Mini-casos da vida real: As amigas Isabela e Nicole

Mini-casos da vida real: As amigas Isabela e Nicole

Em uma determinada instituição, todos os anos é realizado com uma turma de 5º ano um projeto empreendedor como citamos aqui  e que vai ao encontro do que propomos também neste outro post. Neste último mencionamos a importância de fazer o mundo girar. Hoje vou relatar esta experiência real de duas alunas que experimentaram alguns destes conceitos sobre empreendedorismo.

Neste ano de 2015, na última terça-feira, minhas alunas Isabela e Nicole culminaram este projeto que desenvolveram juntamente com seus colegas no decorrer de todo o ano letivo, “A Feirinha do 5º ano”. O projeto ajuda a criança a ver além do momento da compra, conhecer o processo de negociação, coisas que antes a criança não imaginava e ajudam a perceber melhor o mundo do consumo e as intenções do marketing, pois elas mesmas precisam fazer a propaganda de forma atrativa do que vão vender ou trocar nesta feira da escola. As crianças, ao longo do projeto, desenvolvem algo que possa gerar alguma renda, pequena, mas própria. Ao final do projeto, ocorre uma feira de trocas e vendas destes produtos que as próprias crianças produziram ou compraram para revenda, envolvendo a participação das famílias e sendo um primeiro passo no que se refere à consciência do valor do dinheiro.

As meninas abraçaram o desafio e buscaram diversas alternativas para que este momento fosse realizado da melhor forma e elas conseguissem alcançar seus objetivos.

O preparo foi vivenciado passo-a-passo, com muito esforço e dedicação. As meninas, assim como toda a turma, compreenderam os processos do que é ter um comércio. Encontraram-se na escola e fora dos muros da escola, momentos em que as melhores ideias foram surgindo.

Cada uma investiu R$70,00 em seu negócio, optaram por vender coisas produzidas por elas mesmas: muito material de papelaria, docinhos que elas fizeram e reuniram em suas casas tudo aquilo que para elas já nao tinha mais utilidade – por exemplo, brinquedos que não queriam mais – e venderam em sua feirinha a um preço simbólico.

Após estudar sobre marketing, empreendedorismo, lucro, estratégias de negociação, as meninas começaram a produzir suas mercadorias, pensar no layout de sua “Barraquinha”, nos folhetos e cartazes que iriam afixar pela Escola fazendo propaganda do seu negócio. O enstusiamo e a seriedade com que conduziram a atividade foi encantador! Pensaram no nome da Barraquinha, fizeram os folhetos e lindos cartazes. A Escola ofereceu a todas as crianças uma apostila, na qual deveriam registrar cada etapa do processo. As impressões de cada palestra, controle de estoque, estimativa de investimento, gastos e lucro, layout da Barraquinha e tudo que viveram. Isso possibilitou uma organização e clareza de cada etapa vivenciada por elas. Toda a turma adorou vivenciar na prática o conhecimento aprendido em sala de aula. As meninas conseguiram vender tudo o que tinham de mercadoria. Conseguiram de lucro para cada uma R$202,00 e uma delas ao final brincou: “Estou rica!”, demos uma boa gargalhada. E depois disseram que com certeza querem ter o próprio negócio quando crescerem… Foi uma manhã de muito aprendizado, muita troca e com certeza uma experiência que ficará em suas vidas como estímulo para o futuro.

Realizar atividades dentro desta temática que é a Educação Financeira em escolas possibilita inúmeras abordagens, é uma proposta que vem alinhavando estes desafios da globalização na educação e aqui em nosso blog temos estudado e investigado mais a cada dia.

Quer saber mais sobre os nossos cursos em escolas? Consulte-nos!

Autor

Lívia Senna
Lívia Senna é mestre em Gestão e Administração Educacional pela Universidade de Coimbra, em Portugal, e pedagoga graduada pela UFMG. Atua na área de Educação Básica e Ensino Fundamental há 12 anos. Educadora também na área de graduação, concentra seus estudos e pesquisas na área de Educação Financeira para Educação Infantil e Formação de Professores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *