Por que explicar sobre a crise para as nossas crianças

Por que explicar sobre a crise para as nossas crianças

O momento que vivemos alterou a vida de todos nós, inclusive a de nossas crianças e adolescentes. Mas, muitas vezes os pais e educadores não sabem como explicar aos pequenos este período que vivemos e como lidar com ele.

  • Por que se torna tão importante, então, explicar a elas sobre a crise econômica que estamos vivendo?

Por que as crianças já são capazes de aprender e ter algumas noções de economia se for utilizada uma linguagem adequada para a sua compreensão, de acordo com a idade dela.

  • E como isso pode ser feito?

Inicialmente, explique o valor do dinheiro. Como podemos utilizá-lo e que para recebê-lo o seu trabalho tem um valor, você se dedica um tempo todos os dias para receber um valor específico por aquele trabalho.

Em um segundo momento mostre os custos das coisas na sua própria casa, pode ser mostrando algumas contas de água, luz, telefone, etc. Para usufruir deste serviço, pagamos por ele. Dê um exemplo, a luz por muito tempo acesa, torneira gastando água desnecessariamente, só encarecem no final do mês.

Como já citamos em nosso blog aqui e aqui, os responsáveis pela criança ou adolescente devem procurar ensinar a priorizar seus gastos, sabendo diferenciar o que é necessidade do que é um gasto supérfluo. É interessante fazer um planejamento no qual possam se estabelecer metas e juntos todos possam economizar e alcançar um resultado em conjunto. Por exemplo, a compra de um cachorro, uma viagem de férias, a comemoração de um aniversário. Neste contexto são trabalhados conceitos como a importância do trabalho e o valor do dinheiro, a criança desenvolve melhor o raciocínio lógico, trabalha em equipe, aprende a cooperar, a ter responsabilidades e se sente parte ativa dentro da família, observa os resultados do próprio esforço. Depois, quando as contas forem diminuindo, é muito importante mostrar a todos os familiares as conquistas do esforço da equipe.

Este exercício de se reeducar financeiramente deve se tornar uma constante na vida de todos e não apenas nos momentos de crise.

Listamos para vocês algumas perguntas simples que surgem no dia-a-dia e sugestões de respostas que possibilitam trabalhar valores e conceitos, importantes para a toda vida financeira deste pequeno ser em formação. Isso, segundo especialistas já pode ser realizado desde os três anos de idade.

  • Por que não podemos comprar este ou aquele brinquedo?

A criança deve participar e entender como funciona este momento de aquisição de um produto e deve ficar claro, antes mesmo de sair de casa, que nem sempre vão poder comprar tudo o que querem. Aprendendo isso desde pequeno, eles se adaptam melhor às mudanças de circunstâncias e percebem que os pais não são nem devem ser super-heróis. Se maiores, incentivá-los a comprar com o dinheiro da sua própria poupança, é um desafio para a criança. É importante recordar que explicar demasiado é um erro. Se o responsável pela criança justifica muito é porque não quer dizer que não, dando abertura para a criança pedir mais ou fazer uma birra. Aos três anos as crianças começam a pedir brinquedos e é preciso dizer-lhes que não podem ter tudo, esta pode ser uma boa oportunidade para contar a eles de forma simples o que seria a crise.

  • Qual o significado dessa crise?

Tudo deve ser explicado de acordo com o nível de entendimento da criança, de forma bem simples e natural e não se estendendo para além do que foi perguntado. As crianças percebem que algo se passa no país, com comentários, notícias, conversas que ouvem. Não é preciso exceder nas informações, apenas estar atento às perguntas e direcionar a uma resposta que as levem a pensar.

  • Então nosso país está sem solução?

É muito importante trabalhar sempre o positivo com as crianças, principalmente se elas forem mais novinhas. Somos capazes, vamos vencer esta dificuldade, superar e conseguir melhorar o nosso país. Mas, para isso temos de fazer a nossa parte, cada um colaborando, juntos formamos uma equipe e atuamos como verdadeiros cidadãos de bem.

Autor

Lívia Senna
Lívia Senna é mestre em Gestão e Administração Educacional pela Universidade de Coimbra, em Portugal, e pedagoga graduada pela UFMG. Atua na área de Educação Básica e Ensino Fundamental há 12 anos. Educadora também na área de graduação, concentra seus estudos e pesquisas na área de Educação Financeira para Educação Infantil e Formação de Professores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *