Quer investir seu dinheiro? Como? Quais as opções?

Quer investir seu dinheiro? Como? Quais as opções?

Meu amigo Daniel Meinberg deixou claro na série “Estamos tentado ficar ricos do jeito errado” que precisamos nos preocupar mais com a redução de custos financeiros e menos com o “onde aplicar” e eu concordo plenamente com ele. Por isso até, aqui no blog você vai encontrar muito mais material sobre custos financeiros e comportamento do que sobre aplicações.

Apesar disso, vira e mexe somos perguntados sobre “onde aplicar”. Para atender a estas demandas, inclusive as dos meus amigos Amir Francisco e Pedro Henrique, companheiros lá da Rádio Inconfidência, vou aproveitar o aumento da Selic para 11,75% semana passada para falar um pouquinho sobre aplicações financeiras.

A poupança continua sendo uma boa? De uma maneira geral, não – inclusive, já falamos sobre isso aqui. Nem mesmo em aplicações de pequeno valor nas quais os bancos oferecem taxas mais baixas em CDBs, por exemplo, ou cobram taxas de administração mais altas nos fundos de investimentos, ou para objetivos de curto-prazo onde a poupança que está livre de Imposto, seria mais competitiva. Em um CDB, por exemplo, o IR é cobrado a 22,5% do ganho financeiro nos investimentos de até seis meses.

Meio complicado, né?! Então vamos a um exemplo: R$ 10 mil aplicados na poupança devem valer R$ 10.740 daqui a um ano, enquanto que, em um fundo de investimento financeiro pós-fixado com taxa de administração de 1,5%a.a., você teria algo em torno de R$ 10.780. Isso equivale a um CDB que te pague pouco mais do que 80% do CDI. Já comprando um título do governo – LFT – através do tesouro direto, teríamos R$ 10.900 daqui a um ano.

Eu gosto do tesouro direto. Acho que vale a pena ir buscar estes cento e poucos Reais a mais. Grande parte das pessoas para quem recomendo o programa, porém, tem preguiça. Fazer o quê né?! É como dizia meu avô: “cada cabeça uma sentença”.

O CDB e os fundos com estas taxas de juros e de administração estão disponíveis hoje mesmo para os clientes de varejo, com valores baixos para aplicar. Mas tem que ficar atento, não são todos, não. Cuidado pra não levar um produto mais caro.

Ou seja, gastando uma meia horinha para procurar ou para abrir uma conta no tesouro direto, não tem mais porque ficar na poupança. Talvez até por isso, o último mês fechou como a menor captação de recursos nos últimos três anos. É que a poupança perde atratividade com o aumento dos juros.

Tendo dito tudo isso, volto ao ponto inicial do meu amigo Daniel Meinberg. Não quero dizer que devemos jogar R$ 100 fora, apenas que não são eles que farão você ficar rico. Seu sucesso financeiro, a meu ver, depende muito mais de planejamento, controle de custos financeiros e do seu comportamento do que de 0,X% a mais de rentabilidade na sua aplicação. Pense aí!

Autor

Frederico Torres
Profissional do mercado financeiro há 20 anos e interessado em como fazer o $$$ parte de nossa vida de forma mais saudável.

2 comments

  • Acho super válida a ideia de se investir em tesouro direto, muitas pessoas que iniciam nos investimentos são afobadas, e querem resultados rápidos, então acabam deixando o tesouro direto de lado para ter foco em renda variável! É muito importante saber como investir no longo prazo…

    Parabéns pelo artigo!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *