10 coisas que as pessoas sem dívida fazem

10 coisas que as pessoas sem dívida fazem

Vivemos em um mundo em que prestações de financiamento imobiliário e de veículos, carnês, compras parceladas, faturas de cartões de crédito e outras formas de crédito ao consumo são consideradas como fatos da vida – tão inevitáveis quanto a morte, os impostos ou os lucros dos bancos.

Qualquer pessoa disciplinada o bastante para não incorrer em nenhuma destas formas de endividamento, a meu ver, não recebe a devida atenção da mídia. Como eles conseguiram se manter sem dívidas, ou os benefícios dos quais eles desfrutam por não deverem, tampouco são discutidos.

Como aqui quem escolhe a pauta somos nós, vamos hoje explorar traços comuns aos “Sem-Dívida”. Eis aqui 10 coisas que essas pessoas fazem:

1 – Esperam
Quando se trata de gastar dinheiro, paciência é realmente uma virtude. Pessoas sem dívidas atingem o seu estado raro mantendo as suas necessidades em cheque e considerando cuidadosamente suas necessidades. Em seguida, elas poupam o seu dinheiro, esperam por grandes promoções e/ou pesquisam preços em busca de incríveis pechinchas, geralmente de segunda mão.

2 – Mantêm seus egos sob controle
Grandes egos geralmente significam carteiras vazias. Compras por impulso alimentadas pelo crédito levam mais famílias à bancarrota do que as grandes dívidas, como os financiamentos imobiliários por exemplo. Os “Sem-Dívidas” mantém seus egos separados de seus bens materiais e descansam confortavelmente no conhecimento de que o verdadeiro luxo é a liberdade das dívidas.

3 – Gastam (quando o negócio é bom)
Nossos amigos e vizinhos frugais têm uma má reputação. Eles são geralmente apelidados de “os pães-duros” e até mesmo marginalizados. Mas eles não têm medo de gastar; eles são apenas seletivos sobre o que e quando comprar.

4 – Pagam em dinheiro
Um dos principais ditados em finanças é: “O Dinheiro é o Rei!”. Os “Sem-Dívida” sabem o por quê. Quando você desembolsa o papel-moeda, você sente isso: é impossível gastar mais dinheiro do que você realmente tem. Além disso, quando você está negociando preço, o dinheiro-vivo chama a atenção e acaba te conseguindo bons descontos.

5 – Negociam
Já que falamos de negociação, vamos esclarecer uma coisa: o preço de quase tudo é negociável. Os “Sem-Dívida” sabem disso. Eles aprenderam as regras de negociação e pechincham o preço de tudo, de carros a planos de televisão a cabo. Afinal de contas, o pagar preço de tabela cheia, praticado nos parcelamentos por carnês ou cartão, não combinam com a condição dos “Sem-Dívida”.

6 – Conseguem melhores taxas de juros
Quando os “Sem-Dívida” optam por assumir uma dívida estrategicamente, eles tendem a se beneficiar de taxas de juro mais baixas. Graças a uma história de uso responsável de crédito, ou melhor, quase nenhum uso. Eles têm baixa relação entre a dívida e sua renda ou patrimônio, além dos seus imaculados históricos. Lembrem-se de que estamos em tempos de cadastros, negativos e positivos. Todos os dias seu comportamento financeiro é guardado em bancos de dados. Uma parte destes dados já é usada para avaliar seu risco de crédito e a outra, a que ainda não é usada, será. É questão de tempo!

7 – Evitam despesas incrementais
Não sei se você já notou, mas os comerciantes estão ficando cada vez mais relutantes em compartilhar os preços reais com os consumidores. Em vez disso, eles enquadram grandes despesas em valores mensais mais palatáveis. Você pode entrar naquele carrão novo de R$ 39 mil por apenas R$ 699 por mês; ou em um iPhone6 por apenas R$ 99 mensais. Captou a mensagem? Mas os “Sem-Dívida” sabem que grandes despesas se escondem por trás desses pequenos pagamentos e eles entendem como dezenas de pequenos cortes pode rapidamente sangrar um orçamento.

8 – Esperam o “inesperado”
Eu serei o primeiro a admitir: eu não sou um otimista. Quando se trata de economia, o meu trabalho, e os preços das coisas em relação ao crescimento da renda, eu honro a tradição de mineiro: ser conservador. E eu estou em boa companhia. Os “Sem-Dívida” têm um plano de emergência financeira e até mesmo em tempos de fartura, apertam os cintos se preparando para os tempos de vacas magras (que com certeza virão!).

9 – Dormem bem
Longe de uma sensação de impotência, manter um perfil financeiro conservador, se preparar para situações de emergência e poupar para o futuro constroem uma profunda sensação de segurança. Quando os “Sem-Dívida” vão dormir, eles não estão preocupados em reembaralhar suas dívidas com cartão de crédito, em como adiar os pagamentos até o último segundo, ou se o banco pode vir retomar seu carro no meio da noite. Eles dormem bem sabendo que ninguém tem nenhum direito sobre o que eles ganharão amanhã.

10 – Desfrutam de mais liberdade
Altos níveis de dívida limitam as nossas escolhas na vida. Se uma dúzia de credores podem tirar cada um uma fatia de sua renda, obviamente que sobra menos para você. Isso significa menos escolhas sobre o que você vai fazer na próxima semana ou no próximo ano (dica: você estará trabalhando). Já quem conhece a liberdade de uma vida livre de dívidas geralmente tenta manter o máximo possível de sua renda para si mesmo e investe em coisas que geram riqueza, expande suas oportunidades e, finalmente, reduz o número de anos que vai ter ela que trabalhar.

****************


É importante lembrar que a situação financeira de cada um é diferente e, por vezes, a dívida é simplesmente inevitável. Mas um estilo de vida livre de dívidas também não pode se transformar em uma lenda – fico pensando se os “Sem-Dívida” um dia chegarão ao ponto dos micos-leões-dourados… Por enquanto eles são pessoas de verdade, que colhem recompensas reais quando decidem conscientemente controlar como e com o que gastam, além de não perdoar nem mesmo a menor dívida.

E você? É um “Sem-Dívida” ou conhece algum? Como isto ajuda você a viver de forma diferente de seus amigos, familiares ou colegas de trabalho?

Autor

Frederico Torres
Profissional do mercado financeiro há 20 anos e interessado em como fazer o $$$ parte de nossa vida de forma mais saudável.

4 comments

  • Eu me tornei “sem dívida” quando fui trabalhar com recebimento comissionado. Eu tinha uma média mas n tinha certeza do quanto receberia todo mês. A partir disso acertei minhas contas, cancelei o cartão de crédito e passei a pagar só a vista, mesmo que demorasse meses para juntar!
    Hj apenas 4 anos depois já estou em casa trabalhando por conta própria no meu e-commerce e não devo nem 1 real de mercadoria para nenhum fornecedor, não tenho nenhum boleto para pagar a não ser do meu curso! Isso é muito bom!!! Agora a caminhada é para crescer meu negócio ao ponto de eu só cuidar dele e sair da “mão na massa” !!! Quero que chegue logo meu momento de viajar rsr (Até por isso escolhi trabalhar com e-commerce) hehe
    Estou adorando as leituras nesta página!!!

    Responder
    • Frederico Torres

      Que ótimo Taiza,
      Adoramos receber notícias assim como as suas.
      Muito obrigado pela audiência e pela participação por aqui.
      Parabéns e sucesso!
      =)

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *