo, a alteração do ciclo circadiano, o desconforto visual, a piora da visão noturna.

      Como em todas as inovações, vantagens e benefícios devem sempre ser avaliados juntamente com os malefícios à saúde.

      Responder
  • é muito relativo, troquei 28 lampadas fluorescentes de 21w por 28 de led de 9w, só ai já economizei
    336 w , isso sem falar nas demais lâmpadas de minha casa, que estou trocando todas por led, e não acho pouca coisa não, a economia, já senti no bolso, pois a conta veio bem mais barata, e está cada vez menor… o problema que eu tenho é o descarte das lâmpadas tubulares… que espero que com a led ficará mais fácil, e beeeeem mais demorado.

    Responder
    • Obrigado pela visita, Renato.
      Esse é o espírito: você captou bem.
      Esperamos que dê tudo certo para você aí.
      Atenciosamente
      Equipe Educando seu Bolso

      Responder
  • 1 – LED não emite UV como as lampadas fluorescentes (causa catarata e câncer de pele para as pessoas que tem tendência).
    2 – 10 Anos de durabilidade é um valor teórico pela perda da luminosidade, na prática se o circuito for bem regulado pode durar mais. O dissipador pode precisar trocar a pasta térmica também, o que daria uma sobrevida ao LED.
    3 – Alguns modelos de LED (slim para gesso) tem o transformador a parte o que facilita trocar esse componente que é mais sensível á variação da rede elétrica.
    4 – O valor das contas de eletricidade aumentaram de 20 a 30% em alguns anos (Muito acima da inflação)

    Responder
    • Muito obrigado pelas contribuições Eugênio!
      Grande abraço e vamos contribuir cada vez mais para os leitores do EsB economizarem na conta de energia.
      =)

      Responder
    • Tem também o custo do reator que é utilizado nas lampadas fluorescentes, que atualmente a vida útil é muito pequena.

      att

      Roberto
      Jaboticabal- SP

      Responder
      • Boa tarde Roberto.

        Veja, a comparação está sendo feita com as lâmpadas fluorescentes eletrônicas. Estas vem com o reator adaptado na própria peça e o conjunto tem prazo de garantia fornecida pelos fabricantes.

        Grande abraço e muito obrigado por sua participação.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *