Fatura do cartão de crédito no débito automático

Fatura do cartão de crédito no débito automático

Outro dia, ajudando um amigo um pouco desorganizado a colocar em ordem sua vida financeira, vi que de vez em quando ele perdia uma data de pagamento de boletos e faturas. Não se enquadra em um daqueles casos de falta de dinheiro ou devendo o cartão de crédito há meses (por exemplo): ele tinha o dinheiro, mas em função de uma viagem, ou de esquecimentos mesmo, acabava pagando a fatura do cartão aqui e ali com algum atraso.

Perguntei-lhe porque não incluía a fatura do cartão no débito automático. Ele respondeu que gostava de conferir bem direitinho a fatura pra saber se não havia ali nenhum lançamento indevido e depois pagar. Por isto não usava o débito automático.

Pois muito bem. Em primeiro lugar, é de se ressaltar o louvável comportamento de conferir todos os lançamentos, afinal fraudes e erros acontecem e quem não confere acaba pagando indevidamente. Ponto pro meu amigo. Mas, na prática o não uso do débito automático o havia levado a desperdiçar algumas centenas de reais nos últimos meses em juros por atraso na fatura do cartão. Aí é que estava o problema.

Se ele tivesse optado pelo débito automático, na maioria das vezes, como no vencimento do cartão o saldo de sua conta corrente era maior do que o saldo da fatura, ele não teria pago 1 centavo de juros. Mas mesmo nas ocasiões em que no vencimento do cartão o dinheiro na conta não dava pra pagar toda a fatura, notei que seu banco cobrava um juro menor no limite de cheque especial pré-aprovado do que a taxa do rotativo do cartão. Ou seja, o débito automático além de abater do total da fatura eventual saldo em conta, reduzindo o valor sobre o qual incidem os juros, reduziria também a taxa incidente sobre o saldo devedor.

Parece uma decisão fácil não é!? Pois é, andei perguntando e encontrei outras pessoas que também não usam o débito automático para a fatura do cartão. Por curiosidade, pesquisei no banco no qual eu tenho conta e eles oferecem dezenas de cartões de crédito, nenhum – isto mesmo nenhum – com taxa de juros menor do que a taxa do cheque especial pré-aprovado. Ou seja, para os milhões de clientes do meu banco, esta regra também vale. E pra você? Também vale? Já pesquisou?

(Publicado também em http://vocemaisrico.com/2014/01/21/fatura-cartao-de-credito-debito-automatico/)

Autor

Daniel Meinberg
Autor do livro “O Melhor Investimento pra Você – Princípios de Educação Financeira”, editora AR, 2015, que trata de forma clara para o leigo sobre diversos produtos focados em investimentos. Ministrou palestras sobre educação financeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *