A importância das metas e do esforço pessoal

A importância das metas e do esforço pessoal

*POR DANIEL LOUREIRO

O que é mesmo que o treinamento de corrida tem a ver com a gestão do seu dinheiro? No post anterior, escrevi sobre duas semelhanças entre esses dois assuntos, de certa forma relacionadas entre si. Hoje, vou falar sobre mais algumas similaridades entre as duas atividades.

A primeira semelhança de hoje tem a ver com a última do post anterior: para conseguir evoluir, devagar e sempre, é preciso definir metas claras. Desde o início dos meus treinos, a definição de metas foi muito importante para o meu sucesso. Primeiro, estipulei: vou conseguir correr 5km; depois, 10km. Depois, 10km em menos de uma hora. Depois, vieram os 18km (da volta da Lagoa da Pampulha), e os 21km. Não satisfeito, com o passar dos treinos, coloquei uma meta adicional: fazer os 21km em menos de duas horas. Percorrer esse caminho “devagar e sempre” é bem mais fácil se você definir metas intermediárias para você mesmo.

E isso vale para o seu dinheiro também! Por exemplo: procure primeiro eliminar as dívidas mais caras, como o cheque especial e o cartão de crédito rotativo. Tente renegociar essas dívidas, contratar outras operações com juros menores e prazos mais adequados à sua capacidade de pagamento. Depois, tente não mais efetuar compras parceladas no seu cartão de crédito. Por fim, tente acabar com suas dívidas de curto prazo, mantendo somente o financiamento habitacional, se você tiver um. Para cada um desses passos, estipule um prazo que você julgue que dê conta de cumprir.

A segunda dica de hoje é: sem sacrifício, você não tem resultados! Lá fora tem um ditado famoso pra isso: no pain, no gain, o que quer dizer: sem dor, não há ganho. E isso é a mais pura verdade! Eu decidi dedicar algumas horas da minha semana para a corrida e isso fez com que eu tivesse menos tempo para ver meus amigos, menos tempo para me dedicar à minha casa, menos tempo para ler, menos tempo para cozinhar, que é algo que adoro fazer. Isso além, é claro, do sacrifício físico. Para evoluir na corrida, você precisa levar seu corpo a fazer mais do que ele dá conta, sair da sua zona de conforto. E isso muitas vezes lhe rende algum cansaço e dores musculares no dia seguinte. Esses foram alguns dos sacrifícios que escolhi para ter uma vida mais saudável e “dar um ippon” no meu colesterol.

Da mesma forma, para organizar melhor suas finanças, você precisará fazer alguns sacrifícios: evitar comprar produtos supérfluos e de luxo, investir mais tempo pesquisando preços pra fazer melhores compras, evitar gastos desnecessários e compras por impulso (que muitas vezes, reconheço, nos dão um prazer danado!), reduzir a frequência do happy hour com os amigos, e por aí vai.

Você vai encontrar obstáculos nessa caminhada. Com quatro meses de treino, quando já estava correndo cerca de 40km por semana e me preparando para uma prova de 10km, fui surpreendi-do pela minha primeira lesão: uma tendinite no pé. Depois de quase um mês sem treinar por causa da lesão, fui voltando aos poucos e totalmente sem ritmo; demorou um tanto para eu voltar ao ritmo anterior. Você também vai encontrar dificuldades nesse seu caminho até organizar de vez suas finanças. Por mais que você tenha planejado, vão aparecer contratempos: um encanamento que estourou em casa, o pagamento de um tratamento de saúde imprevisto, o conserto de um carro batido, uma taxa extra do condomínio para reforma do prédio etc. Isso tudo pode atrapalhar seu planejamento, por mais bem feito que ele tenha sido feito, mas não vai jogar por terra todo o seu esforço se você tiver força e determinação pra colocar o carro nos trilhos novamente e seguir em frente.

Durante a prova de meia-maratona, me lembrei de um outro ditado: não se deixe enganar pelas aparências! Se você já participou de uma prova de corrida ou mesmo já treinou em algum lugar repleto de corredores, já deve ter sido ultrapassado por pessoas “mais cheinhas” que você, ou mesmo aparentando ter mais idade que você. Vistas em outro ambiente, você nunca imaginaria que elas poderiam superá-lo. Isso é um grande aprendizado, para diversas áreas da vida. Muitas vezes, o que se vê não é o que se tem. Gente que não aparenta ter tanto preparo quanto você às vezes tem mais, e muito mais gás. Por outro lado, pode ser que pessoas que aparentam estar fisicamente bem condicionadas não tenham a metade do seu fôlego! De forma semelhante, um amigo que tenha um carro importado, que só anda vestido com roupas e acessórios de grife, que só bebe champanhe não tem necessariamente uma vida financeira melhor que a sua. Pode ser que ele seja uma pessoa extremamente endividada para manter esse status. Inversamente, uma pessoa que se veste de forma simples, sem cerimônias, que não possui o automóvel do ano, que gosta de tomar cerveja num “copo sujo” no mercado, que vai ao shopping de short e chinelo pode ser muito mais bem-sucedida financeiramente que você.

Ainda sobre essa questão das aparências: o sucesso pode ser igual pra todos, mas diferente para cada um. Explico melhor: terminar uma prova de meia-maratona, por exemplo, pode ser um sucesso igual para cada um que consiga alcançar esse feito. Terminar uma prova em menos de duas horas pode ser um resultado extremamente positivo, como foi para mim, mas muito ruim para outros corredores. Encontrei com conhecidos ao final da prova que terminaram em 1h40 e estavam insatisfeitos! Conseguir sair do cheque especial pode ser um resultado excelente para você, mas pouco representativo para outros. Por outro lado, pode ser fácil para você reduzir as compras par-celadas no cartão de crédito, mas para uma pessoa mais descontrolada que possui vários plásticos na carteira, esse pode ser um belo resultado e um bom começo pra sair da armadilha das dívidas de curto prazo!

Por fim, uma última dica: quanto maior a sua dedicação, melhor o resultado. Em 2013, um amigo meu fez exatamente o mesmo que fiz no início deste ano: começou a correr. Ele estava 25kg acima do peso dele. Foram seis meses para a primeira meia-maratona e mais três meses para a sua primeira maratona (42km!). Claro que o esforço e a dedicação dele no ano passado foram muito maiores que os meus nesse ano! E o resultado foi claramente mais positivo. Quanto maior o esforço que você fizer para organizar sua vida, quanto mais você deixar de efetuar compras de supérfluos, quanto mais conseguir reduzir suas dívidas, quanto mais você souber separar entre o desejo e a necessidade, mais rapidamente sua vida financeira vai se organizar e mais frutos você vai colher.

* Daniel Loureiro é mestre em Finanças pela Universidade Federal de Minas Gerais, atua no mercado financeiro há 15 anos, com experiência tanto vendendo produtos na linha de frente quanto na área de controles e supervisão, e também tem vivência no meio acadêmico. Neste espaço, vai demonstrar que aprender a lidar com dinheiro pode ser tão prazeroso quanto uma boa corrida, esporte do qual é adepto.

Autor

Daniel Loureiro
* Daniel Loureiro é mestre em Finanças pela Universidade Federal de Minas Gerais, atua no mercado financeiro há 15 anos, com experiência tanto vendendo produtos na linha de frente quanto na área de controles e supervisão, e também tem vivência no meio acadêmico. Neste espaço, vai demonstrar que aprender a lidar com dinheiro pode ser tão prazeroso quanto uma boa corrida, esporte do qual é adepto.

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *