Viagens internacionais: melhor usar cartão de crédito, Visa Travel Money ou dinheiro em espécie?

Viagens internacionais: melhor usar cartão de crédito, Visa Travel Money ou dinheiro em espécie?

“Quem converte não diverte”. Você, leitor, já escutou esta frase antes? Ao planejar minha primeira viagem internacional foi o que mais ouvi de amigos e conhecidos, aconselhando-me a parar de pensar em qual era aquele valor que iria pagar em reais ou então minha viagem ficaria limitada e eu não iria me divertir.

Realmente, no início eu fazia a conversão mentalmente e não conseguia descansar a mente, pois me preocupava demasiadamente com o valor do que estava pagando em reais.

Depois de um tempo morando em um país estrangeiro e viajando para países vizinhos, parei de fazer a conversão e em minhas viagens me diverti muito mais, porém ao final das viagens observava que tinha tido gastos sem planejamento usando o Visa Travel Money, o cartão de crédito ou usando o papel moeda da cidade local.

Neste ano, surgiu uma nova oportunidade de viajar e este era o momento de colocar em prática tudo o que venho estudando e aprendendo sobre me educar financeiramente. Deveria passar a converter tudo para reais ou aprender a gastar em euros de forma mais adequada?

Então surgiu uma nova pergunta. O que é melhor? Cartão de crédito, cartão Visa Travel Money ou dinheiro em espécie?

Como já falamos sobre este tema aqui no blog  e em pesquisa, descobri que, independente da moeda e do destino escolhido, uma boa opção seria comprar moeda em espécie, para conseguir um preço médio no câmbio e garantir que você estará pagando aquele valor daquele dia, sem taxa de IOF ou sem saber quanto irá pagar somente na chegada da fatura. Com a enorme oscilação no mercado atualmente, o cartão poderá ter as cotações mais altas e se a moeda oscilar muito não é possível controlar estes gastos.

Outra boa opção é carregar o cartão Visa Travel Money (pré-pago), que possui o IOF de 6,38%. E fazer esta recarga por etapas. Isso pode ser feito pela internet com a agência escolhida e dá ao viajante um maior controle sobre a viagem e seus gastos.

Fica uma dica: evitar ao máximo o uso do cartão de crédito, que pode vir a se tornar um vilão na viagem. Mas, se realmente for necessário seu uso, pesquisar antes as taxas de cada banco uma vez que elas variam, a pesquisa pode representar de alguma forma uma economia. É importante também ficar atento à possibilidade de travar o valor em reais, mesmo no cartão de crédito, oferecida pela Mastercard ou Visa (ao invés de pagar em moeda estrangeira, opte por pagar em reais com cotação fixa no momento da compra).

Por último uma informação: quando viajamos para outro país, dentro da União Europeia, temos direito ao Tax-Free que é a isenção do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) no regime dos viajantes que não residem por mais de três meses naquele país. Assim você pode reclamar a devolução deste imposto e, portanto, comprar sem carga fiscal. Essa taxa pode ser devolvida em dinheiro ou no cartão de crédito no aeroporto.

Conclui que nesta viagem não ficarei convertendo tudo para reais a todo instante, mas estou atenta ao valor do meu dinheiro. Estar de férias não quer dizer estar desconectada ou exageradamente preocupada. São férias! Equilíbrio para descansar a mente, recarregar as energias e realizar tudo o que planejei. Assim as surpresas não virao em uma fatura de cartão de crédito. A viagem é que será surpreendente.

Autor

Lívia Senna
Lívia Senna é mestre em Gestão e Administração Educacional pela Universidade de Coimbra, em Portugal, e pedagoga graduada pela UFMG. Atua na área de Educação Básica e Ensino Fundamental há 12 anos. Educadora também na área de graduação, concentra seus estudos e pesquisas na área de Educação Financeira para Educação Infantil e Formação de Professores.

4 comments

  • Pessoal alguém me ajuda tô levando 1300 euro mais quando fui retirarar meu travel money eu levei um susto pois IOF está um absurdo o que fazer devo leva em espécies ou cartão

    Responder
    • Frederico Torres

      Oi Eduardo,
      Se você comprar R$ 1.000 em moeda estrangeira em dinheiro vivo, o IOF será de R$ 11; no cartão de débito ou crédito ou no traveler cheque, o IOF é de R$ 63,80.
      Agora é preciso ver também a diferença de cotação, pois cada banco ou corretora pratica a sua. As vezes você economiza no IOF mas devolve tudo na diferença de cotação, percebe?!
      No mais, obrigado pela confiança, abraço e boa viagem.

      Responder
  • Oi, Lívia!
    Gostaria de saber se, no momento de utilizar o Visa Travel Money no exterior, também pagamos IOF ou alguma outra taxa extra, ou se passamos o cartão na função débito normalmente?
    Muito obrigada!

    Responder
    • Frederico Torres

      Bom dia Mariana e obrigado pelo contato. Vou transcrever a resposta da Lívia pra você abaixo, ok?!

      “Oi Mariana!
      Quando adquirimos o cartão Visa Travel Money e carregamos com um valor, neste valor já são cobradas as taxas. O valor que carregar no seu cartão será um pouco menor do que o valor que você deu em dinheiro, pois as taxas são cobradas neste momento. No exterior você utiliza na função débito sem outras taxas.
      Abraços, Lívia”

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *