Vai um descontinho aí, freguês?

Vai um descontinho aí, freguês?

Por acaso você usou recentemente o crédito sem moderação e agora está atolado em dívidas? O rapaz da empresa de cobrança não cansa de lhe procurar, liga pra você mais do que namorado(a) apaixonado(a) em início de namoro? Você está perdendo noites de sono pensando na montanha de dívidas que tem que pagar pra ficar livre do cartão de crédito, do cheque especial e do seu banco da esquina?

Seus problemas acabaram! Chegou o Super Feirão Limpa Nome, evento promovido de tempos em tempos pela Serasa Consumidor – braço da Serasa Experian voltado para o consumidor – e que neste ano acontece virtualmente, pela internet, entre 4 e 14 de novembro, válido para consumidores de todo o país, e presencialmente na cidade de São Paulo, entre 4 e 8 de novembro – veja mais detalhes neste link.

O momento não poderia ser melhor para a realização desse evento: o décimo terceiro está chegando por aí pra te ajudar a sair desse atoleiro, portanto, se você está superendividado e custando pra respirar no meio de tantas cobranças, essa é a hora certa para ir à feira, ou melhor, ao Feirão! Bom, mas primeiro faça o seu dever de casa: sente e bote no papel as suas contas, conheça bem o tamanho desse buraco. Nessa etapa, aproveite pra fazer uma boa faxina no seu orçamento, eliminando por completo os desperdícios, reduzindo os supérfluos o máximo possível e otimizando aqueles gastos que são mesmo necessários. Feito isso, você conseguirá ter uma boa noção do quanto de grana vai lhe sobrar ao final do mês para pagar suas dívidas.

É esse valor que você deve ter em mente na hora de ir ao Feirão Online (ou ir fisicamente, no caso de quem mora em São Paulo) para renegociar seus empréstimos. Depois de se cadastrar, aparecerá uma lista de suas dívidas com todas os participantes do evento, mais de 40 empresas de diversos ramos, tais como instituições financeiras, varejistas e prestadoras de serviços de telefonia. Ao clicar no nome de uma determinada empresa, além dos canais de atendimento disponíveis (e-mail, telefones, chat), aparecerão todos os seus débitos pendentes com ela. Entenda bem sua situação, entre em contato com cada uma delas e veja o que pode ser renegociado, buscando prazos mais folgados e, principalmente, taxas de juros menos salgadas para reduzir o comprometimento de sua renda com as dívidas.

Estude bem as condições oferecidas; caso a empresa faça uma proposta que não caiba no seu bolso, tente negociar mais um pouquinho, mostre a ela que você quer mesmo pagar, mas que precisa de melhores condições para sair de fato desse buraco. Faça uma contraproposta tendo em mente que a proposta da empresa não resolverá muito a sua vida se a nova prestação da renegociação não couber de verdade no seu bolso; nesse caso, você estará só adiando o problema. Conseguiu um bom descontinho aí, freguês? Ufa, que ótimo! Agora é ter disciplina (lembra-se da ‘santíssima trindade’ da educação financeira? Não? Então relembre aqui) e se controlar pra não fazer novas dívidas até pagar todas aquelas que você renegociou, adotar padrões de consumo mais conscientes e condizentes com sua renda, abrir contagem regressiva pro fim dos seus pesadelos financeiros e dar um tchau tchau pras ligações “apaixonadas” do seu cobrador. Bons negócios na feira!

Autor

Daniel Loureiro
* Daniel Loureiro é mestre em Finanças pela Universidade Federal de Minas Gerais, atua no mercado financeiro há 15 anos, com experiência tanto vendendo produtos na linha de frente quanto na área de controles e supervisão, e também tem vivência no meio acadêmico. Neste espaço, vai demonstrar que aprender a lidar com dinheiro pode ser tão prazeroso quanto uma boa corrida, esporte do qual é adepto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *