11 dicas para viajar bem e barato para a Europa

Que tal aproveitar que, apesar da alta do dólar, a cotação do euro baixou de R$2,90 na última sexta e voltou a preços de 2013?! (E a previsão é que esse cenário fique melhor para os viajantes brasileiros especialmente no segundo semestre, segundo reportagem da Folha de S.Paulo.) Nesse clima, seguem, então, 11 dicas de economia que aprendi em viagens para a Europa, para você se divertir por lá:

1.Saindo do aeroporto

Viajar para a Europa

Se você vai pegar um táxi no aeroporto, use o serviço oficial de táxis. Assim como em algumas cidades daqui do Brasil, lá também você será abordado por taxistas não autorizados pelo aeroporto logo na saída da área de desembarque e a tendência é que eles te cobrem mais caro. Ou isso, ou pior… Melhor evitá-los!

 2.Use o transporte público!

Diferentemente do Brasil, nos principais destinos turísticos internacionais os metrôs são eficientes e cobrem vasta extensão de território. Dá pra citar vários exemplos de lugares em que por 5% do preço de um táxi você consegue chegar ao seu hotel diretamente do aeroporto usando o metrô e mais 300 metros de caminhada. Além da economia, vem aquela sensação ótima de você estar conseguindo se virar sozinho, praticando seu inglês/francês/etc… agindo quase como um local e já absorvendo os ares da cidade.

3.Ande por toda parte!

Usou o metrô pra deixar as malas no hotel? Agora é hora de andar pela cidade. Imagine. Você em Londres, Paris, Berlim, cidades lindíssimas, cujas construções datam de séculos atrás, mais velhos do que o Brasil, e você deixa de aproveitá-los. Perde a oportunidade de contemplá-los, enquanto está enfiado em um táxi, ainda por cima pagando caro?

4.Coma nos Ambulantes

Ainda me lembro do melhor cachorro quente que comi. Foi de um carrinho que ficava diante da prefeitura na Basileia… Um pão fresquinho e comprido com furo só em uma extremidade, onde o vendedor despejava os molhos que você escolhia. Depois era ali também que entrava aquela salsicha deliciosa que ao pressionar os molhos depositados na outra extremidade do pão, se encarregava de distribuir os molhos uniformemente e sem nenhuma lambança. Tudo isto em boas condições de higiene, e a um preço bem mais em conta do que nos restaurantes

5.Aprecie o vinho local

Viajar para a Europa

Em Paris, vi garrafa de vinho decente a 5 euros no Carrefour. Compre uma ou duas e deixe na sua geladeira/frigobar. Imaginem quantas taças ou saideiras esta garrafinha de 5 Euros vai te render nos fins de noite. Se não fosse meio complicado de trazer, recomendaria até como presentes. Bem melhor do que aqueles imãs de geladeira, que custam quase o mesmo preço, não é mesmo?

6.Vá de bike!

Mais uma vez, grande parte dos grandes destinos turísticos europeus foram estabelecidos as margens de rios e são cidades eminentemente planas, como grande parte de Paris, Londres ou Berlim. Cada uma delas tem seu sistema de bicicletas públicas, com marchas, cestos para carregar as compras e cadeados que te permitem amarrar a bike enquanto você desfruta horas dentro de um museu por exemplo. Ainda tem o benefício de deixar a sua consciência tranquila pra fazer aquela farra gastronômica no fim do dia. Afinal, pedalar gasta muitas calorias, não é mesmo?! Turismo e exercícios físicos ao mesmo tempo. Endorfina ao quadrado, que tal?!

7.Beba no balcão

Esta não é trivial, mas parece que não é incomum que os estabelecimentos cobrem preços diferentes para quem consome no balcão e quem se senta à mesa. Bebidas ou mesmo cafés, por exemplo, saem mais barato no balcão. Além disso, tem sempre a chance de você poder conhecer alguém que se sente ao seu lado, não?!

8.Alugue um apartamento

Viajar para a Europa

Apesar da comodidade dos hotéis, eles passam muito pouco do sabor local. Tendem a ser padronizados na sua decoração, cardápio etc… Não é à toa que a AirBnb está fazendo este sucesso todo né?! Além de você ter uma experiência mais autêntica, ela sairá mais em conta.

9.Bote a mão na massa!

Partindo do pressuposto que você alugou o apartamento e que sabe cozinhar, use a cozinha para fazer seu café da manhã. Você não só economizará, como mais uma vez desfrutará de um grande prazer que é fazer compras em um país estrangeiro. Provavelmente não encontrará exatamente o que pensou, mas uma série de coisas que não conhecia entre os produtos locais. Se permita experimentar, olhe em sua volta, veja o que os outros estão comprando… Mais uma vez, absorva a cultura local!

10.Aproveite-se de passeios guiados gratuitos

Algumas agências oferecem estes passeios onde você gasta no máximo a gorjeta do guia, de acordo com o que entender que valeu o serviço dele. A expectativa deles é que com este passeio inicial você acabe comprando outros mais detalhados – estes, sim, pagos. Quando dá, eu costumo pegar um destes logo no primeiro dia livre, pra dar aquela escaneada na cidade e escolher como melhor gastar meus próximos dias.

11.Prudência nas “lembrancinhas”

Finalmente, não se sinta obrigado a trazer presentes pra galera aqui no Brasil. Conheço algumas pessoas que saem daqui com uma lista de pessoas para quem acham que tem que comprar um presente, lembrança do país tal… Em viagem com algumas, percebi que elas acabam se estressando e gastando um tempo precioso que poderia estar sendo gasto com outras atividades muito mais prazerosas. Meu conselho: no máximo uma listinha muuuito curta e, mesmo assim, só compre se achar algo perfeito: aquele presente que você tem certeza absoluta que será um sucesso!

6 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *