Investindo no futuro dos seus filhos pelo Tesouro Direto

Investindo no futuro dos seus filhos pelo Tesouro Direto

Já pensou em poupar desde já pra garantir a faculdade do seu filho no futuro? Investir no Tesouro Direto é uma boa pedida e é fácil e descomplicado. Criamos um passo a passo pra ficar ainda mais fácil. Que tal abrir a conta, sair da caderneta de poupança e embolsar uma grana a mais sem esforço?

O financiamento estudantil, sobre o qual falamos na semana retrasada (leia aqui e ouça aqui), é uma necessidade para todos aqueles que entram numa faculdade privada sem que os pais tenham se planejado o suficiente para poupar a grana necessária durante a infância e adolescência do filho. Já falamos aqui várias vezes sobre a importância do planejamento financeiro e também sobre o poder dos juros (que pode ser a seu favor, caso consiga poupar).

Um dia desses, um amigo veio comentar comigo que queria guardar, desde já, uma grana pro filho, ainda criança, fazer a faculdade dele no futuro e me perguntou o que eu recomendava. Pensei logo no Tesouro Direto, uma alternativa que é fácil, rápida e simples de gerenciar, e com baixo risco (sobre a qual já falamos aqui e aqui faz um tempinho). Ele me veio com um caminhão de perguntas: se é mesmo fácil investir grana lá, como abrir a conta, quanto custa, etc.

Então, fiz um resuminho do passo a passo, bem simples, pra poupar grana pro seu filho lá no Tesouro Direto:

1) Crie um CPF pro seu filho[1]. Isso pode ser feito nas agências da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil, dos Correios (ao custo de R$5,70) ou ainda, de graça, em postos de entidades públicas conveniadas (veja mais detalhes aqui);

2) Escolha uma corretora de valores[2] pra abrir uma conta de custódia para seu filho (não é necessário abrir uma conta bancária para isso). É a corretora que vai realizar suas transações com o Tesouro Direto, lá na BM&FBovespa, onde os títulos são custodiados;

3) Preencha o cadastro na corretora escolhida, em nome do seu filho. Elas costumam exigir os seguintes documentos para abrir uma conta para menores de idade, além da ficha cadastral: documento de identidade do filho (na ausência de RG, a certidão de nascimento vale), CPF do filho, comprovante de conta bancária e de residência do pai que será o responsável legal dos filhos na corretora;

4) Depois de recebidos todos esses documentos (boa parte desse envio você pode fazer via internet mesmo!), a corretora normalmente demora 1 ou 2 dias úteis pra abrir a conta de custódia. Feito isso, você receberá uma senha provisória para efetuar o primeiro acesso à área restrita do site do Tesouro Direto;

5) Troque a senha provisória por uma nova[3] e pronto! Você já pode começar a investir no futuro do seu filhote.

Quanto aos custos para operar no Tesouro Direto, são basicamente dois:

a) tarifa de custodia da BM&FBovespa: 0,30% ao ano sobre o valor investido; e

b) taxa de administração da corretora, também sobre o valor investido, mas que varia de uma corretora para outra. Várias delas isentam seus clientes dessa taxa nas operações com o Tesouro Direto (veja a tabela abaixo).

Bom, mas você pode estar se perguntando: “mas eu devo ter que fazer uma aplicação inicial mais alta pra investir no Tesouro” ou “será que vou ter esse dinheiro pra iniciar?” Se você pensou nisso, não está sozinho; muita gente pensa assim também, mas se engana: com R$30 já dá pra ser dono de uma parcela de um titulo público federal, que, aliás, está rendendo bem mais que a poupança nos últimos tempos.

Outra coisa legal do Tesouro Direto é a possibilidade de fazer um investimento programado, ou seja, fazer um agendamento periódico das compras (e vendas, se for o caso) e também deixar programado o reinvestimento automático tanto dos juros semestrais dos títulos quanto do valor a ser resgatado no vencimento dos títulos. Com isso, você não vai precisar ficar lembrando de reinvestir o dinheiro que o Tesouro for te pagando (juros ou principal) ao longo do tempo.

Simples, né? O que está esperando pra começar a fazer o pé de meia pra faculdade do seu filho?

[1] No post original, informei que seria possível (e rápido) criar um CPF para seus filhos pela internet. Isso é verdade, em parte. Não tinha me atentado para o fato de que essa alternativa só vale para os filhos que já tiverem Título de Eleitor, ou seja, se forem maiores de 16 anos, o que não era o foco do post. Falha minha. Agora, os caminhos para se criar um CPF pro seu filhote estão devidamente corretos no post.

[2] Veja aqui a lista de todas as instituições habilitadas a operar com títulos públicos federais, bem como alguns detalhes sobre elas.

[3] A nova senha deverá conter entre 8 e 16 dígitos e ser composta por letras, números e caracteres especiais.

Autor

Daniel Loureiro
* Daniel Loureiro é mestre em Finanças pela Universidade Federal de Minas Gerais, atua no mercado financeiro há 15 anos, com experiência tanto vendendo produtos na linha de frente quanto na área de controles e supervisão, e também tem vivência no meio acadêmico. Neste espaço, vai demonstrar que aprender a lidar com dinheiro pode ser tão prazeroso quanto uma boa corrida, esporte do qual é adepto.

8 comments

    • Frederico Torres

      Oi Carlos, vale para a sua sobrinha exatamente as mesmas recomendações que o Fabrício passou para o xará dele quanto à abertura de conta para filho. Veja por gentileza a trilha de perguntas e respostas neste mesmo post.

      Grande abraço, obrigado pela confiança e parabéns por se preocupar com sua sobrinha! Tenho certeza que ela vai te agradecer por isso um dia!
      =)

      Responder
  • Daniel, boa tarde!
    Eu estou querendo abrir uma conta de investimentos para minha filha (2 anos) e não conclui isso ainda pois todas as corretoras que vi, não permitem que eu faça TED ou DOC a partir de contas de outra titularidade.
    Ou seja, abrir a conta para minha filha é fácil, mas sou obrigado a abrir uma conta bancária para servir de “ponte” para enviar o dinheiro?? É isso mesmo ou eu que não entendi alguma parte?
    Obrigado.

    Responder
    • Fabrício Ferreira

      Boa noite Fabricio

      É isso mesmo! Para transferir os recursos para a conta da sua filha em um corretora, você precisará ter uma conta no nome dela ou uma conta conjunta. Uma opção interessante é você abrir uma conta corrente digital para sua filha. Neste tipo de conta, você pode realizar pagamentos e transferências, saques, conferir extratos pela internet e, em contrapartida, não paga taxas de manutenção da conta, nem pacotes de serviços. Que bom que desde cedo está investindo no futuro da sua filha! Desejamos bons investimentos!!!

      Equipe Educando Seu Bolso

      Responder
  • Olá Daniel,

    Invisto no Tesouro Direto em nome do meu filho, ele tem 23 anos, tenho que fazer uma declaração de imposto de Renda no nome dele? ele não tem nenhum rendimento para declarar…. como faço?

    Obrigada,

    Responder
  • Prezado Daniel,

    Parabéns pelo excelente artigo. Gostaria apenas de tirar uma dúvida: Investindo no Tesouro Direto em nome de minha filha, como faço na declaração de Imposto de Renda? Minha filha menor de idade (03 anos) terá que fazer uma declaração de IRPF?
    Muito Obrigado

    Responder
    • Daniel Loureiro

      Prezado Ronaldo,
      Não será necessário fazer uma declaração de ajuste anual só para a sua filha. Na sua declaração mesmo, na ficha “Bens e direitos”, vá registrando esses investimentos, ano após ano. Na ficha “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”, registre os rendimentos auferidos com essa aplicação no ano anterior, no item 6: “rendimentos de aplicações financeiras”. Clique no ícone no canto direito dessa linha e preencha os detalhes do(s) beneficiário(s) desses rendimentos.
      Em tempo: me desculpe pela demora na resposta.
      Um abraço,
      Daniel

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *