Casos da vida real: Joana Dar’k

Casos da vida real: Joana Dar’k

No ano passado tive a oportunidade de relatar a experiência da minha avó, Joana Dar´k ao empreender o próprio negócio nos anos 50. Hoje, venho mais uma vez falar sobre esta mocinha de 90 anos de idade.

Não só em sua vida pessoal, mas na vida profissional, ela sempre administrou o próprio dinheiro com os ensinamentos que foi adquirindo ao longo da própria vida. Sempre em nossas conversas relatou-me que poucas foram as pessoas que lhe ensinaram algo sobre as finanças, vovó nasceu com esta vontade de trabalhar, aprender, crescer profissionalmente e ter o seu próprio dinheiro.

Nestas últimas férias, vivemos algo diferente com ela… Somos três irmãos que a têm como segunda mãe, ela sempre participou de tudo em nossas vidas e, neste último Natal, resolvemos presenteá-la com uma viagem à Cidade Maravilhosa, nosso querido Rio de Janeiro.

Já fazia quase 30 anos que ela não ia ao Rio e outro fato curioso é que ela nunca tinha andado de avião. Após decidirmos, soubemos que não seria fácil. Muitas pessoas até mesmo da própria família se opuseram, compramos as passagens e ouvimos que não seria uma boa ideia levar uma senhora de 90 anos à praia, mas o nosso querer, somado ao dela, tornou qualquer obstáculo um desafio que juntos estávamos dispostos a ultrapassar. Afinal, é tanto amor que por esse amor tudo vale a pena.

Ao chegarmos ao aeroporto tivemos a ideia de conseguir uma cadeira de rodas, um item que seria a melhor ideia de toda a viagem, facilitaria o transporte e permitiria desfrutar melhor dos passeios.

Dentro do avião, já tivemos nossa primeira aventura, e confirmamos que podemos fazer muita diferença na vida daqueles mais próximos. Difícil foi conter a emoção… O piloto nos surpreende anunciando ao microfone sua primeira viagem, com todos os passageiros aplaudindo. Ver o olho dela brilhando enquanto apertava a mão do meu irmão foi sensacional.

Ao chegar ao Rio de Janeiro, minha irmã nos chama em um canto e diz: “Gente, muita atenção com a bolsa da vovó, ela trouxe mais de dois mil reais em dinheiro ali”. Nossa reação foi muito engraçada! “O que? Mas como? Ninguém a levou ao banco nos últimos dias… Como ela fez isso?”

A danadinha sabe POUPAR. E ela precisava fazer isso aos seus 90 anos? Não… Mas, ela sabe e gosta! Soube da viagem em dezembro e em janeiro, simplesmente pegou seu dinheiro e pé “na estrada”, neste caso, “pé no avião”. Mas como?

Fui eu quem dormiu com ela todas as noites, e em uma das noites perguntei:

– Vó, até hoje? Você economiza para tudo?

A resposta foi afirmativa. Claro que sim! De tudo que recebo da minha aposentadoria, guardo uma boa parte, não compro muitas coisas, mas as coisas que compro, gosto de coisas de qualidade. Prefiro ter menos coisas, mas que durem e sejam boas, a ter muitas apenas porque estão com um bom preço.

-E a Senhora não sabia que íamos viajar, de onde tirou tanto dinheiro?

-Eu guardo muito bem guardado, guardo sempre e cuido para que sempre tenha algo se houver necessidade.

Fiquei mais uma vez encantada com esta mocinha que sempre nos surpreende. Com a facilidade da cadeira de rodas que mencionei no início, não houve mais obstáculos para ela…

Durante a viagem, muitos foram os momentos em que ela quis saber o preço de tudo, perguntava por desconto, optava por comprar lembranças para os parentes que ficaram aqui, pagando tudo à vista, e foi difícil, repito, dificílimo convencê-la de que a viagem era um presente e ela não devia preocupar com os custos.

Quando esta viagem tão intensa chegou ao fim, algo que há um ano parecia impossível e em alguns momentos ainda tinha dúvidas se ela daria conta, finalizamos a experiência com a bagagem cheia de histórias. Rimos muito, vivemos momentos de cinema, recordamos a todo instante de nossa família, nos emocionamos com as reações dela e das pessoas que cruzaram nosso caminho.

A gratidão é enorme, e o que fica? Fica o que está em nossos corações, um amor cultivado desde quando ela recebeu a notícia do nosso nascimento… Um amor que cresceu e faz parte de nós três! O presente é nosso por tê-la em nossas vidas, sempre com uma lição, um exemplo, um colo! Palavras não descrevem…

E agora ela já está com novos planos, não quer mais parar de viajar… Nós, cumprindo o papel de bons netos, temos o dever de proporcionar novos momentos como este a ela e ficou claro que ter o “bolso” em dia, tanto dela como nosso, nos proporcionou viver momentos focados no que realmente importa, sem preocupações e com muita diversão! Aprendemos mais uma vez: É sempre tempo de poupar, não sabemos que oportunidade pode surgir amanhã, afinal economizar nunca sai de moda!

Autor

Lívia Senna
Lívia Senna é mestre em Gestão e Administração Educacional pela Universidade de Coimbra, em Portugal, e pedagoga graduada pela UFMG. Atua na área de Educação Básica e Ensino Fundamental há 12 anos. Educadora também na área de graduação, concentra seus estudos e pesquisas na área de Educação Financeira para Educação Infantil e Formação de Professores.

3 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *