O Gerente testou: pedágio expresso

O Gerente testou: pedágio expresso

 

Em 2015, publiquei aqui no blog um post em que avaliava os serviços de pedágio expresso. É hora de fazer um novo post, atualizando as informações nos planos, e trazendo uma nova empresa para a pesquisa.

Como são muitas informações, vamos começar logo com os resultados!

Fiz uma tabela com os nomes das empresas e seus respectivos planos, os valores de adesão, mensalidade e tarifas. Para as tarifas, simulei 3 situações: o usuário gastando R$ 25, R$ 100 ou R$ 150 por mês em pedágios e estacionamentos. Por fim, somo o gasto total com tarifas – isto é, não incluindo o valor do pedágio em si – durante 1 ano.

Para quem mora em São Paulo, os planos mais baratos são os regionais da Sem Parar. Para quem não mora e usa R$ 25 ou R$ 100 por mês , os mais baratos são da Move Mais. Para quem usa R$ 150, o da ConectCar está mais barato, seguido de perto pela Auto Expresso:

.

Agora quer saber os detalhes da pesquisa?

A Move Mais atua nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-oeste, mais o estado da Bahia. Ela oferece dois planos pré-pagos: o Manual e o Automático. Os dois planos têm taxa de adesão de R$ 39,90 e não têm mensalidade. No plano Manual as recargas precisam ser comandadas pelo usuário. No Automático o usuário define um valor para a recarga, e sempre que seu saldo atingir 40% desse valor, ocorre uma nova recarga automaticamente. Os valores disponíveis para recarga variam de R$ 50 a R$ 500, com tarifas variando, respectivamente, de R$ 5 a R$ 20.

.

A Auto Expresso atua nos estados de RJ, SP, RS, SC, PR, MG, BA, ES, GO e  MT. Traz como novidade a parceria com o programa Premmia, dos postos Petrobrás. Neste plano, a taxa de adesão é de R$ 60 e a mensalidade é de R$ 12,49. As despesas com abastecimento são lançadas diretamente no cartão de crédito do usuário. As despesas com pedágios e estacionamentos podem ser pagas em uma fatura mensal com débito automático ou com cartão de crédito, com recargas de R$ 60 sempre que o saldo chega a R$ 25.

O plano Pré-Pago Recarga Automática permite usar pedágios e estacionamentos, também tem taxa de adesão de R$ 60, mas não tem mensalidade. Em compensação, as recargas são tarifadas. Existem 4 valores possíveis para recarga, variando de R$ 50 a R$ 300, com tarifa variando de R$ 6 a R$ 22.

A empresa oferece também dois planos pós-pagos: o Livre e o Total. O Livre não tem taxa de adesão, mas tem mensalidade de R$ 17,90. O Total tem taxa de adesão de R$ 60,00, mas mensalidade de R$ 13,90.

.

A Sem Parar atua nos estados de SP, BA, ES, GO, MT, MS, MG, PR, PE, RJ, RS e SC. Oferece um plano de abrangência nacional, o Automático. Não tem taxa de adesão e cobra mensalidade de R$ 21,74. As recargas são automáticas e não têm tarifa. O usuário define o valor, entre cinco opções, de R$ 50 a R$ 250. As recargas acontecem quando o saldo atinge 30% deste valor. Caso o usuário tenha mais de um carro no plano, o saldo é compartilhado entre os carros. Uma coisa que achei estranha e confusa é que, caso opte por débito em conta, é feita uma recarga para cada carro cadastrado no plano; caso use cartão de crédito é feita uma recarga para todos os carros.

Além do plano nacional, há planos regionais – por enquanto, apenas para São Paulo. No São Paulo Sem Parar é cobrada uma caução de R$ 40 para adesão, mensalidade de R$ 10,58 e não há tarifa na recarga. No Pré-Pago Paulista não há mensalidade, mas as recargas têm tarifas. Os valores das recargas variam de R$ 25 a R$ 150, e as tarifas vão de R$ 4 a R$ 15. Além disso, os plano valem apenas dentro do estado. Caso precise usar o pedágio fora, é cobrado R$ 1,69 em cada uso, e R$ 1,69 por mês para usar o estacionamento.

.

A ConectCar atua em todo o país. Quando acessei o site, o único plano disponível era o Básico. O aparelho – chamado de tag – custa R$ 35, e não tem mensalidade. As recargas não são automáticas, e variam de R$ 30 a R$ 500, com tarifas variando de R$ 4,90 a R$ 21,90.

Em 2015 eu havia me cadastrado no plano Fixo, que não existe mais, então fui migrado para o plano Abastece Aí. Acontece que esse plano não estava disponível no site! Telefonei para a empresa, e me informaram que, depois que a pessoa se cadastra no plano Básico, ela pode mudar para o Abastece Aí. Nesse plano, a mensalidade é de R$ 19,90, as recargas são automáticas e não são tarifadas. Além disso, se precisar trocar a tag – em caso de troca do carro ou do para-brisa –, o usuário não paga nada.

A grande vantagem que eu via no meu plano antigo não existe mais: o desconto de 5% no abastecimento. Agora o desconto é de apenas 1%. Além disso, em minha opinião, ficou mais complicado. Antes era só abastecer, o frentista lia a tag com a máquina de cartão e debitava o valor direto na conta do Conect Car. Agora é preciso que o usuário comande o abastecimento no aplicativo para celular, faça o abastecimento, receba um código pelo celular, comunique o código ao frentista, para só aí concluir a transação. Testei a operação duas vezes, uma delas descontando o valor na conta ConectCar, a outra pagando com cartão de crédito. Na primeira, aliás, propositalmente abasteci um valor acima do que havia em minha conta. Ela ficou negativa uns minutos, depois foram feitas as recargas, sem problemas..

.

É importante que o leitor avalie a sua necessidade de ter uma tag. Ela economiza tempo e dispensa o uso de dinheiro, mas, por outro lado, custa dinheiro. É claro que é muito confortável, durante uma viagem de volta para casa, estrada cheia, todo mundo cansado, passar rápido por um pedágio. Ou, após um dia de compras em um shopping center, evitar a fila do estacionamento. Mas é preciso avaliar bem. Pratique seu autoconhecimento, como já sugerimos aqui.

E não se esqueça: é fundamental avaliar bem todas as condições do serviço junto às empresas, já que elas podem mudar sem aviso prévio.

.

Nossa avaliação deste produto é totalmente isenta e independente. Não temos qualquer acordo comercial com as empresas ou com os produtos. Não recebemos qualquer comissão relacionada aos produtos ou aos serviços testados. Com esta seção, nossa intenção é apenas ressaltar produtos e serviços que julgamos que valham ser experimentados no meio desse emaranhado de opções que estão por aí ou alertar em caso de propostas que sejam armadilhas em potencial para o consumidor. Nada mais.

Autor

Ewerton Veloso
Ewerton Veloso é bacharel e mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais. Trabalha há mais de 10 anos na área de monitoramento do Sistema Financeiro Nacional e é professor de Administração. Neste espaço, pretende convidar o leitor à organização das suas finanças e à reflexão quanto ao seu comportamento como consumidor e investidor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *