FGTS

FGTS

Você certamente já ouviu falar no FGTS. Ele já é, praticamente, uma palavra na língua portuguesa. Aliás, tem até no dicionário. Mas você sabe o que é FGTS? Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, até aí quase todo mundo sabe. Mas o que exatamente é isso?

É um dinheiro que o empregador precisa depositar em nome do seu funcionário, enquanto durar o vínculo empregatício. É, como o nome indica, um fundo que garante um auxílio para situações especiais – perda de emprego, doença grave, uso para aquisição do imóvel próprio.

O FGTS tem uma porção de características próprias e, se bem utilizado, pode ajudar muito! Mas como utilizá-lo bem? O que pode ser feito e o que não pode?

Esse é o tema do podcast de hoje.

Assine nosso Podcast no

CastBox - Download from Google Play

Autor

Frederico Torres
Profissional do mercado financeiro há 20 anos e interessado em como fazer o $$$ parte de nossa vida de forma mais saudável.

2 comments

  • Prezado, bom dia.

    gostaria de evidenciar algumas inconsistências na fala do entrevistado. FGTS não se “desconta do empregado” como ele por vezes afirma. Isso é encargo do empregador. Ele confunde com INSS…chega a dizer que “há casos que o empregador desconta e não repassa pra CEF” (quando se fala equivalente a 1 salário ano, não tem relação com salário minimo. é que ao depositar 8% ao mês, considerando 12 meses, equivale a 96% do salario do empregado. se considerando 13 salario, passa dos 100% ano. Isso não varia de faixa salarial, é 8% para qualquer uma, sem teto.

    Responder
    • Frederico Torres

      Obrigado pelas críticas Flávio,

      Suas considerações são perfeitas e, sem querer me defender, é o que tinha em mente quando tentei responder às perguntas, vamos lá:
      1) Quando disse que o valor variava, não era o percentual, mas sim o absoluto (8% sobre um salário maior ou menor…);
      2) Quanto a ser encargo do empregador ou do empregado, apesar de formalmente você estar correto, acho que também concorda que não fosse esta obrigação, ele poderia pagar um pouco mais.; e finalmente
      3) Seja no não repasse, ou no não cumprimento da obrigação, a recomendação que fica é similar. Afinal, o que quis alertar é quanto ao risco do empregador não estar cumprindo com a obrigação do recolhimento. Pra que cada um fique de olho na sua conta e cuide que o dinheiro esteja chegando lá direitinho, entende?!

      É claro que no calor da entrevista, muitas vezes a comunicação não se faz clara o suficiente. Razão pela qual agradeço os esclarecimentos que você traz, que com calma, frieza e por escrito, conseguiu ser tecnicamente mais rigoroso.

      Muito obrigado mesmo. Afinal, nosso objetivo aqui é deixar as coisas o quanto mais claras possíveis.

      Grande abraço

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *