Ferramentas para finanças pessoais

Ferramentas para finanças pessoais

“Eu fiz uma planilha pra você;
E calculei a porcentagem de
dar errado, dar errado, errado;
Eu sei o quanto custa a solidão;
Eles riram do meu papo de cifrão”
(Supercombo, “O calculista”)

 

Um dos três pilares da santíssima trindade da educação financeira é o autoconhecimento. A pessoa precisa se conhecer, identificar seus hábitos, valores, seu perfil de consumidor e poupador. Para isso é necessário que conheça bem sua realidade econômica e financeira, isto é, quanto recebe e, principalmente, quanto e como gasta. E para isso só tem um jeito: anotar tudo, de forma organizada.

Há várias maneiras de se fazer isso. Pode ser um simples caderno, uma planilha Excel ou aplicativos e sites mais elaborados. A principal dificuldade para as ferramentas de gerenciamento financeiro, a meu ver, é a conciliação de inúmeras “contas”. As pessoas, de modo geral, usam, ao mesmo tempo, dinheiro vivo, conta corrente – cheques e cartão de débito – e cartão de crédito, além de terem aplicações. É como se fossem os vários bolsos de um casaco. Acompanhar e organizar o que entra e sai em cada bolso é o X da questão.

Fiz uma pequena pesquisa sobre as ferramentas disponíveis na web, sem a pretensão de fazer uma lista com análises aprofundadas, pois isso existe aos montes por aí. Saí em busca de algo prático, claro e gratuito, para comentar com nosso leitor – veja bem, eu disse comentar com o leitor, e não sugerir ao leitor, pois não fico à vontade para sugerir algo em que se insere tanta informação valiosa, sem conhecer os procedimentos quanto à segurança dessa informação. É importante ressaltar também que nem eu nem o blog temos qualquer relação com qualquer uma das marcas avaliadas.

Primeiro, baixei alguns aplicativos para smartphone. Um deles é o Finance. Achei muito bom, mas excede um pouco o que eu preciso. Tem muitos recursos, o cadastro das contas é muito detalhado, parece um programa para empresas. Baixei também o Just Money, o Money Care e o Moni. Gostei bastante, principalmente dos dois primeiros, mas as versões gratuitas são limitadas, então parei de usar.

Depois procurei soluções para desktop. Há vários sites, em que o uso é todo online, e também opções para instalar no computador. Entre as opções para instalar, experimentei o T2Ti, que achei bom, organizado. Só acho que poderia melhorar a forma como gerencia as múltiplas contas. Experimentei também o Finance Desktop. Gostei também, organiza as contas e os lançamentos de forma clara.

Entre os sites para uso online – isto é, que dispensam instalar programas no computador –, a melhor solução que encontrei foi o Minhas Economias. Visual limpo, informação na quantidade certa na tela, categorias de despesas e receitas bem planejadas e fáceis de reprogramar, forma inteligente de relacionar as várias contas, e tem tutoriais curtos e claros. Gostei muito! Além desse, testei o Meudinheiroweb, o Bonusweb e o SrDinheiro. Todos eles têm alguma limitação nas versões gratuitas.

Se o leitor não tiver paciência para lidar com esses softwares, ou se não tiver gostado de nenhum, sugiro que tente construir sua própria solução. Eu fiz isso, há 10 anos criei uma planilha Excel, que uso e aprimoro até hoje. Na internet também há boas opções de planilhas, como a da BMF Bovespa  e a da revista Info.

Provavelmente nenhuma das soluções prontas se encaixa perfeitamente na realidade de cada um de nós, alguma adaptação é sempre necessária. O caminho é procurar uma ferramenta que funcione; se não encontrar, construir a sua própria. E usá-la, com persistência. O autoconhecimento é fundamental.

E então? Teve dúvida com alguma ferramenta? Quer sugestão para construir a sua própria? Fale conosco!

Autor

Ewerton Veloso
Ewerton Veloso é bacharel e mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais. Trabalha há mais de 10 anos na área de monitoramento do Sistema Financeiro Nacional e é professor de Administração. Neste espaço, pretende convidar o leitor à organização das suas finanças e à reflexão quanto ao seu comportamento como consumidor e investidor.

2 comments

    • Oi, Douglas, obrigado pelo comentário.

      Eu também prefiro uma planilha Excel. Tenho a minha há mais de 10 anos, e vou aprimorando de tempos em tempos. Tenho uma outra versão, mais simples, para apresentar em cursos e palestras, porque a minha oficial ninguém entenderia…

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *