O que fazer com o 13º?

O que fazer com o 13º?

O fim de ano está aí e muita gente já deve estar salivando, esperando o 13o salário cair na conta pra botar a mão na bufunfa e torrar. Essa renda extra é motivo de ansiedade para muitos brasileiros e de dúvida para outros tantos. A esta altura do campeonato, muita gente deve estar se perguntando: o que é que eu vou fazer com essa grana quando ela cair na minha conta bancária? Amortizo minhas dívidas? Faço minhas compras de Natal? Guardo pra gastar em janeiro, quando virá uma batelada de gastos? Viajo com a família? Uso pra isso tudo, e ainda tento guardar um pouco?

Claro que não existe uma resposta única para essas perguntas, pois elas dependem da situação financeira e de vida de cada um. Mesmo assim, cabem algumas dicas.

Primeiras coisas a refletir: está com a corda no pescoço com suas dívidas? Então a melhor estratégia para você é apertar o cinto do Papai Noel, economizar na gastança de final de ano e aproveitar para reorganizar suas dívidas. Esse esforço pode ser penoso pra você nessa época de festas, em que o espírito natalino, a propaganda massiva pra todo lado, o desejo e a expectativa dos filhos (e, por que não, o nosso também?!) por um presentinho, tudo isso estimula a gastar quando chega o fim de ano. Em meio a esse turbilhão, se você der conta de segurar a sua onda, certamente terá boas recompensas nos anos seguintes! Faça um combinado com sua família, compre apenas lembranças pra que o Natal não passe batido, mas tente mesmo apertar os cintos em prol de um futuro melhor. Ano Novo, vida nova!

Dê um passo em direção à independência do banco da esquina, converse com seu gerente, renegocie suas dívidas. Se o seu gerente não estiver querendo quebrar o seu galho (lembre-se de que ele não é seu amigo!), tente a portabilidade de crédito: bata na porta do concorrente em busca de melhores condições de pagamento. Busque sempre substituir as dívidas mais salgadas (cartão de crédito rotativo e cheque especial) por outras mais em conta e com prazos mais adequados à sua capacidade de pagamento. Organize-se. Planeje-se. Dedique-se. Acenda diariamente uma vela pra santíssima trindade das finanças pessoais, que você ficará livre desse enrosco logo logo.

Bom, mas se você não estiver pendurado em dívidas, aproveite para usar essa renda extra com o 13o para o que ela realmente foi imaginada: para ajudá-lo a bancar os gastos também extraordinários e sazonais: IPVA, IPTU, matrícula, material escolar e, claro, compras de Natal.

Sobre essas compras, não se esqueça: o Black Friday está chegando aí pra te oferecer boas oportunidades. Fazer as compras de Natal com desconto é uma ótima pedida! E tudo indica que, nesse ano, o slogan não deve repetir o “tudo pela metade do dobro” dos anos anteriores (como já falamos aqui), mas não custa ficar de olho!

Em resumo, coloque tudo na ponta do lápis e se organize bem para enfrentar toda essa tormenta, seja pra reduzir seu endividamento ou pra fazer compras melhores e mais conscientes (lembre-se das dicas sobre compras de final de ano aqui). Um bom planejamento pode te ajudar a equacionar essa questão da sazonalidade das receitas e despesas e também, claro, a passar as festas de fim de ano com mais tranquilidade e menos dores de cabeça.

Autor

Daniel Loureiro
* Daniel Loureiro é mestre em Finanças pela Universidade Federal de Minas Gerais, atua no mercado financeiro há 15 anos, com experiência tanto vendendo produtos na linha de frente quanto na área de controles e supervisão, e também tem vivência no meio acadêmico. Neste espaço, vai demonstrar que aprender a lidar com dinheiro pode ser tão prazeroso quanto uma boa corrida, esporte do qual é adepto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *