IMPOSTO DE RENDA: O leão pode ser menos bravo. Depende do domador!

IMPOSTO DE RENDA: O leão pode ser menos bravo. Depende do domador!

A Receita Federal divulgou, no dia 4 de fevereiro, datas e regras para declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2015. Entre 2 de março e 30 de abril, o órgão espera receber 27,5 milhões de declarações relativas ao ano-calendário 2014. Você está preparado para fazer a sua?

O programa gerador da declaração do IRPF será disponibilizado no site da Receita Federal até o fim de fevereiro e a versão de testes, que não permite gravação da declaração, esteve disponível até 19 de dezembro. Como grande parte das pessoas possuem algum tipo de dedução a registrar, quer seja de saúde ou despesa de instrução, é importante começar a coletar e organizar os comprovantes para efetuar a declaração. Esses comprovantes influenciam diretamente o valor a receber ou pagar à Receita.

O preenchimento da declaração é simples, no entanto, alguns detalhes devem ser observados como as despesas de saúde e educação, renda dos dependentes, a impossibilidade de duas pessoas declararem o mesmo dependente, o valor das prestações pagas do financiamento imobiliário, entre outros.

Os comprovantes, recibos e notas fiscais utilizados devem ser preservados por cinco anos, que é o tempo que a Receita Federal tem para notificar o contribuinte. Após esse intervalo, prescreve.

As correções de algumas deduções foram realizadas e a simulação no programa gerador permitirá escolher qual o tipo de declaração, simplificada ou completa, é o mais adequado ao contribuinte. A declaração simplificada é mais vantajosa para quem possui poucas despesas dedutíveis a declarar. Quem optar por essa declaração, tem uma dedução de 20% dos rendimentos tributáveis, limitado a R$ 15.880,89. Se um indivíduo ganha R$ 35.000,00 por ano e gasta mais de R$ 7.000,00 por ano com despesas médicas e outras deduções, é melhor fazer a declaração completa.

A entrega da declaração de 2015 poderá ser feita por meio do programa de transmissão Receitanet, disponibilizado no site da Receita Federal. Também é possível a entrega  online, para quem tem certificado digital (assinatura para proteger transações eletrônicas), ou por meio do serviço Fazer Declaração, para tablet e smartphone. Este ano é o primeiro em que está disponível a opção de entrega online, sem necessidade de baixar o programa da Receita. As entregas nessas duas modalidades têm algumas restrições. Por exemplo, declarantes que tenham recebido rendimentos do exterior ou tenham tido ganhos de capital não podem utilizá-las.

Lembrem-se que planejamento, organização e disciplina são fundamentais para que a alimentação do leão seja a mais balanceada possível!

Autor

João Luís Resende
João Luís Resende é mestre em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais e atua na área econômica há 13 anos, com experiência na indústria bancária, energética e financeira. Neste espaço, vai apresentar estratégias de uso eficiente do dinheiro para satisfazer necessidades e desejos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *