O GERENTE RESPONDE: Investimentos melhores do que a Poupança

O GERENTE RESPONDE: Investimentos melhores do que a Poupança

..

Olá! Primeiramente, gostaria de lhe parabenizar pelo seu blog, de grande utilidade para nós, leigos no assunto de finanças. Em relação a esse programa, tenho a seguinte dúvida. Se deixar um valor em CDB para curto prazo – até 12 meses – na retirada, descontados os encargos, ainda assim renderá mais que a poupança? Falando em um valor em torno de R$ 100 mil, qual a taxa de administração máxima que deve ser efetuada para realmente valer a pena? Além do CDB, qual outro investimento poderia ser aplicado para resgate em curto prazo?
Grato pela atenção

Ariel

..

Resposta:

Olá, Ariel,

Em relação às suas dúvidas, destacamos que, com o atual nível de taxa de juros, em que o CDI está em 14,13% ao ano, certamente aplicar em CDBs lhe trará retornos melhores que a poupança, cujo rendimento foi inferior à inflação nos últimos 12 meses. Em geral, CDBs de grandes bancos remuneram a taxas inferiores às de pequenos e médios bancos, nos quais a taxas podem chegar a mais de 120% do CDI, ou seja, acima de 17% ao ano, destacando que, independentemente do porte do banco, CDBs são garantidos pelo FGC até o limite de R$ 250 mil no vencimento. Nos CDBs não há cobrança de taxas de administração como nos fundos de investimento. Com o valor que mencionou, mesmo com a tributação, independentemente da sua preferência por um fundo de investimento referenciado DI, ou por um CDB, a remuneração será superior à da poupança. Além do CDB, há opções isentas de Imposto de Renda para pessoa física, tais como LCI e LCA. Uma alternativa muito interessante é o investimento em títulos pós-fixados do Tesouro Direto. Resumindo, há diversas opções investimento em renda fixa com baixo risco e que têm remuneração melhor que a poupança.

Grande abraço.

..

..

Boa tarde, tenho um financiamento imobiliário, e conforme vi por alguns podcasts que assisti deste canal, para mim o melhor investimento seria pagar esse financiamento. Tenho feito isso, porém fico alguns meses juntando economias para poder fazer essas amortizações. E até o momento tenho posto na poupança essas economias. Gostaria de saber qual investimento vocês me recomendam para guardar esse dinheiro até fazer um volume maior, levando em consideração que junto pelo tempo de 12 meses.

Renato

..

Resposta:

Olá, Renato.

A poupança não é a melhor opção para você juntar os recursos, pois a remuneração é em geral inferior ao custo do seu crédito imobiliário. Seria interessante guardar suas economias no Tesouro Direto e uma alternativa pode ser o título Tesouro Selic 2017 (LFT). Este é um título pós fixado e que tem rentabilidade melhor que a poupança e você pode fazer investimentos a partir de 1% do valor do título, neste caso, pouco mais de R$ 75,00.

Grande abraço.

 

 

Boa tarde, tenho R$ 10 mil disponíveis e quero fazer um investimento a longo prazo (240 meses). Qual seria meu saldo no fim desse prazo? E compensa fazer este investimento? Qual a melhor opção de investimento? Pelo que já pesquisei, o Tesouro Direto é o que tem menos risco. Mas vale a pena correr algum risco visando um melhor rendimento?

Dinailton

..

Resposta:

Olá, Dinailton.

Considerando seu horizonte de longo prazo (240 meses), o ideal é você buscar proteger o seu poder compra, ou seja, se proteger da inflação. Desse modo, uma alternativa interessante é o investimento em títulos indexados à inflação, sendo o título Tesouro IPCA+ 2035 (NTNB Princ) o que mais se aproxima do horizonte que você mencionou. Este título está sendo negociado atualmente a taxas próximas a 7,5% ao ano, mais IPCA. Não é possível determinar exatamente qual seu saldo ao final deste prazo, pois dependerá da inflação no período, mas considerando uma previsão de inflação para os próximos 12 meses de 6,81%, dado pela expectativa de mercado, a estimativa é que você acumule um patrimônio, descontado o IR de 15% e a taxa da BM&FBovespa, próximo a R$ 135 mil ao final de 240 meses, podendo este valor ser maior ou menor, dependendo do comportamento da inflação. Em relação a outras opções de prazos longos e indexados à inflação, existem outras opções de investimentos, tais como debêntures, mas o risco é maior e muitas têm pouca ou nenhuma liquidez. Ou seja, o Tesouro Direto é uma alternativa mais segura e com a vantagem da liquidez diária.

Abraço.

Autor

Fabrício Ferreira
Fabrício S. Ferreira é mestre em Administração (Ênfase em Finanças) pelo Instituto COPPEAD - UFRJ e especialista em Finanças Bancárias pela PUC-MG. Possui experiência de mais de 15 anos no mercado financeiro, especialmente no mercado de capitais. Neste espaço, pretende esclarecer dúvidas e apresentar diferentes alternativas de investimento para que o leitor possa avaliar a mais adequada às suas necessidades.

7 comments

  • Boa noite, Fabricio.

    Ótimo blog! Comecei a acompanhar a pouco e estou aprendendo muito.

    Tenho uma duvida: vou fazer uma viagem no final do ano que vem, e venho juntando dinheiro usando a poupança, que investimento eu posso fazer para ter um retorno melhor? Ja estou com 10 mil.

    Responder
    • Fabrício Ferreira

      Boa noite Gabriel,

      Que bom que está gostando do nosso trabalho! Sobre sua dúvida, considerando que sua viagem será somente ao final de 2017, aplicando o valor que tem disponível hoje em outras opções de investimento você obterá um retorno melhor . Se quiser ver a diferença, faça a comparação utilizando nosso Comparador de Investimentos no http://educandoseubolso.blog.br/compare-investimentos/. Sobre as alternativas disponíveis de investimento, você pode optar por títulos do Tesouro Direto (prefencialmente Tesouro Selic) ou por outros titulos privados (CDB, LCI, LCA), já que estes últimos contam com a mesma garantia da Poupança para aplicações até R$ 250 mil. Caso opte por títulos do Tesouro Direto, você precisará se cadastrar por meio de alguma corretora/distribuidora de títulos e valores mobiliários, destacando que é importante verificar também as taxas de custódia que estas instituições cobram e algumas não cobram esta taxa. Para verificar consulte o link: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/web/stn/tesouro-direto-ranking-dos-agentes-de-custodia. Caso faça a opção por títulos privados, veja também o prazo de vencimento, pois com exceção daqueles com liquidez diária, os demais só permitem o resgate ao final do prazo, ou seja, se precisar do dinheiro antes não poderá resgatar.

      Agora, caso tenha interesse que alguém o auxilie na gestão dos seus recursos, você pode procurar um gestor de investimentos que seja credenciado pelo Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O Educando seu Bolso firmou uma parceria com a Star Investimentos, gestora credenciada e que tem como proposta atender também investidores que queiram aplicar menores quantias. A vantagem é que o gestor buscará maximizar o seu retorno, considerando o seus objetivos de investimento e o seu perfil de risco e fazendo a alocação dos recursos por você. Se tiver interesse em conhecer, segue o link da Start: https://startinvestimentos.com/. Em caso de mais dúvidas, fique a vontade para entrar em contato. Desejamos bons investimentos e uma boa viagem!

      Grande abraço,

      Fabrício

      Responder
  • Boa noite, Fabrício!

    Tenho a intenção de passar a investir mensalmente a quantia de R$ 200,00 a R$ 400,00, sendo que talvez eu precise fazer resgate desses valores a qualquer momento. É uma espécie de reserva de emergência sendo aplicada. Qual o investimento que você me sugere?

    A minha intenção é mais “guardar” e não perder para a inflação, do que, investir mesmo, porque eu talvez venha a precisar desses valores para cobrir certos imprevistos! Obrigado!

    Responder
    • Fabrício Ferreira

      Boa noite, Edison,

      Conisderando que você precisa de liquidez nas suas aplicações, ou seja, há possibilidade de resgate parcial ou total do investimento, uma alternativa interessante pode ser investir esses valores em um fundo referenciado DI com liquidez diária ou no Tesouro Selic, pois ambos tem risco baixo e a liquidez que você necessita. Os fundos referenciados DI são investimentos conservadores e costumam ser usados para proteger o patrimônio do investidor, por serem atrelados à taxa de juros interbancária, o chamado CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que por sua vez acompanham a variação da taxa básica de juros, a Selic. Mas ressalto que é importante procurar um fundo com taxa de administração baixa, pois em geral, quanto menor a taxa, melhor será o seu rendimento. No atual patamar de taxa de juros (CDI em 14,13% a.a.), se você aplicar em um fundo com taxa de administração superior a 3% a.a. por exemplo, sua rentabilidade pode ser inferior a poupança, uma vez que há incidencia de IR sobre os rendimentos do fundo. Caso tenha um montante incial maior para investir, pode conseguir acesso a fundos com taxas de administração menores e se conseguir algum com taxa até 1% a.a. seria mais vantajoso para você.

      Como disse anteriormente, há também a alternativa do Tesouro Direto, cujo título mais interessante no seu caso é o Tesouro Selic. Caso tenha interesse em aplicar pode consultar mais informações pelo link http://www.tesouro.fazenda.gov.br/web/stn/tesouro-direto-passo-a-passo. Uma coisa é certa, atualmente não vale a pena guardar suas economias na poupança, pois assim estará perdendo da inflação e deixando de obter uma remuneração melhor nas alternativas de investimento acima mencionadas.

      Responder
  • Boa Tarde, Fabricio

    Como investir em títulos do tesouro e qual a melhor alternativa LFT ou outro, sendo que consigo mensalmente consigo guardar umas economias ? Grata pela atenção.

    Responder
    • Fabrício Ferreira

      Boa noite Maria Elizabeth,

      Você pode investir no Tesouro Direto pelas instituiçoes financeiras habilitadas pelo Tesouro Nacional. Estas instituições cobram taxas diferentes pelo serviço de agente de custódia e algumas inclusive não cobram esta taxa. É possivel consultar as taxas no site do Tesouro Direto e você pode obter mais informações para começar a investir pelo link http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-passo-a-passo

      Em relação ao título para investir, o Tesouro Selic (LFT) é uma alternativa pós fixada que acompanha a variação na taxa Selic e por isso menos arriscada. Se o horizonte de investimento for de longo prazo, há opções em títulos pré fixados e indexados a inflação com diferentes prazos, porém tem maior risco. Recomendo fortemente a leitura das informações do site do Tesouro Direto que enviei para que você possa verificar as opções de investimento mais adequadas aos seus objetivos.

      Grande abraço,

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *