O GERENTE RESPONDE: Renegociação de dívida pelo feirão do Serasa

O GERENTE RESPONDE: Renegociação de dívida pelo feirão do Serasa

“Olá, li o post sobre o feirão do Serasa e como agir para renegociar para sair do buraco do endividamento. Aproveitei o fim de semana para tentar limpar meu nome por lá. Tinha uma dívida no cartão de crédito já há alguns meses que, apesar de alguns pagamentos parciais que eu vinha fazendo, não reduzia de valor. Como vocês disseram, antes de tentar renegociar fiz um levantamento aqui em casa de ganhos e gastos e cheguei a conclusão de que sobram R$ 600 por mês. Foi com este número que tentei trabalhar. Pra resumir a estória, no fim das contas recebi um desconto de 30% e transformaram minha dívida de cartão em 18 prestações fixas de um crédito pessoal no mesmo banco no qual tenho conta. Estou enviando este e-mail pra vocês, pra agradecer a dica e ao mesmo tempo perguntar se eu fiz um bom negócio. O que acham?”
PAULO – VIA-EMAIL

Paulo, apesar de faltarem algumas informações no seu relato, ao que tudo indica parece que você fez um grande avanço na sua vida financeira sim. Vamos ver por quê?

1) Admitiu um problema financeiro, qual seja: que tinha uma dívida com o cartão que estava fora de controle. O primeiríssimo passo para a resolução de um problema é reconhecer que ele existe. É impressionante o tanto de gente que meio que faz de conta que não é com ele, para ver se o problema desaparece sozinho. Note bem, quando você está devendo a mais de 10% ao mês, rapidinho a dívida se transforma em uma bola de neve. Parabéns, 1 x 0 pra você.

2) Antes da renegociação, você fez um pequeno orçamento familiar, levantando ganhos e gastos e tomando consciência que tem um orçamento superavitário (receitas maiores do que despesas) e também para onde vai o seu dinheiro: 2 x 0.

3) Sua renegociação transformou dívida de cartão, imagino que fosse do rotativo, em crédito pessoal, que em média é uma modalidade de crédito mais barata. Ou seja, reduziu taxa de juros. 3 x 0.

4) Apesar de você não ter dito o valor exato da parcela, mencionou que elas são de valor fixo, por isso imagino que tenham valor inferior aos R$ 600 que sobram no seu orçamento mensal, ou seja, parece ser um acordo que você poderá cumprir. 4 x 0.

5) Agora, quanto aos 30%, apesar de parecer um valor expressivo, te convido a pensar. Pense bem, você não encontra um desconto destes em qualquer lugar, não é mesmo?! Então, por que será que o banco foi tão “bonzinho”?  Explico: imagine que você começou devendo R$ 5 mil, há 6 meses e a 11% ao mês (como você não me passou detalhes, usei a taxa do meu cartão). Sua dívida chegou a R$ 9.352 e após os 30% de desconto (que geralmente se aplica só sobre os juros), você passa a dever R$8.046. Ou seja, você teve um “desconto” de R$1.306, mas mesmo assim ainda vai pagar R$ 3.046 a mais do que seu gasto original. Aí eu devolvo a pergunta pra você: será que podemos considerar este um bom negócio?

Parece que chegamos a um 4 x 1. Obrigado pela pergunta e parabéns pra você, que ganhou de goleada, com um placar que, aliás, está muito na moda ultimamente.

Autor

Frederico Torres
Profissional do mercado financeiro há 20 anos e interessado em como fazer o $$$ parte de nossa vida de forma mais saudável.

2 comments

  • Tenho dívidas em meu nome e poderei quitá-las à vista , ao seu ver conseguirei um maior desconto nos Feirõess do Serasa ou nos Pacets ?

    Obs: tenho dívidas com cheques , em bancos incluindo financeiras.

    Obrigada pelo auxílio

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *