Dúvidas comuns em financiamento imobiliário

Dúvidas comuns em financiamento imobiliário

Quem acompanha o blog sabe que uma das nossas especialidades é o financiamento imobiliário. Já fizemos vários posts e podcasts e respondemos a centenas de dúvidas sobre o assunto, como você pode conferir aqui.

Percebemos que muitas vezes as dúvidas se repetem. Hoje em dia o tempo anda escasso, a vida é muito corrida e, principalmente, passamos boa parte do nosso dia recebendo informações via Whatsapp, Facebook, e-mail, blogs, sites etc. Resultado: nosso leitor não tem tempo e disposição para ler todos os comentários nos nossos posts.

Por isso, decidi trazer e discutir algumas das dúvidas mais comuns que recebemos.

..

  • Tenho um financiamento imobiliário. Paguei, em amortizações mensais, mais de R$ 3000 no ano, mas meu saldo devedor caiu pouco mais de R$ 1000. Por que isso acontece?

Reposta: por causa da TR. Ela corrige mensalmente o saldo devedor do financiamento. Por isso, a pessoa paga, digamos, R$ 300 na amortização mensal. O saldo devedor diminui nesses R$ 300, mas, imediatamente, vem a TR e “devolve” para o saldo, digamos, R$ 200. Assim, no final das contas, o saldo cai apenas R$ 100.

Isso dá uma sensação muito ruim, de se estar pagando por uma dívida que nunca vai acabar.

Calma! É assim mesmo que funciona. E isso não significa que o financiamento seja um negócio ruim. Se o Custo Efetivo Total – CET for razoável, o negócio é bom, mesmo com a TR. O CET é formado principalmente pela taxa de juros, mas também pelo seguro, a taxa de administração e pela famigerada TR.

Eu mesmo tenho um financiamento imobiliário, com um CET em torno de 10% ao ano, e estou bem satisfeito com ele. É a única forma que eu teria para adquirir meu imóvel.

Mas atenção! Pode ser que haja mesmo algum erro. Já pegamos o caso de um leitor de Recife – PE, cujo financiamento tinha um erro claro, que apontamos, explicamos, e ele acionou o banco buscando a correção. Se tiver dúvida, fale conosco, nós conferimos para você.

..

  • O que compensa mais? Amortizar diminuindo o prazo ou o valor da prestação?

Resposta: nós, no Educando Seu Bolso, evitamos ao máximo responder “depende” às perguntas dos leitores. Mas, nesse caso, não tem jeito: depende.

Resta explicar: depende do que? De vários fatores: a situação do orçamento da pessoa, a condição de poupar dinheiro mês a mês, a disposição para cuidar de aplicações, a situação de trabalho, entre outros.

É por isso que lançamos o serviço Consultoria em Financiamento Imobiliário. A decisão não é apenas matemática. Assim, nós conversamos com a pessoa, percebemos qual é o seu perfil, sua condição, sua disposição. E, aí sim, partimos para os cálculos. No final, apresentamos as possibilidades e apontamos aquela que, em nossa visão, é a melhor opção: amortizar diminuindo o prazo, diminuindo a prestação, usar a opção PPP – Pagamento de Parte das Prestações, ou mesmo não amortizar.

É um serviço que tem sido muito vantajoso para quem contrata, porque é um investimento baixo, em comparação com a vantagem que uma boa escolha pode oferecer.

..

  • Tenho um saldo em FGTS. Compensa usar para pagar o financiamento?

Resposta: nesse caso quase dá para cravar. Financeiramente, compensa sim! O FGTS rende apenas 3% ao ano, mais TR, o que é mais baixo que qualquer financiamento.

Por que eu disse “quase” dá para cravar? Porque a pessoa precisa avaliar que o FGTS é uma reserva para emergências, como doença grave ou perda de emprego. Então a decisão é muito pessoal. Fora isso, financeiramente, compensa muito.

..

  • Tenho um saldo em aplicações. Compensa usar para pagar o financiamento?

Resposta: olha o “depende” aí de novo. Nesse caso é preciso comparar o rendimento líquido da aplicação com o CET do financiamento.

Nossa consultoria serve para isso também. Fazemos o cálculo e dizemos se compensa ou não. E, se a pessoa estiver aplicando em um investimento ruim (como a Caderneta de Poupança, por exemplo), ainda indicamos outras opções. Aliás, conhece nosso Comparador de Investimentos?

..

Bom, por hoje é só. Se sua dúvida não está entre estas, entre em contato conosco, é sempre um prazer!

Autor

Ewerton Veloso
Ewerton Veloso é bacharel e mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais. Trabalha há mais de 10 anos na área de monitoramento do Sistema Financeiro Nacional e é professor de Administração. Neste espaço, pretende convidar o leitor à organização das suas finanças e à reflexão quanto ao seu comportamento como consumidor e investidor.

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *