O natal vem vindo, vem vindo o natal!

O natal vem vindo, vem vindo o natal!

Quando nos aproximamos do fim do ano, os pensamentos de consumo estão batendo à nossa porta, independentemente da nossa vontade. Quer você queira, quer não… “Então é Natal” e temos de lidar com esta realidade.

Como acompanhamos no decorrer deste ano, a tendência para o próximo ano é de contenção, de economia, de segurar aquela coceirinha que às vezes dá na mão no momento de gastar. Muitas pessoas do meu convívio se queixam de que, nos dias de hoje, tudo está tão caro que o dinheiro referente ao mês mal cai na conta e já acaba. Existem algumas armadilhas em nosso dia-a-dia que levam a isso… Nossa proposta de hoje é refletir um pouco sobre elas… Vamos lá?

1-O uso do cartão

Não pegamos no dinheiro, não vemos quanto é em espécie (papel-moeda), lidamos apenas com números o tempo todo e isso “engana” muito a nossa mente.

A facilidade de realizar compras com a maquininha do cartão para tudo hoje, inclusive parcelar no crédito pode ser uma armadilha que não percebemos.

Estratégia:

Tente pagar a maioria dos seus gastos em dinheiro. É uma alternativa para evitar futuras dívidas, pois existem pesquisas que apontam que as pessoas gastam menos quando têm que pagar as coisas usando o papel moeda. Prefira pagar tudo à vista e evite entrar no limite do cheque especial ou se endividar no cartão de crédito para presentear alguém.

 

 

2-Custo de vida mensal

A cada ano gastamos mais e mais, somos mais “caros” e vamos aos poucos mudando o nosso padrão. As coisas aumentaram sim, mas, muitas vezes, incluímos despesas em nossa rotina que não são necessidade e isso aumenta consideravelmente os custos ao final do mês.

Estratégia:

Relacione seus gastos mensais e procure manter um mesmo padrão à medida que os meses forem passando. Coloque alguns extras, alguns presentes que você queira dar às pessoas queridas ou a si mesmo, e mesmo que mude de emprego ou ganhe mais, busque não aumentar suas despesas com gastos supérfluos.

 

 

3-Gastos do dia-a-dia

Estamos sujeitos a imprevistos a todo instante e muitas vezes precisamos gastar um pouco mais do que o planejado.

Estratégia:

Inclua no seu planejamento de despesas uma mesada para você mesmo (sem precisar descrever detalhadamente o que será). Isso dará uma liberdade maior na sua rotina sem sair do que você planejou.

 

 

Para não gastar demais com as despesas de fim de ano, o segredo é um só: planejamento financeiro. E percebemos que o comum também funciona:

-Estabelecer e definir metas para o seu dinheiro.

-Enxugar as despesas secundárias.

-Realizar investimentos em longo prazo, pensando em décadas e não anos.

-Pensar nos sonhos e traçar planejamentos estratégicos para alcançá-los.

Simples não é, mas quando saímos da situação cotidiana que nos convida a gastar, vemos por outro prisma estas datas comemorativas e pensamos no objetivo maior que temos, no grande que podemos alcançar, e vemos que é possível.

 

Veja mais algumas dicas para esta época do ano:

CONFIRA DICAS DOS ESPECIALISTAS DO SPC PARA EVITAR O SUPERINDIVIDAMENTO NO FINAL DE ANO:

Antes de ir às compras:

1- Faça um levantamento de suas dívidas e quite-as com o 13º.

2- Anote todos os compromissos (já sabidos) do começo de ano tais como matrículas, material escolar, IPVA, IPTU etc.

3- Lembre-se (principalmente os autônomos) que no começo do ano o faturamento pode ser fraco.

4- Faça a lista das pessoas que quer presentear, liste as prioridades, e tenha foco para não estourar seu orçamento.

5- Sabendo de tudo isso, fixe um limite para seus gastos com presentes.

 

Durante as compras:

1- Presenteie com aquilo que caiba no seu bolso.

2- Some o que está gastando para evitar surpresas depois.

3- Evite parcelar em muitas vezes, pois passadas as festas a dívida fica.

4- Evite as compras por impulso. Lembre-se que nesta época do ano os incentivos para comprar são muito grandes. Mantenha o controle.

 

Nas comemorações:

1- Cada um leva um prato, as bebidas ou a sobremesa. Não queira bancar tudo sozinho.

2- É possível fazer uma bela ceia a um custo razoável fazendo-se uma pesquisa e compras antecipadas. Não deixe para a última hora.

3- Planejando dá para fazer muita coisa em casa. Encomendas ou restaurantes podem sair muito caro.

4- Não custa nada lembrar que depois do Natal vem o réveillon e férias com mais gastos, então é bom incluir estas despesas no seu planejamento. Seu bolso vai agradecer.

 

Então, de forma bem consciente: Chegou o Natal! Convidamos você a assistir a esta curta propaganda… O vídeo conta a história de um idoso que passa o Natal sozinho durante três anos consecutivos, até ele mesmo enviar uma correspondência aos filhos, noticiando a sua morte.

Clique aqui para assistir.

“É tempo de voltar para casa!”

 

Desejamos que todos os momentos no sentido de culminar bem este ano cumpram de fato com seu real significado fortalecendo as nossas relações do coração.

 

 

Autor

Lívia Senna
Lívia Senna é mestre em Gestão e Administração Educacional pela Universidade de Coimbra, em Portugal, e pedagoga graduada pela UFMG. Atua na área de Educação Básica e Ensino Fundamental há 12 anos. Educadora também na área de graduação, concentra seus estudos e pesquisas na área de Educação Financeira para Educação Infantil e Formação de Professores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *