Mexa-se

Mexa-se

Mexa-se, rapaz
Não deixe de entender
Abra bem os olhos para o amanhecer
(Os Mutantes, “Deixe entrar um pouco d’água no quintal”)

 

Recentemente, li sobre a divulgação do Relatório de Inclusão Financeira – RIF, pelo Banco Central. Uma parte que achei interessante foi a que fala sobre o aumento dos pontos de atendimento de serviços financeiros. Praticamente todos os municípios brasileiros têm alguma unidade de atendimento – seja agência, posto ou correspondente. Além disso, mais de 70% dos municípios contam com mais de 15 pontos de atendimento para cada grupo de 10 mil adultos. Este foi o ponto que mais me chamou a atenção.

As pessoas têm podido escolher mais seus prestadores de serviços. É claro que a qualidade está longe da ideal, porque não parece haver uma concorrência real. Às vezes, a impressão que temos é a de que as empresas combinam entre si, de todas atenderem mal, de forma que não compense muito trocar de fornecedor. Mas se ficarmos passivos, a coisa não vai mudar.

Faltam 50 dias para o ano que vem. Que tal pensar um pouco na possibilidade de trocar seus fornecedores de alguns serviços? Pode ser uma boa forma de iniciar seu planejamento financeiro para o novo ano. É fácil se acomodar à rotina, mas isso pode custar dinheiro e conforto.

Vamos pensar em algumas coisas que podem mudar?

  • Serviços financeiros: temos falado bastante aqui no blog sobre a portabilidade de crédito. Mas proponho mais que isso. Mesmo se você não tiver dívidas, que tal pensar em transferir sua conta? Como disse no início do texto, a oferta tem aumentado. Já pensou em trocar o banco por uma cooperativa de crédito? Eu sou associado a uma e estou muitíssimo satisfeito.

……….Já parou para pensar no que te faz continuar com seu banco? Geralmente os motivos são vários:

………………– A agência é perto da minha casa/trabalho.

………………– O gerente já é meu conhecido.

………………– A rede de agências e caixas eletrônicos é boa.

………………– Já me acostumei com o site/aplicativo.

………………– Tenho isenção de tarifa

.

……….Todos são bons motivos, mas será que são suficientes para você não mudar? Ou, pelo menos, para não pesquisar? Pense nisso.

 

  • TV, celular, internet: no início do ano publiquei no blog uma comparação entre os diversos fornecedores e planos de telecomunicações. Os valores certamente já mudaram, pretendo atualizá-la em breve. Enquanto isso, que tal refletir um pouco?

………………– Eu tenho usado toda a minha franquia de dados e voz?

………………– Quais canais de TV tenho assistido mais?

………………– Preciso de telefone fixo?

 

……….Será que um plano mais modesto e barato não iria te atender da mesma forma? Lembre-se de que telefonia também tem portabilidade, o que diminui o transtorno da mudança.

 

  • Seguros: você contrata seguros no banco ou com corretor? Será que eles têm se esforçado para te oferecer o produto mais adequado? Será que não compensa fazer uma pesquisa na próxima vez?

 

  • Combustíveis: o posto onde você abastece o carro tem os melhores preços da região? O fato de seu posto aceitar cartão de crédito compensa os centavos que você paga a mais pelo combustível?

………..Ficar atento às placas dos concorrentes e conversar com vizinhos pode te dar boas dicas.

 

  • Supermercado: Mais fácil ir àquele supermercado de sempre, onde você já conhece cada corredor e gôndola, certo? Mas será que você não está perdendo dinheiro, qualidade e variedade com isso?

 

 

Lembrou-se de algum outro serviço que não está na lista? Tem alguma experiência bem – ou mal – sucedida com mudanças desse tipo? Conte pra gente! E mexa-se!

 

 

 

 

 

Autor

Ewerton Veloso
Ewerton Veloso é bacharel e mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais. Trabalha há mais de 10 anos na área de monitoramento do Sistema Financeiro Nacional e é professor de Administração. Neste espaço, pretende convidar o leitor à organização das suas finanças e à reflexão quanto ao seu comportamento como consumidor e investidor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *